Feeds:
Posts
Comentários

Em muitos lugares do Brasil existe uma grande discriminação entre os professores das Redes Públicas de Ensino. Existem aqueles foram efetivados e possuem assegurados os seus direitos e existem os que, ano após ano, são simplesmente contratados pelo prazo do ano letivo para fazer a mesma função dos efetivos, sem se beneficiar dos mesmos direitos.

POR QUE ISSO ACONTECE?

Trata-se de uma questão econômica: é muito mais barato para a Administração Municipal contratar um professor por um prazo determinado limitado ao ano letivo, sem o registro na Carteira de Trabalho e Previdência Social e sem o recolhimento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço, do que manter regularmente um professor efetivo na função, que recebe salário no período das férias escolares. Além disso, os professores efetivos têm um plano de carreira, incorporam gratificações de tempo de serviço e evolução funcional aos salários e possuem todos os direitos trabalhistas de um servidor estatutário, enquanto os professores contratados recebem apenas as horas trabalhadas no período de seu contrato. A diferença inicial é de 30% só no salário.

COMO FUNCIONA?

A pessoa estuda a vida inteira, se esforça para entrar e se manter numa faculdade para então se formar professor. Em seguida o professor paga uma taxa de inscrição, presta um concurso público e consegue ser aprovado. Mas, em vez de ser efetivado lhe é oferecido um contrato de trabalho com os mesmos deveres e obrigações do professor efetivo, porém com um salário menor e sem os mesmos direitos.Ano após ano o professor segue sua sina: participa da atribuição, faz exames médicos e de laboratório e assina seu contrato, sempre depois do início do ano letivo, geralmente no mês de março, para cumprir um ano letivo inteiro e ser dispensado em dezembro. Como presente de boas festas a prefeitura corta metade do salário de dezembro, que é proporcional aos dias letivos do mês, e o professor deixa de existir, até que assine um novo contrato no ano seguinte.Pela necessidade de trabalho e na esperança da efetivação o professor permanece nessa vida até que se canse e consiga um trabalho melhor ou mais aulas na Rede Estadual.

EXISTE SAÍDA?

A contratação temporária no serviço público foi uma situação criada em 1998 com uma Emenda Constitucional aprovada no Congresso Nacional. Até então, para ingresso em qualquer função no serviço púbico tinha que ter um concurso. Em São José dos Campos, por exemplo, a contratação de professores em prazo determinado segue uma Lei Complementar Municipal que se baseia na brecha aberta pela Emenda Constitucional. A Emenda e a Lei Complementar não especificam a forma como devem ser feitas as contratações temporárias. Outras prefeituras contratam dentro das regras da Consolidação das Leis Trabalhistas e o Estado de São Paulo contrata com as mesmas condições do servidor estatutário. No Vale do Paraíba somente São José dos Campos discrimina os professores dessa forma. Os professores contratados da Rede Estadual, até 2007, possuíam os mesmos direitos trabalhistas que os efetivos e incorporam seu tempo de serviço na condição de contratados aos seus vencimentos, enquanto que os professores contratados da rede municipal recebem salários menores e não possuem os mesmos direitos que efetivos. Logo que foi aprovada a Emenda, diversos partidos políticos entraram com ações na justiça contra a matéria e após muitos anos de tramitação do processo o Supremo Tribunal Federal suspendeu o efeito da Emenda Constitucional e determinou que os novos contratos de trabalho não podem ser feitos nesse sistema.Como se trata de uma decisão que não cabe recurso a administração pública que a descumprir pode até ser punida, o que quer dizer que se a prefeitura de São José dos Campos não regularizar a situação efetivando os professores concursados o prefeito pode até perder o seu cargo.

E OS MEUS DIREITOS?

Todo professor contratado tem o direito ao registro do seu contrato em carteira de trabalho e ao recolhimento do seu fundo de garantia (FGTS). Como a prefeitura de São José dos Campos deixou de assinar as carteiras e recolher o fundo de garantia por volta do ano de 2003, todo o professor contratado tem direito a receber o FGTS referente ao período de seu contrato, acrescido de uma multa por não ter sido depositado na data correta. No entanto, esse direito deve ser exigido na justiça, já que a prefeitura não demonstra nenhum respeito pela situação dos professores e não tem interesse em pagar essa dívida.

O QUE FAZER ENTÃO?

Inicialmente, você professor contratado deve saber que a sua contratação segue rigorosamente a lista de classificação do último concurso público e posteriormente, esgotados os classificados, a lista de classificação por tempo de serviço na rede municipal. Portanto, jamais se sinta intimidado pelos argumentos de alguns elementos da equipe de liderança de sua escola de que esse tipo de manifestação pode prejudicar o seu próximo contrato.Em seguida, você deve montar o seu dossiê.

1) Requeira, se necessário por escrito, cópias de seus contratos de trabalho na prefeitura, secretaria ou escola em que você trabalha, referentes ao período em que você trabalhou (eles são obrigados a lhe fornecer isso);

2) Requeira por escrito a cópias das folhas de registro de ponto, no mesmo orgão, referentes aos períodos e escolas em que você trabalhou (eles também são obrigados e lhe fornecer);

3) Tire cópias de seus contracheques, crachá e documentos pessoais;

4) Procure a Caixa Econômica Federal e retire um extrato simplificado do recolhimento de seu fundo de garantia relativo ao período em que você tem vínculo com a prefeitura. Provavelmente, se você nunca trabalhou na iniciativa privada, você não estará cadastrado. Caso esteja cadastrado, o depositante não será a Prefeitura. Isso serve para provar que o seu fundo de garantia não está sendo recolhido;

5) Requeira por escrito as cópias dos atestados e declarações médicas que justificaram suas ausências no período. Na guia de licença médica o enquadramento funcional dos contratados é CLT, o que serve de argumento para reforçar a ação;

6) Requeira por escrito a grade de aulas de cada escola em que você trabalhou. De acordo com a CLT, as “janelas” existentes na grade de aula devem ser pagas como aulas dadas, justamente para impedir esse abuso contra o professor;

7) Procure um advogado para ingressar com ação judicial contra o orgão a que você está vinculado. Ele terá mais informações e poderá solicitar outros documentos. O sindicado dos servidores pode indicar um advogado.

Lembre-se que mesmo que você não tenha a intenção de entrar na justiça hoje, se um dia você mudar de idéia esses documentos farão a diferença. Pela legislação brasileira o período da causa é limitado a cinco anos antes da data do início da ação na justiça, o que quer dizer que quanto mais você demorar, mais dinheiro irá perder.

2.370 Respostas

  1. em 30 setembro 2008 às 17:58 Nelson Guilherme

    Neste período de eleições em que não se pode fazer contratações gostaria de saber como a Secretaria de Educação faria se todos os professores temporários pedissem para interromper seus contratos.
    Creio que somos um grupo muito desunido e falta-nos coragem para uma jogada ousada como esta. Dias desses aconteceu de faltar muitos professores em minha escola e a equipe diretora foi forçada a dispensar os alunos. Em minha escola os eventuais que são chamados recusam-se a ir dar aula lá devido a indisciplina. Somente ficam os eventuais que conseguiram o termo através da própria escola. Já tive em escola em que prevalecia temporários. Como iria se arranjar a Secretaria? Corre a boca miúda que até mesmo a equipe diretora já não está suportando a pressão que vem da secretaria e a que enfrenta no dia a dia com os alunos e os pais que reclamam por soluções efetivas.
    Creio que este seria um momento muito favorável para os professores temporários serem mais valorizados.


  2. em 2 outubro 2008 às 17:12 professortemporario

    Uma vez, em uma escola onde prevaleciam os professores temporários fizemos algo paecido. Nós tinhamos um péssimo relacionamento com a direção, que tentava sempre nos prejudicar. Nos mês de outubro, a gota d’água foi a substituição da comemoração do dia dos professores pela comemoração do dia das crianças; isso num ambiente de extrema indisciplina. No mês de outubro resolvemos comemorar o dia do médico. Todos os professores resolveram visitar seu médico de confiança e parabenizá-lo pelo seu trabalho. Como a escola possuía uma fama, os professores eventuais também não compareceram. No dia seguinte, como todos os professores apresentaram atestados, a direção entendeu o recado… É uma idéia razoável, que pode testar e incentivar a mobilização dos professores, até por que com atestado médico, nenhuma secretaria pode fazer muita coisa…


  3. em 13 novembro 2008 às 14:56 Alaíde Almeida

    Prezado(s), Tempos atrás, fiz uma substituição no estado eu era contratada do estado, tinha 20 hs. e consegui mais 20 hs, trabalhei de outubro a dezembro. no ano seguinte me dispensaram e nunca pagaram o meu dinheiro. Dizem como era contratada não tenho direito. Mais ainda, já que hoje sou contratada pelo REDA estou pondo em risco meu emprego. e não posso entrar com uma ação de cobrança. A quem recorrer, o que fazer e como lutar? RESPONDA-ME Sou de Cícero Dantas- Ba.


  4. Sou professora contratada pelo Estado de São Paulo à 24 anos. Procuro um advogado trabalhista que trabalhe contra o Estado, para que eu possa exigir os meus direitos (FGTS e depósito do PIS).
    Alguem pode me fazer uma indicação de um bom advogado?
    OBS: Não sei o que acontece?
    Sindicato sempre diz que não tem direito mesmo…


  5. em 22 dezembro 2008 às 14:00 professortemporario

    Encontrar um advogado que tenha coragem de mover ação contra o serviço público não é uma tarefa muito fácil. No entanto, os advogados costumam montar escritórios especializados. Dessa forma, recomendamos ao professor, que queira ingressão com açõa judicial contra o Estado ou alguma Município, que procure um escritório especializado em causas trabalhistas relacionandas ao serviço público.


  6. sou professor da rede publica municpal á sete anos e a minha duvida é como vai ter o concurso apartir de abril do proximo ano, eu gosrtaria de saber se existe alguma lei que nos dê um direito a uma pontuação ou que nos efetive por tempo de trabalho ,pois o caso, não é só o meu, mais de uns trinta educadores da qui da cidade.
    a quem eu devo procurar, ou, o que devo fazer ?


  7. em 28 dezembro 2008 às 12:44 professortemporario

    Pelo que sabemos, o professor temporário que trabalha em uma determinada rede pública tem sim o direito de incorporar esse tempo de serviço quando for efetivado. No entanto, essa efetivação só pode acontecer por aprovação em concurso público. Por exemplo: Se um professor trabalha como temporário em uma rede municipal e presta o concurso para essa mesma rede, se for aprovado e efetivado (que por incrível que pareça são coisas diferentes e cada vez mais desconexas…) esse professor tem o direito de incorporar o tempo de serviço como temporário à sua pontuação de efetivo, pois a constituição garante a isonomia, que é o tratamento igual pelo mesmo serviço prestado. No entanto, se não for aprovado no concurso ou não for efetivado no cargo, o que depende da relação de vagas e da política municipal… a situação fica difícil. Em todo caso, deve-se primeiro estudar para ser aprovado no concurso e após essa aprovação procurar um advogado para saber dos detalhes.


  8. em 3 fevereiro 2009 às 17:14 vanessa moreira

    gostaria de saber sobre minha classificação, obrigada.


  9. em 3 fevereiro 2009 às 19:53 professortemporario

    ??? Não temos o dom da onisciência.


  10. OI, sou professor e fui contratado pela prefeitura em 1999 para trabalhar com 40hrs. Em julho de 2005 fiz um concurso, fui efetivado e continuei trabalhando as 40hrs. Só que agora em 2009 eles tiraram 20hrs e não me deram a mínima satisfação.Gostaria que me ajudassem me orientando sobre os meus direitos e onde procurá-los? manda a resposta para o meu e- mail:heliomangueira@hotmail.com obrigado!


  11. em 6 fevereiro 2009 às 19:18 professortemporario

    Quando prestamos um concurso e somos chamados para escolher as aulas, assumimos um cargo, que geralmente tem entre 18 e 24 aulas (cada rede tem a sua quantidade). Na maioria dos casos, quando assumimos essa carga básica, nos é oferecida uma carga complementar/suplementar. Se ficassemos nessa situação pelo tempo de serviço necessário para se aposentar, em teoria as redes deveriam nos pagar uma aposentadoria referente a dois cargos. Ocorre que para evitar esse tipo de questionamento, as redes muitas vezes limitam o professor à sua jornada básica, especialmente quando este se aproxima da aposentadoria.

    Pelo concurso, o professor tem direito a sua carga básica, de 20h. Não é possível recuperar a carga complementar perdida (provavelmente ela foi atribuída ou a um novo professor efetivo, ou a outro professor temporário), pois a complementação é uma concessão que depende de disponibilidade.

    Mas, como o professor lecionou por muitos anos com uma jornada dupla, e certamente foi descontado para previdência de forma proporcional, acreditamos que um bom advogado consiga a incorporação proporcional desse período complementar ao valor do benefício de aposentadoria.

    Para isso, o professor deve fazr o básico: reunir documentos e procurar um advogado especializado em causas trabalhistas e previdenciárias no serviço público.


  12. Olá, por favor gostaria de uma informação. Eu trabalho como escrituraria em uma prefeitura concursada e gostaria de lecionar no periodo noturno ( professor temporario) isso é possivel, aguardo uma ajuda resposta


  13. Boa tarde!!
    Gostaria de saber, que dia que será realizado as inscrições para professor eventual.


  14. em 9 fevereiro 2009 às 20:10 professortemporario

    Até onde sabemos, é vedado o acúmlo de cargo entre o magistério e o serviço administrativo. Assim, se uma pessoa é escriturária em uma prefeitura ela pode lei não tem autorização para lecionar, mesmo como eventual. Considerando que os sistemas de banco de dados ainda não são integrados, um servidor até pode se inscrever e lecionar, mas se for descoberto ou denunciado, pode ser objeto de processo administrativo e ter que devolver aos cofres o que recebeu.


  15. em 9 fevereiro 2009 às 23:40 maria cristina

    gostaria de saber quias os orgão que devo procurar
    para saber os meus direitos como professor temporario
    se devo cancelar a minha conta no banco que recebo.


  16. Sou formada em Bioloia a 5 anos e nunca exerci a profissao, como posso ingressar na rede publica ainda este ano? tanto na rede estadual ou Municipal, a que departamento devo me dirigir?
    Obrigado


  17. em 11 fevereiro 2009 às 16:34 Mônica Godoy

    Por favor, gostaria de interar-me com a lei na qual diz que na primeira atribuição devo pegar as aulas de uma escola. Por exemplo: tem 10 aulas no período da manhã e 8 aulas a noite, só que estudo a noite então só posso pegar aulas de manhã,porém não foram atribuidas a mim dizendo que não poderiam quebrar o bloco. Gostaria de saber sobre as leis.
    Grata


  18. em 11 fevereiro 2009 às 23:01 professortemporario

    Ao que sabemos, o professor tem o direito de quebrar o bloco na primeira atribuição pois isso era uma prática comum em processos anteriores e ao que sabemos, não existe nenhuma norma ou lei que proíba esse procedimento. Se não há lei que proíba, a prática é válida e a sua restrição pode ser questionada na própria DE, com uma descrição detalhada do evento por parte do professor e a solicitação do fundamento jurídico que motivou essa restrição. Caso isso não resolva, só resta a justiça.


  19. em 11 fevereiro 2009 às 23:35 professortemporario

    A primeira coisa que uma pessoa precisa saber antes de se dirigir a uma secretaria municipal ou diretoria de ensino é que os professores temporários são relacionados prioritariamente entre os graduados em nível superior com diploma de licenciatura. Os bacharéis ficam em um segundo plano.

    Cada prefeitura tem uma sistemática própria e por causa disso, para se lecionar como professor temporário em uma rede municipal deve-se procurar a secretaria ou departamento de educaçã oda cidade para saber quais são as peculiaridades. existem prefeituras de seguem a lista dos aprovados no seu último concurso. Outras consideram apenas a inscrição e classificam os professores por tempo de serviço municipal.

    No Estado de São Paulo existia uma prática comum de reabrir as inscrições de docentes na semana seguinte á primeira atribuição. Entretanto, as regras divulgadas para o processo seletivo de 2009, que consideraria a nota da prova, dizia que somente os inscritos em dezembro poderia lecionar naquela diretoria de ensino específica. Como as coisas mudaram, não sabemos se a reabertura das inscrições ocorrerá.

    Em todos os casos, a única maneira de saber é perguntando aos funcionários da Secretaria Municipal de educação ou diretoria regional de ensino pretendida.


  20. Sou professor contratado na rede pública no RS, e recolho para o INSS, gostaria de saber mais a respeito do pagamento de FGTS, para poder ingressar na justiça pedindo meus direitos. Obrigado


  21. em 21 fevereiro 2009 às 20:45 professortemporario

    No Brasil só existe duas possibilidades de contratação: Ou a pessoa é servidora pública estatutária, com estabilidade de serviço e contribuição previdenciária a um fundo específico, ou é contrata pela CLT, sem estabilidade de serviço e com o recolhimento obrigatório do FGTS.
    A maioria dos municípios não tem um fundo de previdência específico e por essa razão seus funcionários estatutários contribuem para o INSS. Ou seja: contribuir para o INSS não necessariamente significa ser contratado pelas normas da CLT.

    Se um professor de qualquer lugar do Brasil é contratado como temporário, para substituir um efetivo, esse contrato deve obedecer as normas da CLT. Isso quer dizer que esse professor deve ter sua carteira de trabalho assinada, o FGTS recolhido no valor de 8% dos seu salário todos os meses e deve contribuir com os 11% do INSS. Se o contrato de trabalho for de prazo determinado, com data prevista para o encerramento, o contratante não precisa pagar a multa de 40% sobre o valor depositado no FGTS.

    Entretanto, algumas prefeituras, como São José dos Campos-SP, ignoram a lei e contratam seus professores sem registrar a carteira e sem recolher o FGTS. Nesses casos, o professor pode procurar um advogado especializado em causas trabalhjistas contra o serviço público e ingressar com uma ação requerendo o registro do contrato em carteira de trabalho e o FGTS não depositado nos últimos dois anos (depois disso prescreve), acrescido de uma multa de 40% pór não ter sido depositado na época correta.

    Evidentemente, se o professor fizer isso, a primeira coisa que o caontratante fará é demití-lo (se ainda estiver vinculado), até para acertar a situação.


  22. Foram divulgados nas escolas o conteúdo que iria ser cobrado na prova classificatória do Estado , porém os professores que são considerado estáveis e outros com alguma pontuação tinham tanta certeza da de que nada iria mudar para a educação que nem se deram o trabalho e de folhear os livros de proposta do Estado, e com notas péssimas continuam lecionando para nossos filhos. Por conta de atitudes como esta é que a educação do nosso Brasil esta comprometida (formados porém analfabetos). Estado tome uma atitude não podemos deixar a educação de nossas crianças nas mãos da APOESP que protege professores que são afiliados , secretario da educação contrate de acordo com a qualificação…


  23. em 26 fevereiro 2009 às 00:16 Fátima Cerqueira

    Fui professora contratada de 1997 a 2002 de uma prefeitura de Minas Gerais. Quero saber se tenho direito a receber o abono do Pasep e o FGTS? E o que devo fazer para conseguir receber estes direitos? Já verifiquei junto ao Banco do Brasil e disseram-me que não tenho saldo no PASEP. Contratado não possui estes beneficios?


  24. em 26 fevereiro 2009 às 00:36 professortemporario

    FGTS, toda pessoa contratada pela CLT tem direito. No entanto, algumas prefeituras e estados insistem em não pagar e a única forma de resolver isso é entrando com ação na justiça do trabalho, que até é mais rápida, se comparada com a comum. O processo pode levar de seis meses a um ano e precisa de advogado. Porém, a se o professor estiver vinculado ao empregador que está processando ele pode ser demitido.

    Pis e Pasep são contribuições criadas na época do regime militar e que hoje rendem muito pouco. Quando o rendimento do pasep é menor que 1000 reais ele nem aparece na consulta de saldo no banco do Brasil. Entretanto, assalariados e desempregados que recebiam até dois salários mínimos tem direito a sacar um valor de abono no mês em que fazem aniversário ou em outra data estipulada pelo Banco do Brasil, no caso Pasep, e pela Caixa Econômica Federal, no caso do pis. Esse valor pode chegar a um salário mínimo.


  25. Bom dia,
    Sou professora temporaria do estado desde 02/2009 não sei ao certo quais os meus direitos e não achei quem pudesse me esclarecer vc pode me orientar?
    grata


  26. em 10 março 2009 às 20:25 professortemporario

    De acordo com a nossa legislação trabalhista (CLT), todos os professores, temporários e não estatutários, têm direito ao registro de seu contrato de trabalho em carterteira, ao recolhimento do FGTS e à seguridade social pelo INSS.
    Desde 2007 todos os professores OFA do Estado de São Paulo contribuem formalmente para o INSS. Antes, contribuíam para o fundo previdenciário dos professores efetivos do Estado.
    Além desse direitos, os professores também têm o direito de receber a hora aula referente às janelas de seu horário e ao hora de trabalho pedagógico referente a 1/3 de sua carga horária (Piso Nacional do Magistério)

    O problema é que o Estado de São Paulo simplesmente ignora esse legislação. Não assina a carteira de trabalho, não recolhe o FGTS e questiona o Piso do Magistério na Justiça.

    Dessa forma, a única alternativa é reunir documentos, procurar advogado e entrar com ação na justiça.


  27. Muito obrigada pela orientação.
    abs


  28. sou professora da rede pública, mas a um ano atras fui reabilitada em outra função junto ao inss, gostaria de saber se perdi meus direitos de ferias coletivas, junto com todos os professores, pois agora estou na secretaria da escola.


  29. em 20 março 2009 às 22:41 professortemporario

    Qualquer funcionário que se afasta do trabalho para tratamento de saúde por mais de 15 dias é colocado em uma licença em que seu salário passa a ser pago pela previdência. Entretanto, essa licença é paga para funcionário ficar em casa, se recuperando.

    ocorre que o readaptado está na verdade realizando uma outra função e não se recuperando de doença. Por isso, os direitos adiquiridos até o momento em que a pessoa estava em sua função de origem não são perdidos (tempo de serviço e adicionais incorporados). Mas, calendário de férias e novas gratificações devem ser considerados para a nova função em que se encontra a pessoa.

    Se um professor tem lá o seu tempo de serviço e é readaptado como secretário de escola, que tem um padrão de vencimentos diferente, esse professor leva consigo os adicionais e o tempo que já incorporara, mas seu salário será calculado com base no padrão da sua função.


  30. Sou professora temporária do estado do Paraná, aqui nos chamam de PSS(processo seletivo simplificado).Pelo que vejo passamos pela mesma dificuldade na aréa de SOCIOLOGIA.
    Aqui todo ano é a mesma “putaria”…Abre contrato , fecha contrato e não temos quase aulas.Perdemos com os professores de História que já fazem ´seculos que dão aulas e agora estamos perdendo para os pedagogos.
    Este ano aqui na cidade de Londrina “inventaram”(não sabemos o que ocorre por trás dos bastidores) uma ordem de serviço daqueles chamados no concurso de 2004.Pasmem gente , teve concurso para a nossa aréa..só que não chamaram todos.Estou na colocação de 165º do concurso e até agora nada.Isto porque já teve concurso.Imagine no estado que naõ teve ainda………….a “putaria” deve ser maior.
    Isto porque no ano de 2007 teve outro concurso(político, é claro), mas não teve na a´rea de sociologia, pois “prometeram chamar todos de 2004.Portanto senhores só tivemos um concurso para nossa área.Como tem pessoas falando que não há professores em nossa área??????????
    Aqui em Londrina está abarrotado de professores de sociologia..esperando aulas.


  31. em 23 março 2009 às 13:36 professortemporario

    Professora Janete.

    O caso que você citou é certamente um objeto de denúncia ao MP, por diversas razões:
    1) Por lei, concurso público tem validade por até dois anos, prorrogáveis por mais dois. Isso quer dizer que depois de quatro anos a entidade pública é obrigada a fazer outro concurso;
    2) Se existe um concurso válido e uma lista de classificados, é considerado crime de prevaricação por parte do secretário de educação ou gestor que efetive ou chame pelo concruso uma pessoa que não seja a próxima classificada.
    3) Como os concursos são feitos para disciplinas específicas, um professor temporário de história até poderia lecionar sociologia, para o ensino fundamental, desde que tivesse pelo menos 160 horas dessa disciplina em seu histórico. Entretanto, esse professor de história jamais podeira assumir um cargo efetivo de sociologia. A não ser que esse professor tenha prestado o concurso de sociologia e tenha habilitação específica para isso, trata-se de outra irregularidade.

    Recomendamos nesse caso que a professora reuna editais de abertura do concurso, lista de classificados e aprovados, cópias das páginas do diário oficial ou boletim do município que publicou a nomeação dos professores (para provar que houve um concurso e que sua classificação não foi respeitada). Com isso em mãos, procure o Ministério Público Estradual, ou ainda faça uma denúncia pelo site da Procuradoria Geral da República (o que funciona melhor, já que MPF repassa essas denúncias aos MPs estaduais e cobra a resolução dos casos).

    Sobre o concurso de 2004, depois de vencido não pode mais ser utilizado para convocação de classificados.


  32. Janete, o que aconteceu ai, logo logo vai acontecer aqui, em São Paulo , todos ficamos focados em ter aula e deixamos nosso querido governo, colocar processos simplificados com o sonho de ficar mais facil, pois tirando boa nota vc ficará bem de pontuação e isso vai complicando a vida de todos quem está entrando e de quem já está, sempre que escrevo aqui sou criticada por muitos, queria que olhassem não só o hoje, pois nada que eles fazem é para melhoria e sim para separar a categoria e sempre lutamos sozinhos. Como vc está no Estado do Pará, lutando sozinha sendo que tem muitos na mesma situação e se a categoria estabelecesse uma união, isso não ocorreria em estado nenhum…mais paciência merecemos o que temos…com, uma categoria que fala mal do próprio colega de trabalho que está na mesma situação esperar o que… vê se isso acontece com os médicos…tem vários que não prestam mas os colegas de trabalho não fala e não confirmam que são pessímos especialistas para ser o melhor…devemos nos fortalecer para poder fazer uma mudança na educação. Boa sorte na sua luta.


  33. em 25 março 2009 às 23:13 professortemporario

    Professora Débora

    Muitas vezes em nossas discussões, acaloradas pelas emoções e angústias do momento, esquecemos de discutir os argumentos que realmente importam:
    1) Como é possível que as escolas públicas de são paulo funcionem por tantos anos contando com mais de 40% de professores temporários em seus quadros?

    Não se trata de discutir a capacidade desses professores (que acreditamos ser manchada pela postura de um pequeno grupo) mas de se perceber que professor temporário é uma situação emergencial, que jamais justificaria a existência de uma proporção tão grande em relação aos efetivos.

    Processo Seletivo simplificado para contratar professores temporários é uma ferramenta necessária e uma exigência lagal, mas isso de forma alguma substitui o concurso público. Quando o Estado abusa desse processo apenas para reduzir os seus custos, já que os temporários recebem menos que o efetivos, cabe aos professores reagir, de todas as maneiras possíveis.

    Nós já fizemos denúncias ao Ministério Público e entramos com ações judiciais individuais para reaver nossos direitos trabalhistas. Se uma boa parcela de professores fizesse o mesmo, o Estado certamente revisaria essa política, pois o custo das indenizações e termos de ajuste de conduta com o MP certaemnte seriam maiores.


  34. ola, tudo bem!!! urgente!!!
    prezados colegas, estou indiguinado com a situação: no mes de março, fui em uma atribuição na diretoria de ensino da prefeitura de sp-sp, para contrato de 12 meses para lecionar com professor fundamental e medio. muito bem, a minha supresa foi quando fui escolher a escola a qual esta cadastrado fui informado pela supervisora de atribuição que não deveria pegar 25 aulas daquela escola, quando questionei, que o regimente minimo para contrato e de 25 horas e não 34, mesmo assim, supervisora respondeu: são substições (não informando detalhes), que deveria pegar tudo e não apenas as 25 e sim as 34 aulas, ou seja era tudo ou nada, caso eu não pegasse as 34 aulas perderia a vez da atribuição e as respectiva aulas.
    estou com problemas de acumulo no estado, por causa das 34 aulas. e mais chegando na escola fiquei sabendo que eram aulas de dois professores: um que a licença termina em agosto e outro termina em dezembro, caso conseguisse ficar com as 25 aulas meu acumulo daria certo. pergunto qual e a lei de atribuição da prefeitura capital de são paulo sp. isso e legal!! onde posso recorrer.
    2. depois de minha escolha nesta escola municipal de 34 aulas, fiquei lecionando ja a uma semana. olhando o d.o da cidade de são paulo sp, verifiquei para comparecer em nova atribuição em outra escola; a pergunta é: posso deixar as aulas? – escolher novamente nesta nova escola? – ficarei impedido de participar de novas atribuições na prefeitura? por favor me ajudem!!! urgente!!!


  35. fui em uma atribuição no estado de são paulo-sp, nesta escola estadual havia 14 aulas no periodo da noite, poderia pergar apenas 12 aulas. quando fui chamado a escolher entre varios colegas a diretora da escola, me informou que não iria quebrar o bloco, sendo assim ela, atribui estas aulas para outra professora com menos pontos do que eu. questionei e solicitei para diretora colocar por escrito que não poderia quebrar o bloco, ela negou ,não quis responder por escrito, sendo assim a mesma diretora ligou para diretoria de ensino que por sua vez a supervisora informou que a atribuição e cargo do diretor, que eu deveria pegar as 14 aulas e não as 12 aulas, sendo mais uma vez fiquei, prejudicado, mesmo assim protocolei, por escrito a queixa na escola, depois em seguida fui ate a diretoria de ensino e a supervisora me informou: que a atribuição e cargo da diretora, que não poderia quebrar bloco. quero saber e legal!, onde na lei esta escrito que não pode quebrar bloco? valeu mais uma vez!!!


  36. em 29 março 2009 às 16:45 professortemporario

    Professor Sérgio.
    A situação de professor temporário é por si só desabrigada. Quando as aulas são atribuídas aos professores efetivos, de acordo com a carga horária mínima do cargo, o professor é obrigado a assumir a carga mínima (que varia de 20 a 24 aulas, conforme a rede), podendo complementar com uma carga suplementar.
    Entretanto, para o temporário a situação é diferente. Como teoricamente se trata de uma situação transitória, emergencial, para garantir a atribuição dessas aulas sem o prejuízo dos estudantes a rede pode sim atribuir aulas em bloco, com impossibilidade de quebra (imagine a situação de uma escola de periferia que tenha 33 aulas e o professor resolve assumir apenas 27. Dificilmente algum professor se interessará por assumir apenas seis aulas em uma região de periferia, o que praticamente condenaria os alçunos dessas salas e prosseguirem o ano letivo sem um professor para essas aulas. Quando a escola é mais organizada ainda existe a preocupação de deixar um mesmo professor eventual para essas turmas, mas geralmente o que acotnece é que o alunos ficam sem essa aulas e a sua carga horária é contada como se tivessem aula normal.)
    Dessa forma, o que se pode fazer é consultar atentamente o edital publicado pela prefeitura para regular a questão. Se lá não estiver escrito que as aulas serão atribuídas em bloco, pode-se entrar com recurso na própria secretaria municipal de educação e citando o edital, requerer a quebra do bloco. Mas, se estiver no edital que as aulas serão atribuídas aos temporários em bloco, nada pode ser feito.

    Em termos de lei, não existe nada que obrigue ou impeça a atribuição das aulas em bloco. Assim, tudo depende do edital que publicou o processo seletivo da atribição dessas aulas (Tem que existir, ou na internet, no site da secretaria, ou em papel, arquivado no prédio da mesma)


  37. olá,

    estou escrevendo reportagem sobre professores temporários, e gostaria de entrevistar alguns professores que se encontram nessa condição, bem como outros profissionais e estudiosos que possam falar sobre o assunto.

    Atenciosamente,

    Gustavo Rodrigues – Editor revistas Profissão Mestre e Gestão Educacional


  38. Gostaria de saber se o PROFESSOR ASSISTENTE D COM CONTRATO TEMPORÁRIO tem direito as férias do mês de julho.


  39. em 4 abril 2009 às 15:38 professortemporario

    O recesso escolar de julho é destinado para os envolvidos com a sala de aula. Professores e alunos. Assim, se o professor assistente está em atividade em sala de aula ele tem, teoricamente, direito ao recesso. Ocorre, que muitas redes de ensino costumam contratar professores apenas para os perídos letivos, demitindo-os em julho, para recontratá-los em agosto.

    Isso é ilegal e deve ser objeto de ação judicial trabalhista.


  40. Não sou profissional do magistério efetiva, trabalho 20 hrs no ensino fundamental de contrato como professora e este se encerra no final do ano…Gostaria de saber se tenho direito aos 2/3 do piso?


  41. em 11 abril 2009 às 13:42 professortemporario

    Professora Márcia.
    Não entendemos a sua colocação. Você é professora efetiva e trabalha como temporária? O que seria 2/3 do piso?

    Todo professor do Brasil, (inclusive os que não possuem formação superior) a partir da promulgação da Lei do Piso nacional do magistério tem direito a receber como vencimento pelo menos R$ 950,00 por 40 horas aula. Os professores com cargas horárias menores fazem jus ao vencimento proporcional, sendo que obrigatoriamente, 1/3 dessas horas deve ser cumprido fora da sala de aula, sem contato com alunos, para preparação e formação continuada.

    Além disso, como qualquer trabalhador, os professores fazem jus ao adicional de férias (1/3 do salário, quando gozadas) e ao 13º salário. Os professores temporários que são desligados no fim do ano leitivo fazem tem direito a receber o valor do 13º e das férias proporcionais (salário bruto/12 x nº de meses trabalhados, para ambos os casos) e o FGTS recolhido nesse período.

    Fora disso, o professor deve procurar um advogado e entrar com ação na justiça do trabalho.


  42. Me desculpe, não esclareci…

    Sou formada em Letras, leciono para o ensino fundamental na 2ª fase, 20horas e recebo por 40 horas, trabalho como professora temporária (aqueles que vocês chamam quem trabalham de contrato) aqui falamos professor contratado…No meu contrato está como profissional do magistério e descontam o INSS…minha dúvida é:

    Vou receber como meus colegas efetivos ou seja de acordo com o piso nacional (950,00) ????? Tenho direito??

    Perguntei para a funcionária que cuida do Depto Pessoal e ela me disse que teria que ler direito o que diz a lei sobre o piso, pertinente ao meu caso(contrato). Então quero estar bem informada para que não venham com desconversas….pois sempre levo prejuízos devido trabalhar no contrato….nunca tenho direitos….(a mesma frase sempre….”Você não tem direito porque não é efetiva”).


  43. em 12 abril 2009 às 19:32 professortemporario

    A lei é clara: o piso salarial do magistério é de pelo menos R$ 950,00 para uma jornada de 40h, independentemente de o professor ser efetivo, temporário ou não ter formação superior.

    Assim, pela lei, todo professor tem direito a receber pelo menos o valor do piso.

    Como essa lei foi aprovada em 2008 e existe um prazo de adaptação para os estados e municípios, existe também uma escala progressiva, que é de 2/3 desse valor em 2009, para se chegar ao valor integral em janeiro de 2010; isso para as regiões que pagavam muito abaixo disso.

    Entretanto, nesses casos, não pode haver distinção entre os professores efetivos e temporários. Os efetivos naturalmente recebem salário maior, por incorporarem gratificações aos vencimentos, mas o salário base tem que ser o mesmo.

    Qualquer dúvida, use a LEI, como foi aprovada pelo Congresso Nacional:
    http://www.senado.gov.br/sf/atividade/materia/detalhes.asp?p_cod_mate=66841

    http://www2.camara.gov.br/legislacao/legin.html/textos/visualizarTexto.html?ideNorma=578202&seqTexto=101082&PalavrasDestaque=magist%C3%A9rio


  44. urgente,sou professora temporária gostaria de um esclarecimento para retirar minhas dúvidas.há na lei que professor de nível superior ganha o mesmo valor salárial que tem o magistério? me ajude moro em goiás.


  45. Prezados Colegas,

    Como estou sem aulas, aqui no estado do Paraná, gostaria nesta altura, trabalhar no estado de São Paulo.Será que neste período , abreria inscrição?Qual seria o procedimento?
    Gostaria da verificação no municipio de Presidente Prudente, que seria mais perto de Londrina-Pr.Sou contratada pelo Estado desde 02/2003 até 12/2008(contrato anual).Agradecida .
    Janete


  46. Por ser temporario, naõ sou sindicalizada aqui no Paraná.
    Tenho dúvidas a sua atuação em pró dos contratados.Estou certa ou naõ????
    Janete


  47. em 21 abril 2009 às 15:54 professortemporario

    Professora Janete
    Nosso espaço de discussão visa esclarecer e orientar os professores temporários, que na maioria dos casos são contratados de forma precária por Estados e Municípios. Não temos nenhuma vinculação partidária ou sindical (Em alguns casos discordamos totalmente de algumas entidades sindicais, por entendermos que parte do que fazemos deveria ser feito por essas entidades…).

    A situação de professor contratado/temporário é uma anomalia, que extraordinariamente deveria ocorrer em substituição ao professor efetivo que se afasta por motivo pessoal ou de saúde. Entretanto, como os governos tem abusado desse expediente para contratar professores de uma forma mais econômica, a primeira coisa que defendemos é o concurso público, dentro do que prevê a lei. Em seguida, defendemos os direitos trabalhistas dos professores contatados/temporários/eventuais, dentro do que estabelece a CLT.

    Sobre a situação dos professores no Estado de São Paulo, que acompanhamos mais de perto por residirmos nesse estado, esclarecemos que o calendário para inscrição dos professores canditados a lecionar como temporários no próximo ano letivo normalmente se inicia em Novembro. Para este ano de 2009 as inscrições estão fechadas, desde Novembro passado. Nas prefeituras paulistas existem sistemáticas de inscrição e seleção diferentes, mas normalmente as inscrições são abertas uma vez ao ano, próximo do fim do período letivo.

    Em São Paulo a situação dos professores temporários não é muito digna. Apesar de comporem 43% do quadro de docentes da rede estadual, os professores temporários são contratados sem os direitos trabalhistas da CLT como registro em carteira e FGTS. è uma situação estranha, em que o professor contratado, enquanto mantiver seu vínculo possui os mesmos direitos dos efetivos, mas ao perder esse vínculo, não conseguindo nenhuma aula na atribuição do início do ano, perde tudo e não recebe nenhum tipo de indenização trabalhista.

    Assim, para quem deeja lecionar no Estado de São Paulo, a solução é aguardar até o mês de maio, quando existe uma possibilidade de abertura de inscrições para professores.

    Vale lembrar que a novela da atribuição e da prova classificatória dos professores ainda não acabou. O Estado já sinalizou que pretende refazer o processo no recesso de julho, o que significaria uma nova abertura de inscrições para um novo processo seletivo classificatório, com mais bastidores judiciais…


  48. Obrigada pelas informações…ainda bem que temos este espaço…senão o desespero seria maior.

    professora Janete(sociologia-é mais dramático ainda para esta “novela”)


  49. Oi, sou advogado e tenho um amigo nessa mesma situção, o trâmite na justiça já está na fase final, pelo visto, ele terá seu direito reconhecido. Espero que vcs consigam também.
    Um abraço a todos.


  50. Eu trabalho a mais de nove anos para o municipio por meio de contrato,Existe alguma lei que possa me efetivar pelo tempo de trabalho?


  51. Se a pessoa tem contrato com o municipio e derrepente ela adoeçer e ficar recebendo auxilio doença,ela pode ser ezonerada?


  52. em 27 abril 2009 às 21:58 SIMONE FERREIRA SOARES

    gostaria de saber se um professor pode ser humilhado na sala de aula , ou ser desacatado com palavras ditas que eu nao seria capaz.


  53. em 29 abril 2009 às 18:54 professortemporario

    Talvez um dos principais princípios dos Direitos Humanos seja a Dignidade. E, por essa dignidade, nenhum ser humano pode ser submetido a uma situação de humilhação. No caso específico dos professores, podemos analisar a situação em dois grupos, dentro do Código Penal:

    1) Professores da Rede particular – São cidadãos que tem sua dignidade preservada pelos artigos:
    138 (Caluniar alguém, imputando-lhe falsamente fato definido como crime);
    139 (Difamar alguém, imputando-lhe fato ofensivo à sua reputação);
    140 (Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro);
    146 (Constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, ou depois de lhe haver
    reduzido, por qualquer outro meio, a capacidade de resistência, a não fazer o que a lei permite,
    ou a fazer o que ela não manda);
    147 (Ameaçar alguém, por palavra, escrito ou gesto, ou qualquer outro meio simbólico, de
    causar-lhe mal injusto e grave);

    2) Professores da Rede pública – São funcionários públicos, investidos de autoridade pelo Estado. Como representantes legitimos desse Estado os professores estão amparados pelo Código Penal, por todos os artigos citados para o caso dos professores da rede particular e especificamente pelos artigos:
    329 (Opor-se à execução de ato legal, mediante violência ou ameaça a funcionário competente para executá-lo ou a quem lhe esteja prestando auxílio), para os casos de ameaças ou violências cometidas pelos estudantes;
    330 (Desobedecer a ordem legal de funcionário público), no caso de recusa em cumprir determinações como dirigir-se à direção;
    331 (Desacatar funcionário público no exercício da função ou em razão dela), no caso específico de desrespeito ou humilhação do professor.

    Em todos os casos, o professor ofendido deve procurar uma delegacia de polícia e fazer o registro do Boletim de Ocorrência, apresentando, além dos documentos pessoais, o nome do ofensor, nome dos responsáveis pelo ofensor (ficha do aluno) e nome e endereço da escola. Depois disso, o Delegado de Polícia inicia um Inquérito, que resultará na convocação dos envolvidos à delegacia para prestar esclarecimentos e depois de colhidos os depoimentos, o caso é remetido ao Fórum, para abertura de Processo.


  54. em 29 abril 2009 às 19:05 professortemporario

    Professor Adeilson

    1) Pela lei, o professor que trabalha como contratado não pode ser efetivado sem que seja aprovado e classificado em concurso público. Existem alguns casos em que professores lecionaram por mais de 10 anos consecutivos, sem perder vínculo, e por essa razão são considerados estáveis. Esses professores possuem assegurada a continuidade de seu vínculo, mas não são considerados efetivos e são classificados sempre depois desses efetivos;

    2) O professor contratado, como qualquer trabalhador, quando adoece e precisa se afastar por mais de 15 dias, passa a ser vinculado ao auxílio doença pelo INSS. Se esse professor tem lá o seu registro em carteira de trabalho, sem problemas. Mas, como na maioria dos casos o contrato de trabalho é irregular (de gaveta), esse professor passa a contar com a boa vontade de quem o contratou. Assim, pela lei, o professor tem direito ao auxílio doença, mas , nesses casos, precisa requerer esse direito na justiça.
    Teoricamente, o professor afastado por motivo de saúde não pode ser exonerado. Mas, como o vínculo desse professor contratado é frágil, o contratador costuma exonerá-lo usando como argumento outra coisa que não seja o problema de saúde.


  55. Professor, como faço para saber se minha portaria foi aberta e como consultar?

    Obrigada


  56. A grade curricular do ensino médio para Sociologia…é rídicula.

    Parece que colocaram a Sociologia, como estivesse prestando um favor…

    Uma aula/semana para cada série do Ensino Médio!
    Só para aparentar que está condizente com o que foi sancionado ano passado em nível nacional.

    O que os licenciados em Sociologia podem fazer???


  57. em 5 maio 2009 às 17:14 JOSE MARTINS

    OLA GOSTARIA DE SABER O SEGUINTE, SOU PROFESSOR TEMPORARIO DO ESTADO DE CEARA, DESDE DE 2003, ISSO SIGNIFICA MUITA DOR DE CABEÇA TODOS OS ANOS, AQUI NO CEARA, ALEM DE CONTRATOS TEMPORARIOS PARA PROFESSORES, O ESTADO NAO PAGA FGTS, E ATRAZA MAIS DE 3 MESES O PAGAMENTO.
    GOSTARIA DE SABER SE O ESTADO ATRAZANDO ESSE PERIODO ABSURDO, O PROFESSOR É OBRIGADO A LECIONAR MESMO SEM RECEBER DINHEIRO, E SE PODE DESCONTAR NO SALARIO?
    NA EMPRESAS PRIVADAS EXISTE A MULTA POR ATRAZO O ESTADO DO CEARA NAO PAGA ADCIONAL POR ATRAZO ISTO ESTA CERTO?
    OBRIGADO!


  58. em 6 maio 2009 às 08:10 professor temporário rio preto

    Gostaria de saber porque professor temporário não tem direito ao recesso de julho. O contrato é pela CLT e não consta nada sobre este assunto no contrato.
    Grata.


  59. em 6 maio 2009 às 23:08 professortemporario

    O professor temporário contratado em substituição ao efetivo tem direito sim a receber pelo recesso escolar. Mas, como os estados e municípios simplesmente não cumprem a lei, isso tem que ser exigido na justiça.


  60. em 6 maio 2009 às 23:17 professortemporario

    Numa empresa privada em que exista o atraso no pagamento por mais de 30 dias o sindicato da categoria tem a obrigação de levar o caso á justiça do trabalho, que funciona em velocidade muito mais rápida que a da justiça comum, para fazer o acordo e exigir o direito de greve. No caso da escola pública, a situação funciona de maneira parecida. O sindicato, ou um grupo de professores organizados e abaixo assinados, tem o dever de ingressar com uma ação na coletiva justiça do trabalho para exigir os seus salários. A justiça, nesse caso, pode sim decretar uma multa para que o poder público pague e não seja mais estimulado a constinuar com isso. O problema é que no “Golf Club” os juízes, promotores, prefeitos, secretários de educação e governadores desfrutam de uma amizade e convívio social que está muito acima dos interesses dos vermes que trabalham sobre a terra. Talvez, nesse caso a solução seja mobilizar a opinião pública pela sensacionalização do caso na imprensa, especialmente na televisão. Se houver o interesse da imprensa e sensacionalizar o caso, os juízes acabam sendo obrigados a fazer o que deveriam fazer. Brasil…


  61. Sou professora temparária do Estado do Rs desde 2001 e não tenho Carteira assinada e nem FGTS. Onde poderia reivindicar estes direitos?
    Colega José Martins, no RS também o primeiro pagamento atrasa em média 90 dias.
    Colega Simone Soares, existe a Lei do Desacato no Código Penal que preve multa e prisão para desacato de funcionário público em serviço, mas para isso é preciso fazer as denúncias, o que na maioria das vezes não ocorre.


  62. em 12 maio 2009 às 16:30 professortemporario

    Professora Carmem

    Sobre como reivindicar seus direitos trabalhistas no RS existem duas possibilidades:
    1) Formular uma denúncia ao Ministério Público Estadual (ou, via Procuradoria Geral da República, de acordo com o link “Como reagir em segurança”). Não sabemos como é a situação da justiça no Sul, mas em São Paulo o Ministério Público Estadual é muito conivente e omisso com as ações cometidas pelo Governo, mas, para resolver essa situação de maneira segura e definitiva a denúncia ao MP, e as consequencias dela decorrentes, é o caminho mais recomendável;

    2) Entrar com uma ação judicial, via advogado, na justiça do trabalho, requerendo os direitos trabalhistas e a regularização da situação. Essa medida, de caráter mais rápido, tem uma reação adversa: o Estado pode reconhecer e pagar seus direitos trabalhistas, mas para regularizar sua situação, pode também encerrar o contrato.

    Em São José dos Campos, fizemos uma denúncia dessa natureza, mas o MP arquivou, depois de dez meses de inquérito. Mas, nessa cidade, o conchavo entre o executivo e o judiciário é descarado e não serve de parâmetro para outras regiões do Brasil.


  63. o Lá sou professora eventual do Estado de São Paulo, estou grávida ,pago inss eu procurei a previdência social a respeito de licença MATERNIDADE ELES DIZEM que não tenho direito , dize,que o Estado que tem que me pagar , já escola diz que não pode pagar nada que o professor eventual não tem direito a nada,por favor me ajudem!


  64. Sou professora eventual da rede estadual de São Paulo há 3 anos. Gostaria de saber se em caso de doença e afastamento tenho direito de receber algum benefício e como requerê-lo, já que o sindicato diz que não há direito.
    E por que´os eventuais que lecionam no fundam II recebem como Peb I* Quais os nossos reais direitos, quanto a receber férias e bônus*

    Grata por sua atenção.


  65. em 18 maio 2009 às 18:11 professortemporario

    A situação do professor eventual em São Paulo é uyma calamidade. Como a CLT só reconhece o vínculo trabalhista em situação de prestação de serviço continuo por mais de três dias por semana o Estado que emprega esse professor usa uma brecha nessa lei para pagar para o profissional apenas o valor das horas aulas ministradas, no valor do piso mínimo da categoria sem nenhuma gratificação.

    Assim, o sindicato e o Estado interpretam que o professor eventual não tem nenhum vínculo trabalhista com a administração, pois presta serviço eventualmente. Por essa lógica, esse professor não teria direito às férias, ou ao bônus, que é uma gratificação.

    Mas, de acordo com o nosso entendimento, se o professor eventual se mantém “fixo” lecionando em uma mesma escola por mais de dois dias na semana ele tem sim direito ao reconhecimento do vínculo trabalhista. Esse reconhecimento deve ser obtido pela via judicial, por meio de um advogado que ingresse com uma ação na justiça do trabalho, que acaba sendo mais eficiente e rápida que a comum.


  66. em 18 maio 2009 às 18:24 professortemporario

    Der acordo com a CLT, o vínculo empregatício existe apenas quando na relação trabalhista existe a prestação de serviço de forma contínua e por um período superior a dois dias por semana. Assim, o professor eventual que leciona no Estado por mais de dois dias na semana em um mesma escola pode requerer o reconhecimento desse vínculo e os seus benefícios consequentes pela via judicial. Entretanto, se esse professor sobrevive lecionando em diversas escolas, ou leciona até duas vezes na semana, não é possível comprovar um vínculo, mas sim uma prestação de serviço eventual. Dessa forma, pelo nosso entendimento, por mais absurdo que possa parecer, a brecha para que uma professora que contribui para o INSS requerer a licença maternidade é fazer isso como AUTÔNOMA. Seria o caso procurar sim uma agência do ministério do trabalho ou um advogado trabalhista para tratar do assunto com mais atenção e conhecimento. (As vezes temos que sujar nossas mãos, especilamente em situações difíceis. Nesses casos, vale até procurar os gabinetes de vereadores municipais, que costumam ter advogados para auxiliar os vereadores. Talvez fosse o caso de chegar lá e soliciltar uma orinetação do vereador, que como todo bom político, pedirá para o advogado dar um parecer… Fazer o que? Brasil)


  67. em 22 maio 2009 às 22:41 Veridiana Baccheiga

    Boa Noite

    Gostaria de saber como faço para abrir portaria. Fiz a prova para professor temporário. Estou no 3° sem de letras e nunca lecionei.

    Grata

    Veridiana


  68. em 22 maio 2009 às 23:46 professortemporario

    Professora Veridiana

    em primeiro lugar você deve procurar a sede da Diretoria Regional de Ensino em que você pretende lecionar. Nos dias 27, 28, 29 de maio essa diretorias estarão fazendo o cadastramento de professores candidatos à docência. Cada Diretoria tem autonomia para abrir o cadastro apenas das disciplinas realmente que lhes sejam necessárias (disciplinas que variam de um DE para outra)

    Depois de receber as orientações da DE (que são específicas para cada uma), você deve procurar as escolas em que deseja lecionar como eventual e fazer a tal portaria.


  69. eu sou estudante de história e gostaria de saber como um temporário consegue as primeiras aulas e as do ano seguinte pois ainda sou leiga no assunto sou estudante.
    E à possibilidade de eu ficar sem essas aulas.


  70. em 26 maio 2009 às 16:48 professortemporario

    Pela legislação vigente a pessoa que é estudante e ainda não concluiu o curso superior pode lecionar apenas como professor eventual, que é aquele que faz um cadastro nas escolas públicas (em geral da rede estadual, pois as municipais seguem procedimentos diferentes) e é chamado para lecionar nas situações de falta de professores. Esses professores, mesmo que consigam um acordo com a direção da escola para serem fixos e exlcusivos e ainda que lecionem nos cinco dias da semana, recebem apenas o valor das aulas ministradas, sem descando remunerado e sem nehuma gratificação. Entretanto, seu tempo de serviço como eventual é computado se por acaso, ao se formar, conseguir aprovação em concruso ou atribuição de aulas como temporário.


  71. em 27 maio 2009 às 10:09 Veridiana Baccheiga

    Obrigada pelas informações e parabéns pelo site.

    Veridiana


  72. em 27 maio 2009 às 11:32 Marlete Bertoldo da Rocha Mendes

    Tenho trabalhado desde o começo do ano em substituição a uma professora que pede licença à cada 30 dias. A cada atribuição que eu tomo posse, tenho que apresentar exame admissional. Descobri que estou grávida. Tenho algum direito? Eles podem não me contratar por estar grávida? Podem simplesmente me demitir? Para que serve exatamente o exame admissional, que aliás tenho pago caros 15,00 a cada 30 dias, sendo que dou apenas 4 aulas por semana…se puderem me ajudar… Agradeço desde agora.


  73. em 28 maio 2009 às 22:00 professortemporario

    Professora Marlete. Não existe na legislação brasileira restraição à contratação de qualquer pessoa por motivo de gravidez. Se suas contratação temporária ocorrer para substituição de um professor em licença no momento em que você estiver com a gravidez avançada, você teoricamente poderia entrar com a licença gestante, pelo período que falta até o fim do contrato, mas não poderia renová-lo, por estar já nessa licença.


  74. em 29 maio 2009 às 16:45 Marlete Bertoldo da Rocha Mendes

    Obrigada, pela informação e pelo site, que é de extrema utilidade para a classe de magistério, principalmente os temporários, tão niglegenciados pelas autoridades responsáveis.


  75. Boa noite professor.
    Há poucos dia pergunte-lhe sobre um concurso que prestei e não possuo licenciatura em pedagogia para assumí-lo. Gostaria de saber se posso ser contratada pela prefeitura que organizou o concurso e se posso fazer o curso (já estou fazendo, porém ainda estou no primeiro periodo) até a contratação definitiva. E também se tem alguma lei na Constituição que só obriga a área docente a ter a licenciatura a partir de 2011? Obrigada pela atenção.


  76. em 3 junho 2009 às 15:03 professortemporario

    Professora Suelene
    De acordo com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), desde 1996 qualquer pessoa que ingresse na carreira do magistério para lecionar no Ensino Fundamental ou Ensino Médio TEM que possuir o diploma de nível superior, com licenciatura. (existe uma brecha para Educação Infantil, mas depende do Edital)
    Assim, se você prestou concurso e foi aprovada não poderá assumir seu cargo se não tiver concluído o curso superior, até o momento da posse.

    As pessoas confundem isso com a situação dos professores que tinham apenas o magistério e já lecionavam na rede pública, antes de 1996. Para esses, foi criada uma situação transitória, nas qual deveriam concluiro nível superior em 10 anos (2006). Mas, por causa da realidade de aluns ligares do Brasil, esse prazo foi novamente extendido até 2011.

    Entretanto, isso só vale para o professor que já era efetivo na época da promulgação da Lei. Para todos os outros e principalmente para quem presta concurso atualmente, existe sim a obrigatpriedade de se paresentar o diploma, devidamente reconhecido e registrado pelo MEC, no ato da posse no cargo de professor.

    O que talvez seja possível fazer numa situação como a sua é pedir um adiamento de posse. No entanto, de acordo com o padrão da maioria dos editais de concurso, essa possibilidade é praticamente impossível.


  77. em 3 junho 2009 às 23:03 Veridiana Baccheiga

    Boa Noite,

    A DI de São José dos Campos não abriu cadastro para professores de Língua Portuguesa.
    Já fiz cadastro em várias escolas do estado, o problema é que as ecolas dão prioridade para quem já tem portaria aberta, ou seja, não consigo trabalhar.


  78. em 4 junho 2009 às 15:31 professortemporario

    O problema é que a situação de professor eventual é essencialmente precária. Os diretores de escola tem toda a autonomia para abrir portarias e escolher os professores. Assim, acabam criando um vínculo com alguns, o que se traduz em professores eventuais fixos de uma escola. Se pensarmos bem, isso até tem uma lógica, pois muitos dos professores temporários não tem exatamente um perfil de professor, o que acaba justificando os argumentos dos diretores.
    Entretanto, essa situação prejudica especilmente os novos professores, que nada tem haver com a postura equivocada citada.

    Talvez, a melhor saída para essa situação transitória fosse a realização de um cadastro de professor eventual nos moldes do OFA, com a consideração de tempo de serviço, condição social e escolasde interesse. Com isso, as escolas seriam obrigadas a seguir essa classificação na hora de chamar um professor eventual


  79. em 4 junho 2009 às 23:02 Veridiana Baccheiga

    Professor,

    Hoje dei minha primeira aula como eventual. A escola abriu a portaria que eu tanto almejava. Ufa!

    Grata
    Veridiana


  80. Bom dia, sou ACT da rede publica do Estado de SP,e apartir de 2007 sou considerada categoria F, gostaria de saber quais os beneficios que essa lei (1010) me trouxe, obrigada.


  81. Professor muito obrigado pelas orientações. Realmente estáva meio por fora das leis, pois me formei em 1996 e atualmente estou trabalhando como contratada em um centro municipal de educação. Até 2008 nunca tinha trabalhado na área, por isso estáva tão desinformada. Muito obrigada pela atenção!


  82. em 5 junho 2009 às 23:53 professortemporario

    De acordo com nossa interpretação sobre o processo em que o Estado passou para o INSS a previdência dos temporários, em 2007, os professores que lecionavam na rede estadual até abril de 2007 teriam direito á manutenção de seu vínculo numa situação parecida com a dos estáveis. Em teoria, esses professores teriam asseguradas pelo menos uma carga de 12 horas aulas.

    Entretanto, como isso irá ocorrer, não temos a menor idéia, já que entre o que a lei diz e o Estado faz, existe uma distância significativa…


  83. Boa noite!

    Passei por uma situação e até o momento não sei se fui orientada corretamente, como sou OFA as orientações são pela metade isso quando temos.

    Prestei a prova de coordenação no inicio de 2008 para PCP de ciloII e médio, passei e ingressei, e meio do ano fiz para ciclo I, e passei também , mas tive problemas com a direção, como na nova lei do pc, o diretor pode mandar o pc embora, e para não me complicar pois gostei de ser pc, e gostaria de voltar a ativa, pensei não é um diretor qualquer que vai tirar minha voltade de tentar fazer a diferença, fiz uma carta e sai da coordenação. Como tinha passado no ciclo I, tentei ingressar e não deixaram, fui informada que só poderia ingressar depois de outro processo, mas isso pode, mesmo que é em outro ciclo, saberia me informar .


  84. em 12 junho 2009 às 12:44 professortemporario

    Professora Débora
    A situação do Professo Coordenador Pedagógico no Estado de São Paulo é uma anomalia. O Diretorde Escola ou é concursado ou é um professor efetivo que participou de um processo seletivo e assumiu como diretor OFA. Nos dois casos, possui a pessoa ocupa um cargo, que possui atribuições específicas e uma certa autonomia.

    Mas, professor coordenador não é cargo. É uma função dentro da escola e como atal, é controlada diretamente pela direção. Embora o Estado nos últimos anos tenha moralizado um pouco essa situação (antes, era tudo questão de se ter amizade com as pessoas certas…) a função de coordenador ainda não possui o respaldo de um cargo e fica sujeita a avaliação da direção.

    Assim, entendemos que na obscuridade dessa situação, ao prestar o processo seletivo e ser aprovada para coordenação de ciclo I e ciclo II e EM, você teve que optar por uma das duas e consequentemente, deixar a outra.
    Como você assumiu o ciclo II e exerceu a função, é possível que o prazo para assumir outra função em outra função tenha se esgotado.

    Na realidade, se você enfrentou problemas com a direção de sua escola e você estava em seu direito e postura correta, você não deveria ter feito uma carta e solicitado desligamento, pois nesse caso, mesmo que o prazo para trocar de função estivesse aberto, pedir desligamento é como o caso de um professor ofa que assume aulas livres. Se ele abandonar essas aulas, não poderá concorrer a nunhuma outra atribuição daquele ano letivo.

    Assim, você deveria ter insistido na função de coordenador em que estava e se fosse o caso, deveria ter entrado com um processo asministrativo na diretoria de ensino contra a direção de sua escola. Escrever uma carta e solicitar a saída da função é uma atitude interpretada como concordância com os argumentos da direção com quem tinha problemas.


  85. BOM DIA,
    PRESTEI CONCURSO NA PREFEITURA DE SÃO BERNARDO DO CAMPO PARA TRABALHAR DE PROFESSORA EM CARÁTER TEMPORÁRIO DE 6 MESES CLT, PODENDO ESTE SE ESTENDER ATÉ UM ANO. GOSTARIA DE SABER SE EXISTE UMA LEI ONDE O PREFEITO POSSA ASSINAR E TORNARMOS EFETIVA. OUTRA QUESTÃO É QUE QUANDO TERMINAR O MEU CONTRATO NÃO IREI RECEBER SEGURO DESEMPREGO, ISSO É CORRETO?
    OBRIGADA,
    ADRIANA


  86. em 16 junho 2009 às 21:38 professortemporario

    Professora Adriana

    A lei que regula a contratação temporária de professores na maioria dos municípios do Brasil é uma brecha, que trata da contratação emergencial de servidores. Essa contratação emergencial ocorre ou por motivo de necessidade de serviço ou por calamidade pública (enchentes, epidemias, etc).

    Acontece, que como essa contratação é emergencial, a mesma lei estipula que os contratos tem a duração de seis meses e que não podem ser renovados por mais de um ano. Essa lei foi pensada para a contratação emergencial de servidores para se resolver problemas momentâneos, mas as prefeituras a tem usado para contratação de professores, em vez de efetivar professores concursados, porque sai mais barato.

    Como essa contratação é temporária, não existe nenhuma possibilidade de o temporário se tornar efetivo sem que tenha sido aprovado e classificado em um concurso público.

    Tecnicamente, o professor temporário tem direito a ter sua carteira de trabalho assinada e de ter recolhido o FGTS, mas muitas prefeituras simplesmente ignoram isso. Assim, se o seu contrato possui registro em carteira, você poderá solicitar o seguro desemprego quando ele terminar, mas se não tiver esse registro, tera que exigir seus direitos na justiça do trabalho


  87. Boa noite,
    Observei em alguns sites a notícia que esse ano acontecerá um concurso para Professor temporário, alguém sabe comentar sobre o assunto?

    fonte:
    http://veja.abril.uol.com.br/agencias/ae/brasil/detail/2009-06-24-437182.shtml

    Cláudia


  88. em 2 julho 2009 às 19:37 professortemporario

    Professora Cláudia
    A reportagem da revista Veja se refere ao projeto de Lei do Governo do Estado de São Paulo que foi aprovado pela Assembleia Legislativa do Estado.

    Por essa lei foram criadas 80 mil vagas de professor efetivo para serem preenchidas por concurso público nos próximoas quatro anos.

    No que se refere aos professores temporários, essa mesma lei torna obrigatória a aprovação do professor em um processo seletivo simplificado para lecionar na rede. Esse processo será constituido de uma prova objetiva sobre os conteúdos específicos de cada disciplina, no valor máximo de 80 pontos, somado ao tempo de seviço do professor na rede estadual, também no valor máximo de 80 pontos, e à sua titulação acadêmica, no valor máximo de 20 pontos.

    O grande problema dessa lei é que o professor temporário que lecionar em um ano letivo não poderá renovar seu contrato no ano seguinte, sendo obrigado a esperar um ano para que possa lecionar na rede novamente.

    Acreditamos que esse último critério trará um grande prejuízo aos alunos, pois estimulará muito a rotatividade.


  89. gostaria de saber se professores contratados pela rede municipal pela CLT tem os mesmos direitos do que é decidido pelos sinpros, pois lá fala que eles defendem quem é da rede privada.


  90. em 5 julho 2009 às 10:35 professortemporario

    O SINPROS é um sindicato específico para os professores da rede privada. Entretanto, a legislação que fundamenta o contrato desses professores é a mesma CLT.

    Assim, como o próprio texto da CLT estabelece; o contrato de trabalho dos professores deve:
    1) ser registrado em carteira de trabalho;
    2) Não exceder oito aulas por dia;
    3) Não ter janelas. Se tiver, devem ser remuneradas como aulas…
    4) ter recolhimento do FGTS.

    O problema desse tipo de contrato com as redes públicas é que Estados e Municípios não costumam cumprir as leis. Nas redes estaduais o problema é mais complicado, pois a “integração” entre o Governo e Justiça estadual praticamente anula a possibilidade de um processo contra o Estado ser resolvido favoravelmente ao professor. Nas redes municipais esse problema é mais contornável.

    Em qualquer caso, se os direitos da CLT não estiverm sendo respitados, o professor deve procurar um advogado e entrar com uma ação na justiça do trabalho.


  91. em 5 julho 2009 às 14:55 Maria Souza

    Olá!
    Eu sou uma Educadora contratada pelo Regime Especial em Direito Administrativo (REDA), participei do processo seletivo, meu contrato foi de 2 anos, mas foi prorrogado p/ mais 2 anos. Até agora só assinamos 1 contrato, o do dia posse.
    Se o contrato for de 4 anos seguido s/ assinar outros contratos, ele pode ser considerado uma efetivação?


  92. em 5 julho 2009 às 15:03 Maria Souza

    Interessante!


  93. em 6 julho 2009 às 18:25 professortemporario

    Prorrogação de Contrato não é considerado efetivação. É muito comum nas redes municipais professores temporários lecionarem como contratados temporários por muitos anos (conhecemos casos de professores com mais de 10 anos de contratação prorrogada).

    Entretanto, efetivação só ocorre com a nomeação do professor após sua aprovação em um concurso público.


  94. Já perguntei sobre o sinpro, agora eu gostaria de saber sobre o recesso escola, pois trabalho na rede municipal do interior de São Paulo pela CLT há menos de 6meses , e eles estão dizendo que não temos direito ao recesso, mas eles deram o recesso escolar para quem já se efetivou há mais de 6 meses, gostaria de saber se eles podem estar fazendo isto.
    Se não qual argumento posso utilizar para ter esse direito.


  95. Gostaria de saber se quem foi contratado pelo municipio pela CLT tem direito ao recesso escolar, tenho menos de 6 meses de contrato, eles deram o recesso aos professores que se efetivaram há mais de 6 meses, então gostaria de saber se eles podem fazer isso.
    Se não, no que eu posso me basear para pedir os meus direitos.


  96. em 6 julho 2009 às 21:06 professortemporario

    O recesso escolar não é considerado férias. É apenas uma pausa nas atividades com alunos que na maioria das redes de ensino é extendida aos professores. Entretanto, o professor, como qualquer outro profissional, tem direito a 30 dias de férias remuneradas (que normalmente são previstas para janeiro). Nesse período, o professor não pode ser convocado para nenhuma atividade na escola.

    Algumas redes de ensino costumam encerrar o contrato de trabalho do professor no final de junho, para recontratá-lo em agosto (o que no nosso entendimento é ilegal). Nesse caso, o professor tem direito a receber o valor das férias não tiradas na proporção dos meses em que trabalhou (seis meses = 6/12 = metade de um salário bruto pelas férias não tiradas)

    Mas, se professor permanece vinculado à rede a situação é outra. Todo profissional, seja efetivo ou seja temporário, tem direito de ser tratado com igualdade ante os colegas. Assim, em teoria, a rede de ensino até poderia convocar TODOS os seus professores para trabalhar durante o recesso escolar. (Essa proposta foi até cogitada pelo governo do estado de são paulo, com o objetivo de realizar atividades de recuperação de defasagem escolar dos alunos). Mas, esse rede não pode beneficiar um professor com o recesso e outro não.

    Isso cabe processo, pois fere o princípio constitucional da isonomia.


  97. Boa Noite!Tudo Bem!Estava lendo a revista mestre,e me deparei como assunto sobre professores temporarios.Eu trabalhei por 18 anos com um TI tempo integral(contrato com direito a férias e tudo mais).Sempre trabalhei em sala de aula,12 horas.Quando assumiu a nova governadora.Perdi esse contrato,pense só com 18anos,quase enlouqueci.Faz um ano.Veio papéis para assinar de demissão e eu até hoje não assinei.Gostaria de saber se tenho direitos ?quais? Aguardo resposta o mais breve possível.Sou do RS.


  98. em 7 julho 2009 às 17:53 professortemporario

    Professora Ana
    O professor temporário que lecionou na rede pública por muitos anos tem direito a receber uma indenização trabalhista no momento de sua demissão. Entretanto, mesmo que esse professor tenha lecionado por muitos anos initerruptos ele não seria considerado efetivo.

    Mas, existe uma certa jurisprudência desse caso que a colocaria na situação de estável. No Estado de São Paulo, por exemplo, muitos professores temporários que se mantiveram vinculados por vários anos consecutivos são reconhecidos como estáveis: tem uma jornada mínima garantida, mas não são considerados efetivos e ficam sempre abaixo desses na classificação. Como estáveis, esses professores tem praticamente os mesmo direitos e benefícios dos efetivos e podem se aposentar pelo Estado.

    No seu caso, como sua demissão já foi realizada, seria o caso de procurar um advogado trabalhista para discutir a questão. Existe a possibilidade de se requerer uma indenização trabalhista e o FGTS de todos esses 18 anos; Existe também a possibilidade de se requer judicialmente a sua reintegração ao funcionalismo do Estado na condição de estável, com uma carga horária mínima. Mas, para isso, seria necessário comprovar que a professora exerceu suas atividades pedagógicas em sala de aula na condição de professora (existem situações como auxiliar pedagógico, estagiário e outras que são usadas pelo Estado para colocar um professor em sala de aula sem reconhcê-lo como tal…)

    De qualquer forma, NÃO ASSINE NADA sem antes consultar um advogado trabalhista e esclarecer a sua situação.


  99. Ola!
    Encontrei esse blog e gostei muito, pois aqui encontrei várias notícias, temas, comentários relacionados a nossa profissão, o que possibilita uma troca de experiências e informações.
    Aproveitando o espaço gostaria de uma informação: Qual o valor do ponto por dia trabalhado pelo professor eventual? E quando (período) e onde o professor eventual pode solicitar aquele documento (Anexo I- CTA) que consta a pontuação do professor? Retira o documento na D.E na “escola sede”? Comecei a lecionar em maio como professor eventual, e na escola onde leciono não dão informações certas.
    Obrigado!


  100. em 8 julho 2009 às 14:06 professortemporario

    Professor Luiz

    Ficamos contentes com o seu comentário e recomendamos que você divulgue nossa iniciativa para os professores que conhece. A informação é nossa principal aliada.

    O professor eventual recebe por aula ministrada o valor da hora aula dos professores PEB I (Educação Infantil e Anos iniciais do Ensino Fundamental). Na rede estadual de São Paulo esse valor fica próximo de R$ 5,50. Como o salário do professor eventual é calculado por aula ministrada, o valor diário depende da quantidade de aulas que lecionou no dia e não considera o descanso semanal remunerado.

    A pontuação do professor eventual é caluculada por dia trabalhado (independentemente da quantidade de aulas ministradas no dia) no valor de 0,001 por dia. Quem faz o controle e somatória dessa pontuação é a Escola sede, que é a unidade em que o professor abriu a portaria e que calcula o seu pagamento. Essa escola também é a responsável por produzir o Anexo I, que é uma declaração assinada com o cálculo e somatória da pontuação, sempre considerando a último dia 30 de junho. (Se o professor solicitar o anexo I hoje ou em maio de 2010, a pontuação e o tempo de serviço considerará o acumulado até o dia 30 de junho de 2009)
    Para saber qual é a escola sede, basta verificar o holerite de pagamento. Nesse documento sempre consta o nome da unidade escolar a que o professor está vinculado.


  101. Boa Tarde,
    Acabei de fazer minha inscrição como professora temporária da rede pública de ensino. Sou biomédica e tenho mestrado e doutorado pela universidade de são paulo.
    A minha inscrição foi feita para as disciplinas de química e biologia. O meu mestrado é na área de concetração de biologia celular e molecular e o meu doutorado é na área de concentração de clínica médica, sub-área investigação biomédica.
    No ato da inscrição o meu título de doutorado não foi aceito. Fui inscrita como bacharel em ciências biomédicas e tive somente a contagem dos pontos de mestrado. O meu doutorado foi simplesmente insignificante.
    Gostaria de saber se isso pode realmente acontecer, pois pelo que tenho visto os títulos dos docentes nunca devem ser subtraídos? Também tenho dúvidas sobre a remuneração hora/aula para mestres e doutores?
    Este fato me deixou muito chateada, pois dediquei 4 anos da minha vida para obtenção deste título e penso que o ensino público deveria ser o primeiro a incentivar a incrição de docentes com titulação.
    Aguardo resposta e desde já agradeço a atenção.


  102. Olá!
    Professor Temporário obrigado pelas informações, pois foram esclarecedoras. Mas tenho outra perguntinha: Sobre o anexo I, posso pedir a qualquer momento na minha escola sede, mesmo que eu tenha começado a lecionar em maio de 2009? Ou seja, há mais ou menos dois meses. Sei que a pontuação será muito baixa caso seja possível pedir agora, mas quem sabe nas atribuições de aulas não dou sorte…rs.
    Quando liguei na D.E da minha região me disseram que poderia pedir o anexo I somente quando fossem abertas as inscrições para lecionar em 2010, não senti firmeza nessa informação, embora sei que terei que ter esse anexo quando abrirem as inscrições para compor a classificação juntamente com a nova prova. Enfim só me deram “informações” desencontradas e imprecisas.
    Sobre o valor hora aula PEBI e a pontuação são um absurdo, não é mesmo, mas acredito que um dia iremos reverter essa situação. Obrigado mais uma vez, e com certeza divulgarei esse site aos meus colegas. Parabéns pelo espaço!!!
    Abraços!


  103. Ressaltando, que de acordo com sua informação entendi que o anexo I pode ser solicitado junto à escola sede a qualquer momento, pois a pontuação e o tempo de serviço considerará o acumulado até o dia 30 de junho de cada ano (data base). Perguntei se é mesmo possível somente para tirar de vez essa dúvida, pois como comentei anteriormente a D.E daqui de Santos e até as secretarias das escolas onde leciono me deram informações imprecisas.
    Abraços!!!


  104. em 9 julho 2009 às 12:21 professortemporario

    Confirmando: A escola sede, que é a unidade que aparece vinculada no holerite de pagamento, é a responsável pela emissão do Anexo I. Se essa escola estiver em dúvida, entre com uma solicitação por escrito em duas vias. Assim, a máquina anda…


  105. em 9 julho 2009 às 14:39 professortemporario

    Professor Liliana
    Ficamos muito contentes com o seu comentário, que para nós é uma situação pouco frequente.

    Pesquisamos e chegamos a conclusão que embora sua qualificação seja inquestionável, a exigência legal estabelece que os professores da rede pública precisam ter de um diploma de licenciatura, que teoricamente lhes traria qualificação pedagógica.
    Ainda dentro desse parâmetro, a rede pública de ensino considera como titulação válida à carreira do magistério os diplomas de mestrado e doutorado que possam ser direcionados para a área de educação. Por essa razão seu diploma de mestrado foi aceito, por ser direcionado à disciplina de biologia. Já o seu diploma de doutorado se refere à uma área um pouco distante da aplicação em sala de aula. (Não concordamos com essa interpretação, mas entendemos que ela faz algum sentido…)

    A respeito da remuneração, a rede estadual de São Paulo considera como referências a Lei Complementar nº 836, de 30/12/1997 , a Resolução SE-21, de 22/03/2005 e o Decreto 49394 de 22/02/2005. De acordo com nossa interpretação sobre essas referências, um professor de educação básica II que ingressa na carreira tem seu vencimento calculado no nível I e faz evoluções funcionais por intervalos de tempo de quatro ou cinco anos, até o nível V. Essa mesma referência estabelece que o professor de educação básica II que apresentar diploma de pós graduação em nível mestrado ou doutorado será automaticamente coniderado, respectivamente, nas referências nível IV e V.

    Assim, um professor em início de carreira é considerado Nível I dentro da Faixa I se for PEB I e Faixa II se for PEB II.

    Hora/Aula
    PEB I
    Nível I= R$ 6,54
    Nível II = R$ 6,87
    Nível III = R$ 7,21
    Nível IV = R$ 7,57
    Nível V = R$ 7,95

    Vencimento mensal 30 horas/aula
    Nível I= R$ 981,88
    Nível V= R$ 1.193,47

    PEB II
    Nível I= R$ 7,57
    Nível II = R$ 7,95
    Nível III = R$ 8,35
    Nível IV = R$ 8,77
    Nível V = R$ 9,21

    Vencimento mensal base 24 horas/aula
    Nível I= R$ 909,32
    Nível V= R$ 1.105,28

    O salário mensal do professor da rede pública do Estado de São Paulo considera o vencimento base da hora/aula acrescido degratificações relativas:
    ao tempo de serviço;
    distância, dificuldade de acesso e “periculosidade” da região onde se situa a escola em que leciona;
    adicional noturno, computado a partir das 22:00 horas.

    Além disso, no que se refere à classificação de docentes, o Estado considera:
    Certificado de participação em palestras/conferências 30 até 59 horas= 3 pontos
    Certificado de participação em palestras/conferências 60 até 89 horas= 5 pontos
    Certificado de participação em Congressos, Cursos e Encontro com carga 90 até 179 horas=7 pontos
    Certificado de participação em Seminários, Simpósios e Ciclos de Estudo com carga superior a 180 horas=9 pontos
    Diploma de Bacharelado= 8 pontos
    Licenciatura por complementação= 9 pontos
    Licenciatura Plena Curso de duração mínima de 03 anos (exceto a de habilitação)= 10 pontos
    Aperfeiçoamento (com o mínimo de 180 horas) = 9 pontos
    Extensão universitária/cultural
    De 30 a 59 horas = 3 pontos
    De 60 a 89 horas = 5 pontos
    Mais de 90 horas = 7 pontos
    Créditos de cursos pós-graduação = 1 ponto por crédito até 8 pontos
    Doutorado = 14 pontos
    Mestrado = 12 pontos
    Pós graduação – Especialização/ (com o mínimo de 360 horas), inclusive MBA = 11 pontos (certificado a partir de 01/02/98)
    Produção inédita de comprovada relevância educacional, individual ou coletiva, passível de ampla divulgação e adaptação na rede de ensino, devidamente formalizada em documento e/ou material impresso e/ou de multimídia Publicações por editoras ou em revistas, jornais, periódicos de veiculação científico-cultural com alta circulação ou via Internet Livros
    Único autor = 12 pontos – A partir de 01/02/98
    Até três autores = 8 pontos
    Mais autores = 5 pontos
    Artigos = 3 pontos até o máximo de 9 pontos
    Materiais didáticos-pedagógicos de multimídia acompanhados do respectivo manual de suporte Software educacional e vídeo Até 3 autores = 5 pontos até o máximo de 15 pontos
    Documento que explicite estudo ou pesquisa, devidamente fundamentado em princípios teórico-metodológicos, já implementado e vinculado à área de atuação profissional. Até 3 autores = 5 pontos até o máximo de 15 pontos
    Aprovação em Concurso Público da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, não objeto de provimento do cargo do qual é titular. Certificado de aprovação = 5 pontos até o máximo de 10 pontos
    Dia de exercício do magistério na rede estadual = 0,001 ponto

    No seu caso específico, lembramos que os professores classificados como bacharéis são considerados dentro da Faixa I (PEB I). Lembramos também que, em virtude de um programa do MEC, diversas Universidades e o próprio Ministério da Educação estão oferecendo cursos de licenciatura voltados especificamente para professores bacharéis. Em até um ano e meio é possível obter um diploma de licenciatura.


  106. em 14 julho 2009 às 13:03 creuza luiza lima de morais

    Boa tarde!
    deixo meu comentário, Sou pedagoga e atuo na rede pública estadual desde 1993. Em virtude de trabalhar com alunos de 1ª a 4ª série. clssificam-me como PEB I. Só que, entendo que quem tem nível universítário independente de sua atuação é PEB II e deveria ganhar igualmente, infelizmente sofro essa discriminação ao meu vê está errado. Ajude-me por gentileza. Tire essa dúvida, tenho quetionado as secretárias e a resposta não é satisfatória…
    grata, professora Creuza Luiza.


  107. Já havia postado aqui algumas dúvidas , então sou contratada pela CLT na rede pública municipal há menos de 6 meses e meu contrato acaba agora em setembro, estou trabalhando agora durante o recesso escolar obrigada, pois disseram que não temos direito, nos nudaram de unidade escolar e não querem nem nos pagar o transporte, pois quem trabalha na cidade não tem auxílio transporte, trabalho na zona rural e tenho o auxílio, mas com estamos em recesso e temos que trabalhar na zona urbana, não vão nos pagar essas dua semanas, eles podem fazer isso?
    Desde já muito obrigada pelas suas respostas, que tem esclarecido bastante coisa.


  108. em 14 julho 2009 às 16:06 professortemporario

    Professora Creuza

    Concordamos integralmente com os seus argumentos. Em nossa opinião os professores que lecionam nos anos iniciais do Ensino Fundamental deveriam ter os maiores salários e as maiores cobranças. Em qualquer escola pública é possível perceber que aqueles que foram alunos da professora “A” apresentam um nível de desenvolvimento e de aprendizagem maior que os que foram alunos da professora “B”. Dificilmente um aluno que tem bom desenvolvimento e desempenho nos anos iniciais fracassa na escola.

    Essa nomenclatura PEB vem de Professor de Educação Básica e sua distinção entre I e II (algumas redes usam a disitinção III em vez de II) é uma herança da época em que a maioria das professoras dos anos iniciais era formada por pessoas que cursaram o antigo Magistério e não tinham nível superior.

    Entendemos que nos dias de hoje essa nomenclatura necessite de uma revisão. Mas, antes disso, é preciso que os cursos de Pedagogia sejam reformulados e tenham uma cobrança maior, pois o despreparo, a falta de conhecimento e a dificuldade de se expressar na língua escrita são mais evidentes entre alguns PEB I, que entre alguns PEB II.


  109. em 14 julho 2009 às 17:21 professortemporario

    Professora Vivian

    O recesso escolar não é a mesma coisa que férias. Durante as férias do funcionário o empregador não pode convocá-lo para nenhuma atividade trabalhista. Já no recesso, os professores até podem ser convocados para uma capacitação, ou mesmo para atividades pedagógicas como recuperação de alunos, mas isso tem que ser aplicados a todos os professores, ou pelo menos dentro de um critério pedagógico (professores cujos alunos ficaram de recuparação…)

    Mas, se isso está acontecendo apenas com os professores temporários, e apenas pelo fato de serem temporários, trata-se de uma situação ilegal e que deve ser resolvida na justiça. A prefeitura para quem você trabalha tem um setor jurídico e portanto sabe perfeitamente que isso é ilegal.

    Procure um advogado trabalhista e tome muito cuidado com o que voxê assina.


  110. Eu não estou trabalhando nesse recesso com reforço escolar e sim com um projeto que eles deram o nome “Férias na Escola”, que tem atividades de leitura, confecção de brinquedo em sucata , músicas e jogos. Posso exercer esta função.Contratada pela CLT


  111. em 15 julho 2009 às 13:46 professortemporario

    Professora Vivian

    Se você foi contratada como professora do Ensino Fundamental, Médio ou EJA em substituição a outro professor, você tem direito de ser tratada da mesma forma que qualquer outro professor efetivo. Mas, se o seu contrato foi específico para um projeto, com início e término previstos, a situação depende do que está escrito no seu contrato.

    Se você foi contratada como uma professora regular para substituir outra professora e foi deslocada pela direção da escola para cubrir o projeto durante o recesso escolar, a situação é ilegal, já que coloca o trabalhador para exercer uma função diferente para a qual foi contratado. Como exemplo, houve um caso em São José dos Campos em que um trabalhador contratado emergencialmente para fiscalização de pontos de água parada (dengue) foi deslocado para fazer vacinação de cães. Esse trabalhador entrou com uma ção na justiça do trabalho e recebeu uma indenização por danos morais da Prefeitura.

    Entretanto, se o seu contrato é específico para um projeto e não para o ensino regular, ele passa seguir o calendário e as atividades do projeto. Se nesse projeto estiver previsto essa atividade durante o recesso escolar e se você foi contratada exclusivamente para esse projeto, não existe irregularidade.


  112. Só para esclarecer, fui contratada para substituir um professor que está afastado em licença-saúde, como é pela CLT, renovou-se já uma vez e acaba agora em setembro, a secretária da educação inventou um projeto que saiu na resolução agora dia 30/06/09, e disse que por sermos contratados pela CLT não temos direito ao recesso, pois assinamos um contratato que vai de um dia até o fim do contratato no meu caso o contratato vai dar um total de 6 meses do início ao término.
    Ela disse que o recesso é um privilégio dos alunos e não dos professores, mas quem se efetivou há mais de 6 meses ela concedeu o recesso, e segundo ela não temos direito ao recesso nos colocou para trabalhar neste projeto.
    P.S. Se der apague a resolução.
    Segue cópia da resolução:

    Resolução da SME nº. 311/2.009, de 30 de junho de 2009.
    Dispõe sobre o gozo do Recesso Escolar, no mês de julho de 2009, previsto no Calendário Escolar, pelos Diretores e
    Professores das EMEIFs, EMEFs, Creches/EMEIFs e Creches/EMEIs, Equipe Técnico Pedagógica e Supervisores de
    Ensino e dá outras providências.
    A Secretária de Educação do Município , Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições legais e tendo em vista
    o disposto no Artº 17, da Lei Complementar nº 03 de 10/12/1998, alterada pela Lei Complementar nº 21 de 05/10/2007 [.....]
    “Além das férias regulamentares a serem gozadas durante o mês de janeiro os integrantes do Quadro do Magistério Municipal
    em exercício nas classes da Educação Infantil, do Ensino Fundamental, Educação Especial e de Jovens e Adultos, poderão gozar
    do recesso escolar, previsto no Calendário Escolar desde que, não convocados para treinamentos e outras atividades pertinentes
    ao serviço.” Resolve:
    Artigo 1º – Ficam os Diretores e Professores efetivos das EMEIFs, EMEFs, Creches/EMEIFs e Creches/EMEIs, Equipe Técnico
    Pedagógico e Supervisores de Ensino autorizados a gozar o Recesso Escolar no mês de julho, previsto no Calendário Escolar,
    na seguinte conformidade:-
    I – Os Diretores e Professores das EMEIFs, EMEFs, Creches/EMEIFs e Creches/EMEIs, estarão em Recesso Escolar no período
    de 13 a 24 de julho de 2009;
    II – A Equipe Técnico Pedagógica e Supervisores ficam autorizados a gozar 05 (cinco) dias de Recesso Escolar na semana de
    13 a 17 de julho ou 20 a 24 de julho de 2009;
    III – Somente gozarão Recesso Escolar os Professores efetivos ingressantes a pelo menos 06 (seis) meses;
    IV – Os Professores contratados pela CLT não terão direito a gozar o Recesso Escolar.
    Artigo 2° – Nas Creches/EMEIFs e Creches/EMEIs, onde o atendimento não será interrompido e nas EMEIFs (que atendem até
    o 5º ano) e EMEFs que participarão do Projeto “Férias na Escola”, os Professores efetivos, habilitados e interessados em
    substituir o Diretor no período do Recesso Escolar, serão designados, obedecendo à classificação da unidade escolar.
    Parágrafo 1º – O Diretor deverá enviar o nome do interessado, até o dia 06/07/2009 na Secretaria Municipal de Educação;
    Parágrafo 2º – Nas unidades escolares onde não houver interessados a Secretaria Municipal de Educação designará um Professor
    efetivo, obedecendo à lista de classificação geral.
    Artigo 3º – Os casos omissos serão resolvidos pela Secretaria Municipal de Educação.
    Artigo 4º – Esta Resolução entrará em vigor na data de sua publicação ficando revogadas as disposições em contrário.

    Secretária Municipal da Educação


  113. em 15 julho 2009 às 22:38 professortemporario

    Professora Vivian

    A resolução apresentada pela Secretaria de Educação de sua cidade é inconstitucional e deve ser questionada na justiça. Ela fere o princípio da isonomia, que estabelece que funcionários efetivos, estatutários ou contratados pela CLT que exercem uma mesma atividade devem ser tratados de maneira igual, em direitos e deveres. Assim, como a resolução deixa claro que os efetivos tem direito ao recesso e os contratados pela CLT não, essa lei é totalmente absurda. (O que será que a Câmara de Veradores de sua cidade fazia enqanto essa lei complementar municipal era aprovada?)

    Procure um advogado trabalhista, de preferência de fora de sua cidade (não existe nada mais podre e corruptível no Brasil do que o poder público MUNICIPAL). Seu caso poderia ser até encaminhado ao Ministério Público.


  114. Boa tarde,

    Sou professora do ensino municipal, contratada por tempo determinado através de provas de um Processo Seletivo Simplificado nos anos de 2005 e 2007, os quais dariam direito a lecionar nos anos de 2006-2007 e 2008-2009, para aulas livres, uma vez que não existe professores efetivos para a disciplina de Ed. Física (a disciplina qual leciono). Os professores são contratados no início do ano letivo (fevereiro) e dispensados no último dia do ano letivo (por volta do dia 20 de dezembro), somos registrados em carteira, ao encerrar o contrato de cada recebemos o fundo de garantia recolhido no ano, recebemos 1/3 de férias equivalentes ao período trabalho e os dias de dezembro trabalhados.
    Nesse ano, a prefeitura divulgou uma resolução e recebemos a notícia que poderemos realizar a prova do Processo Seletivo, porém não poderemos assumir as aulas, caso passarmos, pois teremos que ficar um período de 200 dias afastados para novamente sermos contratados. Questionei a tal decisão e me informaram que não pode ter um professor contratado por mais de 2 anos (no meu caso quase 4 anos), pois geraria “vínculo”, adquirindo estabilidade. Não sei qual atitude tomar, pois se geraria vínculo, já adquiri. Por favor preciso de orientação. Obrigada.


  115. em 1 agosto 2009 às 16:39 professortemporario

    Professora Isabela
    A contratação dos professores temporários é uma brecha que as prefeituras utilizam para economizar com a folha de pagamento. A razão disso é simples: um professor temporário não incorpora gratificações de um plano de carreira e recebe em média dois salários a menos por nao, j´que é contratado apenas para o período letivo.

    Entretanto, como brecha, os municípios se utilizam da contratação emergencial. Essa situação existe e deve ser usada em casos de calamidade pública ou de emergência sanitária, para contratar servidores sem concurso público, pelo prazo máximo de um ano, prorrogável por mais um.

    No nosso entendimento, essa brecha é um abuso e é ilegal, já que não se pode considerar a falta de professores como uma situação emergencial, mas sim uma questão de concurso e planejamento.

    No caso de uma município, em que a carteira de tabalho é assinada e o FGTS é recolhido a situação é mais fácil. Procure um advogado trabalhista e entre com uma ação civil pública requerendo a realização de um concurso público para professores, apontando como justificativa o abuso dessa “situação emergencial”. Você pode inclusive pedir uma indenização por danos morais.

    Entratanto, feito isso e considerando do parecer favorável do juiz da primeira instância, estude muito. O fato de você lecionar na rede pública e comprovar que o municío abusa da contratação temporária obriga a prefeitura a barir um concurso e chamar para os cargos os aprovados com melhor classificação, mas de nenhuma forma garante estabilidade aos que já lecionam nessa situação.


  116. Muitíssimo obrigada pelas informações, pude ter um maior esclarecimento da situação.
    Um grande abraço.


  117. Não sou professor da rede de ensino, trabalho em uma escola de cursos particular como professor.
    Nós temos o recesso de julho, da mesma forma que as escolas de ensino regular. A duvida é a seguinte, nós temos direito a receber o valor desse recesso? Isso ja conta como parte das férias?

    Desde ja obrigado


  118. Olá professor temporário tudo bem? Hoje tomei conhecimento do seu blog e estou gostando de ler e tirar algumas dúvidas.
    Sou professor desde maio de 2005 como OFA da rede pública estadual de São Paulo. Durante os anos de 2005 e 2006 contribui com a previdência do estado de São Paulo, mas por motivos de ordem financeira saí no final de 2006 do estado e fiquei sem lecionar na rede pública até outubro de 2007. No mês de novembro de 2007 retornei como OFA, mas sendo informado que eu já estava em uma nova categoria.
    Minha dúvida sobre qual categoria eu me enquadro, se F ou L? Ninguém nunca soube me responder corretamente, os secretários de escolas, diretores, sempre tem dúvidas, mas até hoje está sendo recolhido INSS, pois quando voltei ao estado em novembro de 2007, a secretária “achava” que eu me enquadrava na nova lei. Eu já tinha um cadastro no estado, trabalhei como OFA desde 2005, somente no ano de 2007 me ausentei do estado. Tanto que no meu prontuário, consta a data de admissão no serviço público em maio de 2005. Aguardo um contato. Obrigado.


  119. em 11 agosto 2009 às 10:10 professortemporario

    Professor Rafael
    Para o Estado você se enquadraria na categoria “L”, por não estar em exercício como OFA em junho de 2007,mas acreditamos que você consiga requerer seu enquadramento na categoria “F”, por ter contribuído ao fundo providenciário do Estado.
    Entre com um requerimento, por escrito e em duas vias, na diretoria de ensino onde você teve o último vínculo, solicitando informações sobre a sua situação. Dependendo da resposta, eles mesmos reconhecerão sua situação como “F”, mas, a resposta negativa deles e os argumentos usados para fundamentá-la são essenciais para se questionar a situação na justiça, por meio de advogado


  120. em 11 agosto 2009 às 10:32 professortemporario

    Professor Maycon
    A situação dos professores é regulada especificamente pelos Artigos 317 ao 324 da CLT. Assim, conforme a lei, os professores tem sua remuneração calculada por aulas ministradas semanalmente, considerando 4,5 semanas por mês. A mesma lei especifica que só podem ser descontados dos professores o valor das aulas faltadas e que devem receber como se estivesse lecionando em sala de aula o período das férias escolares, sendo que NESSE PERÍODO SÓ PODERÃO EXERCER ATIVIDADES PEDAGÓGICAS RELACIONADAS AO EXAME E RECUPERAÇÃO DOS ALUNOS.
    Assim, todo professor tem direito a receber seu salário integral, de acordo com sua carga horária, durante o recesso escolar. As férias do trabalhador, que são acrescidas de 1/3 do salário, são pagas geralmente em janeiro.


  121. Muito obrigado professor temporário, vou procurar informações na diretoria de ensino. Ah observando meu anexo, consta como categoria F, mas mensalmente é descontado inss do meu holerith. obrigado


  122. Sou professora efetiva Municipal do ensino fundamental, de 1ª a 4ª série, além do meu período, fiz substituições por 4 meses seguidos por falta de professor, essa substituição terminou agora no início do mês, a prefeitura não pagou o recesso de julho, queria saber se tenho direito de receber o mês integral?


  123. em 20 agosto 2009 às 19:15 professortemporario

    Professora Lu
    Tudo depende da maneira como você foi contratada. Como professora efetiva ou contrata pela CLT você tem direito de receber o período de recesso escolar como se estivesse lecionando, considerando a sua carga horária. Mas, como professora eventual, você receberia apenas o valor das aulas lecionadas, já que juridicamente o professor eventual não constiti vínculo empregatício formal. Assim, se sua substituição ocorreu na rede municipal a sua situação é estranha, pois como efetiva você não poderia fazer esse tipo de substituição. Se sua substituição ocorreu em outra rede, tudo dependerá da forma como você foi contrata, se como OFA ou eventual.


  124. Professor temporário, tenho mais uma dúvida…sendo já efetiva como professora do ensino fundamental de 1ª a 4ª série, caso surge um novo concurso municipal para outras vagas de professor na mesma instituição, e se eu prestar o concurso e passar, posso assumir outra sala de aula , sendo um período de manhã e outro a tarde?


  125. em 21 agosto 2009 às 22:47 professortemporario

    Professora Lu
    Pesquisamos e chegamos à conclusão de que todo professor tem direito ao acúmulo legal de cargo, seja ele em redes diferentes, seja ele na mesma rede, desde que não exista choque. Aliás, essa situação é até comum com professores PEB I que acumulam outro cargo concursado de PEB II, inclusive na mesma rede. Nesse caso, embora na mesma instiuição, são duas situações completamente diferentes. Pode ser que seja o caso de dois holerites separados…

    De qualquer forma, se não houver nenhum choque (inclusive no htpc), não há problema algum. A única restrição que existe é que esse acúmulo só pode ocorrer com até duas redes. Uma professora com dois cargos em uma prefeitura não pode acumular cargo com o Estado. Deverá optar entre ser exonerada de um dos cargos municipais ou do estadual.


  126. Professor temporário, obrigada pela resposta.


  127. Olá,
    Sou professora temporária do estado do Paraná, estava com 29 h/a desde o inicio do ano,no entanto, com os problemas da gripe A, as aulas haviam sido dispensadas no dia 31/07 e retornaram no dia 17/08, durante este periodo de suspensão das aulas, chegou um professor concursado e acabou pegando 16 h/a minhas (fiquei sabendo por terceiros, a direção nem me avisou), o grande problema é q estou gravida de 8 1/2 e as gravidas estão dispensadas do trabalho até o dia 31/08, o que ocorre, é que fui informada pelo RH, que não poderão me atribuir novas aulas ja que estou afastada, mas meu afastamento não é em função de atestado médico ou doença e sim por determinação do governo do estado, no entanto, dia 01/09 ja entro em licença maternidade e irei receber somente por 13 aulas durante os 180 dias. Isto está correto?


  128. em 22 agosto 2009 às 12:49 professortemporario

    Professora Rudinéia
    A situação de um professor temporário é transitória e os professores efetivos tem preferência na escolha das aulas. Entretanto, a resposta a sua situação varia de acordo com a condição de suas aulas e com a condição do professor efetivo. Se você assumiu todas as suas 29 aulas como livres você só as perderia para o professor efetivo que tivesse sido nomeado agora e para composição da carga básica. Se assumiu todas como substituição, você substituia a algum professor efetivo e portanto só perderia essas aulas para ele, salvo a hipótese de ele ter se removido para outra escola.
    O professor efetivo que pegou as suas aulas só poderia assumi-las se: 1) fosse o titular delas, a quem você estava substituindo (por ele estar na vice-direção ou coordenação, por exemplo…); 2) tivesse sido efetivado recentemente e ingressado em um bloco de aulas livres.

    Sobre a sua licença, é preciso confirmar a situação dos temporários no Paraná. Se os professores temporário paranaenses estão diretamente vinculados ao Estado, como acontecia em SP, você receberia sua licença na mesma regra dos efetivos. Existe uma interpretação de que isso ocorreria somente até o fim do seu contrato, que seria antes dos 180 dias, mas entendemos que isso cabe discussão via judicial, pois é absurdo abandonar uma professora em licença maternidade.
    Se os professores temporários paranaenses estão vinculados ao INSS, sua licença maternidade seria paga inclusive pelo INSS, durante todo o período, mas com o cálculo baseado na quantidade de aulas.


  129. Obrigada, mas esclarecendo : estas aulas não eram de substituição eram definitivas e o professor q as assumiu não foi nomeado agora, e sim, veio de outro municipio com ordem de serviço. E quanto a licença maternidade, os temporários aqui do PR estão vinculados ao INSS, mas minha maior dúvida, é quanto a eu não poder assumir novas aulas até requerer a licença ( e tem aulas disponiveis na minha disciplina em várias escolas), sendo q se não estivesse grávida, com certeza ja teria assumido, pois não estou de atestado médico, todas as gestantes estão dispensadas por determinaçao do governo, e minha preocupação é exatamente esta, como irei receber do INSS, receberei somente pelas 13 aulas.


  130. Obrigada, mas esclarecendo : estas aulas não eram de substituição eram definitivas e o professor q as assumiu não foi nomeado agora, e sim, veio de outro municipio com ordem de serviço. E quanto a licença maternidade, os temporários aqui do PR estão vinculados ao INSS, mas minha maior dúvida, é quanto a eu não poder assumir novas aulas até requerer a licença ( e tem aulas disponiveis na minha disciplina em várias escolas), sendo q se não estivesse grávida, com certeza ja teria assumido, pois não estou de atestado médico, todas as gestantes estão dispensadas por determinaçao do governo, e minha preocupação é exatamente esta, como irei receber do INSS, receberei somente pelas 13 aulas. Gostaria de saber se poderia estar assumindo novas aulas antes de requerer a licença, mesmo pq nosso contrato prevê q poderiamos ter
    até 32 h/a semanais?


  131. Boa tarde.
    Sou professora com bacharel psicologia. Lecionei Psicologia na rede publica – EM em 2004, 2005, 2006 e 2007. Pegava as aulas nas atribuições de inicio de ano e ia até o final. Quando Psicologia saiu do curriculo, lecionei em carater – filosofia – em 2008. Este ano, apesar de ter me inscrito na escola em que lecionava, ter feito a provinha e ido bem, mudei de cidade e só consegui me inscrever em junho/2009. Não lecionei no ano de 2009 e cursei a resolução II em filosofia (o certificado está p/sair).
    A que categoria pertenço? Será que consigo me incluir na categoria F??
    Desde já agradeço a atenção.


  132. em 25 agosto 2009 às 21:16 professortemporario

    Professora Marinela
    Se você estava em exercício em julho de 2007, você é “F”.


  133. Obrigada pela resposta.
    Este site é uma grata surpresa em termos de qualidade e prondidão ao responder.
    Lendo duvidas e respostas de outros participantes e de voces,
    gostaria de saber se poderei prestar concurso – sendo bacharel em Psicologia e tendo cursado a Resolução II em Filosofia, ou se terei que cursar licenciatura filosofia.


  134. Boa noite!como está o recebimento do fgts dos temporarios sem carteira assinada! quem está apto a responder? o ministerio do trabalho não aceita trabalhador sem carteira assinada! e os servidores do estado temporario, trabalham sem carteira assinada até ser distratado isso está certo?no meu caso estava de beneficio fui distratada com 61anos de idade com varias patologias o perito afirma que estou apta ao trabalho mesmo eu tendo apresentado todos os laudos e exames,não tem jeito a fala do perito é a que vale,voces estão entendendo?aguardo resposta,agradecida.


  135. em 26 agosto 2009 às 20:38 professortemporario

    Professora Marinela
    Você terá que prestar a prova para a disciplina que estiver especificada no seu diploma de licenciatura, independentemente do de bacharel.


  136. em 26 agosto 2009 às 21:54 professortemporario

    Flor de Liz
    Recomendamos que você entre com uma ação na justiça do trabalho requerendo os seus direitos trabalhistas. Sobre a questão dos laudos médicos, a situação também pode ser questionanda pela via judicial.


  137. Depois de quanto tempo professor pode exigir a efetivação do cargo?..Eisti uma lei para isto? qual?


  138. em 1 setembro 2009 às 17:49 professortemporario

    Professora Aline
    Esse é o problema. O professor pode entrar na justiça e requerer os seus direitos trabalhistas, mas não poderá jamais ser efetivado no cargo sem ter prestado um concurso. A única possibilidade que percebemos é o que acontece no Estado, com os professores estáveis, que conseguiram completar mais de 10 anos como OFA em exercício sem interrupção. Esses professores não são efetivos, mas também não podem mais ser excluídos.


  139. Me ajudem por favor , sou professora temporária do interior do ceara
    Mas fui demitida por que um outro prefeito ganhou as eleições , e o pior e que esse prefeito que assumiu ,não gosta de mim pois não o apaiei na candidatura ,agora eu não posso lecionar em lugar algum da minha cidade pois ele não permite, estou ,por favor ,como posso requerer meus direitos ???????


  140. em 5 setembro 2009 às 23:11 professortemporario

    Professora Gorete
    Um dos princípios básicos do serviço público é a impessoalidade. Independente da opinião ou da convicção, não existe a situação de gostar ou não gostar da pessoa.

    Evidentemente que acreditamos no que está dizendo e para que se possa fazer algo é preciso reunir provas
    1) As regras para contratação de servidores são claras. Ou são admitidos após aprovação em concurso público, ou são contratados em situação emergencial, ainda sim dentro de regras como classificação de acordo com o último concurso realizado, tempo de serviço na prefeitura, idade;
    2) A situação de um prefeito permitir ou não que alguém lecione é extrema.

    Se a sua situação é realmente esta, semelhante a de uma vila no período colonial, recomendamos que você faça uma denúncia formal ao ministério público, FORA DE SUA CIDADE. Nessa denúncia, relate toda a sua história e inicie uma coleta de provas, como a lista dos aprovados no últmo concurso, a lista dos professores que foram contratados (isso deve ter sido publicado em jornal de circulação local, que pode ser pesquisado em uma biblioteca, ou ainda em um diário ou boletim do município.

    Consiga testemunhas ou grave uma conversa em que fique caracterizado que o prefeito, ou outro funcionário não permite que lecione.

    Caso a sua situação seja mais amena, você pode formular um requerimento na prefeitura contando seu caso e solicitando explicações sobre sua demissão. Mas, se a situação for extrema, haja com cautela e não comente isso na cidade, pois sabemos que onde o calo aperta a vida vale pouco…

    Você pode formular sua denúncia no ministério público federal pelo link
    http://www.prsp.mpf.gov.br/aplicativos/digi-denuncia

    Concorde com os termos e preencha os campos com seus dados e formalize a denúncia. Se tiver as provas, você pode anexá-las. Mesmo que eles respondam que não é da esfera federal, sua denúncia será encaminhada para o MP estadual, de cima para baixo, acabando com a possibilidade de que o caso seja simplesmente engavetado…


  141. Olá,
    Sou funcinária de uma empresa privada, com carteira registrada, e gostaria de lecionar como eventual no estado de SP, no período noturno. Isso é possível?

    Obs. De acordo com o secretário da escola,não posso lecionar, mesmo sendo fora do horário do meu expediente, devido ter carteira registrada.

    Mas aí que ficou a minha dúvida; se professor temporário não contribui p/ inss, e nem tem registro em carteira, porque não posso lecionar?

    Cláudia


  142. Olá, professor temporário!
    Descobri esse espaço por acaso e achei muito informativo. Parabéns!
    E aproveitando o espaço aberto, gostaria de tirar uma dúvida: Sou aluna do 2º ano do curso de história e estou trabalhando como professora eventual numa escola do Estado de São Paulo, e essa semana terá atribuição de aulas na área de filosofia. Enfim, é permitido atribuição de aulas para professor-aluno? Posso atribuir aulas de filosofia sendo que meu curso é de história?
    Obs.: No primeiro ano do curso de história tivemos todas as disciplinas pedagógicas, sociologia, filosofia, psicologia, etc. Ou seja, já foram eliminadas. Sociologia e filosofia foram às disciplinas com maior carga horária com 120 hrs. cada uma.


  143. em 13 setembro 2009 às 16:43 professortemporario

    Carla
    Até junho deste ano os alunos com mais de 50% do curso concluídos poderia, lecionar como eventuais e só poderia assumir aulas caso não existisse nenhum graduado interessado nas mesmas.

    Ocorre que com a lei estadual 1093/09 e com o fim da década da educação, prevista nas disposições transitórias da lei federal 9394/96 LDB:
    1) Haverá um processo seletivo obrigatórico para escolha dos professores que pretende lecionar em 2010;
    2) A categoria professor eventual foi extinta. A partir de 2010, todos os professores contratados pela lei 1093 receberão como direitos trabalhistas o descanso semanal remunerado, as férias proporcionais e o 13º proporcional;
    3) Com o fim da década da educação, se nada mudar, só poderá entrar em sala de aula quem estiver formado, com diploma de licenciatura


  144. tenho muitas duvidas em relação a contrato temporário!
    sou TENHO CONTRATO TEMPORÁRIO AQUI NO RIO GRANDE DO SUL DESDE FEVEREIRO E GOSTARIA DE SABER MEUS DIREITOS! SOBRE FÉRIAS E DÉCIMO TERCEIRO? OUVI DIZER QUE OS CONTRATOS AQUI NO RS MUDARAM AQUI DE MARÇO A DEZEMBRO SE RENOVANDO AUTOMATICAMENTE TEM ALGUM SITE QUE POSSO ACESSAR E SABER TUDO SOBRE!


  145. QUAL A DIFERENÇA ENTRE CONTRATO EMERGENCIAL E TEMPORÁRIO?


  146. em 17 setembro 2009 às 22:57 professortemporario

    Lisa
    O que sabemos é que o dispositivo constitucional que servia de base para esse tipo de contrato estava suspenso pelo Supremo Tribunal Federal, com o julgamento da Ação Direta de Inconstitucionalidade 2135/2000

    A partir daí, os Estados e Municípios devem seguir o regime único de contratação de servidores.

    Talvez a maior mudança seja no sentido da renovação dos contratos, pois antes a justificativa era a contratação emergencial, que nunca poderia ultrapassar seis meses e não poderia ser renovada por mais de dois anos (Isso permitia o abuso por parte das prefeituras e estados, que contratavam e dispensavam professores como numa situação de clamidade pública)

    Com a suspensão desse dispositivo, acreditamos que a nova interpretação da lei seja que os contratos sejam renovados automaticamente, caso o professor consiga aulas na atribuição do ano seguinte, por um prazo máximo de dois anos. Como qualquer contrato formal no Brasil, férias, 13º salário, contribuição ao INSS e recolhimento de FGTS (que é a maior resistência por parte das entidades públicas) são obrigatórios.


  147. em 17 setembro 2009 às 23:06 professortemporario

    Vanessa

    Contrato temporário no serviço público é aquele em que o contratado possui um vínculo formal com o empregadorpor um prazo, que pode serdeterminado ou indeterminado. Como a constituição prevê que para provimento de cargo público o servidor deve ser selecionado mediante concurso público de provas e títulos, a contratação de funcionários temporários só pode ocorrer com a justificativa da situação EMERGENCIAL. A prefeitura ou estado manifestam uma situação imprevisível de falta de pessoal em funções vitais do serviço público (falta de médicos, por exemplo) e lança mão da contratação emergencial de funcionários temporários, até que se resolva o problema.

    Ocorre, que essa medida tem servido como uma rachadura na lei, que tem sido explorada de maneira extrema pelas prefeituras e alguns estados. Contrata-se professores temporários apenas pelo período letivo, sob o argumento da emergencialidade, que sistematicamente se prorroga por muitos anos. Por que? Simplesmente, porque é mais barato contratar um temporário do que efetivar um funcionário de carreira.


  148. oiou


  149. Olá Professor temporário!!!
    Será que você poderia me esclarecer algumas dúvidas:
    1º Afinal que categoria eu pertenço? Sou professor eventual desde de maio deste ano (2009). No meu Holerite está: F/6407-PROFESSOR EDUCACAO BASICA I////// ADM.LEI 500/74-EVENT.-R.G.P.S.
    Obs.: Desde que ingressei no Estado não tenho aulas atribuídas.
    2º Pelo o que eu li no D.O de sábado (19/09/09) os professores temporários categoria F e L podem atribuir aulas, ou seja, é possível abrir nova portaria de admissão há esses professores. E aos eventuais, é possível?
    3º Me disseram que se eu atribuir aula ainda este ano, a partir do ano que vem ficarei de “congelado” por 200 dias. Alguém confirma isso?
    Estou cheio de dúvidas, pois ninguém na escola (secretária) e na DER esclarecem bem isso. Obrigado!


  150. Ah, afinal quais os tipos de categorias que existem além das categorias ‘F” e “L”?


  151. sou professora a 22 anos e trabalho na rede estadual. Fiz o curso de pedagogia a 4 anos; depois de formada trabalhei um ano com a 4 serie, entrei de licença a saude devido a artrite-reumatoide. Agora tds os professores foram enquadrados com curso superior, e eu não fui enquadrada por estar de licença a saude e agora ja estou aguardando aposentadoria
    por invalidez. Pergunto eu não tenho direito a este enquadramento?


  152. em 21 setembro 2009 às 20:31 professortemporario

    Maria José

    Como você esteve em sala de aula já com essa habilitação, você tem direito a ser enquadrada com o curso superior. Para isso, entre com um requerimento solicitando essa correção na secretaria da escola onde você está vinculada, ou na diretoria de ensino.


  153. tenho duvidas em relação ao proximo concurso, sou professora OFA e estou classificada na categoria F, caso passe no proximo concurso ficarei com 75% de jornada estudando fora da sala de aula?, depois prestarei outra prova…dúvida posso continuar lecionando pois já estou na área? caso seja reprovada na segunda prova perco o que já tenho como OFA categoria F?. Estou com um nó tremendo tanta informação é dificil entender, poderia me explicar como será esse procedimento para quem está na área.

    grata


  154. em 21 setembro 2009 às 22:00 professortemporario

    Débora

    Pergunta interessante essa… Não tínhamos pensado nessa hipótese. Acreditamos que, para evitar problemas, você deva fazer tanto a prova do concurso quanto a prova do processo seletivo. Se passar no concurso, não assuma aulas como OFA e deixe que o Estado lhe indique o que fazer, já que tem direito a 12 horas. Durante o curso de efetivação, você estará vinculada como aluna de curso de formação e, pela lei, se for reprovada poderia ter o direito de voltar para seu cargo antigo. Ocorre que como OFA não é cargo, mas uma situação estável meio pastosa e indefinida, sinceramente… cabe uma enorme discussão jurídica sobre se você perde ou não os direitos de OFA caso passe no concurso e seja reprovada no curso de formação.


  155. Olá! Liguei na DER da minha região (um sufoco para conseguir informações), para me informar com certeza em qual categoria me enquadro. Como sou professor eventual e nunca atribuí aula (estou na rede há cinco meses, sou professor aluno), minha categoria é a “I”, no meu holerite está especificado assim: F/6407-PROFESSOR EDUCACAO BASICA I////// “ADM.LEI 500/74-EVENT.-R.G.P.S.”, daí pensei que minha categoria fosse a “L”, mas tudo bem sou da “I”.
    Professor Temporário, quando me informaram sobre a minha categoria me disseram também que se eu atribuísse aulas ainda este ano de 2009, a partir do ano que vem já ficarei “congelado” por 200 dias. Procurei na lei 1093 (pois agora é nela que estou enquadrado, eu acho) e não encontrei nada referente a isso. O sr. ou alguém poderia me confirmar se está correto isso, em que parte da lei está especificada (sobre os professores categorias I que ficarão fora da rede já no próximo ano caso atribua aula até o final deste ano)?
    Obrigado!


  156. Olá, hoje uma professora do ciclo I veio conversar comigo, ela é Peb I categoria F, mas não tem licenciatura plena é formada em psicologia o que poderá acontecer com ela,li alguma coisa que os professores que não tem licenciatura plena estão fora mesmo se passarem na prova de classificação é isso mesmo.

    grata


  157. em 22 setembro 2009 às 20:14 professortemporario

    Luiz

    Realmente, os professores da categoria que é regulada pela lei 1093 que assumirem aulas este ano ficarão congelados ao fim do contrato, por 200 dias.

    “Artigo 6º – E vedada, sob pena de nulidade, a contratação da mesma pessoa, com fundamento nesta lei complementar, ainda que para atividades diferentes, antes de decorridos 200 (duzentos) dias do término do contrato.

    Artigo 7º – A contratação será efetuada pelo tempo estritamente necessário para atender às hipóteses previstas nesta lei complementar, observada a existência de recursos financeiros e o prazo máximo de até 12 (doze) meses, ressalvada, quanto à vigência, a contratação para função docente, que fica limitada ao ano letivo fixado no calendário escolar.

    § 1º – Os direitos e obrigações decorrentes da contratação para função docente ficarão suspensos sempre que ao contratado não forem atribuídas aulas, sendo-lhe facultado, no período de vigência do contrato, aceitar ou não as que forem oferecidas.

    § 2º – Findo o prazo de vigência, o contrato estará automaticamente extinto.”


  158. em 22 setembro 2009 às 20:37 professortemporario

    Débora

    Os professores F que passarem e não tiverem o diploma não poderão lecionar, mas terão direito à carga de 12 horas de apoio. Os demais, estariam automaticamente excluídos do processo.


  159. Bom Dia!

    Sou professora eventual desde 2004, porém, só agora em Abril deste ano, consegui algumas aulas (OFA) e ainda continuo lecionando. No meu holerite está especificado desta forma: F/6409-PROFESSOR EDUCACAO BASICA II – ADMITIDO LEI 500/74 – R.G.P.S. Qual é a minha situação neste momento? E qual será o ano que vem? Poderei continuar lecionando?

    Grata,


  160. em 23 setembro 2009 às 18:25 professortemporario

    Daniela

    1) Você é categoria L;
    2) Sua situação em 2010 depende da sua aprovação no processo seletivo e de você conseguir ou não aulas. Se conseguir, manter-se-á na categoria L. Se não conseguir até o fim de 2010, será reclassificada na categoria da lei 1093.
    3) Se não passar na prova, não poderá lecionar


  161. Gostaria de tirar uma dúvida. Em junho 2009 comecei a lecionar como eventual, no mês de maio/2009 dei entrada em meu seguro desemprego de uma empresa privada que fui demitida, quando fui receber tive a informação que no meu Pis constava registro de trabalho na secretaria de educação. Agora estou com dúvida, pois sou eventual e quais os meus direitos trabalhista?
    tenho direito em que: inss, 13º salario, convenio médico?
    Obrigada.


  162. em 27 setembro 2009 às 20:50 professortemporario

    Patrícia

    Talvez o seu comentário seja a maior prova de que a lei 1093, apesar de confusa e de “prejudicar” alguns professores, constituiu uma situação jurídica melhor do que existia antes.

    Como professora eventual você não tinha nenhum direito trabalhista. Mas, como você lecionava para o Estado e seria ilegal contratá-la sem nenhum registro, seu contrato aparece para o INSS e as suas contribuições à previdência, que eram descontadas no holerite, servem como computação de tempo para sua aposentadoria.

    Assim, para o INSS você tinha um contrato precário com o Estado e a partir dele, não poderia entrar com seguro desemprego. Nesse contrato precário você não tinha direito a férias, 13º ou convênio médico.

    Podemos estar enganados, mas ao que sabemos o professor que leciona na rede pública não pode ter um emprego registrado, ainda que na iniciativa privada, em outra área que não seja educação.

    Der qualquer forma, com a lei 1093 nenhum professor será contratado na rede estadual de São Paulo sem seus direitos trabalhistas.


  163. Tenho uma duvida…

    Alguém sabe como faço para conseguir um contrato como professor temporário na rede municipal ou estadual de educação aqui em Belo Horizonte/MG ?

    Caso não esteja enganado parece que por aqui não precisa ser concursado para se tornar professor temporário só estar cursando ou ter cursado curso superior.

    Grato por qualquer ajuda…


  164. em 28 setembro 2009 às 13:34 professortemporario

    Wendell
    Não sabemos os detalhes de BH, mas pela lei se um professor que prestou concurso e não foi chamado identificar que existe um professor lecionando na rede se ter prestado o concurso ele pode requer para si aquelas aulas. Assim, como regra, as redes públicas atribuem aulas aos professores dentro da ordem de classificação no último concurso e só podem atribuir para quem não prestou depois de corrida toda e lista de aprovados.

    Provavelmente, se você não prestou esse concurso, você poeria se inscrever como professor temporário mas só assumiria as aulas depois que não houvesse interesse de ninguém que prestou o concurso


  165. Oi me tira uma duvida estou trabalhando como professora eventual desde 19 de agosto de 2009, no ano que vem vou poder fazer a prova, ou vou ter que cumprir os 200 dias.


  166. em 10 outubro 2009 às 10:43 professortemporario

    Márcia

    Como eventual em vias de extinção, você não possui vínculo com o Estado. Assim, você poderá participar das atribuições de 2010, desde que passe na prova do processo seletivo. Mas, caso consiga um saldo de aulas, terá que cumprir sim os 200 dias ao fim do ano letivo, o que quer dizer que você não poderia lecionar em 2011


  167. Sou professora temporária da rede municipal desde 1998; durante esse período fui afastada por quatro vezes, meu último afastamento foi em 2002, retornei em fevereiro de 2003 e estou direto até o momento sem quebra de contrato. No último concurso, agora em 2009 fui classificada e possivelmente serei convocada em janeiro de 2010, mas fiquei sabendo que os anos anteriores não serão contabilizados com tempo de serviço. Há lei que me ampare caso entre na justiça? Haja visto que meu salário sofrerá queda pois já ganho gratificações por tempo de serviço.


  168. em 12 outubro 2009 às 21:28 professortemporario

    Median

    A sua situação infelizmente não é uma raridade. As prefeituras e alguns Estados abusam do expediente de se contratar um professor temporário, supostamente em um contrato emergencial, para não abrir concurso público. Ocorre que, mesmo que esse professor lecione a vida inteira nessa situação, sem ter o seu contrato interrompido, ele não pode ser reconhecido como efetivo, pois não foi aprovado em concurso público. No entanto, se um professor está nessa condição há pelo menos 10 anos é possível requere o seu reconhecimento como “estável” na justiça, já que não se pode considerar temporário um serviço prestado por 10 anos consecutivos.

    De qualquer forma, ao ser efetivado por concurso público, esse professor assume uma nova condição. Seu tempo de serviço anterior conta para aposentadoria e especificamente para a gratificação de tempo de serviço, mas NÃO CONTA para anuênio, triênio, quinquênio, sexta parte ou qualquer coisa desse gênero.


  169. Obrigada pela informação. Era essa informação que gostaria de receber. Conheço vários colegas de profissão que sofreram redução de salário quando passaram a ser efetivos, pois o salário base é diferenciado, quanto mais tempo de serviço, maior o salário BASE, e com isso tanto sofre redução no base, como também perde a gratificação por tempo de serviço. Exemplo: Meu salário base por 100 horas no momento é de $700,00(setecentos reais); ao ser efetivada cairá para $550,00(quinhenos e cinquenta), o que já deveria ser até maior, haja visto que minha gratificação por tempo de serviço deveria ser de 10%. Aqui em minha cidade tempoário é humilhado, só tem direito a 200 h se todos os concursados já estiverem ou não quiserem trabalhar as 200 h.
    Realidade bem diferente de outro municipio que trabalho, mas que lá já sou concursada, os temporários de lá são tratados de igual prá igual em relação a carga horária e local de trabalho.


  170. Olá, sou professora eventual desde setembro de 2008, nunca tive aulas atribuidas, sou professor aluno curso o ultimo ano da faculdade de letras (diploma em junho de 2010), como fica minha situação, poderei participar do processo celetivo para professor efetivo ou para o temporario, poderei dar aulas em 2010, continuarei como eventual, em que categoria me encaixo, o que devo fazer.
    Desde já o brigada, e parabéns pelo trabalho, que Deus lhes abençõem pela ajuda a outros professores.


  171. em 15 outubro 2009 às 19:06 professortemporario

    Nathára

    Você se enquadra na categoria regulada inteiramente pela lei 1093 e terá que fazer sua inscrição na DE de sua escolha e posteriormente, confirmar essa inscrição pela internet no site da empresa que vai fazer a provo do processo seletivo (o que ainda não foi divulgado) Caso passe, você poderá participar das atribuições dentro da classificação que obtiver e se conseguir aulas ou um contrato de substituição eventual, terá que cumprir 200 dias de gancho entre o fim desse contrato e o início de um novo.

    Para saber mais: http://professortemporario.wordpress.com/2009/10/14/cadastramento-de-professores-candidatos-a-docencia-na-rede-estadual-de-sao-paulo-em-2009/


  172. Olá,
    sou formada em Letras Português/Literatura, porém, a mim me agrada lecionar somente a matéria de Literatura. Minha pergunta é a seguinte: posso me inscrever para um edital na disciplina em questão para contrato temporário, sem que haja possibilidade de posteriormente me enquadrarem para português? E ainda, a cidade para qual irei me inscrever, fica a 1 hora de distância. Os encargos com passagens e afins, ficam sob responsabilidade do governo, como difícil acesso? Obrigada.


  173. em 17 outubro 2009 às 21:13 professortemporario

    Daniela

    Você pode se inscrever para lecionar uma ou mais disciplinas que contemplem sua habilitação. Mas, na hora da atribuição, você jamais será obrigada a assumir um saldo de aulas que não queira. Assim, você até pode ser classificada como professora de português e de literatura, mas só assumirá aulas de português se quiser.

    Sobre a questão do transporte, a legislação trabalhista prevê o auxílio transporte com o custeio da passagem em linha de transporte coletivo circulara, de catraca (roleta), mediante o desconto do 6% do valor do salário bruto. Assim, dependendo do caso não é viável. Entretanto, o Estado de São Paulo não segue essa lei.


  174. Sou professora de Potuguês formada há muito tempo, trabalhei como professor temporário em Brasiília-DF .Gostaria de saber se posso me inscrever para o ano de 2010 e quando seria a inscrição.
    Obrigada


  175. Sou professora de português há muito tempo.Somente trabalhei em Brasília-DF com contrato temporário porque meu marido é militar e mudávamos muito ,agora está na reserva e moramos em São Paulo Capital. Gostaria de saber quando será a inscrição para o ano de 2010. Obrigada
    Joirce


  176. Por que nao consigo enviar mensagens a vc?


  177. em 20 outubro 2009 às 22:26 professortemporario

    Rose Costa

    Não entendemos o que você quis dizer em sua última colocação.


  178. Olá boa tarde,
    Por favor se possível me esclarecer uma dúvida.
    Sou Professora e vou fazer a inscrição para poder lecionar em 2010 e em seguida fazer a inscição para o processo seletivo (estado de SP), a minha dúvida é a seguinte: Se eu fizer a inscrição numa determinada D.E. agora, no início do ano de 2010 eu posso me inscrever em outra D.E. diferente? ou tenho que lecionar somente na D.E. que fiz que fiz a inscrição agora em outubro/09?

    Por favor me responda, estou no aguardo para decidir em qual D.E. vou me inscrever.


  179. em 21 outubro 2009 às 14:38 elisangela garcia

    ola, estou cursando em 2009 a licenciatura plena em artes na Belas arte, me formo em novembro, mas tenho declaração da belas artes de que estou cursando a licenciatura. Eu posso me increver para fazer a prova de prof temporário?
    Se eu abri a portaria para lecionar como eventual esse ano (ja estou incrita na D.E ) terei q cumprir o recesso em 201 e ficarei impossibilitada de fazer a prova, ou o meu recesso será cumprido em 2011?
    desde ja agradeço a atenção …


  180. Em 1985, conclui minha licenciatura curta em Letras. Na época me era permetido escolher curta ou plena!!!! Retornei a dar aulas em Outubro de 2003, como eventual ( PEB I ). Conclui minha faculdade em Dezembro de 2006( Letras). Continuei como Peb I. Em Agosto de 2006, me foi atribuída, depois de muita luta, aulas de Filosofia, por conter em meu histórico de Letras às 160 h. Desde, então fiquei até a conclusão de Filosofia em cárater com aulas livres, ganhando com Peb I. Também tenho 160 h em Sociologia e Psicologia. Resolvi investir nesta área e também conclui o curso Filosofia em Dezembro de 2007(Licenciatura plena ). Minha escola recebeu um email, para que eu optasse pela categoria F ou L. Optei pela F, e agora não sabemos a qual categoria pertenço! Tenho duas habilitaçoes plenas e continuo como PEB I. Agora, surgiu mais um novo fato para todas as PEB I …teremos que fazer nossas inscrições na D.E. Mas, eu estou com aulas livres até o final deste ano . Como devo proceder? Isso é fato ou mais um boato? Por favor me esclareça!!! Obrigada!!!


  181. Desculpe o erro – digo – permitido!!!!


  182. em 21 outubro 2009 às 18:28 professortemporario

    Cláudia

    Você só pode se inscrever em uma única diretoria e se fizer essa inscrição em uma e depois fizer o cadastro par a prova em outra, terá sua inscrição indeferida e não poderá lecionar em 2010, independente da nota que consiga.


  183. em 21 outubro 2009 às 18:31 professortemporario

    Elisângela

    1) Você pode se inscrever, desde que consiga uma declaração de conclusão de curso para atribuição do início de 2010;

    2) A categoria professor eventual foi extinta e mesmo inscrita na diretoria de ensino você não poderá eventuar, pois não se pode mais abrir portaria


  184. em 21 outubro 2009 às 19:02 professortemporario

    Rose Costa

    De acordo com a Portaria DRHU 72, que regula o processo de inscrição e atribuição 2010:

    Art. 1º – Os períodos de inscrição de docentes e candidatos à contratação, para participar do processo de atribuição de classes e aulas, observarão o seguinte cronograma:

    I – De 14 a 30/10/2009 – para candidatos à contratação, na Diretoria de Ensino de opção do candidato, e para ocupantes de função-atividade, inclusive os que se encontrem em período de interrupção de exercício ou na condição de readaptação, bem como os estáveis e celetistas, na unidade escolar sede de controle de frequência – SCF, contemplando todas as possíveis habilitações/qualificações docentes que apresentem, com possibilidade de indicação de outra Diretoria de Ensino, onde serão classificados para participar do processo de atribuição de classes e aulas, declinando da inscrição na Diretoria de origem;

    Assim, pelo nosso entendimento, TODOS OS PROFESSORES QUE ESTÃO VINCULADOS DEVERÃO FAZER SUA INSCRIÇÃO NA ESCOLA SEDE. Em caso de uma determinação contrária, leia esse artigo da portaria e pergunte à diretora de sua escola qual é a referência legal que ela está utilizando para contraria essa determinação da Secretaria de Educação


  185. Desculpe-me, acho que os deixei cconfuso ccom tanta informação, mas a dúvida principal é …a que categoria eu pertenço?
    Obrigada!!!!


  186. Rose Costa

    Se você tem vínculo, deverá fazer sua inscrição na U.E. onde tem aulas atríbídas e a secretária tem acesso ao JATI, em que consta sua situação funcional, ou seja, a que categoria ou categorias você pertence, ok!


  187. Mesmo tendo vínculo, aulas livres de Filosofia, ninguém consegue me responder, se vou ser desligada ou fico com a categoria F…É possível pertencer a mais de uma categoria?
    Obrigada!!!


  188. Bom Dia!

    Tenho muitas dúvidas em relação a minha categoria “L”, pois está tudo tão confuso. Quero saber qual será a minha situação em 2010, se eu for aprovada ou reprovada na prova?

    Grata,


  189. Bom dia!

    Professor,

    estou a algum tempo tentando ter certeza a qual categoria pertenço, onde posso ter esta informação?

    Lecionei de 2003 a 2005 com PEBI Eventual e em 2009 como PEBII eventual e atribuída no 1º semestre e como eventual no Segundo.

    no meu holerite esta anotado: ADM-LEI 500/74 – EVENT – R.G.P.S

    OBRIGADA!


  190. Sandra

    Seria mais acertado se você buscasse esta informação junto a secretaria de sua escola, pois estão ocorrendo tantas mudanças que temo passar a você alguma informação errada. Verifique se você não possui acúmulo de categorias, já que é possível também que isso ocorra, ok!


  191. Daniela

    Se você for reprovada na prova, não poderá lecionar em 2010, mantendo um “vínculo” sem remuneração até o final de 2011, ou seja, sem precisar cumprir “gancho” de 200 dias. O que significa que se você passar na provinha em 2011 poderá lecionar, caso haja aulas disponíveis.


  192. Rose

    Sim, é possível pertencer a mais de uma categoria. Porém, se você pertence de fato à categoria F, não perde vínculo, pois é considerada estável, ok!


  193. PROFESSORES

    SAIU EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES DO PROCESSO SELETIVO

    176 – São Paulo, 119 (200) Diário Oficial Poder Executivo – Seção I sábado, 24 de outubro de 2009)

    DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS

    PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA DOCENTES

    EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÃO PARA PROVA

    O Diretor do Departamento de Recursos Humanos da Secretaria de Estado da Educação, nos termos do Inciso II do artigo 2º da Lei Complementar 1.093, de 16 de julho de 2009 , Resolução SE – 68, de 01 de outubro de 2009 e Inciso V da Instrução Normativa – UCRH 2/2009, de 21 de setembro de 2009, torna pública a abertura de inscrições para a prova do Processo Seletivo Simplificado para Docentes admitidos nos termos da Lei Estadual nº 500/74 e Candidatos à contratação.

    As provas do Processo Seletivo serão realizadas pela Fundação VUNESP, localizada a Rua Dona Germaine Burchard, nº 515 – Bairro Água Branca/Perdizes, São Paulo – SP – CEP 05062-002 – telefone (0xx11) 3874-6300.

    I – DISPOSIÇÕES GERAIS

    1. A participação no Processo Anual de Atribuição de Classes /Aulas 2010 compreenderá, obrigatoriamente, duas etapas :

    1ª Etapa:- Inscrição para atribuição de classes / aulas de acordo com as disposições contidas na Portaria DRHU nº 72, de 13, publicada no DOE de 14/10/2009:

    .

    2ª Etapa:- Inscrição para realização de prova(s) relativas ao processo Seletivo Simplificado, via Internet, no endereço eletrônico da Fundação VUNESP – http://www.vunesp.com.br , no período de 03 a 20/11/2009, iniciando se no dia 3 de novembro de 2009 às 10h00 e encerrando-se impreterivelmente no dia 20 de novembro de 2009, às 16h00.

    2. Serão utilizados para fins de inscrição, os dados constantes no Cadastro Funcional da Secretaria da Educação, cujas informações permanecerão inalteradas no Formulário de Inscrição.

    3. Para inscrever-se, o candidato deverá acessar o endereço eletrônico da Fundação VUNESP – http://www.vunesp.com.br , através do “link” correlato ao Processo Seletivo Simplificado da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, preencher a Ficha de Inscrição, on-line, e transmitir os dados pela Internet, conforme os procedimentos estabelecidos abaixo:

    3.1 -o docente, ao realizar a sua inscrição, digitará o CPF e obterá o Formulário Personalizado contendo dados pessoais, devendo preencher os dados relativos a opção pelo campo de atuação/disciplina em que deseja realizar a(s) prova(s);

    3.2- o candidato que não obtiver o Formulário de Inscrição personalizado, deverá preencher os dados solicitados, sendo de sua inteira responsabilidade as informações prestadas.

    4. O docente/ candidato poderá se inscrever:

    4.1 para o campo de atuação Classe e/ou,

    4.2 para o campo de atuação Aulas, em até 2 (duas) áreas , sendo 1 (uma) disciplina por área:

    4.2.1 Linguagens e Códigos (Língua Portuguesa, Inglês, Arte e Educação Física);

    4.2.2 Ciências da Natureza e Matemática (Matemática, Ciências Físicas e Biológicas, Biologia, Física e Química);

    4.2.3 Ciências Humanas (História, Geografia, Filosofia e Sociologia) e/ou;

    4.3 para o campo de atuação Educação Especial.

    5. O docente/candidato licenciado em Pedagogia, increverse- á para a prova, no campo de atuação Classe.

    6. O docente que estiver na condição de readaptado ou afastado a qualquer título, deverá efetuar a sua inscrição, ficando obrigatoriamente classificado, na Diretoria de Ensino à qual estiver jurisdicionada a unidade sede de controle de freqüência.

    7. A Fundação VUNESP e a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo não se responsabilizam por solicitação de inscrição não recebida por motivos de inconsistência de dados, de ordem técnica dos computadores, falhas de comunicação, congestionamento das linhas de comunicação, bem como outros fatores de ordem técnica que impossibilitem a transferência de dados.

    8. O descumprimento das instruções para inscrição implicará a não efetivação da mesma.

    9. As informações prestadas no Formulário de Inscrição serão de inteira responsabilidade do docente/candidato, reservando- se à Secretaria da Educação, sem prejuízo das penas da lei, o direito de excluir do Processo Seletivo aquele que fornecer dados comprovadamente inverídicos ou falsos.

    10. O candidato que deixar de realizar a prova, não constará da classificação e, conseqüentemente, não poderá participar do Processo de Atribuição de Aulas/2010.

    II – INSCRIÇÃO DO CANDIDATO COM DEFICIÊNCIA

    1. Ao candidato com deficiência, que pretenda fazer uso das prerrogativas facultadas no Inciso VIII do artigo 37 da Constituição Federal/88 e no disposto pela Lei Complementar nº 683/92, é assegurado o direito de inscrição no presente Processo Seletivo, desde que se observe:

    1.1 no ato da inscrição para atribuição de classe/aulas, na Unidade Escolar ou Diretoria de Ensino, o docente/candidato deverá declarar-se com deficiência.

    1.2 no Formulário de Inscrição para prova – via Internet, o candidato deverá declarar-se nesta condição, especificando o tipo e o grau da deficiência.

    2. O candidato com deficiência deverá solicitar, na Ficha de Inscrição para a prova, se necessário, condições especiais para realizar a prova, conforme segue:

    2.1 o candidato portador de deficiência visual, deverá indicar no Formulário de Inscrição, o tipo de provas especial de que necessitará: Ampliada ou Ledor;

    2.1.1 ao candidato inscrito como Portador de Necessidade Especial “visual” (amblíope) que solicitar prova especial Ampliada será oferecida prova neste sistema, com tamanho de letra correspondente a corpo 24;

    2.2 o atendimento às condições solicitadas ficará sujeito à análise de viabilidade e razoabilidade do pedido;

    2.3 o candidato portador de deficiência ou o candidato que por motivo de saúde necessitar de atendimento especial, deverá encaminhar solicitação, via SEDEX ou AR (Aviso de Recebimento), por escrito, até o término das inscrições, com justificativa acompanhada de parecer emitido por especialista da área de sua deficiência ou problema de saúde, à Fundação VUNESP, Rua Dona Germaine Burchard, 515 – Bairro Água Branca / Perdizes – São Paulo – CEP 05002-062.

    3. O candidato que não atender dentro do prazo previsto para a inscrição, aos dispositivos mencionados no item 1 e seus subitens não terá a condição especial atendida e não terá a prova preparada, estando impossibilitado de realizá-la em condições especiais e/ou será considerado não portador de necessidade especial, seja qual for o motivo alegado.

    4. O candidato com deficiência que não realizar a inscrição conforme instruções contidas neste Edital, não poderá impetrar recurso em favor de sua condição.

    (DOE 24/10/2009 EXECUTIVO I – PÁGINA 176


  194. em 26 outubro 2009 às 21:33 professortemporario

    Sandra

    Acreditamos que a leitura desse artigo esclareça suas dúvidas:

    http://professortemporario.wordpress.com/2009/09/14/professor-categoria-f-ou-l-o-que-fazer-se-o-cadstro-estiver-errado/


  195. Mais um dúvida: Pertenço à categoria L, caso não seja aprovada no processo seletivo, não poderei lecionar em 2010? Quer dizer, ficarei sem lecionar o ano todo e só poderei retornar em 2011 com um novo processo seletivo?

    Aproveitando a pergunta, quero saber se o conteúdo da prova será sobre a Proposta Curricular? Há alguma informação?

    Grata,


  196. Qual a diferença da categoria F para L, poderia me explicar, por gentileza ? Ainda estou perdida com tantas informações.

    Grata,


  197. Ola.

    gostaria de explicaçãos sobre a nova lei, acho que é de agosto de 2009.

    Falando sobre o espaço de 200 dias entre uma periodo de aula e outro do eventual.

    ela realmente entrar em vigor em 2010? Procede?

    Aguardo


  198. Olá,
    para candidatar-se à vaga de professor temporário, aqui no RS, é bom ter algumas horas de regência de classe. Gostaria de saber se as 30 hrs de estágio supervisionado na faculdade contam também.

    Obrigada


  199. em 27 outubro 2009 às 22:15 professortemporario

    Daniela

    Acreditamos que esse artigo esclareça as suas dúvidas

    http://professortemporario.wordpress.com/2009/08/01/acaixa-preta-da-educacao-no-estado-de-sao-paulo/


  200. em 27 outubro 2009 às 22:19 professortemporario

    Amaro

    Você está totalmente desatualizado. Assim, recomendamos que leia o artigo abaixo e também os comentários feitos pelos usuários

    http://professortemporario.wordpress.com/2009/08/01/acaixa-preta-da-educacao-no-estado-de-sao-paulo/


  201. em 27 outubro 2009 às 22:37 professortemporario

    Daniela M

    O Estágio Supervisionado é exigência legal para quem conclui um curso de licenciatura. Tecnicamente, não interfere muito como comprovante de experiência educacional, a não ser que tenha sido realizado em uma escola peculiar, como educação especial. Isso teria um valor subjetivo, que contariam ais para uma escola particular.

    Se a realidade no Sul é centralizada em secretarias de educação ou diretorias de ensino, isso não contaria muito. Mas, se quem bate o martelo é o diretor da escola aí essa referência seria muito importante


  202. em 28 outubro 2009 às 19:01 Débora Natal

    Boa noite!!

    Por favor uma Informação, já se saiu o que vai cair na prova dos OFAS.

    grata
    OBS: adorei este espaço.


  203. em 29 outubro 2009 às 19:49 Vanda de Menezes Miranda

    Por favor, estou com uma dúvida.
    Fui professora PEB-I (Aula) durante todo o ano letivo de 2007, sendo que não perdi o vínculo em nenhum momento. No ano de 2008 continuei com vínculo, mas, quando chegou o mês de maio de 2008 a Diretora da escola informou que eu teria que cessar minha portaria, pois eu passaria para PEB-II e mudaria minha categoria para “L’. Assim, agi conforme a determinação da diretora. No momento estou com oito aulas em uma escola e gostaria de saber se eu devo comparecer a minha sede para o cumprimento das 12 horas, mesmo que ja tendo estas oito aulas já citadas ou devo entrar com mandado de segurança para tentar voltar para a categoria “F”?. Aguardo resposta. Grata


  204. em 29 outubro 2009 às 22:43 professortemporario

    Vanda

    O seu problema, que é o de muitos, é como foi feita essa cessão. Se você tinha aulas atribuídas antes de 2007 e depois da publicação da lei 1010/07 pediu dispensa de sua função atividade pelo artigo 35 da lei 500/74, ao assumir uma nova atribuição, independentemente que seja no mesmo dia, o Estado está entendendo isso como um novo contrato.

    No nosso entendimento, isso não seria motivo para que o professor perdesse sua condição, mas para o Estado, ao pedir dispensa o servidor já abriu mão de seus direitos e por isso considera como data a do último período em que foi admitido pela lei 500.

    Infelizmente, isso é uma discussão para ser feita na justiça


  205. em 30 outubro 2009 às 11:56 eliane gomes

    tenho uma pergunta!
    dei aula em 2001, era eventual, agora serei professor temporário no meu caso como funciona as inscrições na DE e a minha pontuação? o que devo fazer?


  206. hoje eu recebi uma noticia e gostaria de saber se é verdade ou não,os professores ofa se efetivaram mesmo?….pq uma amiga minha me disse que alguns colegas meus se efetivaram sem fzer concurso…gostaria de saber se isso é verídico ou não?….aguardo resposta


  207. em 30 outubro 2009 às 18:54 professortemporario

    Eliane

    Você deve procurar a escola que fazia o seu pagamento em 2001 e pedir seu atestado de tempo de serviço (anexo I). Depois você reúne os documentos e faz sua inscrição na D.E., até o dia 13 de novembro


  208. em 30 outubro 2009 às 19:13 professortemporario

    Eliane

    A coisa não é bem assim. Os professores da categoria F a partir de hoje são obrigados a cumprir uma jornada de pelo menos 12 horas em uma escola estadual. Desses professores, quem tinha mais de 10 aulas atribuídas permanece como está, enquanto que quem tinha menos ou não tinha nada terá que cumprir a partir de hoje duas horas por dia na escola, em um sistema de “plantão eventual”, com os horários definidos pela direção.

    Se pensarmos que estamos às portas de novembro, é lógico que muitos professores simplesmente não podem atender essa exigência, até porque a essa altura do campeonato, já possuem outros compromissos.

    Mas, não teve conversa. Quem conseguiu se adaptar ao Estado sobreviveu (seleção natural das espécies). Quem não pode (como vários de nossos editores)… Adeus.

    Entretanto, os professores que sobreviveram, a partir de hoje, são considerados estáveis dentro da lei 500/74, mas não são efetivos.

    Efetivo é o professor concursado, que possui direitos e deveres de um cargo estatutário, dentro da Constituição Federal e Estadual, e dentro da lei 444/85


  209. Boa noite,
    Gostaria que me esclarecesse muitas dúvidas. Sou considerada categoria L, L deve ser lixo, pois acabo de saber que serei jogada na lata do lixo. Trabalhei no Estado de 1988 a1999, como OFA, devido a municipalização fui para a prefeitura e depois de tantos anos em 2009, vendo minha classificação voltei para o Estado. Isso que deu. Me foi atribuída uma sala inicio de 2009. Estamos em novembro, a titular está em processo de readaptação e com isso renovou sua licença o ano todo. Hoje fui informada que por ser categoria L, na proxima renovação de licença dela em 7 de dezembro serei dispensada, para que um professor da categoria F assuma. Nossa, estou assim arrasada. Gostaria de saber, pois em alguns momentos li até junho de 2007 categoria F. O que signifia até junho de 2007, se assim for não sou L e sim F, pois estive até 1999. Por favor, ja vão começar a dispensar professores que pegaram licenças. É normal isso? Por favor, me responda, quero esclarecer a minha categoria e o que posso fazer.


  210. em 30 outubro 2009 às 20:27 professortemporario

    Jaciara

    Todo professor que foi OFA alguma vez no Estado de São Paulo foi admitido pela lei 500/74. Até junho de 2007, o professor que perdia o vínculo na rede era dispensado e ao conseguir aulas era recontratado, pela mesma lei 500 (por isso que muitas vezes demorava mais de quatro meses para o professor receber o seu salário, que era o tempo necessário para reinserir o professor na burocracia estatal).

    Ocorre que com a lei 1010/07, que mudou o sistema previdenciário, quem tinha vínculo pela lei 500/74 até aquele momento (02/06/07) passou a ser considerado estável. Automaticamente, quem estivesse nessa situação e perdesse o vínculo por não conseguir aulas na atribuição não seria mais dispensado e sim “interrompido”, até que assumisse aulas. Na época, houve discussão e comentários desencontrados.

    No entanto, os professores que não estavam vinculados naquela data, que no nosso entendimento deveriam ser da categoria F, foram considerados pelo Estado como categoria L, pois para o Estado valia a última data de admissão, que nesse caso seria posterior a lei.

    Os professores que estavam vinculados na data e que depois pediram dispensas das aulas entraram na mesma situação, pois a interrupção só ocorre quando o professor não renova o vínculo por não conseguir aulas e não por ter pedido dispensa.

    Agora, com a 1093 e com a Resolução SE 73, que tratou de resolver o confusão de suas disposições transitórias, todos os professores F devem estar com pelo menos 10 aulas ou 12 horas atribuídas na rede estadual. Para isso, toda atribuição que ocorrer a partir de agora e até o fim do ano será para compor a jornada desses professores, QUE NÃO TÊM A OPÇÃO DE SE RECUSAR A ASSUMI-LAS.

    O professor F que não puder assumir as horas ou aulas atribuídas, dentro das regras determinadas, será dispensado pelo artigo 35 da lei 500/74, por descumprimento de determinação do Estado, ou terá que solicitar sua dispensa, pelo mesmo artigo, só que no inciso 1.

    Assim, infelizmente, dentro da lei 1093 e como não conseguimos revertê-la, isso está dentro previsto


  211. TODO ESTÃO A FAVOR DA SUCATIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO, SINDICATOS E INCLUSIVE ESTE SITE.
    “O CHEIRO DE DINHEIRO COMPRA TUDO E TODOS”.
    ABRAM OS OLHOS PROFESSORES.


  212. TODOS PELA SUCATIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO!!!!!


  213. em 31 outubro 2009 às 19:26 professortemporario

    Negrinha

    Esse site foi construído em um domínio gratuito, por professores temporários que cansaram de ver seus colegas serem prejudicados por não saber os seus direitos.

    Nesse contexto, em que começamos do zero, sem nenhum apoio, contamos hoje com uma média de mais de 500 acessos diários e muitos comentários de dúvidas para responder. Isso não nos dá nenhum lucro, só o concentração do tempo que poderíamos utilizar para corrigir nossas provas, preencher nossas cadernetas ou mesmo ficarmos com nossas famílias.

    Somos um espaço democrático, que aceita hospedar inclusive comentários impróprios como o seu, pois sabemos que como muitos professores que perderam suas vidas funcionais no Estado por causa das mudanças (o que é o caso de alguns de nós), você está triste e magoada pelo o que aconteceu.

    Assim, único cheiro de dinheiro que sentimos é o dos nossos salários de professor, que inclusive tem acabado antes do mês. Não acredita? na internet se ganha dinheiro com hospedagem de propaganda. Você viu alguma nesse site?

    Então Negrinha, deixe de fazer parte do problema e passe para a parte da solução, pois além desse comentário magoado o que mais você tem para oferecer aos professores, para que possam abrir os seus olhos?


  214. Não devemos fornecer nada uns aos outros, devemos lutarmos unidos, pressionar o Governo, somos uma categoria gigantesca no Brasil, mais precisamente no Estado de São Paulo, o mais ideal neste momento é uma greve geral, até que o Estado declare em São Paulo estado de emergência. Se pararmos agora, podem apostar que em menos de um mês o Governo vai rever às medidas tomadas até então.
    Estamos no final do ano, tempo de vestibular, fechamento de semestre, se pararmos agora e apontarmos o que realmente merecemos como profissionais e agentes sociais de suprema importância com uma luta política, podemos obter êxito.
    Assim como montaram o site para auxiliar professores, podem nortear uma ação de pressão ao Governo, não simplesmente ficarmos todos de braços cruzados esperando mais uma vez que o trator passe impiedosamente sobre todos nos.
    Uma vez, que todos tapem os olhos para a barbárie como esta, colaboram para a sucatização da educação.
    ” O cheiro do dinheiro compra tudo e a todos”, na medida em que o sindicato representante de uma categoria como a nossa encontra-se inerte, enquanto o Governo promete bônus para os professores que fizerem a prova do Processo Seletivo, é justo ?
    O cometário não é de magoa é de revolta, vendo uma categoria inteira sendo marginalizada e se preocupando individualmente.


  215. Me desculpe professor, mas concordo plenamente com a negrinha. Nada contra o site, mas uma vez que é visitado 500 vezes por dia, poderia ter essa atitude de informar, mas também de unir professores e sim , o maior número possível para uma paralisação geral. Acredito que com a força do site e a revolta dos professores, que podemos dizer, nessas alturas, não tem muito a perder, poderíamos sim nos unir e fazer uma greve e mostrar para esse SERRA que ele precisa de nós.


  216. em 1 novembro 2009 às 16:50 Renata Crepaldi

    Olá, Sou PEBII de Biologia categoria L e gostaria de saber se algum colega que passou da categoria F para a L entrou na justiça e ganhou a causa.
    Pois se tiver me fala, nome do colega e do advogado por favor.
    Grata


  217. em 1 novembro 2009 às 17:14 professortemporario

    Negrinha

    Entendemos seu ponto de vista. Temos discutido nesse site diversas questões de sucateamento do ensino, como estrutura curricular, progressão continuada, o projeto de lei complementar 29, que foi aprovado como lei e vai acabar com qualquer possibilidade de promoção entre os professores.

    No entanto, como professores que vivenciamos a realidade em nossas escolas, percebemos que vários de nossos “colegas” se comportam de uma maneira que deprecia muito a categoria. São pessoas que não deveriam ser chamadas de professores, que em vez de enfrentar os problemas de sua realidade (sabemos o quanto é difícil) acabam acomodados. Muitos tem a cara de pau de assumir uma atribuição de aulas no Estado em um dia, entrar com licença médica no outro e continuar lecionando na rede particular, como se o aluno do Estado fosse menos importante.

    Por essa razão, dentro da ideia de quem não deve não teme, somos favoráveis a avaliação dos professores sim, justamente para impedir que esse tipo de gente continue “ensinando”.

    Temos que lutar e pressionar o Estado pela realização do concurso público, nos termos da lei 1093, pois não é possível aceitar que uma rede pública funcione com 43% de seu efetivo de professores formado por temporários, que mudam de escola todos os anos. Não há como continuar nenhum trabalho.

    Sobre o sindicato, preferimos nem comentar, pois não temos nenhuma vinculação aos mesmos e também temos restrições às suas condutas.

    Entendemos a greve como um instrumento de luta e que deve ser utilizado com sabedoria. Fazer greve por fazer, ou para ficar em casa assistindo TV, ou ainda para fazer passeata na capital não é a solução. Melhor seria mobilizar as ações nas portas das escolas, promovendo esclarecimento à população, que tem uma opinião contrária aos professores e sempre é prejudicada nas greves.

    Se 2010 é ano eleitoral, façamos da escola um espaço de discussão sobre a política educacional, apontando os defeitos do sistema às comunidades, para que percebam a ilusão em que estão imersas


  218. em 1 novembro 2009 às 17:29 professortemporario

    Jaciara

    o governo precisa dos professores. Tanto é que ele convocou os OFA F pela resolução 73 simplesmente porque depois das mudanças não existia mais professores para substituir os afastamentos da rotina escolar e isso estava causando problemas.

    Podemos pensar em uma mobilização, mas percebemos que o governo atacou diretamente o ponto mais fraco da categoria, que é colocá-la entre o direito e o ideal.

    Se nenhum professor F em interrupção tivesse assumido suas funções, o sistema teria problemas, pois não haveria como substituir as ausências. Mas, ao colocar que o professor que não assumisse abriria mão do seu direito conquistado por seu tempo de serviço, o que podemos fazer?

    Insistimos: Temos que usar a escola para fazer essa discussão entre professores e principalmente com a comunidade. Em vez de criticarmos os alunos indisciplinados de nossas escolas nos conselhos da vida, poderíamos demonstrar a população a verdade sobre a política educacional do governo.

    Se não fizermos isso, a situação vai piorar muito, pois temos alertado que a estratégia do governo é fazer uma propaganda de que está investindo na educação e pagando bônus de R$ 15.000,00 aos professores, enquanto induz a mesma população a pensar que os professores são incapazes de lecionar e não compreendem os seus filhos.

    Nesse sentido, uma greve mal planejada só reforçaria a posição do Estado


  219. em 2 novembro 2009 às 14:38 andreia da silva

    Olá gostaria que esclarecesse minha dúvida sou professora efetiva municipal no interior de São Paulo e desde 01 de abril /2009 sou professora temporaria pela CLT, pago INSS, tenho uma outra sala, enfim trabalho 10 horas semanais, durante esse tempo engravidei e meu contrato temporario termina no dia 23 de dezembro. Quero saber se tenho direito de receber minha licença maternidade do serviço temporário pelo INSS ou se meu direito é apenas a licença maternidade do cargo efetivo. Obrigada e aguardo resposta


  220. Oi boa noite!
    Já estive neste site anteriormente, e simplesmente adoro!! Gosto dos comentários e das repostas que são oferecidas à todas pessoas inteligentes que compreendem e de certa forma até entendem a decisão do governo do estado de São Paulo para a atribuição de aulas em 2010. Minha opinião sobre esses comentários anteriores é triste, pois acredito que muito professsor está “com medo” do processo seletivo, medo pra que? Gente, é questão de capacidade, força de vontade, determinação. Eu, que sou iniciante, simplismente adorei, pois assim terei muito mais chances de conseguir aulas no próximo ano. Agora os professores que estão com medo, ao invés de se manifestar deveriam usar esse tempo para estudar e estar preparados para a prova!! Ah! lembrando que as incrições para o processo seletivo começam amanhã 03/11 até 20/11 feitas por cada professor no site da Vunesp. Boa sorte à todos!!!


  221. oi sou professor desde 2004, dei aula em 2005,2006,2007 e em 2008 eu foi internado em maio e me fizeram asinar a dispença das aulas em setembro, mandaram minha mãe me levar na clinica onde eu estgava e assinei, neste ano de 2009 eu peguei aula livre ja na primeira atribuição no dia 16 de fevereiro de 2009, me disseram que eu sou categoria L , eu gostaria de saber se não tem nada que eu posa fazer para voltar a categoria F


  222. Olá, peguei aula como act nos anos de 2004 2005 2006 só q a minha dispensa foi no começa de 2007. Depois só retornei a pegar aula no mes de julho de 2007. Neste caso, minha categoria é L pq fui dispensada? ou permaneço na f, pq antes de 2007 tive aula atribuida?


  223. em 3 novembro 2009 às 19:36 professortemporario

    Andréia

    Entendemos que no seu contrato por prazo determinado, dentro das regras da CLT, você tem direito á licença maternidade até a data do vencimento do mesmo. Se fosse um contrato por tempo indeterminado, a situação seria diferente.


  224. em 3 novembro 2009 às 20:17 professortemporario

    João mariano

    Seu caso só será resolvido na justiça. Converse com um advogado, pois o fato de ter assinado a desistência no leito de hospital em nosso entendimento é motivo para invalidar esse ato, já que como internado você não estaria em condições de assinar.


  225. em 3 novembro 2009 às 20:39 professortemporario

    Renata

    Se sua dispensa ocorreu antes de junho de 2007, o Estado entende que você passou para L


  226. Olá professor !!! Você tem ideia da data do processo seletivo?? Tenho um compromisso a muito tempo marcado que será fora do meu estado na primeira semana de dezembro (do dia 29/11 até 06/12) estou muito preocupada com essa data. Oficialmente não saiu nada, mas você tem alguma informação a respeito!
    Grata!!!


  227. Ao fazer a inscrição esqueci de imprimir o protocolo final, onde aparece “IMPRIMIR”. Não tenho o comprovante de inscrição!
    Como reverter esse problema?
    Um abração:
    PROF. JOSUÉ


  228. Olá professor temporário!
    Sou professora do ensino fundamental (5º ano) Municipal, temos a partir do mês de agosto um plano de carreira, isso quer dizer que recebemos através do plano de carreira.
    Pelo plano de carreira lecionamos 20 horas semanais mais duas horas de HTPC por semana, no total recebemos por 30 horas semanais. Nesses últimos meses houve alguns feriados na segunda-feira e fazemos o HTPC na segunda-feira, portanto nesses dias de feriado não fizemos.
    O setor financeiro da prefeitura não quer pagar esses dias de HTPC, porque alega que não fizemos.
    Quero saber, se de acordo com o plano de carreira, nós os envolvidos, temos o direito de receber normalamente, já que não tivemos culpa do feriado cair justamente no dia do HTPC.


  229. Lucivelo!!!
    Como ficará minha situação… tinha licenciatura curta quando entrei para o Estado (2003) .Conclui a licenciatura plena em Letras( Dezembro de 2006), mas minha portaria estava como Peb I e continua ate hoje. Eles alegam que pertenço a categoria F, por ter pego aula de Filosofia ( correlatas até entao).A pergunta é:
    * – Tenho o direito de mudar meu cadastro para Peb II sem perder o vínculo e continuar na categoria F , uma vez que havia vinculo desde 2006 , mesmo que fosse pelas correlatas/160 horas ) em Filosofia?


  230. :
    * – Tenho o direito de mudar meu cadastro para Peb II sem perder o vínculo e continuar na categoria F , uma vez que havia vinculo desde 2006 , mesmo que fosse pelas correlatas/160 horas ) em Filosofia?


  231. Sou professora do ensino fundamental no ( 5º ano) e recebemos por plano de carreira, no qual estabelece 20 horas semanais mais 2 horas de HTPC por semana, totalizando 30 horas semanais.
    Nesses últimos meses tem ocorrido feriado nas segundas-feira, dia em que fazemos o HTPC. Então não temos feito o HTPC, por motivo do feriado ter caído na segunda.
    O setor financeiro da prefeitura municipal, alega que não fizemos o HTPC e por isso não pagará as 30 horas em que o feriado caiu na segunda.
    Nós os professores efetivos temos o direito de receber as 30 horas na semana do feriado?


  232. ola pessoal.
    Gostaria de saber se posso dar aulas no estado como professor temporário, pois já trabalho em uma prefeitura na área administrativa.
    Por favor, me respondam.
    è acúmulo ilegal de cargo público???


  233. CARO COLEGA,POR FAVOR VCS PODERIA ME AJUDAR eu estava conversando com uma colega que trabalha na secretaria da educação e ela me passou esse conteudo que iria cair na prova do concurso p/a professor,resolução SE – 80 de 03-11-2009 relação de conteúdos gerais e específicos Saiu no Diário Oficial Volume 119 – número 205 – quarta-feira, 4 de novembro de 2009 *É o Diário Oficial do Estado, onde tem toda a bibliografia para a prova, alguém de vcs poderia m me ajudar me passar o site que tem toda a biografia da prova,se alguém poder me ajudar eu agradeço…….Aguardo resposta


  234. Professor temporário, preciso de ajuda, mas sou professora efetiva.
    Sou professora do ensino fundamental pelo município e recebo meu salário pela prefeitura. Aqui em minha cidade temos um plano de carreira, no qual todos os professores municipais recebem por esse plano que começou a vigorar desde agosto. então recebemos por 20 horas semanais mais 2 horas de HTPC por semana, totalizando 30 horas semanais.
    Faço o HTPC na segunda-feira e os últimos feriados caíram nas segundas, portanto não fiz HTPC nesses dias de feriado.
    O setor financeiro da prefeitura, não quer pagar as 30 horas semanais na semana que ocorreu o feriado.
    Quero saber se tenho direito de receber as 30 horas semanais. Espero por resposta.


  235. Eliane Miriam, o site da Diretoria de Ensino de São Vicente publicou a bibliografia que saiu no Diario Oficial. O site é : http://www.dersv.com


  236. em 5 novembro 2009 às 21:18 professortemporario

    Daniela

    Está previsto para 13 de dezembro


  237. em 5 novembro 2009 às 21:45 professortemporario

    Lu

    Vocês têm direito a receber esses dias, pois da mesma maneira que nos recessos escolares e férias, os feriados nacionais e pontos facultativos determinados pelo município são abonados. Os dias de emenda devem ser compensados, ou em sábados letivos, ou com a extensão do calendário do mês de dezembro, dentro 200 dias letivos.

    Assim, procure o Ministério Público do Trabalho e apresente uma denúncia


  238. em 5 novembro 2009 às 22:04 professortemporario

    Gustavo

    Sim. É acúmulo ilegal uma pessoa trabalhar como secretário de escola numa rede estadual, por exemplo, e lecionar como professor em uma rede municipal


  239. em 5 novembro 2009 às 22:41 Patrícia Gabriel

    Sou professora na rede pública de ensino desde 1997, este ano deixei de ministrar aulas a partir de setembro por problemas pessoais. Em que categoria me enquadro?


  240. em 5 novembro 2009 às 22:49 professortemporario

    patrícia Gabriel

    Se sua saída foi á pedido, você foi dispensada pelo artigo 35 da lei 500/74 e por isso perdeu seus direitos da categoria F. Nesse caso, você seria regulada pela lei 1093 (desde que se inscreva na D.E. e na vunesp e passe na prova)


  241. Sou professora municipal contratada há seis anos, todos os anos tenho que fazer prova seletiva e no final do ano finaliza o contrato com direitos a receber FGTS e recisão, mas não tenho direitos a abonadas e 10% de Curso Superior de Pedagogia.
    Ouvi dizer que existe outro tipo de contrato, onde o professor tem esses direitos, mas não recebem o FGTS na recisão de contrato, isso é verdade?
    Outra dúvida também é quanto a contagem de pontos, a secretaria diz que é contra a lei contar pontos de tempo de serviço e concursos que já passei, mas não fui chamada devido a classificação, somente serão contados à partir de quando eu me efetivar. Mas existe uma cidade próxima a minha que os professores que estão na rede tem tantos pontos que os de outras cidades ou os novos professores não conseguem entrar, como é possivel isso? Me exclareçam, por favor.
    Obrigada.


  242. em 6 novembro 2009 às 15:06 professortemporario

    Maria

    Existem prefeituras que contratam professores temporários em contratos indeterminados, com direito à rescisão de contrato, FGTS, férias, 13º. Mas também existem prefeituras que contrata sem registro em carteira, sem o recolhimento do FGTS, em contrato por prazo determinado para o fim do ano letivo. Nesse caso, o professor recebe apenas às férias e o 13º proporcionais, a título de rescisão.

    No nosso entendimento, a primeira situação é normal e a segunda, embora frequente, é ilegal

    A contagem de pontos deve considerar a titulação e o tempo de serviço para os efetivos e a classificação no último concurso e o tempo de serviço para os temporários, sendo que nos dois casos o tempo de serviço só considera o tempo exercido na rede, independentemente se exercido como temporário ou efetivo


  243. Profº

    Estou indignada com o meu pagamento, desde março começei a ministrar aulas no estado, mas o que acontece e que eu perco as aulas na escola e vou para a atribuição em outra escola e o meu pagamento demora muito para vir. Ministrei aulas em uma escola em Agosto e Setembro substituindo uma professor efetiva, e até agora não recebi. Quando vem o horelith, o desconto é enorme principalmente o imposto de renda na fonte. Por favor oriente-me , o que devo fazer?


  244. Olá Professortemporário,

    O que é eventuar regularmente segundo essa nova lei, pois fiquei na categoria S e lá diz que poderei eventuar regularmente. Obrigada.


  245. em 8 novembro 2009 às 23:58 professortemporario

    Helo

    No seu caso, seria interessante entrar com uma solicitação por escrito na secretaria de sua escola questionando justamente a razão dessa demora. Depois, com a resposta dada seria possível até abrir um processo administrativo contra os funcionários que eventualmente tenham trabalhado mal…


  246. em 9 novembro 2009 às 00:16 professortemporario

    Mary

    Pelo que entendemos, o contrato de substituição eventual será realizado pela escola com o professor, se a escola comprovar a urgência e a necessidade para isso. Nesse caso, o professor teria um vínculo trabalhista e teria direito à férias e 13º proporcionais e receberia como vencimento às aulas que ministrasse em substituição ao titular, mas teria que cumprir os 200 dias de gancho ao fim do ano letivo e não poderia assumir aulas em atribuição.


  247. Olá Profº

    Gostaria de saber se tenho direito a receber férias, pois há três anos não recebo férias na escola e na DE dizem que eu não tenho, peguei aulas em maio do ano passado e não perdi o vínculo. Pelas minhas contas eu trabalhei 212 dias em 2008, e não recebi nem o bônus. Sou categoria F. Por favor como devo proceder.
    Obrigada.

    Helo!


  248. Boa noite, gostaria de uma informação, eu saí de um emprego, bom, fui mandada embora, e fui contrata na prefeitura, tenho direito de receber o seguro desemprego do antigo emprego, e posso “quebrar” o contrato, ou seja agora não quero mais dar aulas, posso desistir, pois quero receber o seguro desemprego?
    Muito obrigada.


  249. Olá professor,

    Atribuiram na escola aulas de filosofia e sociologia para mim, porém sou faixa V das duas matérias, visto que com essa nova lei que o governou implantou para categoria F, as aulas minhas foram tiradas de mim alegando que não foi atribuida na D. E. no entanto trabalhei o ano todo só agora veio tira-las, alias estavam atribuidas para mim, isso foi erro de secretário.

    OBS: sou categoria L

    Gostaria de saber se posso fazer algo para regupera-las, estou super nervosa afinal perdi 15 aulas por semana.


  250. em 14 novembro 2009 às 02:07 Tania Ruivo da Luz

    Olá gostaria de saber quais as razões que não criaram ainda uma projeto de lei de iniciativa popular para reverter essa situação ilegal em que os professores contratados estão submetidos?
    Praticamente não vejo os professores questionando essa situação, a pouco tempo atrás estava pensando ” é muito melhor voltar a trabalhar no meu antigo emprego com direitos garantidos do que trabalhar como docente”. É muito triste essa situação, sinto-me reduzida a nada, estamos desprovidos completamente dos nossos direitos fundamentais, férias remuneradas, FGTS etc. Trabalho a um ano, acabei de me formar, mas, não trabalho por dinheiro, trabalho por amor, embora nem o amor aguente tanto desprestigio e negligência.
    Quero ver o que acontece se todos se juntarem, está na hora de acabar com o medo e fazer alguma coisa, existe MP ( ministério publico) pra quê é pra denunciar ilegalidade.
    A dignidade do ser humano não está no dinheiro mas no que ele conquista e faz no dia a dia.


  251. gostaria de saber como sei que categoria pertenço ? qual é o site ?


  252. em 14 novembro 2009 às 17:30 professortemporario

    Vivi

    Acreditamos que sim. Mas, por via das dúvidas, ao se apresentar na Caixa para sacar o benefício, apresente sua carteira de trabalho, mas não mencione que estava trabalhando em outro serviço


  253. em 14 novembro 2009 às 17:33 professortemporario

    Michele
    É preciso saber se burocraticamente essas aulas lhe foram atribuídas por um determinado período, que tenha sido prorrogado ao longo do ano. Nesse caso, a prorrogação era automática para quem já estava com as aulas, mas depois da resolução 73 até essas prorrogações passaram aos professores F convocados no dia 30


  254. em 14 novembro 2009 às 17:40 professortemporario

    Tania

    A coisa é mais complicada… Na realidade, a situação do professor OFA de São Paulo era absolutamente ilegal, antes mesmo dessas novas leis. Pela Constituição, todo funcionário público só pode ser admitido pelo concurso público de provas e títulos e apenas em casos emergenciais admite-se a contratação temporária sem o concurso.

    Ocorre que atualmente, mais de 40% dos professores da rede estadual não são concursados e efetivos. Assim, como um projeto de lei de iniciativa popular exige uma grande quantidade de assinaturas (1 milhão) e a situação anterior era ilegal…


  255. em 14 novembro 2009 às 17:46 professortemporario

    Professora

    Leia nosso artigo “a caixa preta da educação”


  256. Olá gostaria de saber referente ao termos do artigo 4º da Res SE 73/2009 de 21/10/2009, que se trata de professores da categoria F que estão com número inferior a 20 (vinte) aulas. No caso o professor é obrigado a completar as tais 20 (vinte) aulas, e aos professores que se encontram em licença-saúde poderão participar dessas atribuições no que se refere este artigo, desde já agradeço.


  257. Sou profesora responsável pela sala de leitura, um projeto novo do estado que seleciona os professores por perfil,é escolhido pelo diretor, supervisor, coordenador pedagógico depois de passsar por entrevista e entregar projeto de trabalho, caso não passe tb não poderei continuar na sala de leitura?


  258. em 16 novembro 2009 às 20:20 professortemporario

    Gisele

    Sim. Se não passar não poderá participar nem mesmo de projetos


  259. em 20 novembro 2009 às 10:01 ROSANGELA MARILENE BARATA

    Primeiramente, este site merece parabenização pelo incentivo e esclarecimentos, que em regra, nós, professores, não conseguimos obter!
    Minha dúvida – apesar de ter lido atentamente todas as indagações e respostas aqui já postadas – é a que segue.
    1- Em dezembro/2.006 inscrevi-me na DE; em março/2.007 dei aulas eventuais; atribuição foi-me dada em 25/7/2007 para começar em 01/8/07, o que foi feito.
    2- Dai por diante, permaneci na rede de ensino como PEB II com aulas atribuídas.
    3- Em meu hollerith consta como PEB II, F /06409, na categoria “admitido lei 500/74 – RGPS.

    Se sou “F”, assim constando no hollerith, poderia estar enquadrada como “L” por mero lapso do Governo? Ou o que ‘manda’ é o hollerith?
    Grata
    Rosangela


  260. Olá professor, em junho de 2007 eu tinha aulas atribuídas, mas como era em caráter exepcional a escola disse que eu teria que pedir dispensa e fazer uma nova “portaria” para sair dessa situação, na época não me informei e acabei fazendo isso, ou seja, me tornei categoria L, sendo que eu ministro aulas desde 2005!!! O Sr. acha que eu conseguiria mudar essa situação, entrar com um recurso ou algo assim? E eu sendo categoria L (estou com aulas livres esse ano 2009 desde fevereiro) tenho uma certa “estabilidade” até 2011. Mas e se eu não passar no processo seletivo o que ocorrerá, também tenho direito aquelas 10 aulas? Grata, DANIELA


  261. em 20 novembro 2009 às 13:10 professortemporario

    Rosângela

    Por ter sido contratada pela lei 500/74 em julho de 2007, você pertence á categoria L. O tempo de serviço como eventual não contra nesse caso


  262. Olá!

    Sou professor temporário do município de São José, Santa Catarina. Tenho carteira assinada desde março de 2009 e estou para ser demitido agora em dezembro (final do ano letivo). Gostaria de saber se tenho o direito de receber pelos meses de janeiro e fevereiro do próximo ano (período de férias escolares).

    Desde já, agradeço.


  263. em 20 novembro 2009 às 18:06 professortemporario

    Edson

    Depende da maneira como foi celebrado o seu contrato. Se foi um contrato por prazo determinado, você tem direito a uma indenização que contém os valor das férias e do 13º proporcionais ao período trabalhado, além de ter o direito de sacar o FGTS acumulado, sem a multa dos 40%, pois o contrato tinha validade. Se foi um contrato por prazo indeterminado, você tem todos os direitos anteriores, mas a multa dos 40% sobre o valor do saldo do FGTS depositado


  264. Pessoal,

    Estava atras de um site no google que me informasse sobre a bibliografia que vai cair na prova do OFA a ser realizado em 13 e 20 de dezembro. Achai o maximo este blog. o único que me alivou e me esclareceu algumas duvidas.
    Sou formada em Pedagogia e vou fazer a prova do OFA pela segunda vez. É tudo muito confuso essa coisa de inscrição. Mas lendo a gente consegue eliminar as dúvidas.
    Também tenho em mãos a prova de dezembro 2008 uma amiga me arrumou ela disse que tirou do site da educação, mas eu mesmo nao consegui ver esta prova lá.
    Obrigada a todos.


  265. em 22 novembro 2009 às 22:38 professortemporario

    Jane

    A bibliografia da prova deste ano é mais extensa que a do ano passado.


  266. em 23 novembro 2009 às 17:51 Daniela Morales

    Olá,
    recentemente a governadora do estado do Rio Grande do Sul encaminhou um projeto de aumento do salário dos servidores.
    A partir de 2010 um professor com 40 hrs passará a ganhar 1.500,00 e 750,00 para 20 hrs.
    Gostaria de saber se esses valores, necessariamente, seriam somente para professores concursados.
    Professores temporários que serão chamados, para o próximo ano letivo, ainda receberiam o salário antigo?
    Obrigada


  267. Olá, a 8 anos atrás fiz um processo seletivo em minha cidade para a contratação de novos professores…pois bem, fazem 8 anos q trabalho na educação e sempre como contratada. O contrato que assinei qd fui contratada era referente a constituição de 88. 8 anos de passaram e continuo na rede como contratada, sem nunca ter assinado um novo contrato.
    De acordo com a constituição da época, ela me garante estabilidade?


  268. Gostaria de saber se é possível, com 50% do curso de Pedagogia ser eventual….Como funciona…Obrigada.


  269. em 23 novembro 2009 às 21:45 professortemporario

    Daniela

    De acordo com o princípio constitucional da Isonomia, não se pode pagar salários diferentes para quem realiza a mesma função. Por essa lógica, professores efetivos e temporários devem receber salários idênticos.

    Entretanto, essa isonomia se refere ao salário base, que é calculado pelo valor da hora-aula.

    Ocorre que os Estados e municípios usam a estratégia de aumentar salários por meio de incorporação de gratificações, que são específicas aos efetivos.

    Assim, se o projeto de lei reajustar o valor da hora aula, o aumento será para todos. Se criar uma nova gratificação, será apenas para os efetivos que tem direito à mesma


  270. em 23 novembro 2009 às 22:05 professortemporario

    Rosana

    A estabilidade da constituição de 1988 foi conferida somente aos funcionários que estavam em exercício antes de sua publicação.


  271. em 23 novembro 2009 às 22:07 professortemporario

    Denise

    Até é possível, ma improvável.

    O estudante só conseguiria assumir aulas em contratos pela lei 1093 se não houvesse nenhum professor formado disponível


  272. Como vou ficar sabendo o local da prova? É pelo site da vunesp ou da diretoria de ensino?


  273. em 26 novembro 2009 às 12:17 LUIZ SERGIO PIORNEDO

    Trabalho em um Escritorio de Contabilidade, a minha duvida é com respeito ao 13º salario e as férias, entrei para trabalhar em 09/03/2009 para fazer somente o Imposto de Renda Pessoa Fisica com Salário de R$ 1.050,00 mais VT e VR, e acabaram ficando comigo, fiquei sem registro até 31/08/2009 uma parte por opção minha em razão de estar recebendo parcelas do Seguro Desemprego outra por opção do Contador e em 01/09/2009 fui registrado com Salario de R$ 930,00 mais a diferença para chegar a R$ 1.050,00 líquidos mais VT e VR e estou até hoje dia 26/11/2009. Mas como disse antes a minha dúvida é com relação ao 13º Salario e as férias, durante esse periodo sem registro recebi o salario normalmente, assinando recibos como prestação de serviços. A pergunta é a seguinte: Eu tenho direito ao 13º salario e as férias proporcionais do periodo sem registro ????????? Ou seja do periodo que fiquei sem registro na CTPS ????? Do periodo registrado eu sei que tenho direito!!!!! E mais, não fiz nenhum acordo alem disso!!! Abraços!!!!


  274. em 26 novembro 2009 às 18:18 professortemporario

    Luiz Sérgio

    Interessante essa sua situação. Oficialmente, você não tem direito a receber férias e 13º referentes aos período em que trabalhou sem o registro em carteira. Isso simplesmente porque essa situação não existe; é ilegal. Você até teria esse direito se o requeresse na justiça, ou mesmo fizesse uma reclamação no ministério do trabalho, mas, como você recebeu durante esse período o seguro desemprego, sem estar desempregado, o tiro sairia pela culatra. Com essa reclamação a empresa seria provavelmente multada e obrigada a pagar todos os seus direitos (provavelmente eles o demitiriam depois disso…), mas você poderia até ser processado por ter recebido o benefício do seguro desemprego ilegalmente.

    Talvez, a única saída seja conversar com a empresa e tentar um acordo. Tem gente que contrata sem registro em carteira mas costuma pagar todos os direitos como se a pessoa tivesse registro.

    Lembramos que esse acordo é puramente verbal, pois essa situação de tão irregular que é jamais deveria ser descrita em um contrato escrito…


  275. em 27 novembro 2009 às 09:32 LUIZ SERGIO PIORNEDO

    Muito obrigado pela orientação. Valeu muito suas explicações.

    Abraços!!!


  276. Olá!

    Sou professor temporário do município de São José, Santa Catarina. Como da primeira vez que aqui escrevi não consegui formular corretamente minha pergunta, tentarei fazê-lo agora. Por favor, a resposta a esta pergunta é muito importante, pois nem mesmo o sindicato dos professores (municipais) de minha cidade sabe respondê-la, o que está gerando muita preocupação entre os professores (o registro em carteira do professor temporário começou este ano (2009), até então o que tínhamos era apenas um contrato).

    Tenho carteira assinada desde março de 2009 e estou para ser demitido agora em dezembro , dado que meu contrato é por prazo determinado (“até o final do ano letivo”). Gostaria de saber se tenho o direito de receber pelos meses de janeiro e fevereiro do próximo ano (período de férias escolares), conforme o parágrafo 3 do artigo 322 da CLT:

    Art. 322. No período de exames e no de férias escolares, é assegurado aos professores o pagamento, na mesma periodicidade contratual, da remuneração por eles percebida, na conformidade dos horários, durante o período de aulas (red. L. 9.013/95).

    § 3º Na hipótese de dispensa sem justa causa, ao término do ano letivo ou no curso das férias escolares, é assegurado ao professor o pagamento a que se refere o caput deste artigo (red. L. 9.013/95).

    A outra dúvida que tenho (e que o sindicato também não sabe responder) é: Serei demitido em dezembro, farei novamente a prova para ingresso de acts e serei recontratado em fevereiro. A buRRocracia municipal, assim, dará baixa na minha carteira de trabalho em dezembro e voltará a me contratar em fevereiro. Como funciona isso juridicamente?

    Desde já, agradeço.


  277. Boa tarde!

    Muito bom este resumo e as dicas para estudo.

    Estou bastante feliz que a categoria está se unindo para estudos.

    Beijos,

    Carla


  278. em 29 novembro 2009 às 01:18 professortemporario

    Edson

    A sua prefeitura está se utilizando de uma brecha (na verdade uma valeta) aberta na constituição federal em 1998 com a Emenda 19.
    No entanto, entendemos essa sua situação como ilegal e recomendamos que procure um advogado trabalhista (de preferência desvinculado de sindicato) para fazer uma consulta.

    Acreditamos que esses argumentos da CLT sejam suficientes para fundamentar alguma ação.

    Juridicamente, a prefeitura de São José (SC) está se utilizando da contratação em caráter emergencial. Mas, por essas regras, os contratos não podem ser renovados por mais que um ano consecutivo. Assim, percebe-se: a situação está toda errada e por isso deve ser questionada judicialmente


  279. em 29 novembro 2009 às 10:19 Camilla Iachella

    Olá professortemporario,

    Gostaria de saber se professor eventual tem direito ao 13º salário proporcional aos meses trabalhados.


  280. em 29 novembro 2009 às 13:11 professortemporario

    Camila

    Pela lei 1093 sim


  281. Po favor solicito se possivel esclarecimento a respeito da categoria-F e L.. No meu demonstrativo de pagamento mensal (holerith) está bem visivel:ADMITIDO LEI 500/74-R.G.P.S- e no mesmo demonstrativo sobre cargo e função esta assim: F/06409-PROFESSOR EDUCAÇÃO BASICA II….e hoje estando eu na secretaria da minha escola fui informado que a minha categoria é L.Logo após essa mesma secretaria fez uma consulta no DRHU e la esta assim:
    PV : 06 EX UCD/SUB: 04/701 C/F: 6409
    CAT: L PADR: 002A EXERCICIO 13?02?08
    SIT-ATIVO.
    Pergunta: No demonstrativo de pagamento consta uma coisa (ver acima) e na pesquisa do DRHU outra: Qual está certo, e com0o devo proceder? Preciso urgente dessa informação.
    Grato


  282. Eu queria uma “orientação”, se achares que tenho razão vou a cata de um advogado que compre esta briga… Eu passei em 17a colocada no concurso (edital de 2005) pra professor do estado do RS, podes conferir neste link: http://www.educacao.rs.gov.br/pse/html/conc_magisterio.jsp?ACAO=acao1.

    No edital dizia que a validade do concurso era de 2 anos podendo ser renovaveis por mais 2 (2007-2009). O fato é que a governadora não renovou, o concurso perdeu a validade em 2007, com a justificativa que faria outro concurso mais “completo” em 2008 – e até agora não fez… se fosse renovado valeria até setembro de 2009. Isso podes ver neste outro link: http://www.estado.rs.gov.br/direciona.php?key=Y2FwYT0xJmludD1ub3RpY2lhJm5vdGlkPTYxMjk3.

    Para biologia, no edital havia uma vaga e mais cadastro de reserva. Venceu a data do concurso e não chamaram nem a1a colocada que era uma colega minha, ela colocou na justiça e ganhou sua nomeação. Depois dela, todos os demais aprovados foram chamados para “contratos” emergenciais, inclusive eu, fui chamada em agosto e comecei em setembro e o contrato é por tempo indeterminado, ate qdo as escolas precisarem… a hora que não precisarem simplesmente rompem o contrato.

    O que eu queria saber é se isso é legal e se existe alguma forma de recorrer exigindo a posse ao invés da contratação… acho isso injusto pois se tu fez um concurso tu tens expectativa que te chamem pelo menos enquanto o concurso é valido e não realizam outro… se te chamam, significa que há carência, uma das escolas que vou trabalhar tem uma turma de 1o ano do 2o grau que esta sem biologia desde março!

    Bom, aguardo tua resposta…


  283. em 1 dezembro 2009 às 07:58 professortemporario

    Rita

    Essa prática é muito comum entre prefeituras e alguns Estados, mas não deixa de ser ilegal. Como se trata de uma coisa mais abrangente, recomendamos que você formule uma denúncia ao Ministério Público, da maneira mais detalhada que puder. Você pode até procurar um advogado, mas acreditamos que seja uma ação mais difícil, já que o fato do concurso não ter sido prorrogado não é necessariamente irregular. O que é irregular é não fazer outro e insistir na contratação emergencial.

    Em nosso artigo “Como reagir em segurança” você encontrará instruções detalhadas e um link para a página do ministério público federal, pra fazer sua denúncia. (Para fazê-la, você tem que se identificar)


  284. Muito obrigada pela dica, certamente irei seguir os passos indicados. Parabéns pelo trabalho, adorei o site… muito útil, bem elaborado e com respostas rápidas, parabéns!


  285. olá, trabalhei doze anos o Estado, porém tive que me afastar da funçao por questão de distância e salarial,pois moro em Diadema e trabalhava no Grajaú, além disso só tinha seis aulas. Portanto decidi declinar porque não tinha dinheiro para a condução.
    Enfim, não pude participar das atribuições e retornei agora em 2009, gostaria de saber omo fica minha situação, não tenho mais direito nenhum? E os meus quinquinios perdi o direito? qual será a minha categoria?


  286. em 2 dezembro 2009 às 20:52 professortemporario

    Ivanete

    A classificação dos aprovados no processo considerará o tempo de serviço do professor, com até 80 pontos para quem tem os 27 anos de serviço. Assim, se você conseguir uma pontuação de 60 na prova e tiver 12 anos de serviço, terá uma pontuação final próxima de 100 pontos e será classificada por essa pontuação


  287. estou no estado desde 1998, no entanto sou considerada L , por infelicidade naquele periodo eu estava sem vinculo no estado…Isso é uma calamidade!
    É inaceitavel q um professor tenha q passar por isso…por incompetencias maiores…gostaria de saber se existe alguma esperança para que isso mude …pretendo entrar com recurso para mudar minha categoria..Tenho chances? Há possibilidade dos incompetentes melhorarem a situaçao dos L, como por exemplo terem aulas garantidas tbem?
    obrigada


  288. em 4 dezembro 2009 às 13:09 professortemporario

    Elisete

    Se os “incompetentes’” a quem você se refere forem os professores F reprovados no processo seletivo, lembramos que quem forem reprovado será eliminado do processo (mesmo o F, que até poderá ter uma carga de 12 horas, mas sem a possibilidade de entrar em sala de aula).

    Se os “incompetentes” forem os servidores administrativos que erraram no seu caso, reiteramos que a situação será decidida na justiça


  289. Olá. Acabei de assinar um contrato com PMSP, fund.II. Meu nome saiu publicado , tudo direitinho, porém no dia que assinei o contrato uma professora esteve na DRE e disse que estava classificada numa posicao superior a minha e que a Diretora apesar de ter contatado ela anteriormente nao tinha publicado seu nome para contratacao. O que ocorreu de fato foi que ela foi convocada porem nao compareceu. Ela alegou que a direcao nao a avisou da publicacao, portanto ela desconhecia essa data. Minha duvida é a seguinte: há uma possibilidade dessa professora conseguir reverter essa situacao ( fui contratada dia 04/12 e ela deveria ter sido se tivesse comparecido dia 25/11), caso consiga como fica a minha situacao? Obrigada


  290. em 5 dezembro 2009 às 23:34 professortemporario

    Eliana

    Normalmente, atendendo a exigência da lei, as convocações de pessoas aprovadas em concurso para tomarem posse de seus cargos é publicada em diário oficial, boletim de município e até de jornal impresso de natureza comercial. Assim, a alegação dela não será aceita, a menos que a prefeitura de São Paulo simplesmente não tenha feito a publicação dessa convocação.

    Mesmo que isso viesse a ocorrer, você não seria prejudicada, pois por já ter tomado posse do cargo não se pode simplesmente desfazer o ato administrativo sem justificativa (apresentação de documento falso, por exemplo)


  291. Obrigada. Eu tenho so mais uma duvida, é um contrato de 01 ano ele pode ser rescindido por quais motivos?
    Obrigada novamente é otimo poder contar com vcs para nos orientar.
    abraços
    Eliana


  292. em 6 dezembro 2009 às 10:06 professortemporario

    Eliana

    Contrato de trabalho de professor na rede pública pode ser rescindido à pedido do contratado, por término de prazo determinado e por determinação do contratante, desde que haja falta grave ou acúmulo de faltas menores por parte do contratado.

    Assim, professor que bate no aluno, que ofende algum funcionário da escola, ou que chega sempre atrasado, ou ainda, que tem muitas faltas injustificadas; esse professor está passível de ser demitido, isso, se houver registro escrito dessas faltas.

    Se for uma falta grave, a única basta, desde que efetuado o processo com direito a ampla defesa. Se for uma sequência de faltas menores é preciso que exista um registro dessas por parte da escola e principalmente, um registro de que o professor foi advertido e orientado sobre as mesmas.

    Se a demissão ocorreu sem o respeito a esses protocolos, certamente cabe recurso na justiça do trabalho


  293. Muitissimo obrigada………. esse trabalho de vcs é excelente…..Parabéns


  294. Agora pertencendo a categoria F, tenho direito a licença prêmio, artigo 22 e sair de licença pelo artigo 202????


  295. em 7 dezembro 2009 às 22:32 professortemporario

    Márcia

    Boa pergunta! Vamos pesquisar


  296. Olá, sou professora temporária do estado de SC, que aprovou somente para efetivos a licença gestação de 6 meses, alegando que não é o estado que paga a licença e sim o INSS. No início de março vou ter meu filhinho. Gostaria de saber seu eu não tenho como recorer, afinal sou professora igual as outras e pretendo amamentar da mesma forma.
    Obrigada


  297. em 8 dezembro 2009 às 16:56 professortemporario

    Andréia

    Tudo depende de como se encerra o seu contrato. Se na sua rede os professores são contratados por prazo determinado e são dispensados ao fim do ano letivo, como demitida você não pode requerer essa licença. (É um absurdo, mas infelizmente muito comum) Mas, se o seu contrato é por tempo indeterminado e você recebe normalmente seu vencimento durantes as férias de janeiro, poderá sim entrar com essa licença.


  298. em 10 dezembro 2009 às 11:19 Leonardo COsta

    sou professor temporáio no DF, e tb não recebo fgts, e os demais beneficios dados aos efetivos…o que posso fazer?


  299. em 10 dezembro 2009 às 13:31 professortemporario

    Leonardo

    Comece procurando um advogado para estudar uma ação na justiça do trabalho, visando receber o FGTS


  300. em 11 dezembro 2009 às 05:31 Luana Tokunaga

    Olá !!Por favor gostaria de esclarecer uma duvida!!Eu trabalhei parao Estado no ano de 2006 e em 2007 !!Em 2008 vim para o Japao trabalhar.A diretora da escola a qual trabalhei disse que eu estou na categoria F.Como Não estou no Brasil minha mãe assinou um documento por mim!!A minha dúvida é Se eu voltar a dar aula eu continuo na categoria F? Muito obrigada!!


  301. em 11 dezembro 2009 às 09:53 professortemporario

    Luana

    De acordo com a resolução 73 você deveria estar cumprindo uma jornada de 12 horas na rede estadual desde 30 de outubro, sendo obrigada a permanecer na escola nessas horas e assumir qualquer saldo de aulas disponível, sob pena de ser desligada. Provavelmente, o documento que sua mãe assinou é o desligamento, pelo artigo 35 da lei 500/74

    Assim, se você não atendeu a essa resolução, você foi desligada e passou para uma categoria da lei 1093. Se não fizer a prova, você será eliminada do processo e não poderá lecionar no estado em 2010.


  302. em 11 dezembro 2009 às 21:33 Regina valieri

    REGIAN

    OLÁ EU FIZ DUAS INSCRIÇOES, UMA PARA CAMPO DE ATUAÇÃO PBII EDUCAÇÃO ESPECIAL E OUTRO CLASSE SEGUNDO A RESOLUÇÃO. POIS BEM FUI COMVOCADA PARA FAZER A PROVA O LOCAL E TUDO MAIS!!! PORÉM HOJE SAIU UM COMUNICADO QUE NÃO PODEREI FAZER A PROVA DE PBI. GOSTARIA DE UMA ORIENTAÇÃO POR FAVOR , EU NÃO ESTOU ENTENDENDO MAIS NADA E TEMO EM FICAR DESCLACIFICADA E SE FOR FAZER A PROVA.
    VOCÊS PODERIAM AJUDAR NESTE CASO?
    OBRIGADA!!!!


  303. em 11 dezembro 2009 às 21:35 Regina valieri

    REGIANA

    OLÁ EU FIZ DUAS INSCRIÇOES, UMA PARA CAMPO DE ATUAÇÃO PBII EDUCAÇÃO ESPECIAL E OUTRO CLASSE SEGUNDO A RESOLUÇÃO. POIS BEM FUI COMVOCADA PARA FAZER A PROVA O LOCAL E TUDO MAIS!!! PORÉM HOJE SAIU UM COMUNICADO QUE NÃO PODEREI FAZER A PROVA DE PBI. GOSTARIA DE UMA ORIENTAÇÃO POR FAVOR , EU NÃO ESTOU ENTENDENDO MAIS NADA E TEMO EM FICAR DESCLACIFICADA E SE FOR FAZER A PROVA.
    VOCÊS PODERIAM AJUDAR NESTE CASO?
    OBRIGADA!!!!


  304. Olá, professores:

    Para os que irão fazer prova no próximo domingo, boa sorte!Fiquem firmes e acreditem.Sempre é bom procurar ter uma boa noite de sono às vesperas da prova.Evitem não ficar apreensivos que tudo dará certo.No mais é muita fé em Deus e e muita tranquilidade.


  305. olá eu sou professora eventual, e pretendo ficar apenas como eventual. Tenho duas dúvidas, comecei a lecionar esse ano, tenho direito a 13º?
    A segunda é, seu eu não acertar os 40 pontos, não posso nem substituir o ano que vem?


  306. em 12 dezembro 2009 às 09:35 professortemporario

    Regina

    Se sua inscrição foi feita para PEB I você não pode ser impedida de fazer a Prova. Pode até ser impedida depois de assumir classe na atribuição, por não ter a formação exigida, mas ainda sim terá cumprido a determinação do Estado de fazer a prova. No seu caso, você será desclassificada se não fizer nenhuma das provas.

    Assim, confirme o local de sua prova e simplesmente compareça para fazê-la


  307. em 12 dezembro 2009 às 09:39 professortemporario

    Ci

    Pela nova regra o professor que faz a função de eventual tem direito ao 13º proporcional e ao reconhecimento de sua situação como contrato de trabalho. Mas, se esse professor não conseguir pelo menos 40 pontos na prova está eliminado


  308. em 12 dezembro 2009 às 23:50 Léia Ribeiro

    Estou aqui aflita, desorientada…totalmente nervosa…
    Que situacao, nem em concurso público ficamos dessa forma,
    Estou me sentindo a pior das imbecis…o que li, estudei está simplesmente dando vários nós em minha mente, que humilhacao, saber que nao dependerá somente de mim essa avaliacao…Como saber o que estudar, entre tantos livros em tao pouco tempo?
    Olha, somente amanha para descobrirmos como será a tao sombria avaliacao…E no dia 15 saberemos se mudaremos de profissao. Deixando para em 2009, longas lutas e superacoes de obstaculos.
    Enfim, me falta o sono…me falta o amparo…a angustia me domina.
    Até.


  309. em 13 dezembro 2009 às 00:25 Eliane miriam

    o amiga não fica assim não,deus vai nos ajudar a conseguir superar mais essa etapa estou confiante,procure não ficar ansiosa,os materias p/a estudar é da revolução, see 80,no site da diretoria de ensino de São vicente ta la toda a biografia p/a o concurso,se vc tivesse falado antes tinha te dado uma luz,mais confia em jesus e vamos entrar em sintonia com o pai la de cima que ele vai nos ajudar…..fique com Deus,,,,e uma boa prova p/a nós tds….bjsss


  310. em 13 dezembro 2009 às 14:06 Léia Ribeiro

    O que foi aquilo?
    A prova nAO estava díficil, mas bem confusa…
    Na escola que fiz a prova, muitos professores nao conseguiram fazer, com o fechamento dos portoes,td em funcao da chuva. De uma determinada sala foram dez ausentes, da minha 5. Uma loucura…O que será desses professores?
    Será que haverá mudancas?
    Agora só esperar o gabarito, longos dois dias de agonia…rrs


  311. em 13 dezembro 2009 às 15:31 Léia Ribeiro

    Pessoal, conversando com outras colegas de profissao, pudemos constatar que o número de ausentes foram muito maiores do que imaginamos. A situacao é muito séria, incluindo os professores que passaram mal durante a prova e que foram retirados da sala.
    O número de prejudicados será enorme, creio que realmente o SEE tomará alguma atitude.


  312. em 13 dezembro 2009 às 15:34 Elisete Duque

    Elisete

    Realmente…o que é aquilo? é o questionamento mais racional para esta prova.
    Na minha sala, também, muitos professores não apareceram, inclusive minha amiga que faria a prova na minha sala, não apareceu, fiquei preocupada, e liguei para ela, disse que estava no meio do caminho, com o transito parado, sem condições de sair para nenhum lugar, resultado perdeu a prova. Fiquei com muita pena, pois marcamos de nos encontrar na frente do local onde iriamos fazer a prova, e nada.
    E agora? Eles estavam em transito, mas não conseguiram chegar, por causa da chuva e de uma corrida que havia na cidade, enfim São Paulo estava um caos pela manhã, para quem resolveu sair de carro. Eu consegui chegar pois usei o metrô.


  313. OIIIIIIII, GOSTARIA DE SABE QUAL A POSSIBILIDADE DESSA PROVA ELIMINATÓRIA DE PEB1 E PEB 2 SER CANCELADA OU A ELA SER ATRIBUÍDA O CARÁTER CLASSIFICATÓRIO, E NÃO ELIMINATÓRIO,E MAIS, COMO JÁ ESTAMOS SABENDO DOS OCORRIDOS CASOS EM QUE ALGUNS PROFESSORES PASSARAM MAL DURANTE A PROVA E TIVERAM Q SER RETIRADOS, E A GRANDE QUANTIDADE DE AUSÊNCIAS, E TAMBÉ, SE COMEÇAR A FALTAR PROFESSORES, COMO É O CAS Q JÁ ESTAVA ACONTECENDO, O QUE VAI SER DA EDUCAÇÃO?????


  314. Na sala que fiquei também muitos ausentes!
    O pessoal que não conseguiu entrar ficou chutando o portão, gritando etc…uma banda começou seus ensaios no momento da prova,rs,mas depois pediram pra parar e respeitaram.
    A prova não estava das mais difíceis, mas também não estava fácil não, concordo que estava confusa! :(


  315. em 14 dezembro 2009 às 00:40 Eliane miriam

    Essa prova não estava dificil tbém facil não tava,muitop confusa,e muito extença,e muito pouco tempo p/a fazer,nem sei se eu se passei fiz a metade e o restante chutei pq não dava tempo nem de ler por causo do tempo que estava se esgotango,o que vamos fazer se não passarmos nessa prova o que será de nós,o meu deus que tristeza ja chorei tanto,e ainda continuo chorando,penso nos anos de estudos perdidos,estudei tanto p/a ser uma professora,e agora me vejo num beco sem saida…..As vidas de muita gente ficarão nas mãos dessa prova sanguenolenta …..a sorte está lançada agora só deus por nós!!!


  316. Estou sem palavras para comentar sobre esta prova
    Muito confusa, pouco tempo,pois foram 80 questões de matar


  317. E tem mais as pessoas que elaboraram esta prova é obvio que não sabe a realidade da escolas, não sabe o que passamos o que temos que aguentar, pois a realidade é que o aluno pode tudo.
    O ECA tem que mudar, os alunos tem muitos direitos que acabam prejudicando o andamento das escolas.
    Essa progressão Continuada e o fim.
    Os alunos já não são como antigamente que iam para escola para estudar,mas agora eles vão ou e para comer ou bagunçar atrapalar a aula e aqueles que estão interessado em aprender.

    Depois disso tudo ainda essa prova
    Ninguém merece


  318. Caros professores:

    Realmente a prova estava relativamente difícil. a forma como foi elaborada trata-se muito mais de um concurso público cujos enunciados das perguntas foram demasiadamente longos e com respostas muitas vezes dúbias.Muitos professores reclamaram da extensão da prova com textos muito compridos, não se falando do curto espaço de tempo.No mínimo eram necessários 5 horas para responder as 80 questóes.É preciso que a APOESP entre com uma liminar para questionar a constitucionalidade da prova, senão muitos professores infelizmente, teremos que nos contentar com 12 horas cumpridas sabe se Deus em que local.É na verdade um absurdo um professor ficar impedido de entrar na sala de aula apenas porque não teve um número de acertos “x” na prova,caso contrário não justificaria a entrada de muitos professores na sala de aula em redes particulares.É a velha política de cortar gastos e quem sempre assume a culpa pelo fracasso do ensino público é o professor.


  319. Nossa! A educação está um caos. Essa prova foi de matar. Os colegas com certeza vao concordar comigo, pois nao foi uma prova para medir conhecimentos, mas sim para medir a nossa resistencia fisica e mental. Um absurdo, questões confusas, extensas…muitos professores sairam após duas horas….sem chances…na verdade exigiram de nós o que nao querem q façamos com os nossos alunos. Após tantos anos de magistério ainda precisamos passar por isso, ou até aqueles que estáo entrando agora ( com certeza o trauma foi grande …já estao saindo) Sem comentários!
    Espero que alguma luz nos ilumine.
    É lamentável!!


  320. GENTEEEEEEEEEEEEE…ESSA PROVA TEM MUITAS COISAS ERRADAS, A COMEÇAR COM A BIBLIOGRAFIA Q DEVE SER APRESENTADA NO MÍNIMO 90 DIAS ANTES DA PROVA , E ESTA FOI MENOS DE 60 DIAS, MUITAS FALHAS.


  321. em 14 dezembro 2009 às 18:28 professortemporario

    Éricles

    Questionar a constitucionalidade da prova talvez não seja o caminho, pois essa prova é o principal argumento da lei 1093 e como a mesma foi votada e aprovada pela Assembleia Legislativa, considerá-la inconstitucional seria difícil, pois teoricamente os deputados verificaram essa constitucionalidade.

    Se lembrarmos, essa prova seguiu exatamente o mesmo modelo da prova do último concurso público realizado, que na época também deixou muitos insatisfeitos.

    Não se trata do”absurdo” de impedir os professores de entrar em sala de aula apenas por não terem o número desejado de acertos. Trata-se de classificá-los e eliminá-los em função do conhecimento demonstrado, como em qualquer concurso público, exatamente como o previsto na lei 1093


  322. Isabela,,

    Eu não consegui terminar a prova, pois fiquei muito tempo para ler a mesma questão, o mesmo aconteceu com mais 3 pessoas da minha sala. Eu concordo com o professortemporario que temos que ser classificados em função do conhecimento, porém essas 10 últimas questões que eu não li, poderia ter me classificado, portanto a Assembleia Legislativa deveria ter nos dado mais 1 hora de prova!!!


  323. em 15 dezembro 2009 às 01:35 Léia Ribeiro

    Professor temporário o que tem a nos dizer…?
    Alguma nova?


  324. PROFESSOR TEMPORÁRIO:

    Estou aguardando publicação do resulatdao do gabarito da prova dos professores temporários ocorrida domingo,13/12/09.Estou ansioso…Por que está demorando tanto?Quero começar a entrar em clima de fim de ano.Sem Saber o que irá nos acontecer, não dá…


  325. Ja saiu no diario oficial.Eu consegui acertar 37 questões e tenho 6.300 pontos será que consegui?

    obrigada.


  326. estou ansiosa para o resultado do gabarito…
    essa demora é para terminar com o trababalho que o governo começou… Acabar com nós os professores!!!!!!!!


  327. Neusa

    Alguém sabe qual o horário que o gabarito será divulgado?

    A prova foi totalmente átipica… t enho impressão que teremos mais um final de ano parcialmente comprometido com tantas surpresas… rsrsrs.


  328. Gostaria de saber como vai ficar a vida do eventual que comecou em 2005 e foi reprovado na prova seletiva


  329. em 15 dezembro 2009 às 12:35 ROSANGELA MARILENE BARATA

    quem tem o gabarito???? passa onde pego


  330. http://www.vunesp.com.br
    concursos em andamento
    pag 07
    boa sorte


  331. em 15 dezembro 2009 às 16:33 professortemporario

    Alda Guedes

    Quem não passou na prova do processo não poderá lecionar em 2010


  332. Estou triste, apesar de ter 45 acertos , não somarei meus pontos, pq pelo que ouvi tem que ter 2000mil dias letivos, tenho um quinquenio, mas morro na praia, que tristeza serei prejudicada da mesma forma. Fala sério…!!!!


  333. que egoismo


  334. em 15 dezembro 2009 às 18:08 professortemporario

    Alda Guedes

    Trata-se de um extremo de egoísmo o fato de professores dedicar seu tempo livre para esclarecer dúvidas de outros professores, que muitas vezes perguntam o que já foi respondido e se quer tem a boa vontade de ler os textos do site.

    Resta esclarecer: de quem é o egoísmo?


  335. em 15 dezembro 2009 às 19:16 Léia Ribeiro

    Alda, nao entendi.
    Vc disse que sou egoísta?
    Nao cabe aqui colocar o que penso disse.
    Professor temporário, vc soube de algo sobre somar a partir de quantos pontos a nota da prova?
    Bom, até agora, a oficialidade creio eu, é somente da prova.


  336. Boa Noite! Eu acertei 37 questões categoria F e tenho 6.300 pontos.Será que tenho chances?Obrigada


  337. Acertei 48 ou 49 questões. Acho que fui bem, se nós tivéssemos tido mais tempo para poder estudar, certamente teríamos ido bem melhor.Para aqueles que não conseguiram a nota mínima, estou torcendo para que a APEOESP consiga fazer alguma coisa na justiça em prol desses professores que não foram bem.Se alguém mais entrar neste blog, coloque o seu número de acertos e comentário da prova. Boa sorte!


  338. EU,ACHO QUE A PROVA DEVE SER ANULADA PROQUE MUITOS NÃO CONSEGUIR TER MINAR ISTO ÑAO É JUSTO COM OS NOSSOS COLEGAS ,AS PROVA ESTAVA MUITO ESTENCA POR FAVOR VEJA O NOSSOLADO COMO PROFESSOR ;;;;…………….


  339. Acertei 40 e duas perguntas deixei sem passar no racunho

    Fui muito mal, mas tudo bem acertei 40 fora as duas que esqueci.


  340. em 15 dezembro 2009 às 23:02 professoratemporaria

    olá, eu sou professora eventual no estado a um ano, e acertei somente 37 questóes na prova, gostaria de saber se o tempo de serviço vai ajudar na minha classificação.


  341. Acertei 50, como estava difícil, estou feliz. :)


  342. Alguém deu uma olhada na prova de espanhol? Não entendi por que a prova deles foi tão simples. Até eu que nunca fiz espanhol, responderia tranquila esta prova. Existe diferença entre as disciplinas, achei que menosprezaram os professores de língua espanhola…rsrsrsrsrs


  343. Nossa…tantas informações…até agora eu achava q era só somar a os pontos da prova com a pontuação de tempo de serviço, mas tem q somar os dias trabalhados???
    Eu fiz somente 41 pontos, tenho 16 pontos no anexo, como será q fica minha situação???


  344. Eu acertei apenas 35 e tenho só um ano como eventua. Gostaria de saber se poderei dar aula como eventual?


  345. Olá Gisele:

    Segue em anexo uma tabela feita pela Apeoesp para aqueles que acertaram menos de 40 questões.Você pode utilizr o tempo de seviço se for categoria “F”.

    Devido à grande demanda de professores (as) procurando o sindicato com dúvidas de como utilizar o tempo de serviço para somar a nota da prova e pelo fato de eu não ter nenhuma instrução por escrito de nosso jurídico, até o momento, elaborei uma tabelinha para auxiliar os professores (as) a fazer o cálculo da prova.

    O professor deve considerar que poderá ser utilizado o número de dias trabalhados X 0,004, podendo chegar a 8 pontos. Para alcançar 8 pontos, o professor (a) deverá ter 2000 (2 mil) dias trabalhados.

    Isso só vale para o professor que acertou pelo menos 32 questões na prova (40%), aquele que acertou menos de 31 questões estará desclassificado.

    No caso do professor (a) PEB I, 32 pontos representam 24 acertos em uma prova de 60 questões.

    Att.

    Afonso

    Veja tabela abaixo:

    Questões acertadas na prova Número de dias trabalhados soma do número de dias trabalhados X 0,004 Média de anos trabalhados Professor (a) Categoria F (Situação para 2010) Professor (a) Categoria L e O (Situação para 2010)
    31 desclassificado 10 horas + 2 HTPCs Não lecionará em 2010
    32 2000 8 5,555555556 Participa da Atribuição Participa da Atribuição
    33 1750 7 4,861111111 Participa da Atribuição Participa da Atribuição
    34 1500 6 4,166666667 Participa da Atribuição Participa da Atribuição
    35 1250 5 3,472222222 Participa da Atribuição Participa da Atribuição
    36 1000 4 2,777777778 Participa da Atribuição Participa da Atribuição
    37 750 3 2,083333333 Participa da Atribuição Participa da Atribuição
    38 500 2 1,388888889 Participa da Atribuição Participa da Atribuição
    39 250 1 0,694444444 Participa da Atribuição Participa da Atribuição
    40 Acima de 40 acertos não se utiliza este cálculo Participa da Atribuição Participa da Atribuição


    Você está recebendo esta mensagem porque se inscreveu no grupo “SubsedeTaboão” dos Grupos do Google.
    Para postar neste grupo, envie um e-mail para subsedetaboao@googlegroups.com.
    Para cancelar a inscrição nesse grupo, envie um e-mail para subsedetaboao+unsubscribe@googlegroups.com.
    Para obter mais opções, visite esse grupo em http://groups.google.com/group/subsedetaboao?hl=pt-BR.


  346. em 16 dezembro 2009 às 10:36 professortemporario

    RESPONDENDO A TODOS

    Nossa iniciativa surgiu de um grupo de professores temporários em 2007 com o objetivo de esclarecer a categoria dos professores temporários sobre seus direitos e o que fazer para conquistá-los.

    Nesse sentido, organizamos esse site com páginas e artigos específicos, classificados em seus direitos ou reflexão.

    Essa iniciativa, que é totalmente desvinculada de sindicatos, governo, Igreja, associações desportivas ou partidos políticos, constitui um grande esforço gratuito de dedicar o tempo disponível para esclarecer os professores.

    Talvez muitos não tenham percebido, mas somos professores, que como seres humanos temos nossas responsabilidades familiares e sociais e como profissionais também temos nossas obrigações, com Conselhos de Classe, cadernetas e fichas individuais de estudantes, além da óbvia obrigação de estarmos em sala de aula como professores.

    Ocorre que em dois momentos de nossa iniciativa passamos por dificuldades: De dezembro de 2008 a fevereiro de 2009, tivemos um aumento expressivo no número de acessos ao site, de professores procurando entender o processo seletivo, que depois foi cancelado pela justiça. Agora, mês de dezembro de 2009, tivemos um aumento ainda maior na quantidade de acessos e simplesmente não conseguimos responder a todos na velocidade que gostaríamos.

    Entretanto, embora entendamos a angústia dos professores (também passamos por isso), percebemos que como tudo na vida, É PRECISO ORGANIZAÇÃO.

    Em primeiro lugar, se você professor(a) não entendeu ou não acompanhou as mudanças que estão sendo feitas na seleção de professores para a rede estadual de São Paulo, recomendamos que lei nosso artigo “A caixa Preta da educação no Estado de São Paulo“. Esse artigo, que tem sido atualizado para esclarecer e abranger as mudanças mais recentes, foi penado para que a pessoa mais desavisada conseguisse entender como era, o que muda e qual a consequência disso.

    Em segundo lugar, em todos os artigo publicados existem diversos comentários feitos e já respondidos. Assim, recomendamos aos professores que leiam a caixa preta da educação, leiam os comentários desse artigo e depois leiam os artigos mais específicos.

    Em terceiro lugar, as provas do processo seletivo foram constituídas de 60 perguntas para PEB I e 80 perguntas para PEB II. A determinação legal vigente considera que será considerado aprovado e classificado para concorrer às atribuições somente o professor que conseguir 40 pontos (que correspondem a 50% de acertos na prova). No entanto, numa negociação entre Sindicato, Governo e Tribunal Regional do Trabalho, manteve-se a necessidade dos 40 pontos, mas abriu-se a possibilidade para que professor que tenha acertado pelo menos 40% da prova (24 questões PEB I e 32 questões PEB II) de utilizar o seu tempo de serviço para completar os 40 pontos. Isso quer dizer que o PEB I que acertou menos de 24 ou o PEB II que acertou menos de 32 ESTÁ ELIMINADO DO PROCESSO SELETIVO.

    Em quarto lugar, considerando os professores que acertaram entre 40 e 49% da prova, para saber se será aprovado é preciso calcular quantos pontos faltam e quantos podem ser convertidos em tempo de serviço:

    2000 dias trabalhados correspondem a 8 pontos (o mínimo para PEB II com 32 acertos)
    1750 dias trabalhados correspondem a 7 pontos (o mínimo para PEB II com 33 acertos)
    1500 dias trabalhados correspondem a 6 pontos (o mínimo para PEB II com 34 acertos e para o PEB I com 24 acertos)
    1250 dias trabalhados correspondem a 5 pontos (o mínimo para PEB II com 35 acertos e para o PEB I com 25 acertos)
    1000 dias trabalhados correspondem a 4 pontos (o mínimo para PEB II com 36 acertos e para o PEB I com 26 acertos)
    750 dias trabalhados correspondem a 3 pontos (o mínimo para PEB II com 37 acertos e para o PEB I com 27 acertos)
    500 dias trabalhados correspondem a 2 pontos (o mínimo para PEB II com 38 acertos e para o PEB I com 28 acertos)
    250 dias trabalhados correspondem a 1 ponto (o mínimo para PEB II com 39 acertos e para o PEB I com 29 acertos)

    Assim, uma professora PEB I que nunca tenha lecionado na rede e tenha acertado 29 questões estará eliminada, pois não possui o mínimo de 250 dias trabalhados para somar o ponto que falta.

    Em quinto lugar, o professor que não fez a prova (inclusive o F), pelos termos das disposições transitória da lei 1093/09, será dispensado (demitido, por descumprimento de determinação legal do Estado. O professor F que fez a prova, mas não consegui ser aprovado, terá que cumprir uma jornada de 12 horas em local e horários determinados pela diretoria de ensino, SEM PODER LECIONAR. Os demais, categorias L, O, S (faltou apenas uma categoria “T”, para caracterizar a situação) se não aprovados estão eliminados do processo e não poderão lecionar em 2010, nem em projetos e nem como eventuais.


  347. Passei no processo seletivo, porém expresso aqui a minha total indignação por algumas amigas que nao conseguiram. Amigas com experiencia de sala de aula, com conhecimento, saúde….enfim…é muito triste.
    Espero que ainda haja alguma mudança…isso nao pode ficar assim.
    obrigada!


  348. Na realidade ñ estou entendendo nd, nesta coisa de categoria cada hora é uma letra…rsrssrs…..sou categoria i, e ñ sei o que vai acontecer com esta categoria no ano de 2010 quem souber me manda pelo mail paula.capoeira@hotmail.com

    Acertei 40 questões no processo seletivo, então quer dizer que posso pegar aulas no ano de 2010????

    Obrigada!


  349. se eu nao passar na prova, eu vou ter que trabalhar as 12h? eu não tenho aula atribuida e sou estudante. Minha portaria foi aberta em junho e fiquei eventuando até dezembro. Acho que não fui bem na prova. No meu holerith consta dessa forma: ADM.LEI 500/74 – EVENT – R.G.P.S
    Eu não terminei o meu rascunho… por isso não sei quantas questões eu acertei.


  350. em 17 dezembro 2009 às 20:50 Renata Oliveira

    Gostaria de saber se alguma questão será anulada. Não fui bem na prova e fiz 31 acertos.


  351. Foi muito sofrido para todos nós, no meu caso além de todas as atribuições que o professor tem, ainda estava terminando o curso de Pedagogia, regular, à noite, sou categoria L
    por causa do egoísmo de uma colega.
    Não concordo com a anulação da prova, pois isso é um desrespeito para quem passou.
    Lamento a situação dos colegas que não passaram e também acho que o simples fato do professor ter conseguido uma nota não o coloca mais capacitado.


  352. em 17 dezembro 2009 às 21:54 professortemporario

    Isa

    Não. As 12 horas são um direito específico dos categoria F


  353. em 17 dezembro 2009 às 21:55 professortemporario

    Renata Oliveira

    O prazo para impetrar recurso pedindo anulação de alguma questão encerrou-se ontem. Assim, depois do julgamento dos recursos apresentados pode sim haver a anulação de uma ou outra questão.


  354. ok, obrigada…


  355. em 18 dezembro 2009 às 00:27 Léia Ribeiro

    O que será dos professores, que nao conseguiram fazer a prova? O número foi imenso.
    É possivel o cancelamento da prova, por tanta ausencia?
    Como é ruim ficar nessa expectativa.Até qdo?


  356. concordo c a colega Elisete, mtos de meus colegas não conseguiram atingir a nota maxima, nem as 32 e nem as 40 questões, eu ainda não fiz a minha q será dia 20 de matematica ainda p ajudar, então meus colegas são competentes e devido uma avaliação sem dó nem piedade dos professores mtos ficaram desempregados q lutaram anos e anos por uma melhoria da qualidade de ensino, embora o governo não perceba isso, espero em Deus q realmente haja mudanças para q essas pessoas ou até mesmo eu q ainda não fiz a prova não sejamos tratados ninguem!!!


  357. em 18 dezembro 2009 às 13:36 professortemporario

    Léia Ribeiro

    Os professores que faltaram à prova estão eliminados do processo, de acordo com a lei 0193. A exceção se faz aos que tiveram problemas com a inscrição e entraram na justiça (por isso que saiu uma outra lista)


  358. Éricles:

    Faltando à prova, acho que não foi uma boa escolha para protestar. Entretando, acredito que se a adesão for muito grande , como por exemplo, a da minha sala,em 13/12/09, não haverá muitos professores para lecionarem em 2010.Deveria ter tido uma adesão maior, iniciativa do próprio sindicato, para a não-realização da prova, um protesto em massa,significatico.Enfim, estou torcendo para àqueles que achem alguma alternativa para justificar a ausência no comparecimento à avaliação ou doença, se for o caso.Boa sorte! E confie em Deus.


  359. Estou preocupada , vou fazer a prova amanhã e não encontro meu protocolo de inscrição, sei que minha escrição está certinha, tenho o numero da inscrição , a escola , a sala mas mão acho o comprovante de jeito nenhum.Será que não vou poder fazer a prova por causa disso ?
    Sou categoria F se não conseguir fazer essa prova eu perco minha ” estabilidade “


  360. PRECISAMOS DE UM SINDICATO FORTE , UNIDO E ATUANTE, PARA LUTAR POR NÓS, E ISSO DEPENDE DA UNIÃO E EMPENHO DE NÓS, PROFESSORES.


  361. em 19 dezembro 2009 às 13:08 professortemporario

    Fernanda

    Colocamos um artigo com link para consulta do local da prova. É preciso apenas preencher o nome completo e o código de verificação da página da vunesp


  362. Fernanda:

    Fique tranquila e procure não ficar ansiosa.Pense apenas em coisas positivas e boas.Tudo na vida concorre para o bem.Confie em Deus,apenas isso.Fiz a prova a semana passada,confiei no Senhor e tudo saiu muito bem.Boa sorte!


  363. Obrigadora pelas palavras de calma.

    Então essa consulta de local da prova serve como protocolo de inscrição também? Tem escrito td nele, o numero da inscrição a data o local e o RG .


  364. em 19 dezembro 2009 às 20:15 professortemporario

    Fernanda

    Ao fazer sua consulta, faça a impressão da página. Na consulta aparece todo os seus dados, inclusive o RG e o número da inscrição. Isso mais o documento original com foto (RG, Habilitação) são suficientes.


  365. em 19 dezembro 2009 às 20:24 Heliomara Ribeiro

    Gostaria de saber como fica para os professores, que é o meu caso, que passei no concurso do estado de São Paulo pra PEB I(2005) numa classificação de 33.601, atendendo ao edital de exigência de ter concluido Pedagogia, e no entanto, está na justiça,a respeito desse edital. Já que inúmeros professores com apenas o magistério, entraram na época com mandado de segurança e estão usufruindo do cargo efetivo. E eu no entanto, fui prejudicada como inúmeros outros que atenderam exatamente o que era exigido na época.Pois, não consigo me conformar que esse concurso tenha caducado.
    Grata
    Heliomara


  366. Realizei a prova de Língua Portuguesa a semana passada.Gostaria de saber se alguém tomou conhecimento de alguma questão que tenha sido anulada, ou se algum especialista da área colocou em questionamento a formulação de algum enunciado ou mesmo alguma resposta de dúbia aceitação.


  367. pessoal, fiz a prova d matematica hj, o que era aquilo? 60 questões de puro calculo!!!! quase me matei pra estudar a parte geral e caiu só 4 perguntinhas, essa foi d matar não tenho certeza de nenhuma questão certa.


  368. quero saber se mesmo ficando com 12 horas auls posso completar como eventuallll???


  369. Ericles

    Paula:

    Se você ficar com 12 horas para serem cumpridas em local determinado pela SE,ficará impedida de entrar em sala de aula,nem poderá participar da atribuição de aulas no decorrer do ano.Entretanto,acho que faltaram muitos professores e o governo deverá baixar alguma resolução para a completação desse número de 12 aulas.


  370. mminha irma esta no quarto semestre de pedagogia e fez a prova pebI.CONSEGUIU 25 ACERTOS,MAS NAO ESTA NA REDE.SERA QUE PODERA TEABALHAR DE EVENTUALLLL???


  371. OQUE VC ACHA ERICLES?QUE HA UMA CHANCE DO GOVERNO REVERTER ESSE QUADRO E NOS DEIXAR TRABALHARMOS COMO EVENTUALLL???ESTOU TORCENDO PARA QUE TUDO POSSA MUDAR.DEUS HA DE NOS DAR UMA SAIDA.BJKAS


  372. POR FAVOR COMO EU FAÇO PARA ENTRA COM RECURSOS CONTRA A VUNESP QUE REALIZOU A PROVA PARA PROF.CATEGORIA F,NO SITE DA VUNESP EU NÃO CONSEGUI, DESDE JÁ OBRIGADA


  373. Regina Valieri

    Desabafo!!!

    Olá caro colegas!! hoje eu fiz a minha prova, graças a Deus eu consegui chegar, porque o transito estava todo parado, devido ao um desfile que aconteceu na zona norte, bem proxímo ao local de acesso da Vila Maria, onde ocorreria a segunda parte e ultima das provas de PBII.
    Foi horrivél!!! O que aconteceu neste local!!!!professores sendo impedido de entrar, ficaram do lado de fora quase todos os professores, a evasão foi significativa para uma anulação!!na minha sala faltaram mais ou menos uns quarenta professores, houve corre,corre, gritos, indignação, policia, impresa e o sindicato.
    Estou muito triste por saber que os professores vão ficar desempregados em 2010!! Tantos anos de magisterio para nada!!
    Precisamos fazer algo, não podemos deixar que este governo brinque como se fossemos marionetes nas mão dele.
    Por isso em solidariedade aos meus colegas, vou torcer para que esta prova seja mesmo anulada!!!! enquanto não houver respeito com a classe não mudo de opinião desculpe-me quem passou,mais é assim que eu penso, não devemos ficar feliz com tantos professores as vespera do desemprego!!!!


  374. Regina:

    Qual foi a sua disciplina?E a prova, estava muito difícil?Quantas questões você conseguiu acertar.Fique tranquila porque se o índice de não compareciemnto à prova do dia 13 e 20/12/09 continuar a crescer não haverá professores para tantos alunos.Apesar de eu ter ido relativamente bem na prova de português estou torcendo para que o governo recuer e publique uma nova resolução para a contratação de professores.Gostaria muito,mais muito mesmo que isso acontecesse.


  375. Olá amigos! Hoje fiz minha prova de matemática e não estou muito otimista não.
    Aprova estava muito chata muintas questões grandes perdendo muito tempo para ficar lendo, quando chegou na questão de número 50 estava exausto.
    Bem gostaria de saber quando sai o gabarito dessa prova? E se o governo vai manter essa prova mesmo ou será anulada. grato a todos e boa sorte.


  376. Olá essa prova esta muito dificio mesmo. muitas pessoas em minha sala faltaram, quem será que dará aula no proximo ano. ACHO QUE SERÁ O SERRA!!!


  377. Gente que prova é essa ?Não deu tempo de terminar de ler as questões , as ultimas eu só lia as alternativas mesmo.Nunca tinha feito uma prova tão cansativa. A minha disciplina é história e td mundo saiu de lá reclamando e dizendo que não conseguiu ler direito como eu.


  378. quando sai o gabarito dessa prova de matemática?


  379. Olá pessoal, pelo menos vcs tiveram a oportunidade de fazer a prova……

    E a organização “VUNESP” deste ano????

    Acreditem, a prova de Física não chegou à Araraquara.

    Só nos restou fazer um BO

    E agora o que fazer??????? Por favor, o que os amigos sugerem?


  380. BOA TARDE!

    LUTO! EM RESPEITO…

    A CATEGORIA L”

    “L” TEMOS QUE DERRUBAR ESTA PROVA….ESTA PROVA É PARA SER PROFESSOR DA USP. SÓ PODE……………………………!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    OS PROFESSORES “L” VAÕ SER OS MAIS PREJUDICADOS; E TAMBÉM É A CATEGORIA MAIS FRACA. TEMOS QUE DERRUBAR ESTA PROVA. QUEM É ´”L” E NÃO PASSOU NA PROVA SELETIVA ESTA FORA DE TUDO…..

    “L” NÃO PODEM FAZER ISSO COM A GENTE…..A MUNDANÇA TEM QUE SER AGORA!

    FAÇO UM APELO P/ A APEOESP, AJUDEM OS PROFESSORES OFA”L”; MEU DEUS O QUE SERA DESTA CATEGORIA? PARECE QUE TODOS SE ESQUEÇERAM DELA.SÓ SE FALA NUMA CATEGORIA QUE É A OFA”F”.
    O QUE O SERRA QUER? É MESMO SERRAR OS “OFA L”….PORQUE A CATEGORIA F ESTÁ ESTA COM O LUGARZINHO DO CÉU GARANTIDO….
    A ÚNICA CATEGORIA QUE VAI SE DAR MAL É A “L” E NINGUEM VAI FAZER NADA….INFELIZMENTE!!!!
    LUTO PARA A CATEGORIA “LLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL” DE LUTO!
    LUTO AO SERRA!


  381. O QUE PERCEBI E CONCLUÍ É QUEM ESTÁ COM O LUGAR GARANTIDO NO CÉU SÃO OS OFA”F” e os FIM SERÁ DOS “L” GARANTIDO O INFERNO PARA OS OFAS “L”.
    O GOVERNO SERRA QUE SE CUIDE…..PORQUE JÁ PEDEU!


  382. O QUE O SERRA QUER? É MESMO SERRAR OS “OFA L”….PORQUE A CATEGORIA F ESTÁ ESTA COM O LUGARZINHO DO CÉU GARANTIDO….
    A ÚNICA CATEGORIA QUE VAI SE DAR MAL É A “L” E NINGUEM VAI FAZER NADA….INFELIZMENTE!!!!
    LUTO PARA A CATEGORIA “LLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL” DE
    LUTO AO SERRA!


  383. GREVE GERAL…decretada!
    UNIÃO DE TODOS OS PROFESSORES AGORA….PARA 2010.
    AGORA CHEGOU A HORA DE EFETIVOS, OFA “F” E OFA “L” SE UNIREM NUMA GREVE COLETIVA. EU DISSE:COLETIVA.
    O ANO TEM QUE COMEÇAR COM UMA MOBILIZAÇÃO GIGANTESCA E COLETIVA DOS PROFESSORES PARA DERRUBAR TODA ESSA PALHAÇADA DE PROVA SELETIVA, PROMOCÃO PRA EFETIVOS GANHAR MAIS….
    UMA MINORIA VAI SER PRIORIZADA E NÃO DEVEMOS FAZER O QUE QUER COM NÓS PROFESSORES…SEJA QUAL A CATEGORIA, POR QUE O CORTE SERÁ PRA MAIORIA….
    SÓ A UNIÃO DOS PROFESSORES PRA MUDAR A SERRALHERIA….


  384. 2010 PROMETE…..E MUITO AO GOVERNO!
    VAMOS ANULAR ESTA PROVA SIM COM TODA CERTEZA GOVERNO!
    CHEGA DE “BRINCAR” COM A EDUCAÇÃO BRASILEIRA” E COM OS PROFESSORES OFA F E L” PRINCIPALMENTE OS DA CATEGORIA “L”.
    MUITOS PROFESSORES FICARAM DESEMPREGADOS EM 2010 SE NÃO SE UNIREM P/ DERRUBAR ESTA PROVA.
    TODOS pela ANULAÇÃO DESTA PROVA INACREDITÁVEL DE HORRIVEL.


  385. O DESEMPREGO DE MUITOS PROFESSORES E PROCESSO SELETIVO: FORA!
    ANULAÇÃO DESTA PROVA QUE PARECE SER PRA DAR AULA NA USP!
    LUTO… AOS FUTUROS DESEMPREGADOS PROFESSORES.


  386. Nossa pedro que falta de respeito com nois professores nem prova teve? isso é humilhante mesmo.


  387. A hora que faltava 30 minutos eu estava na questão 55 ainda, não deu tempo, fiquei desesperada!!! Se Deus quiser vamos conseguir passar! Sorte para todos amanhã na hr de conferir o gabarito !!!!


  388. em 21 dezembro 2009 às 23:45 professortemporario

    Paula dos Santos

    O professor OFA F aprovado que não conseguir saldo de aulas terá que cumprir 12 horas na sua escola sede e poderá sim assumir aulas além das 12, como eventual.

    O professor OFA reprovado terá que cumprir as 12 horas, sabe se lá Deus aonde, e não poderá lecionar como eventual (aliás, não poderá fazer nenhuma atividade de docência, inclusive projetos, escola da família, etc)


  389. Vamos lutar para que a prova seja cancelada.. juntos conseguiremos …


  390. Olá professores:

    Continuem protestando!Gostaria também,se puderem que comentassem as provas realizadas por cada um de vocês.Firmes,companheiros!


  391. Bom Dia acertei 38 questões da prova tenho 2099 dias trabalhado na rede participo da atribuição 2010. respondão porfavor .


  392. Pedro a prova foi marcada p/ dia 30/12. Está no D.O. de hoje.


  393. Professor, eu sou categoria L e acertei 38 questões. Liguei na D.E do meu municipio e eles me informaram que o que eles sabem da SEE é que teria que ter acertado 50% da prova, ou seja, 40 questões e que não tem informações a respeito de ser completado com os pontos aqueles que acertaram 40%. Você tem informações se realmente vamos poder usar nossos pontos para esse fim? No meu caso acertei 38 questões e tenho 8,162 pontos.
    Parabéns pelo site!!!
    Obrigada desde já.


  394. em 22 dezembro 2009 às 13:48 Eliane miriam

    Eliade de que prova vc ta falando que foi marcada p/a o dia 30/12 vc pode me exclarecer por favor…agruardo resposta…t+


  395. Gostaria de saber alguma informação sobbre os boatos do cancelamentos das provas de Educação Física e Biologia, pois afirmaram q os gabartos vazaram.
    Vcs sabem de algo sobre isso????


  396. Afinal, que prova e essa que também me despertou interesse.Logo no dia 30/12/09.É alguma outra prova para professor?Preciso respirar….Não aguento mais falar em prova…bibliografia…autores…Vunesp.Boas festas…E até 2010 para mais uma luta, se Deus quiser.


  397. Eliane, essa prova que a Eliada mencionou é para os professores de Física de Araraquara, a prova não chegou até eles, que desrespeito com nossos colegas né?

    Bom pessoal, realmente a prova estava meramente difícil, sou professor de Química e não fui bem, fiz somente 30 acertos, pelo jeito não terei aulas atribuidas no ano que vem, pois sou categoria “L”. Agora, a demanda de professores dessa área é baixa e com tantos colegas que não conseguiram acertos suficientes e não compareceram, como ficará a situação das escolas e a nossa também, principalmente???
    Só nos resta uma nova resolução para ficarmos mais aliviados com relação a isso, pois é um desrespeito muito grande com a nossa classe, uma vez que muitos bons professores ficarão desempregados no próximo ano letivo! Precisamos nos mobilizar para reverter isso amigos!

    Abraços


  398. PESSOAL TEMOS QUE PRESSIONAR APEOESP A MUDAR ALGUMA COISA NESTA PROVA, TEMOS QUE AGIR,,,IMEDIATAMENTE CONTRA ESTA PROVA….


  399. gente, vcs acreditam q não vai ter prof. de matematica e portugues na minha cidade p dar aulas pois só 2 d portugues passou e 2 matematica.VAMOS FAZER ALGUMA COISA p q esse M… do Serra, cancela essa prova!!!!


  400. Nossa pessoa nois professores tivemos o ano inteiro para lutar contra a prova, agora que fomos ruins queremos fazer greve? que greve é essa se nem aulas temos? hauahau…
    Olha fui muito mal mesmo nessa prova tive apenas 24 acertos estava nervoso e sou categoria L ainda. Mais seja o que Deus quiser somente acho que é tarde para tentar fazer greve ou mudar alguma coisa, deixamos virar lei e se é lei temos que respeitar, Passar fome eu não vou pois tenho aula em escola particular o estado era apenas para eu comprementar minha renda. Quero que se Dane esse governo desgraçado.
    Bem galera só acho que é darde para tentar fazer alguma coisa, e sem falar que as pessoas que foram bem com certeza querem a prova valida.


  401. Reflitam, Senhores professores e comentem:

    Romendes

    Vamos Refletir!!
    Primeiro levaram os negros
    Mas não me importei com isso
    Eu não era negro
    Em seguida levaram alguns operários
    Mas não me importei com isso
    Eu também não era operário
    Depois prenderam os miseráveis
    Mas não me importei com isso
    Porque eu não sou miserável
    Depois agarraram uns desempregados
    Mas como tenho meu emprego
    Também não me importei
    Agora estão me levando
    Mas já é tarde.
    Como eu não me importei com ninguém
    Ninguém se importa comigo.
    Autor: Bertold Brecht


  402. Professor temporário, gostaria de uma informação: Prestei a prova de história (44 acertos) e na prova havia trechos (textos enormessss) de autores que não consta na bibliografia. Enfim, isso é correto? Podemos entrar com recursos contra isso, caso seja incorreto citar autores fora da bibliografia?


  403. Carla:

    No dia 21/12/09 a APEOESP ingressou com uma ação judicial para anular o certame da prova.Entre outras irregularidades como a que você citou,houve muita desorganização na aplicação ,professores que receberam provas trocadas, até município que, além de não ter recebido avaliação,teve que adiar a aplicação do certame para o dia 30 deste mês.Casos também registrados de professores que tiveram a disciplina de opção trocada por outra.Agora acho meio difícil o judiciário anular este processo de avaliação ,já que o próprio governo se cercou de leis que tramitaram na assembléa legislativa e por fim votadas a aprovadas na na “calada da noite”.


  404. Gostaria de saber se a pessoa que foi bem nesta prova está dispensada das próximas que virão….


  405. Bom Dia Professor

    Tenho uma dúvida, sou Pedagoga e durante o período de 2008 e 2009 atuei em um projeto da Pasta da Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, o que me vinculou a escola e me atribuiu a categoria F. No entanto, quando fui fazer a inscrição obrigatória este ano, foi detectado que a minha graduação não atendia a legislação para atuar no referido projeto, desde então não sei como vai ficar minha situação para 2010, e nínguem sabe me informar. Fiz a prova e atingi os 40% exigidos, e fiz a inscrição novamente para o projeto em 2010, mesmo sabendo que pode ser indeferida, gostaria de saber se vou perder o vínculo e minha categoria. Há base legal para um recurso? Obrigada

    Helena


  406. em 23 dezembro 2009 às 12:20 professortemporario

    Helena

    Sua inscrição e aprovação não podem ser indeferidas. o que pode acontecer é você ser desclassificada na atribuição, por não apresentar a habilitação específica. Por exemplo: Um médico presta da prova de biologia e é aprovado. Ao ser chamado na atribuição, poderá ser desclassificado por não atender a exigência prevista na lei, que é o diploma de licenciatura na disciplina específica.

    Você não pode entrar com recurso enquanto o fato não acontecer.

    Por fim, você tem certeza de que é categoria F? Pela regra, para isso você deveria estar na rede antes de junho de 2007


  407. Estou cursando o 1º ano de quimica. Na minha opinião a prova estava fácil. Coisas q todo professor formado deve saber, só caiu coisa do ensino médio!! Não tem nada aver com provas PRA ENTRAR NA USP! Para aqueles q não passaram: ESTUDEM…


  408. Veja só o que poderá acontecer com os professores que foram mal avaliados nas provas do dia 13 e 20/12/09:

    Professores reprovados em exame de temporários vão intermediar conflitos
    Os professores temporários de São Paulo que não passarem na prova de seleção da Secretaria Estadual da Educação serão destacados para trabalhos que incluem a mediação de conflitos internos nas escolas e visitas às casas dos alunos.
    O programa, em criação pelo governo do Estado, leva o nome provisório de “professor mediador escolar e comunitário” e será instituído a partir do próximo ano letivo para atender a uma demanda que surgirá diante da nova legislação que regula o trabalho temporário dos servidores, aprovada neste ano.
    A maioria dos docentes não concursados está sujeita à seguinte regra: quem for reprovado na avaliação não poderá lecionar em 2010, mas terá a garantia da recém-criada jornada mínima de 12 horas semanais em atividades extraclasse. Cerca de 88 mil temporários podem cair nesse grupo – a rede estadual de educação tem cerca de 230 mil professores entre efetivos e temporários.
    Em princípio, os temporários mal avaliados com garantia de jornada básica fariam somente trabalhos de apoio nas salas de leitura. Mas como são profissionais com experiência letiva de três anos ou mais na rede, a secretaria quer aproveitar a formação pedagógica do grupo nos papéis de mediadores de conflito e professores visitadores, para os quais esses docentes devem ser capacitados.
    Tais funções, segundo a Secretaria Estadual da Educação, pretendem incentivar maior participação das famílias na comunidade escolar e ampliar os círculos de Justiça Restaurativa, processo de reparação de danos e reconstrução da paz pelo diálogo. A Justiça Restaurativa foi implantada de modo experimental em escolas estaduais da zona sul da capital, de Guarulhos e São Caetano do Sul.
    A rede estadual tem cerca de 5,3 mil escolas de ensino fundamental e/ou ensino médio e atende a cerca de 5 milhões de estudantes. A ideia inicial do programa é fixar um professor por colégio ou por turno para mediar conflitos e interagir com as famílias. A secretaria quer definir detalhes do programa até 20 de janeiro. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
    Fonte: Uol educação.
    Já pensaram 50 mil temporários nas ruas fazendo campanha contra o psdb……….


  409. Boa Tarde a todos!

    Gostei da prova de química realizada neste ultimo domingo, foi bem sucinta e clara. Acredito que esta seleção aumentará o nível das disciplinas ministradas nas escolas estaduais, selecionando professores capacitados e capazes de aumentar o nível do ensino paulista, que hoje esta sucateado!

    Grande abraço e sorte a todos!


  410. Boa tarde, estou confiante que haverá alguma mudança pq muitos professore foram mal nessa maldita prova, (inclusive eu), acertei 29 questões na qual teria que acertar 32, a prova de matemática estava complicada eram muitos calculos, respostas confusas muito parecidas, tempo curto para ler, interpretar e calcular. Apeoesp por favor nos socorra se não for possivel o cancelamento então que pelo menos seja classificatória e que todos os professores de qualquer categoria possa concorrer para atribuição no ano que vem. Desde ja agradeço…..


  411. Sou professora categ. “F”,no dia 20/12 não pude fazer a prova ,pois não estava com o meu RG em mãos,porém estava com todos os comprovantes de inscrição,inclusive o protocolo original de inscrição da vunesp,bom e também não posso deixar de ressaltar a falta de educação da COORDENADORA,SÓ POR JESUS.
    Então, eu cumpro essas 12 hs e não quero complementar,gostaria de saber se vou perde essas 12 hs ,ou melhor se vou se “DISPENSADA” do estado. Por favor eu preciso desse esclarecimento o mais urgente possivel.Desde já muito obrigada!!Feliz Natal.


  412. Fora, SERRA! FORA,PSDB!FORA,TODOS AQUELES QUE VEM SUCATEANDO A EDUCAÇÃO E RESPONSABILIZANDO O PROFESSOR PELO FRACASSO DO ALUNO.PRECISAMOS É DE POLÍTICAS PÚBLICAS E ARROJADAS DE INCENTIVAÇÃO AO PROFESSOR E INVESTIMENTO EM PROJETOS SIGNIFICATIVOS PARA O CRESCIMENTO DE NOSSOS ALUNOS


  413. Eu passei em física..mas achei um absurdo a prova de matemática. Nível altíssimo de pós e mestrado. A fórmula para o tempo de casa o ano passado prejudicou muita gente também! Ou a prova deverá ser anulada pelas irregularidades que surgiram que é o correto. ou deve ser classificatória e não eliminatória, . Aí sim, se foi bem, continuará no rank. Deveria ser por matérias igual o ano passado. Se houve falar tanto da proposta de governo de inclusão não exclusão. Não SE AVALIA nem aluno para passar de ano apenas uma prova. O governo fala tanto de inclusão e agora estão dispondo a exclusão.


  414. Todos que participaram no domingo de uma avaliação que poderia ser para efetivar devido ao grau de dificuldade parabéns, não quero jogar sal no café do pessoal que foi bem mas essa avaliação possui todas as irregularidades para ser cancelada.
    1º – Para poder utilizar o tempo de casa para dar o mínimo (40 pontos) estabelecido pela lei a resolução deveria ter sido publicado no site da Vunesp e não foi.
    2º – Houve erro na distribuição de provas.
    3º – Quem fizer a prova no dia 30/12/2009 terá uma vantagem sobre os demais.
    4º – Não existe nada mencionado no edital quanto a relização de outra prova (no mesmo concurso) caso haja algum imprevisto.
    5º – A lei entende que o edital é a lei do concurso e deve ser respeitado ninguém pode levar vantagem por causa de um erro da organizadora.
    6º – todos deverão disputar em pé de igualdade.
    Aviso todos os professores que se sentirem prejudicados entrem com um mandado de segurança solicitando o cancelamento do processo seletivo, o mandado se segurança deve ser em nome (contra) da Sec. de Educação e Vunesp, afinal duas semana para estudar é uma vantagem enorme, não esperem pela APEOESP.
    Edital de convocação para a prova do dia 13 e 20/12/2009.
    11 – Não haverá segunda chamada ou nova oportunidade para prestar a prova, não podendo o candidato alegar qualquer desconhecimento sobre sua realização, como justificativa em caso de atrasos ou de não comparecimento para a prova.
    Ou todos farão a prova novamente ou………..


  415. BOA TARDE, INFELIZMENTE ACERTEI 37 QUESTÕES DE GEOGRAFIA , NÃO ESTOU SEM AULAS PORQUE SOU PROFESSOR EFETIVO DA PREFEITURA DE SP E ACUMULAVA NO ESTADO A UM ANO,INFELIZMENTE COMO TODOS OS COLEGAS NÃI TIVE TEMPO DE ESTUDAR TODA AQUELA BIBLIOGRAFIA, ESPERO QUE PELO MENOS A APEOESP CONSIGA UMA LIMINAR E POSSA UTILIZAR ESTA PORVA COMO CLASSIFICATORIA E NÃO COMO ELIMINATORIA…..BOA SORTE A TODOS VCS E FELIZ 2010……..


  416. Leio outro blog muito interessante, nele acontece de tudo e mais um pouquinho…Olha só que divertido, como este professor quebra o pensamento da maioria dos professores…

    questão é: poucas pessoas estão compreendendo, que o fator é defender uma categoria. Não estou preocupado se erro na digitação ou na escrita, tenho 48 anos, sou ex-Gerente de banco, ex-consultor técnico científico, ex-caminhoneiro, ex-consultor técnico automobilistico, ex- tesoureiro, ex-comerciante, ex-engraxate de sapato, ex-carreteiro de feira, ex- auxiliar de escritório, ex- office boy, ex-contínuo, ex-pegador de cobre e papelão na rua, ex-desempregado, e futuro ex-professor, não por incompetência mas por opção, sou caiçara, gosto da preguiça, isto é fora da lei?
    A maioria das pessoas que comunicam-se por intermédio deste fórum, não estão preocupadas umas com as outras, só querem é saber do seu, é por este motivo que o ROT,ROT, RUM, faz o que quer com vocês, ficar corrigindo os outros, fora de aula é falta de etiqueta, isto é (FALTA DE EDUCAÇÃO), São na grande maioria, consumistas, que não estão nem aí para o futuro, o que importa é o seu presente, desafio qualquer um de vocês que estão corrigindo os outros a ter mais experiência na vida do que muitos aqui, deixem de ser babcacas, só queremos conquistar um lugarzinho à sombra, porque o sol é pra todos.

    (2136)


  417. Resposta para a Elaine:

    Se você foi bem nesta prova, e se quiser ficar com esta mesma nota por três anos não , tem problema nenhum.Se a sua categoria é ofa, você agora é estável com direito de participar de todas as atribuições de aula.Somente depois de três anos é que você poderá participar de nova prova para progredir em sua nota. Se a pontuação da outra prova for menor do que a anterior, fique tranquila, pois prevalecerá sempre a nota com maior número de pontos, isto se o próximo governo não alterar absolutamente nada.


  418. È muito triste a situação dos que não conseguiram a media.Olhem site da uol, materia do dia 22 dezembro parte da educação.


  419. DESABAFO!!

    O GOVERNO PASSOU QUINZE ANOS SEM OFERECER CONCURSO AOS PROFESSORES, E QUANDO O FEZ (2005) PERMITIU QUE AQUELES QUE JÁ ERAM EFETIVOS PARTICIPASSEM DA PROVA E ASSUMISSEM OUTRO CARGO. E O QUE É PIOR FAZER O HTPC POR DEBAIXO DO TAPETE, PORQUE O ACÚMULO MUITAS VEZES NÃO É POSSIVEL…. MAS COMO NO MUNDO DOS EFETIVOS TUDO PODE…. MINHA REVOLTA É QUE EU PASSEI NO CONCURSO E NÃO ME EFETIVEI E AINDA TIVE QUE PASSAR POR ESSA PROVA!!!! POR QUE ELE NÃO CHAMOU TODOS QUE PASSARAM???
    SOU PROFESSORA HÁ 22 ANOS…. CONSEGUI PASSAR NESSA PROVA, MAS MUITAS COLEGAS NÃO PASSARAM E JÁ ESTÃO AS PORTAS DE SE APOSENTAREM. O QUE SERÁ DESSES PROFESSORES???? E A HUMILHAÇÃO QUE TERÃO QUE PASSAR?? IMAGINEM A DISCRIMINAÇÃO???
    MINHA PERGUNTA É : POR QUE NESSE PAÍS EXISTE LEI PRA ASSASSINO? PRA LADRÃO? PRA PEDÓFILO? PRA CORRUPTO? PRA ESTRUPADOR??? SERÁ QUE NÃO EXISTE NENHUMA LEI QUE POSSA NOS PROTEGER????
    COMO PODE UMA PESSOA TRABALHAR MAIS DE VINTE ANOS E TER QUE PASSAR POR TUDO ISSO???
    PARABÉNS…. PARABÉNS ….. PARABÉNS POR ESSE ESPAÇO!!!!


  420. Para Maria Marroni:

    Para os professores que ocupam dois cargos na rede pública do estado de São Paulo,em muitas das vezes, não conseguem administrar nenhum dos dois.Veja que é praticamente inviável um único professor dar conta de 50 aulas semanais,corrigindo atividades,preparando aulas de qualidade,participar de projetos, HTPCs e tudo mais.É tudo balela e faixada cumprir uma jornada assim tão estafante.O que de fato a maioria desses professores faz é entrar na sala de aula e manter um bom contato com os alunos, manter a sala em ordem e organizada, mas aula mesmo…


  421. em 26 dezembro 2009 às 09:50 Heliomara Ribeiro

    Concordo plenamente com a professora Maria Moroni. Faço das palavras dela exatamente as minhas. Pois, estou na mesma situação e era uma sentimento que sempre me incomodou. Com relação ter passado no concurso em 2005 e estar de acordo com o que o edital pedia na época q era ter pedagogia e no entanto… ficamos chupando o dedo.
    Além de termos q constantemente fazermos provas estafantes e confusas como essas.


  422. Não à prova para evolução salarial.Não façam suas incriçoes, apenas 15% ou 20% serão os privilegiados e colocados no topo da pirâmide como os melhores e mais eficientes professores.Vejamos se mais de 6 milhões de alunos poderão ser representados por apenas essa minoria.Fora, Serra! Fora, PSDB!Fora,os seletistas da educação.Não se inscrevam!


  423. As vezes me pergunto como o povo brasileiro pode aceitar tudo sem lutar, o governo só fez tolices durante anos na educação e agora a culpa passa a ser do professor afinal foi ele que não conseguiu atingir a prova, mas ninguém fala da pressão psicológica que passamos dias antes do concurso, das declarações do sr. governador …”que é inconcebível um professor não passar numa prova de testes”. Que tal aplicar uma prova no nível que foi a nossa para ele, com uma bibliografia extensa sem tempo de estudar pois tínhamos que fechar notas, entregar relatórios,etc muitos livros para serem lidos em 90 dias. Passei na prova sim, para desgosto dos nossos políticos mas parece que poucos atingiram é aconteceu o que eles queriam, a mídia só notícia o que o governo quer e quem vai nos defender, cadê nosso sindicato, BASTA não aguentamos mais.


  424. NO SITE : http://profcoordenadorpira.blogspot.com/
    TEM RESUMOS DOS AUTORES, RESENHAS, PROVAS COM
    GABARITOS, TUDO PARA BAIXAR


  425. NO SITE : http://profcoordenadorpira.blogspot.com/
    TEM RESUMOS DOS AUTORES, RESENHAS, PROVAS COM
    GABARITOS, TUDO PARA BAIXAR.


  426. em 27 dezembro 2009 às 12:14 Professora Vânia

    Sou professora do Estado a 8 anos ,sou categoria F, alcançei 38 pontos na prova e com o tempo de serviço me parece que passei, no entanto minha classificação não será muito boa.Gostaria de saber se posso ser eventual em outras escolas.


  427. ola! Acabei de me formar e nao tenho nenhum ponto, acertei 38 questoes.
    Poderei lecionar em 2010?


  428. Olá, pela primeira vez participei de um concurso do Estado. E acertei 35 questões da prova de professor temporário PIB I.
    Gostaria de saber quando sai o resultado e aonde? O que tenho que fazer agora?
    Muito obrigado Thais


  429. Boa noite,
    Na prova de peb I obtive 35 acertos e 41 em peb II. Gostaria de saber se eu trabalhar em 2010, terei que ficar 200 dias sem trabalhar?
    Obrigada, Carla.


  430. GOSTARIA DE SABER SE O PROFESSOR OFA QUE NÃO PASSAR NO PROCESSO SELETIVO E FICAR COM AS12 AULAS CONTINUARÁ A RECEBER A SEXTA- PARTE E O QUINQUÊNIO??

    CASO ESSA PROVA NÃO SEJA ANULADA. POR QUANTO TEMPO SERÁ VÁLIDA???

    OBRIGADA!!!


  431. Gostaria de saber onde posso encontrar uma explicação sobre o prazo de um ano para os professores apresentarem seus diplomas de curso superior sobre a área que atuam.
    Obrigada.


  432. Sai de uma empresa privada e quando, ja havia recebido 2/5 das parcelas do seguro desemprego,fui contratado como professor pss no parana, com 6 aulas semanais,e tive o meu seguro desemprego cancelado,como não tive a carteira de trabalho assinada, pela secretaria de educação do Estado, posso reaver as tres parcelas restante do seguro desemprego, agradeço desde já pelo apoio juridico


  433. em 29 dezembro 2009 às 13:03 professortemporario

    Rodrigo

    Acreditamos que não seja possível, pois você teria que apresentar a carteira com o registro do seu empregador. Talvez seja o caso de tentar levando o contrato de trabalho que você assinou com a sua rede.


  434. em 29 dezembro 2009 às 13:41 FATIMA APARECIDA WALFREDO

    Gostaria de saber se terei algum amparo legal, pois estou gravida e não passei na prova, sou categoria L.Poderei eventuar?


  435. sou Professora PBI E PBII CATEGORIA F E NAO PASSEI EM NENHUMA DAS PROVA GOSTARIA DE SABER SE ESTOU GARANTIDA COM AS 12 AULAS.


  436. em 29 dezembro 2009 às 20:27 professortemporario

    Fátima Aparecida

    O fato de você estar grávida não lhe garante, pois a lei 1093 especifica que o professor reprovado no processo não poderá lecionar, nem como eventual.


  437. APEOESP vai ingressar com ação judicial contra o “provão dos ACTs”
    A DEC do dia 21/12 analisou uma série de registros e denúncias de irregularidades e desorganização na aplicação das provas de 13 e 20 de dezembro. Com base nelas, ingressará com ação judicial para anular o certame, tendo em vista prejuízos causados a muitos professores, além de provas trocadas, dificuldade de acesso aos locais das provas, questões e respostas incorretas e outras ocorrências.
    Pesquisa no site
    Ao mesmo tempo, estará disponível no site da APEOESP uma pesquisa estatística onde cada professor poderá registrar, anonimamente, seu resultado em cada prova. Assim, o Sindicato terá mais dados para encaminhar a luta desta parcela da categoria.

    Fax nº79 – 22/12/2009

    Diretoria indica: março é o mês da greve da categoria!
    Em reunião realizada em 21/12, a Diretoria Estadual Colegiada (DEC) da APEOESP decidiu encaminhar à categoria a discussão sobre a greve da categoria, contra todos os ataques que vêm sendo realizados pelo governo estadual, especialmente a “promoção por mérito” (que arrebenta a nossa carreira), o provão dos ACTs e a recusa em realizar negociações e conceder reajuste salarial.
    Ficou indicado o mês de março para o início da greve; entretanto, uma reunião do Conselho Estadual de Representantes (CER), que será realizada no início do ano, avaliará o calendário e as formas de mobilização.
    A DEC reafirmou a orientação já aprovada na IV Conferência Estadual de Educação e em assembléia para que os professores não se inscrevam na “promoção por mérito”. Haverá material impresso e matéria paga dirigidos aos professores, esclarecendo os motivos do boicote e conclamando todos a aderirem.
    Nossa luta deve unir professores efetivos, temporários, readaptados e aposentados, inclusive, com as demais entidades do magistério, em torno de reivindicações como:
    - Por uma carreira aberta, que valorize o trabalho do professor em sala de aula, incorporando todas as questões que a envolvem
    - Pelo fim da “promoção por mérito”
    - Contra toda forma de avaliação excludente e que prejudique os direitos dos professores
    - Por um reajuste salarial de 27, 5%
    - Pela reposição de 6%, relativa às perdas de 2009
    - Incorporação da GAM e GG, com extensão aos aposentados


  438. QUERO AQUI EXPRESSAR MINHA INDGNAÇÃO COM ALGUNS COLEGAS DE PROFISSÃO, OS QUAIS SE GABAM DE TEREM PASSADO NA PROVA DO PROCESSO SELETIVO AO QUAL O GOVERNO DO PSDB. ÓTIMO QUE TENHAM PASSADO (O QUE É MEU CASO TB) MAS NÃO HÁ NECESSIDADE DE RECHASSAREM OS QUE NÃO CONSEGUIRAM ATINGIR O MÍNIMO. MUITOS SÃO EXCELENTES PROFISSIONAIS E NÃO MERECEM (OU MERECEMOS) SER TRATADOS DA MANEIRA COM QUE O GOVERNO DO PSDB VEM NOS TRATANDO HÁ MAIS DE 15 ANOS. POR ISSO QUE O GOVERNO NOS FAZ DE PALHAÇOS E O QUE QUER COM A EDUCAÇÃO, POIS A ATITUDE DE MUITOS COLEGAS É PERCEPTÍVEL DE QUE A NOSSA CLASSE É TOTALMENTE DESUNIDA, DESUMANA, E CRUEL. NÃO SABEMOS O DIA DE AMANHÃ, POR ISSO COLEGAS, DEVEMOS PENSAR BASTANTE ANTES DE FALAR ALGO QUE REBAIXE OU COLOQUE PRA BAIXO COLEGAS QUE NÃO PASSARAM NESSA (MALDITA) PROVA, POIS NÃO PODEMOS ESQUECE-NOS DOS FATORES: ESTRESS, CANSAÇO DE FINAL DE ANO, POUCO TEMPO PARA ESTUDO, BIBLIOGRAFIA EXTENSA, ANSIEDADE, NERVOSISMO.

    ANTES DE APONTARMOS E NOS DELICIARMOS COM AS FALHAS DOS OUTROS, DEVEMOS PRIMEIRAMENTE NOS UNIR E MOSTRAR PARA O GOVERNO QUE NÃO SOMOS FANTOCHES E OBJETO DE MANUPULAÇÃO.


  439. Tenho trabalhado no Programa Escola da Família a 4 anos. Sou da categoria F, e parece que vou ficar sem meu cargo. Ao que eu entendi, vou ter que escolher sim ou sim 20 aulas e não poderei pegar projetos depois. Estou certa?
    Desde já obrigada.
    Maria


  440. Eu acertei 52 questões. Passei!!!!!


  441. Vamos parar de falar em cancelamento da prova!!! Isso não vai acontecer… É claro que prefiro o concurso, mas a prova é uma forma democrática e legal de classificar os professores de acordo com seu conhecimento. Fui bem na prova do ano passado e cancelaram. Se cancelaram novamente vou surtar!!!!!!!!!!!!


  442. Sou PEB l e apesar de ter achado a prova um horror, consegui passar.
    No meu caso tinha que passar ou passar, senão estaria fora do Estado o ano que vem, pois sou da categoria L, apenas porque não estava com uma sala atrubuída no dia 02/06/2007, mas nunca deixei de eventuar.
    Sou solidária aos coilegas que não conseguiram a pontuação necessária, pois não passar na prova de forma alguma significa que o professor é incompetente.
    Colegas, o que vcs acham dessa divisão, F,L,O, e tantas outras letras?
    Se existir a possibilidade de derrubar essa prova, com certeza as letras também poderão ser derrubadas.
    Quem é da categoria F e não passou na prova tem 12 aulas garantidas e poderá fazer a prova novamente o ano que vem e mudar sua situação, agora pergunto: e os L, vendem banana ou morrem de fome.
    Todos os professores merecem respeito.
    Obrigada


  443. Colegas: Sou categoria S , não passei na prova, e olhe!!!que já dou aulas( como eventual )desde 2004!!! Passei, e muito bem o ano passado, quando a prova foi cancelada…agora, fui mal. Não tenho a menor idéia do que vai acontecer comigo, mas vou esperar ,AQUI DE CIMA , a hora que faltar professores….a hora em que os alunos estiverem “de janela” e as escolas tiverem que apelar…..pra quem? quem? quem? Nesta hora, o ideal seria que a categoria fosse realmente unida! Seria hora de “fincar pé” e fazer nossas reivindicações, impor nossas condições, fazer valer nosos direitos… Estão precisando de nós?? Então, nos valorizem!!!! Vamos esperar : nada melhor do um dia atrás do outro! Enquanto isto, comemoremos a chegada do Novo Ano, com muita fé em que dias melhores virão ! Um brinde aos desejos satisfeitos de cada um de voces! Amém!


  444. COLEGAS DE TRABALHO E BATALHA, ESTOU CONFIANTE DE QUE A APEOESP IRÁ CONSEGUIIR ALGUM RESULTADO POSITIVO AOS QUE NÃO CONSEGUIRAM ATINGIR A MÉDIA NA PROVA SELETIVA. TENHO CERTEZA DE QUE OS QUE NÃO CONSEGUIRAM NÃO FOI POR INCOMPETÊNCIA, MAS SIM POR QUESTÕES ATÉ MESMO PESSOAIS (OS QUAIS NOSSOS ALUNOS PASSAM E TEMOS QUE LEVAR EM CONSIDERAÇÃO).
    CONCORDO COM A PROVA, MESMO PORQUE É O QUE EXIGE A CONSTITUIÇÃO FEDERAL, MAS QUE SEJA UMA AVALIAÇÃO JUSTA, SENSÍVEL, CLASSIFICATÓRIA E FORMATIVA, COMO É O DISCURSO DE TODAS AS RESOLUÇÕES, LEIS, PCNs E DECNs E A PRÓPRIA LDB. NÃO PRECISARIA SER FEITA UMA AVALIAÇÃO AUTORITÁRIA COMO FOI ESSA DE 2009. AVALIAÇÃO ESSA, NÃO SÓ AUTORITÁRIA, MAS EXCLUDENTE E ELIMINATÓRIA. DE QUE ADIANTA SABERMOS DE TUDO ISSO, DE QUE ADIANTA SERMOS OBRIGADOS A APLICAR ESSE TIPO DE AVALIAÇÃO DENTRO DAS ESCOLAS COM NOSSOS ALUNOS, SE O QUE O GOVERNO NOS ENFIA “GUELA” ABAIXO É EXATAMENTE O CONTRÁRIO?!

    ESTAMOS EM PLENO SÉCULO XXI E AINDA VIVEMOS COMO NOS SÉCULOS XXI, XII…XV, ONDE OS DÉSPOTAS SE REGOSIJAVAM COM AS DESGRAÇAS DOS MAIS FRACOS E MENOS ABASTADOS.

    SERÁ MESMO QUE ESTAMOS VIVENDO NUMA DEMOCRACIA???

    CHEGA DO AUTORISMO DESPÓTICO DO PSDB.

    VAMOS USAR NOSSAS VOZES EM NOSSA SALAS DE AULA E FAZER O QUE PREVÊ A LDB “FORMAR CIDADÃOS CRÍTICOS E AUTÔNOMOS”, SÁBIOS PELAS SUAS ESCOLHAS. FAÇAMOS COM QUE NOSSA COMUNIDADE NOS ESCUTE E ENTENDA QUE NÃO PODEM VIVER DE MIGALHAS COMO: BOLSA “ESMOLA”, KIT DO ALUNO, VALE TRANSPORTE. PRECISAMOS DE QUALIDADE NA EDUCAÇÃO, UMA FORMAÇÃO CONTINUA DE QUALIDADE, SALÁRIOS DÍGNOS, E MENOS ROUBOS DOS POLÍTICOS QUE O POVO ESCOLHE.

    ESSA SERÁ NOSSA ÚNICA SAÍDA. SOMOS A MAIORIA, E SE NOS UNIRMOS, PODEMOS ESCLARECER NOSSA COMUNIDADE ESCOLAR, E TORNÁ-LOS CIDADÃOS ATIVOS, E SUJEITO ATIVO DA HISTÓRIA.

    ABRAÇOS E QUE TODOS TENHAM UM MARAVILHOSO E MAGNÍFICO 2010, POIS SERÁ UM ANOS DE ELEIÇÕES!


  445. Já enviei uma pergunta, porém não obtive resposta. Sei que este espaço não se destina a responder a todos, mas li ‘todos’ os artigos, perguntas e respostas e não consegui esclarecer minha dúvida. Não consegui descobrir a qual categoria pertenço. Em 04.04.2008 iniciei no estado como eventual, fiquei 3 meses e consegui estágio em uma escola particular. Retornei em março de 2009 e eventuei até dezembro de 2009 nunca peguei aulas em atribuições, pois não coincidiam com as minhas aulas na escola particular. Desce o início as descrições em meu demonstrativo de pagto são: cargo/função atividade – F/06407- Prof Ed.Bás.I – categoria ADM.LEI 500/74 – EVENT RGPS. Pelas respostas sou da categoria ‘L’, mas por não ter aulas atribuídas sou ‘L’ ou não? Se participar de atribuições(consegui 50 acertos) terei o ‘gancho’ de 200 dias? Posso continuar como pseudo-eventual, haja vista que a categoria não existe mais??Desculpe-me insistir, mas estou realmente em dúvida. Obs. Terminei o curso de Letras, agora em dezembro de 2009.
    Muito obrigada


  446. em 31 dezembro 2009 às 14:41 professortemporario

    Agda

    Se você foi aprovada no processo seletivo, será enquadrada numa categoria da lei 1093, possivelmente O. Assim, você estará submetida às novas regras, que incluem o gancho de 200 dias


  447. em 31 dezembro 2009 às 14:58 Vera Lucia Araujo

    Acho muito difícil o cancelamento da prova,por se tratar de lei , mas penso que se a Apeoesp conseguisse torná-la Classificatória, incluindo tb os professores que não conseguiram chegar no horário por N motivos, daria chance para a maioria trabalhasse em 2010, a concorrência seria maior é claro em virtude daqueles que conseguiram uma classificação melhor, não excluindo os demais dando-lhes o direito de participar de atribuições no decorrer do ano até a nova prova já seria de bom tamanho.
    Agora não é justo que professores que ralaram o ano inteiro substituindo aqui e ali para garantir o sustento da família, tapando buracos, cobrindo míseras licenças em troca de uma ninharia, não é justo que estes EDUCADORES fiquem fora por conta de uma avaliação discriminatória no meu ponto de vista.Sem contar aqueles professores que participam das atribuíções, garantem suas aulas, e em seguida entram de licença, retornando na maior cara de pau um dia antes de terminar o ano letivo, deixando os Ofas, ,F,L,O……sem nada,e alguns desses estarão em 2010 fazendo a mesma coisa.
    Mas………..como diz o jargão: A união faz a Força, e como diz um amigo meu, Nova Vingança será na sala de aula, pois somos formadores de opinião….e no que depender de mim, Serra vai ser Presidente do Suriname…aqui não………..

    Vera


  448. em 31 dezembro 2009 às 15:21 FATIMA APARECIDA WALFREDO

    No caso da falta de eventual na escola, se for comprovado a necessidade do mesmo, mesmo os que não passaram na prova sendo categoria L, e categoria S como eventual vou poder trabalhar?


  449. em 31 dezembro 2009 às 15:57 professortemporario

    Fátima Aparecida

    Não.


  450. preciso de orientações…
    Em junho de 2009, assumi uma sala de RA (1 mês). No entanto, trabalhava como eventual em duas escolas. Só que as aulas dadas como(eventual) no mês de junho foram “rejeitadas” pelo sistema. Contudo, ligava varias vezes para secretaria que dizia:-seu pagamento atrasado sairá no próximo mês. Chegava o mês e nada. Para finalizar, fui a DE no qual fui informada de que a escola organizou a papelada e eu provavelmente iria receber em novembro. Bom… já estamos quase em janeiro de 2010… e, eu ligo para a secretária ela diz que já fez o que poderia fazer; ligo para DE e eles dizem que devo ligar para a escola o que fazer para receber essas aulas? Pois, perdi a prova dos temporários e estou desvinculada do Estado em 2010…


  451. preciso de orientações…
    Em junho de 2009, assumi uma sala de RA (1 mês). No entanto, trabalhava como eventual em duas escolas. Só que as aulas dadas como(eventual) no mês de junho foram “rejeitadas” pelo sistema. Contudo, ligava varias vezes para secretária que dizia:-seu pagamento atrasado sairá no próximo mês. Chegava o mês e nada. Para finalizar, fui a DE no qual fui informada de que a escola organizou a papelada e eu provavelmente iria receber em novembro. Bom… já estamos quase em janeiro de 2010… e, eu ligo para a secretária ela diz que já fez o que poderia fazer; ligo para DE e eles dizem que devo ligar para a escola o que fazer para receber essas aulas? Pois, perdi a prova dos temporários e estou desvinculada do Estado em 2010…


  452. ACONTECEU COMIGO……

    DUAS SEMANAS ANTES DO TÉRMINO DO ANO, MINHA QUERIDA E MUITO SIMMMPÁÁÁÁTIIIICAAAA COORDENADORA (EFETIVA) COLOCOU UM AVISO NA SALA DOS PROFESSORES DIZENDO QUE OS ACTS DEVERIAM ESVAZIAR SEUS ARMÁRIOS E DEVOLVER AS CHAVES(É CLARO QUE ELA FEZ QUESTÃO DE ESCREVER O NOME DE TODOS).
    CONFESSO QUE FIQUEI CHATEADA !!!! PORQUE ISSO DÓI…
    DEVOLVI TUDO O QUE TINHA NO MEU ARMÁRIO…. MAS NÃO DEVOLVI MINHA DIGNIDADE….MEUS SONHOS…. MINHA ESPERANÇA QUE UM DIA SEREMOS TODOS IGUAIS!!!!
    AH!! MAS AS CHAVES… EU NÃO DEVOLVI!!! COMPREI COM O MEU DINHEIRO!!!!!
    E SABE QUAL É A MINHA MAIOR FELICIDADE??? É SABER QUE O SERRA TAMBÉM NÃO É EFETIVO………………………………….


  453. Muito obrigada por responder o que solicitei, mas posso ‘não participar’ de atribuições e ir dando as aulas como ‘pseudo-eventual’? Acertei 50 questões de LP(PEB II), ou sou obrigada a pegar aulas atribuídas??
    Agradeço novamente


  454. Muito obrigada por responder o que questionei, mas sou obrigada a participar de atribuições, já que fui aprovada???Posso continuar ‘eventuando’?
    Grata


  455. Olác….que bom poder contar com alguém que está do nosso lado( OFA )

    Me tire essas dúvidas:

    * Essa prova que nós fizemos é classificatória ou eliminatória?

    * Todos que passaram vão participar da atribuiçao com a mesma pontuaçao que terminaram o ano em 2009? isso é..a prova nao acrescentará nada na pontuaçao?

    *O ofa categoria F que passou na prova, mesmo com menos pontuaçao que um ofa categoria L, escolherá sala na frente ou nao?

    Espero que vcs me respondam.
    Um abraço


  456. em 1 janeiro 2010 às 22:12 professortemporario

    Agda

    Apenas os professores da categoria F são obrigados a participar de todas as atribuições, até completarem 20 aulas. Você, se não quiser, não precisa participar de nenhuma e se participar, pode escolher assumir ou não as aulas


  457. em 1 janeiro 2010 às 22:13 professortemporario

    Elvira

    Leia a Caixa Preta da Educação


  458. Boa tarde!
    Sou professora d o estado desde 1999 e este ano no mes de junho a minha catregoria de F mudou para L sem me informarem apenas alegaram que era por eu ter atribuido 8 aulas , mas eu já tinha 24h/aulas atribuidas desde fevereiro de 2009.
    Hj me vejo com meus direitos barrados e uma vida funcional de 11 anos perdida. I que posso estar fazendo para recorrer pelos meus direitos??


  459. em 2 janeiro 2010 às 17:39 ´´Ericles

    Rosa:

    Procure A APEOESP o mais rápido possível.Pelo que me conste não houve nenhum desligamento seu e da Secretaria da Educação.Em 2008 perdi 32 aulas em substituição e fiquei provisoriamente por 2 semanas com apenas 2 aulas.Veja que você não perdeu o vínculo com o estado.Para agilizar ligue para a APEOESP 3050-6000 e esclareça suas dúvidas,depois é só procurar a Diretoria de Ensino da sua região e entrar com recurso.Boa sorte! Confie em Deus,que Ele certamente a ajudará.


  460. em 2 janeiro 2010 às 17:40 ´´Ericles

    Leia-se: Rosana e não Rosa.


  461. em 2 janeiro 2010 às 19:17 Eliane miriam

    Eu não passei na prova e gostaria de saber se eu vou poder participar do concurço p/a efetivar agora em março sou da categoria s…aguardo resposta


  462. em 2 janeiro 2010 às 19:22 Eliane miriam

    desculpa pelos erros ortográficos,digitei muito rápido e qdo vi tinha errado ao teclar….


  463. em 2 janeiro 2010 às 19:33 ´´Ericles

    Eliane:

    Independentemente passando ou não nessa prova dos OFAS, você poderá inscrever-se para o concurso para PEB II.Boa Sorte! É só estudar bastante ,acreditar e ter fé em Deus.Você pode encontrar todods os resumos da parte pedagógico no site da APEOESP


  464. em 2 janeiro 2010 às 20:45 nanci boschi teodoro

    Sou professora de mat./física desde 2006 penso que poucos passaram por que os professores que tinha carga completa dando aulas manhã e noite que horas ia estudar ,não importa quantos pontos fizeram foram muito bem não somos nem ,melhor e muito menos pior .Que os colegas que não passaram ,muitos estavam fechando nota ,corrigindo prova ,fazendo conselho,fechando diário ,entregando tarjetas ,fazendo reunião de pai, dando recuperação para os alunos ,preparando a recuperação tudo isso nas semanas da prova sem menosprezar os colegas que passaram . Muitos sabem que a vunesp e o 3º vestibular mas, concorrido ,para os professores que ministra aulas em cursinho trabalho para que os alunos estudem pelo menos 8 horas por dia .Que a prova ira ser sul real todos já sabia,que não ia conseguir também não tivemos tempo viável .Para os que tiveram mas tempo parabém


  465. em 2 janeiro 2010 às 21:25 Eliane miriam

    Ericles eu não sou associada da apeoesp,estou desesperada não sei o que fazer,vc tem o material e os resumos da parte pedagógica,poderia me mandar por esse email eliane88_2001@yahoo.com.br…se vc poder fazer isso por mim agradeço de coração….que jesus te abençoe….bjss


  466. Para Eliane:

    Segue o endereço de um blog onde você poderá ter acesso a todos os documentos da parte de legislação mais a bibliografia dos autores solicitados para leitura.Quanto à parte específica, também estou procurando.Qualquer dúvida, estou a inteira disposição neste mesmo blog.É só contactar.Valeu!

    ENDEREÇO: concursoprofessorsp.spaceblog.com.br (no-reply@hi-pi.com)


  467. Tive 61 acertos no concurso de temporários. Nunca dei aula antes. Conseguirei aula este ano? Em que categoria me incluirei?


  468. em 4 janeiro 2010 às 02:45 Eliane miriam

    obrigada Ericles pela ajuda ,me mandaram por email
    APEOESP
    REVISTA DE EDUCAÇÃO
    BIBLIOGRAFIA
    PARTE GERAL – PEB II
    se vc não tiver eu te mando por email,vc me passa seu email que enviarei para vc………..mais uma vez muito obrigado mesmo se precisar de mim e estiver ao meu alcance ajudarei com muito prazer……Um feliz ano novo p/a td sua familia e principalmente p/a vc….bjss amiga


  469. Boa tarde!
    Estou com alguma dúvidas, no processo seletivo de PEBII de Língua Portuguesa, fiz 43 pontos, porém nesse ano de2010 termino o curso de letras, então eu posso assumir aulas?
    E se por acaso, eu conseguir aulas atribuidas pela lei1093, cas passe no concurso náo poderei lecionar no ano de 2011,pois, existe esse gancho de 200 dias?
    Estando no último ano de Faculdade,posso realizar o concurso.pois, acho que o diploma será apresentado somente na efetivação?
    Então o correto seria ficar sem aulas nesse ano, para quem sabe ser aprovada no concurso e pudeu lecionar no ano de 2011?
    Por favor, ajude-me estou com muitas dúvidas.
    Obrigada!


  470. em 4 janeiro 2010 às 17:58 alda guedes

    Por favor alguem poderia me enviar por e-mail o conteudo que caira na prova de março/2010 ling portuguesa

    Grata

    aldaguedes@yahoo.com.br


  471. Gostaria de sABER se já saiu as datas da inscrição para o concurso? Estou indo viajar e meio apreensiva com isso.


  472. Alda Guedes:

    Basta vc consultar o site da Apeoesp e pesquisar boletim urgente que vc o encontrará,caso contrário ligue para o sindicato : 3350-6000 que eles a informarão.

    Para a Fernanda:

    As datas ainda não foram confirmadas,entretando, em breve deverá sair alguma coisa.Fique de olho e boa viagem!


  473. em 4 janeiro 2010 às 19:58 professortemporario

    Soraya

    Para 2010 dificilmente você poderá lecionar, mas quanto ao concurso, considerando o ano eleitoral, a convocação dos aprovados só ocorrerá em 2011. Até lá, tem tempo para você concluir seu curso


  474. Aqui na zona leste, em Ferraz de Vasconcelos, estão todos desesperados, precisamos fazer alguma coisa, no meu caso consegui acertar as 40 questões, mas estou junto com os meus amigos, a favor da anulação da prova. Isso é um absurdo, estudamos, nos sacrificamos para pagar o curso na universidade para depois sermos tratados dessa forma, todo nosso esforço jogado no lixo. Pior ainda é saber que muitos da nossa classe ainda vão votar no Serra para presidente, aí o país ficará na pior literalmente. È bom refletir!!!


  475. Voces podem me informar se somente professores com CATEGORIA F poderão fazer a prova de processo de promoção marcado pela secretaria da educação?


  476. em 5 janeiro 2010 às 00:51 professortemporario

    Elvis

    Essa prova é para os efetivos e professores estáveis


  477. Se mais uma vez cancelarem está prova, os ofas continuarão, sendo vistos como incompentes.Infelismente. boa sorte.


  478. em 5 janeiro 2010 às 16:52 alda guedes

    Obrigada
    SR Ericles
    e
    Eliana


  479. em 6 janeiro 2010 às 12:13 alda guedes

    Por favor alguem conhece algum cursinho para professores
    em sp ou guarulhos
    por favor informar tel
    obrigada


  480. Geralmente, para os efetivos , as atribuiçöes de classe sáo feitas na U.E, depois as sobras de classes ,vão para a diretorias de ensino para atribuirem aos OFAS

    Voces saberiam me informar se para os estáveis categoria F também será atribuida na U.E ?


  481. em 7 janeiro 2010 às 10:30 professortemporario

    Elvira

    Para os estáveis a atribuição será na DE


  482. Olá, gostaria de tirar uma dúvida, sou licenciado em Filosofia, portanto PEB II, mas fiz a prova para PEB I e não consegui devido ao trânsito na Vila Mariana fazer a prova de PEB II, com a prova que eu fiz e acertei 36 questões poderei participar do processo de atribuição ou não?


  483. Obrigada pela resposta.

    Para os estáveis será na DE, tudo bem, mas será antes dos que são categoria L e que tbm passaram na prova ou não?


  484. EU sou da categoria ofa fiz a prova não passei.

    Eu não posso da aula esse ano.
    Obrigado..


  485. em 7 janeiro 2010 às 16:19 Léia Ribeiro

    Resolução de atribuição de aulas

    No dia 30 de dezembro, a Secretaria de Estado da Educação publicou em “Diário Oficial” a Resolução 98, de 29/12/09, que dispõe sobre o processo de atribuição de classes e aulas para o Quadro do Magistério. Segundo análise preliminar da Secretaria de Legislação e Defesa do Associado, de um modo geral a Resolução 98 está muito parecida com as anteriores, porém foram constatados alguns problemas:

    1- A resolução dá poderes de atribuição ao diretor de escola dos quais discordamos. Os prejudicados devem procurar o jurídico para ação individual.

    2- A resolução ainda fala de projetos da Pasta, por exemplo, aulas da Fundação Casa.

    3- Classifica os professores L e O na mesma faixa para a atribuição.

    4-A atribuição de aulas para os ACTs será na Diretoria de Ensino, e atribuição na diretoria é feita sem o tempo de casa. Segundo o estabelecido anteriormente pela própria SEE, a nota da prova dos ACTs teria o mesmo peso que o tempo de serviço. A nota máxima da prova é 80 pontos. A nota máxima do tempo de serviço deveria ser 80 pontos, mas não é, porque é contato, destes 80, o máximo de 10 pontos como tempo de casa, que não será utilizado para a atribuição na fase inicial para os ACTs.

    5- A Lei Complementar 1093/2009 não determina que o professor “Categoria L” que não tenha atingido a nota mínima não possa participar da atribuição, mas a Resolução de Atribuição de aulas determina isso.

    6- Sobre o Artigo 22 da LC 444/85. Já há Ação Coletiva na Justiça.

    7- Turmas de treinamento. Ainda não está sendo tratada como aulas, porque limitam-se as turmas que podem compor a jornada do professor.

    8 – Há problemas na redação do artigo 18, § 2º, porque ali é dito que só pode se cadastrar para atribuições ao longo do ano letivo aquele professor que foi aprovado na prova. Na verdade não é na prova, mas no processo seletivo simplificado ou no processo de avaliação anual.

    Informamos que a APEOESP está buscando um contato com a Secretaria da Educação para discutir estes problemas e buscar soluções.


  486. em 7 janeiro 2010 às 16:27 Léia Ribeiro

    É lastimável… nosso governador deveria investir em capacitacao, qualificacao e só entao, exigir algo…
    Acredito, que somente após o dia 25 de janeiro, sairá algo oficial.
    Até lá é relaxar e torcer para que tudo de certo.
    Boas Férias!!


  487. em 7 janeiro 2010 às 17:06 professortemporario

    Alexandre

    Se você não tiver a habilitação para PEB I não poderá participar da atribuição de PEB I. Você erá barrado na hora de apresentar a documentação


  488. em 7 janeiro 2010 às 17:06 professortemporario

    Alexandre

    Se você não tiver a habilitação para PEB I não poderá participar da atribuição de PEB I. Você será barrado na hora de apresentar a documentação


  489. em 7 janeiro 2010 às 17:15 Léia Ribeiro

    Leiam no site da udemo, apeoes e cpp, estao falando em greve ao iniciar o ano letivo, vale dar uma olhadela no site da udemo em boletim do magisterio.


  490. Olá professor, sou categoria L e acertei 38 questões, tenho 8,162 pontos poderei ou não lecionar em 2010? Por favor, me responda. Grata.


  491. Gostaria de saber sou contratada desde 1983 ate 2009 ,quais são os meus direitos , meu contrato encerrou dia 19/12/2009. vou ser contratada novamente ,onde fica os meus direitos ,agora se eu nõa for bem classificada fico desempregada ,não acho justo ,trabalhei 23anos para o estado de sc ,o que devo fazer .procurar um advogado ,ou entrar com uma ação np ministériopúblico ,perdi a estabilidade por interrupção de 4dias .


  492. Mas será que ninguém avisou o Exmo.Governador que o Senhor Paulo Renato é um cabo eleitoral ao avesso,ele não arrebanha o admirável gado novo,mas sim, dispersa. Principalmente,os velhos que o Exmo.Governador diz ter se preocupado tanto;é exames de cataratas,papanicolau etc. E agora vem esse senhor com essas medidas contra os professores.Quer pagar pra ver Governador! e depois ter alguém para atribuir sua derrota.Ok!


  493. em 7 janeiro 2010 às 23:05 professortemporario

    Sandra Regina

    Você precisa esclarecer melhor as informações que colocou. Procure contar seu caso em detalhes, citando e rede em que leciona, o tipo de contrato que teve.


  494. Eu tenho 50 anos de idade e sou professor ACT da Rede Estadual a dez anos,portanto,categoria F.Conheço bem a realidade de uma sala de aula da periferia da grande São Paulo, principalmente do ensino médio.Gosto muito de trabalhar com esses alunos,mas nunca estou fixo em uma única escola em função da atribuição anual.Por isso,estou fora do processo de evolução salarial e fora também da sala de aula porque não passei em uma única e enorme prova, obtendo suados 28 pontos.Enfim,depois de tanto tempo não posso mais ser professor.Estou muito triste com esta situação.


  495. Olá, Adir:

    Assim como vc, muitos outros professores também não conseguiram passar.Há um site que está fazendo uma enquete de aprovados e não-aprovados e o número dos que não conseguiram já chega a quase em 65%.Fique tranquilo,não se desespere e nem sofra por antecipação.Muitas coisas ainda vão acontecer até o final do mês de janeiro.Assim como faltaram muitos professores em 2009, creio que em 2010, se não houver alguma alteração na lei, a coisa será pior.Veja que tudo na vida concorre para o bem.Ápenas confie com muita fé em Deus.Quando já não suportamos mais carregar os nossos pesos, deixe-os para quem toma para si todas as nossas dores.Valeu!


  496. Olá amigos,

    Infelizmente até agora não tivemos nenhuma resposta do ESTADO sobre o resultado da prova dos professores ofas ( ACT).

    Em contato com a APEOSP, área jurídica fui informada que entre os dias 11/01 é 20/01 será publicado alguma coisa pelo ESTADO, pelo que consta muita gente entrou com recurso referente a questões com duas ou mais repostas corretas ou até mesmo por erro na formulação das perguntas. Eu mesma entrei com recurso de 7 questões na prova de arte doa dia 13/12, vamos esperar…..

    ABraços,


  497. Apenas comentando…

    Certa momento me perguntaram pq eu seria uam educadora?!;

    Minha resposta foi com muita certeza: Porque amo o ser humano e como dizia o mestre “PAULO FREIRE” quem não gosta de gente não pode ser um professor..

    Ai pergunto aos amigos deste forum: É POSSÍVEL QUE O GOVERNO DO PSDB NO PODER PAULISTA A MAIS DE 15 ANOS, POSSA GOSTAR DE GENTE? GENTE QUE LUTA PARA CRESCER E ENTENDER O PQ DAS DIFERENÇAS?

    Eu como arte educadora em visita a um museus um aluno da rede pública dizer ao amigo,” eu não sabia que museus é gratruito” ( bom quase todos são srs), mas na verdade suas palavras me fizerem refletir em várias coisas, porém alguns até hoje penso:
    * É Muito estranho o nossa ESTADO falar tanto de qualidade, mudanças, etc, quando a prórpia elite discrimina a todos de uma unidade escolar, por exemplo: ENQUANTO UM PROFESSOR DA REDE PRIVADA FILHO TALVEZ DO SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO OU ATÉ MESMO NETO DO GOVERNADOR, GANHE CERCA DE R$ 5.000,00 ( CINCM MIL REAIS) MENSAIS, FORA BENEFÍCIOS COMO BOLSA INTEGRAL AOS FILHOS, ETC.

    Certamente este educador por realizar uma viajem cultural por ano, assinar revistas, comprar livros e até mesmo pagar um MESTRADO OU DOUTORADO.

    É amigos é duro viu mas, não podemos desistir assim já dizia Paulo Freire, “educar tabém é um ato de amor e paciência sobre tudo…”

    Lutar sempre, desistir jamais!!!!!!!


  498. Olá…

    Sou professora temporária do estado de Santa Catarina. Há um ano estou efetiva 20h em uma escola particular e, ano passado, fui impedida de assumir somente 20h no estado. O estado alega que as vagas oferecidas são de 40h e não podem ser desmembradas, sendo que isso ocorria em anos ateriores.

    Nós professores não concordamos, visto que no edital do processo seletivo não constava nenhum item relacionado a esse requisito, e como não bastasse o estatuto do magistério preve a opção de 20h ou 40h.

    Procuramos um advogado e entramos com uma ação contra o estado. Num primeiro momento o advogado nos deu a garantia de causa ganha, mas logo após a primeira audiência retornou com outro discurso.

    Penso em reabrir o processo com outro advogado. Gostaria de saber sua opinião e se tem conhecimento de outro caso semelhante.

    Obrigada pela atenção!


  499. Olá novamente…

    Gostaria de saber qual o salário inicial para professor PEB II efetivo da prefeitura de São José dos Campos. Como funcionam as gratificações e o plano de carreira e salário? E a carga horária?

    Pesquisei mas não encontrei nenhum site que me fornecesse essas informações…

    Obrigada desde já!


  500. em 8 janeiro 2010 às 22:21 professortemporario

    Inês

    Se as aulas na rede estadual são para contratos temporários, o Estado não tem a obrigação de quebrar os blocos. Mas, se forem aulas efetivas, o Estado deve atribuir o saldo referente a um cargo, que varia entre 16 e 24 aulas dependendo da rede.


  501. em 8 janeiro 2010 às 22:32 professortemporario

    Inês

    Está aberto um concurso público para PEB I e PEB II de todas as disciplinas, com exceção de Português e Matemática, para cargo efetivo na rede de São José dos campos. Pelo edital, o valor da hora aulas é cerca de 8,25. o plano de carreira prevê o acúmulo de gratificações de 10% a cada três anos de serviço sem exceder o limite de licenças, mais 10% para curso de licenciatura em outra disciplina, mais 10% para pós graduação lato-sensu, mais 10% para mestrado e 15% para doutorado. além disso tem vale-transporte e tíquete de alimentação, no valor próximo de 280,00 por mês. Nessa rede o HTPC não é obrigatório, mas quem faz precisa cumprir cinco horas relógio no período contrário em dois dias da semana e recebe os valor dessas aulas e uma gratificação de 20% sobre o salário base.

    No entanto, nessa rede existe uma carga de trabalho burocrático incrível, pois quase todo serviço que no Estado é feito pela Secretaria da escola na rede de São José é responsabilidade do professor (inclusive a digitação das notas no sistema de informática)

    Mais informações:
    http://www.pciconcursos.com.br/concurso/prefeitura-de-sao-jose-dos-campos-sp-22-vagas


  502. GALERA LEIAM POR FAVOR: é o seguinte, sou formado em matemática, pós graduado e mestre em ed. matemática, voceis acham q passei na provinha? não por que quis, agora o que gostaria que TODOS entendessem é que não adianta passar ou não o que temos que lutar é por SALÁRIOS MELHORES, MAIS DISCIPLINA EM SALA DE AULA, ORGANIZAÇÃO, DE QUE ADINATA PASSAR E AI OS “MELHORES” QUE É O QUE ELES DIZEM QUE QUEREM ENTRE EM SALA DE AULA, ai voce passa e chega ao final do ano letivo temos que passar todas aquelas beldades que conhecemos, se é para passar todos para que ter os melhores? NOSSA CATEGORIA É MUITO DESUNIDA… PRECISAMOS NOS UNIR E PARAR DE ABAIXAR A CABEÇA… VAMOS LUTAR POR NOSSOS DIREITOS… É ISSO QUE TEMOS QUE FAZER… E ACABAR COM A GRAÇA DESSE CARACA SEM VERGONHA QUE AINDA QUER VIRAR PRESIDENTE…… EXISTE ISSO? MAIS UNIÃO GALERA….


  503. Muito obrigada pelas informação, me ajudaram muito!

    Parabéns pela iniciativa desse trabalho!

    Obrigada!

    Att, Inês.


  504. Professor!
    Li a resolução,SE 98 de 29/12/2009, e não tenho certeza de que quem não conseguiu acertar 40 questões , vai poder escolher.
    Está valendo aquele comentário que poderemos aproveitar o tempo de serviço para completar os 40 pontos?,acertei só
    34 questões e tenho 15 anos de magisterio. Será que conseguirei escolher. Obrigada


  505. O que sErá dessa classe! NUM PAÍS ONDE UM JOGADORZINHO DE FUTEBOL , GANHA MENSALMENTE O QUE O PROFESSOR LEVARIA DECADAS PARA GANHAR.


  506. Estou fazendo cursinho no claretiano para Peb II parte pedagogica se alguem se interessar
    3256-8137
    fica na xavier de toledo SP


  507. em 11 janeiro 2010 às 13:41 Regina Bertoncin

    Boa Tarde!

    Passei no concurso realizado para prof. L.P. Nunca dei aula antes.

    Onde devo ir para saber se conseguirei aulas este ano?

    Minha inscrição foi para a DE Norte de Guarulhos.


  508. Boa Tarde,

    Alguém sabe me dizer se vai ter cursinho para a prova de Peb II em São José dos Campos?

    Grata
    Veri


  509. em 12 janeiro 2010 às 09:43 Angela Mendes

    Trabalhei esse ano de 2009 na prefeitura da cidade onde moro como eventual. Que eu saiba teria direito ao FGTS mas ele alegam que não pois os professores efetivos são estatutarios. por isso não temos direito. O que devo fazer tenho direito não tenho? Quais providencias devo tomar. Desde já agradeço.


  510. Olá

    Mobilizem um protesto contra essa prova absurda de promoçao salarial…..o Serra precisa entender q professor nao eh bobo.

    por favor professores…vamos unir a nossa força mais do que nunca

    precisamos reagir a essa situaçao ridícula.

    Nos orientem por favor…estamos no mato sem cachorro e sem gato.


  511. em 13 janeiro 2010 às 10:22 Joelma Porto

    DEPARTAMENTO DE RECURSOS
    HUMANOS
    Portaria DRHU-06, de 12-1-2010
    Fixa datas e prazos para a divulgação da classificação
    dos inscritos no processo inicial de atribuição
    de classes e aulas de 2010.
    http://professortemporario.wordpress.com/2010/01/13/calendario-2010-divulgacao-da-lista-dos-professores-classificados/


  512. Boa tarde!

    Vejam o comunicado que o sindicato(Apeoesp) faz em seu Sit, vamos todos nos unir no dia 15/01/2009 às 14 horas na Praça da República, para lutarmos pela anulação da prova para ACTs.

    PELA GARANTIA DO EMPREGO
    PELA ANULAÇÃO DO PROVÃO DOS ACTs

    Todos à Praça da República dia 15, às 14 horas

    A APEOESP convoca todos os professores para que participem de um ato público estadual na Praça da República na próxima sexta-feira, 15, a partir das 14 horas, contra a avaliação excludente promovida pela Secretaria da Educação (o provão dos ACTs). Na quinta, 14, as subsedes promoverão atos regionais.

    É fundamental a participação de todos. Somente a nossa mobilização poderá assegurar empregos e impor ao governo que recue.

    Uma comissão composta pela diretoria da APEOESP e professores da base reunidos na sede central na tarde do dia 8, dirigiram-se a Secretaria da Educação para protocolar um documentos contendo as reivindicações da categoria e pedindo o agendamento urgente de uma reunião com o secretário da Educação. No documento, é solicitada a anulação da prova ou, no mínimo, que ela tenha caráter classificatório para a atribuição de aulas. É solicitada ainda que os cerca de 600 professores que prestariam a prova na unidade Vila Maria da Uninove, e não conseguiram chegar a tempo em função de um grande congestionamento no entorno, possam fazê-la.


  513. Fico triste quando leio alguns comentários,e percebo com clareza porque estamos nessa situação.colegas que convivem com as mesmas realidades ficam completamente cegos diante da imposição de um governo que tudo fez para nos prejudicar.Gostaria de responder a cara colega que esta se achando porque conseguio uns mísseros pontos que talvez se não fosse a luta de nosso sindicato náo teria conseguido sua classificação,esta se achando porque? não conseguio atingir nem 50%.O nobre colega, sexta feira vou a assemléia lutar por mim,por você e demais colegas.


  514. Todos amanhã no movimento da Apeoesp


  515. Fatima O que pude perceber até agora é:ou o governo muda e reconsidere, já que vai haver concurso em março ou ele não terá BABA para cuidar de nossas crianças,a não ser que ele coloque esse bando de ¨COMPETENTE¨para cuidar delas.


  516. Por gentileza, li o caixa preta mas não consegui interpretar se a categoria F (estáveis) vai participar da atribuiçao antes dos categoria L que passaram na provinha.

    Sou categoria L e passei na prova…..Dizem que o professor categoria F que tiver menos pontuaçao que eu vai escolher sala na minha frente.
    Isso é verdade?

    vcs saberiam esclarecer essa minha dúvida.

    Ficarei muito agradecida.


  517. Sou professor temporário do Estado Ceará desde 2006, e não conheço muito bem os meus direitos. Lendo aqui alguns comentários deixados por outros professores, percebi que os temporários daqui estão em grande desvantagens! pois não temos direito a nada quando termina os nossos contratos. São somente descontado o INSS. Como faço para adquirir todos os meus diretos?


  518. em 15 janeiro 2010 às 17:55 professortemporario

    Elvira

    A categoria F é dos estáveis e participa do processo logo depois da composição da carga suplementar dos efetivos, antes dos demais temporários


  519. em 15 janeiro 2010 às 18:12 professortemporario

    Francisco

    O melhor caminho é se informar, reunir os documentos citados e procurar um advogado para entrar na justiça. Outra possibilidade é reunir esses documentos e se conseguir comprovar que existe uma lista de concurso público que não está sendo respeitada ou que existem cargos efetivos vagos sendo ocupados por temporários, você pode a formular uma denúncia ao Ministério Público. No espaço “como reagir em segurança” colocamos instruções de como fazer essas denúncia


  520. de Fatima p/quem esteve na assembléia: Parabéns para nós a reunião foi ótima,valeu a pena ter participado.


  521. em 15 janeiro 2010 às 21:50 renata oliveira

    Olá! Alguém pode informar o que aconteceu na paralisação?


  522. Professor Temporário
    Gostaria de fazer uma pergunta, sobre municipalização.
    A escola que trabalho como Professora Coordenadora do Ensino Fundamental municipalizou a partir do dia 08/01/10, minha sede de frequencia não é nessa escola, é em uma escola que não municipalizou…

    Pergunta:
    - Onde posso encontrar a Lei que fale sobre cessar designação do PC – (OFA – “categoria F”), após a municipalização?

    A informação que tive que minha designação cessou a partir do dia 11/01, conforme instrução da Diretoria de Ensino, só que eles não informaram em que esta baseado essa cessação…

    Uma diretora me comentar que a dispensa do PC só poderia acontecer no primeiro dia de aula (18/02).

    Será que vcs podem me ajudar tirando as minhas duvidas!…

    A diretora da escola não fez a avaliação dos PCs do EF e EM, ordem da dirigente, mas a diretora falou que iria me reconduzir..

    - Está correto a dirigente dispensar o PC? Sendo que poderia encaminhar para a minha sede de frequencia.

    - Com a dispensa terei que fazer outra prova para ser PC no ano de 2010?

    Obrigada
    Dete


  523. em 16 janeiro 2010 às 11:33 Priscilla Katyane

    Professor;

    Gostaria de saber se os municipios tem obrigação de pagar o piso para os professores contratados, mesmo se a jornada for de 150 hs mensais?

    E se é verdade, que esse ano quem só tem magistério está proibido de ensinar. Só poderá ensinar quem tem licenciatura? E quem tiver na faculdade, só poder ser estagiario, é fato?
    Se isso é fato, qual a lei que diz isso.

    Obrigado!


  524. Sou professora ofa do estdo de sp nete ano por motivos de saude so pude pegar aulas no mês 4 e ainda estou com vínculo com o estado só perderei no dia da atribuíção,mas eu não tive dirieto as férias,me disseram que é pelo motivo de não ter pego aulas nas primeiras atribuição! Isso é realmente verdade ?alguem sabe me dizer?alguem foi contradado no mesmo mes que eu e vai receber férias no dia 18 agora?obrigada!!


  525. A principal vitória: os professores serão classificados para o processo de atribuição de aulas com a nota da prova, tempo de serviço e títulos. Ou seja, todos os professores que prestaram a prova poderão participar do processo de atribuição de aulas, independente do seu desempenho.


  526. em 16 janeiro 2010 às 22:58 professortemporario

    Dete

    Colocamos um artigo específico para esclarecer a situação dos professores em função de coordenação e vice direção reprovados no processo. Não é o seu caso, mas o argumento legal possivelmente seja


  527. em 16 janeiro 2010 às 23:17 professortemporario

    Priscilla Katyane

    O piso do magistério se refere a uma jornada de 40 horas semanais. Abaixo disso, mantém-se a proporção.

    Sobre a questão do magistério existe uma tendência de que se exija a licenciatura, já que a pŕopria LDB prevê isso. No entanto, para quem já é efetivo e está nessa condição é o empregador quem tem que providenciar essa formação.


  528. em 16 janeiro 2010 às 23:38 professortemporario

    Maria

    Pelo que você explicou, você deveria receber o valor proporcional


  529. em 17 janeiro 2010 às 11:15 Piedra Pollo

    Boa tarde,

    Estou necessitando de algumas informções espero que esteja no lugar certo. bem sou DT a aproximadamente 10(dez) anos no Estado e no municipio – ES. Sou formada em Licenciatura plena em pedagogia, pós-graduada em Artes na educação e estou finalizando meu curso e Apostilamento em Artes ou seja Licenciatura em Artes Visuais. Nesse período passei em um concurso publico Para professora de Artes, pois tive informação que a minha pós me garantiria assumir tendo em vista a Lei LDB artgo 64 da Lei 9.394 de 20 /12/96 e a CF que fale da igualdade para todos, se já ministro aulas de Arte como DT a tanto tempo. Gostaria de saber se alguem pode me ajudar com base na Lei me informando, pois só quem é DT sabe o quanto é importante uma nomeação. Será que posso ser respaldada por alguma pela Lei para assumir minha cadeira.

    Piedra – piedrapollo@ig.com.br


  530. Eu já li esse artigo específico esclarecendo a situação dos professores em função de coordenação e vice direção reprovados no processo, mas não vi nada que indicasse sobre cessação de PC após municipalização. Já pesquisei e até agora não encontrei nada…
    Será que vc poderia me ajudar a encontrar, pois a portaria de minha dispensa será publicada essa semana… se eu achar algum amparo legal poderei prolongar até dia 18/02…
    grata
    Dete


  531. em 17 janeiro 2010 às 20:57 professortemporario

    Piedra Pollo

    Podemos estar enganados, mas nenhum curso de pós graduação outorga direito de licenciatura no Ensino Básico, até porque para isso é preciso cumprir o estágio supervisionado na disciplina específica em pelo menos 200 horas. O que esses cursos garantem é a possibilidade de lecionar no Ensino Superior.


  532. Também concordo mas,não é isso que me informaram! Onde devo ir reclamar uma vez que estamos em férias?obrigada!Por favor gostaria que me dessem uma outra informação se for possivel! Tenho licenciatura plena em Português e Inglês,e no ano me formei em Pedagogia ,gostaria de saber se esta formação me da direito a pontos Também no estado como PEB II?Obrigada!!

    Maria


  533. Pessoal
    a apeoesp estara ministrando curso
    entre em contato com a sua sede
    as inscricoes ja começaram
    inicio do curso em fevereiro


  534. Professor…

    Por favor me ajude a encontrar a Lei que fala sobre municipalização..preciso desse artigo urgente…
    Grata
    Dete


  535. em 19 janeiro 2010 às 22:20 Joelma Porto

    SEGUNDO O JURÍDICO DA APEOESP…
    Acabei de conversar com o Sr. Fortunato,
    Acabei de conversar com o Sr. Fortunato, que é do Jurídico da APEOESP e, segundo palavras dele e com sua devida autorização para divulgar, a atribuição será da seguinte maneira:

    1o.: Efetivos
    2o.: Estáveis

    3o.: Ofa F que passou na prova ( aqui inclui-se aqueles que somarão os 8 pontos por tempo de serviço para composição da nota mínima );

    4o.: Ofas L, S, O, enfim, candidatos à atribuição que passaram na prova ( aqui inclui-se aqueles que somarão os 8 pontos por tempo de serviço para composição da nota mínima );

    5º.: Ofa F que NÃO passou ou NÃO fez a prova ( quem não fez a prova terá que justificar )

    6o.: Ofa L que NÃO passou ou NÃO fez a prova ( quem não fez a prova terá que justificar )

    POR FAVOR NÃO ME CONDENEM POR ESTAR REPASSANDO UMA INFORMAÇÃO. É QUE TAMBÉM ESTOU APREENSIVA QUANTO A ESTA ATRIBUIÇÃO E CREIO QUE CADA UM DE NÓS TENTA, DE ALGUMA FORMA, BUSCAR INFORMAÇÕES E REPASSÁ-LAS.

    MODERADORES, CASO ACHEM NECESSÁRIO, PODEM ELIMINAR ESTE TÓPICO.

    OBRIGADA

    OBS.: Caso alguém queira confirmar com o Jurídico da APEOESP, por favor liguem lá. O telefone é: 3350-6000.


  536. em 19 janeiro 2010 às 22:27 professortemporario

    Dete

    São convênios administrativos firmados entre o Estado e cada um dos municípios


  537. Quem quiser o conteúdo pedagógico ou o de Português tenho as apostilas e mando por email – meu email é elissandrabelaarte@yahoo.com.br


  538. tenho um contrato temporário desde 2002, já foram feitos 2 concursos e ainda não foram chamados os professores para função… não fiz nenhum dos concursos por que não estava formada…posso pedir a efetivação… há alguma meio de consegui-la?


  539. em 20 janeiro 2010 às 22:55 professortemporario

    Flávia

    Não. Efetivação só é possível pela aprovação em concurso público


  540. Ola…sou professora categoria F ,peguei aulas no dia 24 de março e vou estar com vínculo até o dia da atribuição.
    Em outubro, mes do meu aniversário,recebi um valor referente a parte das ferias.
    Fiquei sabendo agora que muitos professores receberam no dia 18 passado a ultima parte das ferias,porem eu nao recebi nada.Gostaria de saber se tenho direito desse 1/3 que os demais professores receberam.
    Sei que poderia ver isso com a secretaria da minha escola, mas ela está sempre de mal humor e não da atençao que me é devida.Gostaria de chegar nela ja com essa informação.

    Obrigada


  541. Oi Boa Noite!!!

    Gostaria de outra informação.

    A APEOESP DECLAROU QUE A PROVA DO ACT SERÁ CLASSIFICATÓRIA CERTO?

    ISSO JA É CERTEZA OU AINDA ESTÁ AGUARDANDO APROVAÇAO?

    CADA UM FALA UMA COISA….

    ME ESCLARECE POR FAVOR.


  542. elvira

    Tem que sair no Diário Oficial para ter validade.

    Diário Oficial é o jornal que: “…organizar e divulgar, por meio do Diário Oficial, as leis e os atos das três esferas do governo do Estado de São Paulo – Executivo, Legislativo e Judiciário.” fonte: http://www.imprensaoficial.com.br/PortalIO/Sobre/Apresentacao_20_1.aspx

    Essa é a função desse jornal.

    Sendo assim, declarações fora das publicações do referido jornal não tem validade alguma. São boatos que precisam se tornar fatos (entenda: publicados no diário oficial).

    E, como não saiu nada no diário oficial, está tudo na mesma, ou seja, a prova continua sendo eliminatória.

    Tem que aguardar e acompanhar o que é publicado em meios de comunicações do governo paulista.


  543. Caro professortemporario (ou Luís Fernando de Lima Júnior). até o momento só cobrei a mediação e postei alguns comentários os quais não consegui me segurar ao ler os demais.

    Contudo, desde o primeiro instante ao acessar seu blog, foi nítida a impressão de que estava em um local com bom conteúdo, bem redigido (quem sabe um dia consiga escrever tão bem como vc – inveja saudável) e com muita informação. Até fiquei desconfiado se não era um “fake” com alguma organização por trás, pq é muito difícil encontrar tanta dedicação e presteza para com os outros sem ter nada em troca. Essa desconfiança já passou.

    Haja paciência, conhecimento e tempo para gerir e digerir tudo isso aqui. Ainda fico impressionado.

    O que quero dizer é que fico feliz pelo espaço aberto para as discussões e informações que o blog proporciona, apesar dos pesares de ter que apagar alguns comentários.

    E devido a minha satisfação, quero, como muitos já fizeram, engrossar a lista e parabenizá-lo pelo esforço em manter vivo e coerente o espaço. Isso já é mais que lutar pelos direitos, é expandi-lo para outros.

    Obrigado e boa luta pelos ideais.


  544. em 21 janeiro 2010 às 00:59 Bruno de Jacarei

    Mesmo sem ainda sair a resolução final…a apeoesp ja confirmou: Após a manifestação do dia 15, a equipe (da apeoesp) reuniu com representantes do governo e ficou acertado, definido…..a prova será Classificatoria……o que não ficou definido foram as categorias, sendo que a mesma está reivindicando mais outras coisas..mas uma coisa é certa : a prova será classificatoria….A apeoesp jamais iria divulgar isso se não tivesse certeza…….Pra quem passou ou não passou ja pode ir fazendo os calculos, para o criterio de atribuição….nota da prova…..tempo de serviço trabalhado, mais titulos; para saber a sua classificação geral…boa sorte pra todos.


  545. Bruno de Jacarei

    Eles podem ter acertado um acordo verbal e o governo acatado, mas isso não vale nada se não sair no diario oficial.

    O que pode estar ocorrendo nesse momento (como postei em outro tópico – e repito: é hipótese), o departamento jurídico do governo deve estar preparando a nova resolução para contrapor a que exige que a prova seja eliminatória.

    Porém, tudo isso tem que ser muito bem feito para que não haja interposição de mandados de segurança, ação civil pública e outros meios jurídicos que na prática inviabilizariam todo esse clamor (de alguns) por mudar o edital da prova e transforma-la em classificatória.

    Uma boa tese para entrar contra a mudança de edital seria: passei na prova e conforme a lei tal, resolução tal, adquiri o direito de pleitear aulas preferencialmente do que fulano x ou y. Isso é direito adquirido, que não pode ser revogado por lei posterior. É um principio básico do direito.

    Assim, por enquanto, tudo o que se sabe é que foi feito o tal acordo entre a apeoesp e o governo. Mas isso não tem valor legal enquanto não for traduzido numa resolução ou lei (e nesse caso dependeria do legislativo) e publicada no diário oficial.

    Para efeito prático e imediato, não houveram (ainda), as mudanças tão comentadas. Quem quiser fazer contas, fará sabendo que por enquanto é só hipótese (plausível), mas sem garantia formal.

    É, de uma forma meio tosca, dizer que um casal de namorados está praticamente casado. Só é casado quando legalmente firmarem um compromisso como a união civil.

    Repito: Tem que aguardar o tema ser publicado no diário oficial para ter certeza!!!!


  546. Bom dia Hugo

    Obrigada pelo esclarecimento, porém tbm fiz um questionamento anterior em relação ao 1/3 de férias.

    Ainda aguardo um parecer .

    Obrigada

    Elvira


  547. gostaria de saber se professor temporario tem direito ao decimo terceiro salario sim ou ão pois no final de 2009 os contratados da escola que trabalho não receberam


  548. elvira

    Não sei lhe informar sobre o 1/3, por isso não fiz nenhum comentário.


  549. em 21 janeiro 2010 às 14:10 Bruno de Jacarei

    Para o Hugo..

    Caro colega…..A pontuação da prova por si só..não conferi o direito de quem foi bem pontuado a pleitear os primeiros lugares na atribuição…independente se a prova será eliminatoria ou não, o resultado da prova será o primeiro passo no processo da atribuição. Com a pontuação da prova(uma vez aprovado), isso no caso de ser eliminatoria; o professor com a pontuação da prova, terá ainda que somar com a pontuação por tempo de serviços prestados e a pontuação de titulos, caso venha ter. Com isso sim, teriamos então a CLASSIFICAÇÃO GERAL…entendeu..Isso iria acontecer mesmo a prova sendo ELIMINATORIA…….Esse procedimento (somatoria) ja acontece sempre, e é assim que vai ser a atribuição, seguindo dessa forma. Quanto ao fato da prova ser ou não eliminatoria…..isto ja esta definido…A resolução só virá para confirmar o que foi acordado com a apeoesp..Aguarde…………


  550. Gostaria de saber quando sai o resultado da prova para ofa 2010, realizado pe Vunesp?


  551. em 21 janeiro 2010 às 19:45 professortemporario

    Elvira

    Você deve entrar com um requerimento na secretaria de sua escola solicitando esclarecimentos sobre quando será feito o pagamento dessas férias.

    O que foi divulgado pelo sindicato não é oficial.


  552. em 21 janeiro 2010 às 20:24 professortemporario

    Cristiane

    Todos os que trabalham na condição de assalariados têm direito a esse benefício e a exigência do mesmo tem que ocorrer pela justiça do trabalho. Você pode procurar um posto do ministério do trabalho para conseguir mais esclarecimentos e se reunir um grupo, você consegue isso em ação coletiva.


  553. PROFESSOR TEMPORÁRIO

    QUAL A LIGAÇÃO QUE VCS TEM COM A APEOESP ?


  554. em 22 janeiro 2010 às 00:41 professortemporario

    Elvira

    Não temos NENHUMA ligação com sindicatos, partidos políticos, entidades religiosas, ONGs, ou qualquer outra coisa do gênero


  555. Olá!

    Nas ação indenizatórias que visam o pagamento do FGTS de servidor temporáio os Juízes estão determinando apenas o recolhimento do FGTS, uma vez que a Lei do FGTS diz que o pagemto, nesses casos, só se dará no caso de dispensa sem justa causa, culpa recíproca ou froça maior. Ou seja o servidor ganha mas não leva!
    Gostaria de saber se não se poderia enquadrar a dispensa do servidor temporáio uma dessas hipóteses?


  556. OK

    RESPONDIDO

    OBRIGADA

    TENHAM TODOS UM ÓTIMO DIA


  557. Eu faço a mesma pergunta que o Leandro já havia feito…

    Leandro

    Gostaria de saber quando sai o resultado da prova para ofa 2010, realizado pe Vunesp?

    E tenho mais outra… ONDE EU ENCONTRO A CLASSIFICAÇÃO?! oO


  558. Professor temporário saiu o Edital e o periodo das inscrições para o concurso, você sabe me dizer se este será regional ??? Ou independente da região vamos concorrer as vagas do estado inteiro? Obrigada, abraços!


  559. Por favor
    Alguem poderia me responder
    como vai ficar a vida do prof Eventual
    Ainda vai existir na escola?


  560. em 22 janeiro 2010 às 16:27 professortemporario

    Élida

    Nos contratos com prazo determinado existe a interpretação de que o empregador é obrigado a recolher o FGTS, mas não precisa pagar a multa dos 40% prevista para a demissão sem justa causa. No entanto, tem municípios que se quer recolhem as parcelas do FGTS e nesse caso uma decisão da justiça para que se recolha o FGTS, mesmo que o servidor não possa sacá-lo imediatamente, o dinheiro estará lá, disponível para saque após dois anos. Isso é melhor que não ter saldo nenhum.


  561. em 22 janeiro 2010 às 16:30 professortemporario

    Wanda e Leandro

    A informação que temos é que essa classificação será publicada no dia 26 de janeiro, no www. educacao.sp.gov.br


  562. em 22 janeiro 2010 às 16:32 professortemporario

    Daniela

    No próprio edital existe a informação de que esse concurso será regionalizado por diretoria de ensino, com os candidatos concorrendo às vagas da diretoria em que se inscreveram


  563. Olá

    Sou profesora OFA da rede Estadual desde 1986(20 anos).Porém em 2006 com a chegada da Municipalizaçao na minha região ,não consegui aula no Estado 2006 e 2007.
    Voltei em 2008 por outra diretoria na categoria L.
    Gostaria de saber se há alguma coisa que posso fazer para reverter essa categoria, pois passei na prova e mesmo assim me sinto tremendamente prejudicada uma vez, que, só poderei participar da atribuição de aulas após os professores categoria F e ainda perdi o direito das 12 aulas que os da categoria F conseguiram.
    Espero um parecer o mais rápido possível.

    Obrigada

    Deus os abençoe!


  564. Obrigada professor! Só mais uma pergunta, existe a possibilidade de antes de fazermos a inscrição sabermos quantas vagas tem de nossa disciplina em cada diretoria (região)? Abraços.


  565. em 22 janeiro 2010 às 22:42 Eliane miriam

    qual o site que saiu o edital p/a o concurso p/a professor efetivo?….aguardo resposta


  566. em 23 janeiro 2010 às 00:20 Suelen Garcia

    Pessoa… a partir do dia 27 de janeiro estarão abertas as inscrições para o concurso tão esperado, Estado de SP. As instruções esta disponivel no site PCI CONCURSOS….abraço a todos Suelen Garcia


  567. Quinta-feira, 21 de janeiro de 2010 Diário Oficial Poder Executivo – Seção I São Paulo, 120 (14) –70/ 71

    CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR EDUCAÇÃO BÁSICA II, SQC-II QM
    EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES
    O Diretor do Departamento de Recursos Humanos da Secretaria de Estado da Educação, à vista do despacho de autorização governamental exarado no Processo nº 299/0100/2009 – DRHU/SE, publicado no Diário Oficial do Estado de São Paulo, de 15/09/2009, torna pública a abertura de inscrições para o Concurso Público para provimento de 10.083 (dez mil e oitenta e três) cargos, e outros que vierem a surgir no decorrer do prazo de validade do concurso, de Professor Educação Básica II, SQC-II-QM do Quadro do Magistério da Secretaria de Estado da Educação, para as disciplinas de Arte, Biologia, Ciências Físicas e Biológicas, Educação Física, Filosofia, Física, Geografia, História, Inglês, Língua Portuguesa, Matemática, Química, Sociologia e Educação Especial – Deficiências Auditiva, Física, Mental e Visual.
    O presente Concurso Público reger-se-á pelas disposições contidas nas Instruções Especiais SE 1, de 24/12/2009, publicadas no Diário Oficial do Estado de São Paulo de 25/12/2009, devidamente aprovadas pela Unidade Central de Recursos Humanos da Secretaria de Gestão Pública do Estado de São Paulo.
    A – DISPOSIÇÕES PRELIMINARES
    1. O Concurso Público será realizado pela Fundação Carlos Chagas, obedecidas as normas estabelecidas neste Edital e nas Instruções Especiais SE 1, de 24/12/2009.
    2. O quadro indicativo do campo de atuação/disciplinas e seus respectivos códigos de opção por período de aplicação, consta do Título “C” deste Edital.
    3. O modelo do Atestado de Tempo de Serviço consta do Anexo I deste Edital.
    4. As 91 (noventa e uma) Diretorias de Ensino da Secretaria de Estado da Educação, também consideradas Regiões de realização das provas, constam do Anexo II deste Edital.
    5. As indicações de Bibliografia e Temário constam da Resolução SE 80/2009, publicada no Diário Oficial do Estado de 04/11/2009 e posteriores retificações.
    B – DAS INSCRIÇÕES
    1. A inscrição do candidato implicará o conhecimento e a tácita aceitação das normas e condições estabelecidas neste Edital e nas Instruções Especiais SE 1, de 24/12/2009, em relação às quais não poderá alegar desconhecimento.
    1.1 De forma a evitar ônus desnecessário, o candidato deverá recolher o valor de inscrição somente após tomar conhecimento de todos os requisitos e condições exigidas para o Concurso.
    2. As inscrições para o Concurso serão realizadas exclusivamente pela Internet, das 10 horas do dia 27/01 às 14 horas do dia 11/02/2010, observado o horário de Brasília, de acordo com o item 3 deste Capítulo.
    2.1 Estarão disponíveis no site http://www.concursosfcc.com.br da Fundação Carlos Chagas: Edital de Abertura de Inscrição, Instruções Especiais, Temário, Bibliografia e Ficha de Inscrição.
    2.2 O candidato se responsabilizará pela fidedignidade das informações prestadas no Formulário de Inscrição via Internet, sob as penas da Lei.
    3. Para inscrever-se, o candidato deverá, no período das inscrições, acessar o endereço eletrônico http://www.concursosfcc.com.br e, por meio do link correspondente ao Concurso Público da Secretaria de Estado da Educação, efetuar sua inscrição conforme os procedimentos estabelecidos a seguir:
    3.1 Ler e aceitar o requerimento de inscrição, preencher oFormulário respectivo e transmitir os dados pela Internet, imprimindo o comprovante de inscrição finalizada.
    3.2 O candidato deverá efetuar o pagamento da importância referente à inscrição, por meio de boleto bancário ou débito em conta corrente de banco(s) conveniado(s), no valor de R$ 27,25 (vinte e sete reais e vinte e cinco centavos), a título de ressarcimento de despesas com material e serviços, de acordo com as instruções constantes no endereço eletrônico da página de inscrições, até a data de encerramento das inscrições 11/02/2010.
    3.2.1 O boleto bancário, disponível no endereço eletrônico http://www.concursosfcc.com.br, deverá ser impresso para o pagamento do valor da inscrição, após conclusão do preenchimento do Formulário de Inscrição, on-line, em qualquer banco do sistema de compensação bancária.
    3.2.2 O pagamento do valor da inscrição poderá ser efetuado por débito em conta, em dinheiro ou em cheque do próprio candidato. O pagamento efetuado por meio de cheque somente será considerado quitado após a respectiva compensação.
    3.2.3 O candidato que preencher a Ficha de Inscrição no último dia do prazo para inscrição poderá efetivar o pagamento do valor da inscrição, no primeiro dia útil subsequente em horário de funcionamento das agências bancárias.
    3.2.3.1 Em caso de feriado que acarrete o fechamento de agências bancárias o boleto deverá ser pago antecipadamente.
    3.2.4 Em caso de devolução de cheque, qualquer que seja o motivo, considerar-se-á automaticamente sem efeito a inscrição.
    4. Ao se inscrever, o candidato deverá indicar no Formulário de Inscrição o Código da Opção da Diretoria de Ensino (Anexo I
    das Instruções Especiais SE 1, de 24/12/2009), à qual ficará vinculado para as fases do Concurso, tais como realização da prova, entrega dos títulos e dos recursos, e o Código do Campo de Atuação/Disciplina (Título C deste Edital) e da barra de opções do Formulário de Inscrição.
    4.1 É recomendado ao candidato observar atentamente as informações sobre a aplicação da prova (Capítulo VI, item 3 e seus subitens das Instruções Especiais SE 1, de 24/12/2009) uma vez que só poderá concorrer a um Campo de Atuação/Disciplina por período de aplicação da prova:
    4.1.1 Primeiro período de aplicação para os candidatos inscritos para as disciplinas de: Língua Portuguesa, Matemática, História, Química, Educação Física, Biologia e Sociologia.
    4.1.2 Segundo período de aplicação para os candidatos inscritos para as disciplinas de: Inglês, Ciências Físicas e Biológicas, Geografia, Arte, Física, Filosofia, Educação Especial – Deficiências: Auditiva, Física, Mental e Visual.
    4.2 O candidato que efetuar mais de uma inscrição por período de aplicação da prova terá apenas a última inscrição confirmada, por período de aplicação.
    5. O candidato que tiver interesse em concorrer com duas inscrições, desde que observado o disposto no item 4.2 deste Capítulo, deverá, obrigatoriamente, indicar a mesma Diretoria de Ensino para as duas opções.
    5.1 O candidato que efetuar duas inscrições e que não atender ao disposto no item 5 terá as duas inscrições canceladas.
    6. Após a transmissão dos dados via Internet não serão aceitos pedidos de alteração de Campo de Atuação/Disciplina e/ ou de Diretoria de Ensino.
    7. Ao candidato será atribuída total responsabilidade pelo correto preenchimento do Formulário de Inscrição.
    7.1 As informações prestadas no Formulário de Inscrição serão de inteira responsabilidade do candidato, reservando-se a Secretaria de Estado da Educação de São Paulo e a Fundação Carlos Chagas o direito de excluir do Concurso Público aquele que não preencher esse documento oficial de forma completa, correta e/ou fornecer dados inverídicos ou falsos.
    8 O descumprimento das instruções para inscrição implicará a sua não efetivação.
    9. A partir de 22/02/2010 o candidato poderá conferir, no endereço eletrônico http://www.concursosfcc.com.br da Fundação Carlos Chagas, se os dados da inscrição foram recebidos e o pagamento da inscrição efetivado. Em caso negativo, o candidato deverá entrar em contato com o Serviço de Atendimento ao Candidato – SAC da Fundação Carlos Chagas, telefone (0XX11)3723-4388, de segunda a sexta-feira, em dias úteis, das 10 às 16 horas (horário de Brasília), para verificar o ocorrido.
    10. As inscrições somente serão confirmadas após a comprovação do pagamento do valor da inscrição correspondente.
    11. Serão canceladas as inscrições com pagamento efetuado em valor menor do que o estabelecido no subitem 3.2 deste Capítulo, bem como aquelas cujos pagamentos forem efetuados após a data de encerramento das inscrições.
    12. Não será aceito pedido de devolução do pagamento do valor da inscrição, ainda que superior ou em duplicidade.
    13. Não serão efetivadas as inscrições em desacordo com as instruções constantes deste Edital e das Instruções Especiais SE 1, de 24/12/2009.
    14. O candidato inscrito não deverá enviar cópia de documento de identidade, sendo de sua exclusiva responsabilidade as informações dos dados cadastrais no ato de inscrição, sob as penas da lei.
    15. A Secretaria de Estado da Educação e a Fundação Carlos Chagas não se responsabilizam por solicitações de inscrições não recebidas por motivo de ordem técnica dos computadores, falhas de comunicação, congestionamento das linhas de comunicação, falta de energia elétrica, bem como outros fatores de ordem técnica que impossibilitem a transferência de dados.
    16. De acordo com a Lei Estadual nº 12.782, de 20 de dezembro de 2007, terá direito a redução de 50% (cinqüenta por cento) do valor da inscrição o candidato que comprovar CUMULATIVAMENTE os seguintes requisitos:
    16.1 Ser estudante regularmente matriculado em uma das séries do ensino fundamental ou médio; curso pré-vestibular; curso superior, em nível de graduação ou pós-graduação.
    16.1.1 Para comprovar a condição de estudante o candidato deverá encaminhar um dos seguintes documentos:
    a) original ou cópia autenticada de certidão ou declaração, em papel timbrado, com assinatura e carimbo do setor competente, expedida por instituição de ensino público ou privado; b) carteira de identidade estudantil ou documento similar, expedido por instituição de ensino público ou privado, ou por entidade de representação discente.
    16.2 Perceber remuneração mensal inferior a 2 (dois) salários mínimos, ou estiver desempregado.
    16.2.1 O candidato deverá encaminhar comprovante de renda ou declaração, por escrito, da condição de desempregado.
    16.2.2 Se desempregado, a declaração deverá conter: nome completo do candidato, número do documento de identidade, número do CPF, data e assinatura.
    17. As inscrições com redução do valor de inscrição de que trata o item anterior deste Edital somente serão realizadas via Internet, no período das 10 horas do dia 27/01 às 14 horas do dia 29/01/2010, horário de Brasília, de acordo com o item 3 deste Capítulo.
    17.1 O candidato deverá comprovar sua condição para o pedido de redução do valor da inscrição, encaminhando os documentos indicados no item 16 e seus subitens deste Edital, até 29/01/2010, via SEDEX ou Aviso de Recebimento (AR), à Fundação Carlos Chagas (A/C Departamento de Execução de Projetos – Ref.: Redução do Valor de Inscrição/PEBII – Av. Prof. Francisco Morato, 1565, Jardim Guedala – São Paulo – SP – CEP 05513-900).
    17.2 A comprovação citada no item anterior deverá ser encaminhada por meio de originais ou fotocópias autenticadas. Não serão consideradas as cópias não autenticadas bem como os documentos encaminhados via fax, via Correio Eletrônico ou por outro meio que não o estabelecido neste Edital.
    17.2.1 Consideram-se, também, cópias autenticadas para fins de comprovação de de redução do valor de inscrição descrito no subitem 17.2 deste Edital, os documentos contendo carimbo com a descrição “confere com o original”, datado e assinado por autoridade competente.
    17.3 O candidato que não comprovar as condições constantes nos itens 16.1 e 16.2, CUMULATIVAMENTE, não terá a solicitação de redução do valor da inscrição atendida e terá seu pedido de inscrição invalidado.
    17.4 A qualquer tempo, poderão ser realizadas diligências relativas à situação declarada pelo candidato, deferindo ou não seu pedido.
    18. Após a análise dos pedidos de redução do valor de inscrição, a Secretaria de Estado da Educação publicará, no Diário Oficial do Estado de São Paulo, a relação dos pedidos deferidos e indeferidos, observados os motivos do indeferimento dos pedidos de redução. A relação estará disponível também aos
    candidatos nos sites http://www.educacao.sp.gov.br da Secretaria de Estado da Educação e http://www.concursosfcc.com.br da Fundação Carlos Chagas.
    19. Os candidatos que tiverem seus pedidos de redução do valor da inscrição deferidos, deverão acessar o site http://www.concursosfcc.com.br da Fundação Carlos Chagas e por meio do CPF gerar boleto do valor correspondente a 50% (cinquenta por cento) do valor da inscrição, efetuando o pagamento em data a
    ser divulgada futuramente por meio de Edital publicado no Diário oficial do Estado de São Paulo e no site http://www.concursosfcc.com.br da Fundação Carlos Chagas.
    20. Os candidatos que tiverem seus pedidos de redução do valor da inscrição indeferidos e que queiram participar do certame deverão efetuar sua inscrição via Internet, efetuando o pagamento do valor da inscrição na forma do item 3 e seus subitens, deste Capítulo, em data a ser divulgada futuramente por meio
    de Edital publicado no Diário Oficial do Estado de São Paulo e no site http://www.concursosfcc.com.br da Fundação Carlos Chagas.
    20.1 O candidato que não regularizar sua inscrição por meio do pagamento do respectivo boleto ou débito em conta, terá o pedido de inscrição invalidado.
    21. Será eliminado do Concurso Público o candidato que, não atendendo aos requisitos previstos na Lei 12.782, de 20 de dezembro de 2007, tenha obtido, com emprego de fraude ou qualquer outro meio que evidencie má fé, a redução de que trata esta lei.
    22. Não será aceito pedido de inscrição por depósito em caixa eletrônico, via postal, fac-símile (fax), transferência ou depósito em conta corrente, DOC, ordem de pagamento, condicional e/ou extemporâneas; ou por qualquer outra via que não as especificadas neste Edital. Verificado, a qualquer tempo, o recebimento de inscrição que não atenda a todos os requisitos fixados neste Edital, será ela cancelada.
    23. A Secretaria de Estado da Educação e a Fundação Carlos Chagas eximem-se das despesas com viagens e estada dos candidatos para prestar as provas do Concurso.
    24. A qualquer tempo, poder-se-á anular a inscrição, prova ou nomeação do candidato caso sejam identificadas falsidades de declarações ou irregularidades nas provas ou documentos.
    25. O candidato não portador de deficiência que necessitar de condição especial para realização das provas deverá solicitá-la até o término das inscrições 11/02/2010, via Sedex ou Aviso de Recebimento (AR), à Fundação Carlos Chagas (A/C Departamento de Execução de Projetos – Ref.: Solicitação/PEB-II – Av. Prof. Francisco Morato, 1565, Jardim Guedala – São Paulo – SP – CEP 05513-900).
    25.1 O candidato deverá encaminhar, junto à solicitação de condição especial para realização das provas, Laudo Médico (original ou cópia autenticada) atualizado, que justifique o atendimento especial solicitado.
    25.2 O candidato que não o fizer até o término das inscrições, seja qual for o motivo alegado, poderá não ter a condição atendida.
    25.3 O atendimento às condições solicitadas ficará sujeito à análise da legalidade, viabilidade e razoabilidade do pedido.
    26. A candidata lactante que necessitar amamentar durante a realização das provas poderá fazê-lo em sala reservada, desde que o requeira, observando os procedimentos constantes a seguir, para adoção das providências necessárias.
    26.1 A candidata lactante deverá encaminhar sua solicitação até o término das inscrições, via Sedex ou Aviso de Recebimento (AR), à Fundação Carlos Chagas (A/C Departamento de Execução de Projetos – Ref.: Solicitação/ PEB-II – Av. Prof. Francisco Morato, n° 1565, Jardim Guedala, São Paulo – SP – CEP
    05513-900).
    26.2 Não haverá compensação do tempo de amamentação em favor da candidata.
    26.3 A criança deverá ser acompanhada, em ambiente reservado para este fim, de adulto responsável por sua guarda (familiar ou terceiro indicado pela candidata).
    26.4 Nos horários previstos para amamentação, a candidata lactante poderá ausentar-se temporariamente da sala de prova, acompanhada de uma fiscal.
    26.5 Na sala reservada para amamentação ficarão somente a candidata lactante, a criança e uma fiscal, sendo vedada a permanência de babás ou quaisquer outras pessoas que tenham grau de parentesco ou de amizade com a candidata.
    C – CAMPO DE ATUAÇÃO/DISCIPLINAS E RESPECTIVOS CÓDIGOS DE OPÇÃO
    1º (PRIMEIRO)
    PERÍODO DE APLICAÇÃO
    CAMPO DE ATUAÇÃO DISCIPLINA CÓDIGO DE OPÇÃO
    PROFESSOR EDUCAÇÃO BÁSICA II
    BIOLOGIA A01
    EDUCAÇÃO FÍSICA B02
    HISTÓRIA C03
    LÍNGUA PORTUGUESA D04
    MATEMÁTICA E05
    QUÍMICA F06
    SOCIOLOGIA G07
    2º (SEGUNDO)
    PERÍODO DE APLICAÇÃO
    CAMPO DE ATUAÇÃO DISCIPLINA CÓDIGO DE OPÇÃO
    PROFESSOR EDUCAÇÃO BÁSICA II
    ARTE H08
    CIÊNCIAS FÍSICAS E BIOLÓGICAS I09
    FILOSOFIA J10
    FÍSICA K11
    GEOGRAFIA L12
    INGLÊS M13
    EDUCAÇÃO ESPECIAL – DEFICIÊNCIA AUDITIVA N14
    EDUCAÇÃO ESPECIAL – DEFICIÊNCIA FÍSICA O15
    EDUCAÇÃO ESPECIAL – DEFICIÊNCIA MENTAL P16
    EDUCAÇÃO ESPECIAL – DEFICIÊNCIA VISUAL Q17
    ANEXO I
    Atestado de Tempo de Serviço
    No caso de 2 (dois) ou mais atestados, discriminar períodos para verificar se há concomitância.
    ANEXO II
    1ª Região – Coordenadoria de Ensino/ Região Metropolitana da Grande São Paulo (COGSP) – Capital e Grande São Paulo
    CÓDIGO NOME DA DIRETORIA DE ENSINO
    1 CENTRO
    2 CENTRO OESTE
    3 CENTRO SUL
    4 LESTE 1
    5 LESTE 2
    6 LESTE 3
    7 LESTE 4
    8 LESTE 5
    9 NORTE 1
    10 NORTE 2
    11 SUL 1
    12 SUL 2
    13 SUL 3
    14 CAIEIRAS
    15 CARAPICUIBA
    16 DIADEMA
    17 GUARULHOS SUL
    18 GUARULHOS NORTE
    19 ITAPECERICA DA SERRA
    20 ITAPEVI
    21 ITAQUAQUECETUBA
    22 MAUA
    23 MOGI DAS CRUZES
    24 OSASCO
    25 SANTO ANDRE
    26 SAO BERNARDO DO CAMPO
    27 SUZANO
    28 TABOAO DA SERRA
    2ª Região – Coordenadoria de Ensino do Interior (CEI)
    CÓDIGO NOME DA DIRETORIA DE ENSINO
    29 ADAMANTINA
    30 AMERICANA
    31 ANDRADINA
    32 APIAI
    33 ARACATUBA
    34 ARARAQUARA
    35 ASSIS
    36 AVARE
    37 BARRETOS
    38 BAURU
    39 BIRIGUI
    40 BOTUCATU
    41 BRAGANCA PAULISTA
    42 CAMPINAS LESTE
    43 CAMPINAS OESTE
    44 CAPIVARI
    45 CARAGUATATUBA
    46 CATANDUVA
    47 FERNANDOPOLIS
    48 FRANCA
    49 GUARATINGUETA
    50 ITAPETININGA
    51 ITAPEVA
    52 ITARARE
    53 ITU
    54 JABOTICABAL
    55 JACAREI
    56 JALES
    57 JAU
    58 JOSE BONIFACIO
    59 JUNDIAI
    60 LIMEIRA
    61 LINS
    62 MARILIA
    63 MIRACATU
    64 MIRANTE DO PARANAPANEMA
    65 MOGI MIRIM
    66 OURINHOS
    CÓDIGO NOME DA DIRETORIA DE ENSINO
    67 PENAPOLIS
    68 PINDAMONHANGABA
    69 PIRACICABA
    70 PIRAJU
    71 PIRASSUNUNGA
    72 PRESIDENTE PRUDENTE
    73 REGISTRO
    74 RIBEIRAO PRETO
    75 SANTO ANASTACIO
    76 SANTOS
    77 SAO CARLOS
    78 SAO JOAO DA BOA VISTA
    79 SAO JOAQUIM DA BARRA
    80 SAO JOSE DO RIO PRETO
    81 SAO JOSE DOS CAMPOS
    82 SAO ROQUE
    83 SAO VICENTE
    84 SERTAOZINHO
    85 SOROCABA
    86 SUMARE
    87 TAQUARITINGA
    88 TAUBATE
    89 TUPA
    90 VOTORANTIM
    91 VOTUPORANGA


  568. Para completar a informação da Suelen Garcia, a organizadora contratada para realizar o concurso é a Fundação Carlos Chagas (FCC) e o site deles que contem o edital na íntegra é:

    http://www.concursosfcc.com.br/

    e o local onde está o edital com outras informações e arquivos é

    http://www.concursosfcc.com.br/concursos/sedsp209/index.html

    A partir do dia 27 de janeiro a organizadora disponibilizará o acesso para inscrições.


  569. em 23 janeiro 2010 às 04:33 Bruno de Jacarei

    NOTICIA DE PRIMEIRA MÃO.

    DE INTERESSE DE TODOS !!!!

    Resolução SE 8, de 22-1-2010
    Dispõe sobre a classificação de docentes e candidatos
    à contratação temporária no processo
    seletivo para atribuição de classes e aulas da rede
    estadual de ensino e dá providências correlatas

    O Secretário Da Educação, tendo em vista a necessidade
    de estabelecer diretrizes para o cumprimento do disposto na
    Lei Complementar 1.093, de 16-07-2009, e considerando que
    é dever do Estado garantir a oferta de ensino nos diferentes
    níveis, com constância e qualidade, atendendo às normas legais,
    resolve:
    Artigo 1º – Os professores que não possuem a efetividade
    assegurada por concurso público e os candidatos interessados
    na contratação como docente na rede estadual de ensino serão
    classificados em processo seletivo organizado anualmente por
    esta Secretaria de Estado da Educação.
    Artigo 2º – o processo seletivo, a que se refere o artigo
    anterior, consiste de uma prova com questões relacionadas à
    disciplina ou à área em que o docente/candidato pretende atuar
    e cuja pontuação obtida é acrescida, para fins de classificação,
    ao somatório de pontos decorrentes da apuração da experiência
    no magistério público estadual, com base no tempo de serviço
    prestado no respectivo campo de atuação, e da avaliação de
    títulos que o docente/candidato apresente.
    Parágrafo único – a prova de que trata o caput deverá
    versar sobre o perfil de competências e habilidades definido e
    divulgado pela Secretaria da Educação.
    Artigo 3º – a participação nas etapas preliminar, intermediária
    e complementar do processo anual de atribuição de classes
    e aulas é restrita aos docentes e candidatos que alcançarem
    os índices mínimos fixados para a prova do processo seletivo,
    classificados de acordo com as normas e critérios estabelecidos
    na resolução que regulamenta o processo anual.
    Artigo 4º – o docente admitido nos termos da Lei 500/74
    e abrangido pelo disposto no § 2º do artigo 2º da Lei Complementar
    1.010, de 1º de junho de 2007, deverá obrigatoriamente
    efetuar a inscrição e participar da prova de que trata o artigo
    2º desta resolução.
    § 1º – a obrigatoriedade anual ficará cessada, em definitivo,
    quando o docente, a que se refere o caput deste artigo, for
    considerado, em determinado ano, aprovado na prova realizada
    no respectivo campo de atuação ou venha a se encontrar na
    situação prevista no artigo 6º desta resolução.
    § 2º – o docente admitido nos termos da Lei 500/74,
    abrangido pelo disposto no § 2º do artigo 2º da Lei Complementar
    1.010/2007, que não se inscrever ou imotivadamente
    não participar da prova será dispensado da função, conforme
    estabelece o disposto no artigo 4º das Disposições Transitórias
    da Lei Complementar 1.093, de 16-07-2009.
    § 3º – Caso não participe da prova, o docente a que se
    refere o parágrafo anterior, poderá requerer junto à respectiva
    Diretoria de Ensino a justificação da ausência, juntando o(s)
    comprovante(s) necessário(s) a fim de, se o motivo alegado for
    considerado relevante, não ser dispensado da função antes da
    ocorrência de nova aplicação de prova, no processo seletivo do
    ano subsequente.
    § 4º – a justificação deverá ser apresentada pelo docente
    no prazo máximo de 5 dias, contados da data de aplicação
    da prova.
    § 5º – Excepcionalmente, com relação às provas aplicadas
    em dezembro de 2009 e válidas para o corrente ano, fica reaberto
    o prazo de 5 dias para apresentação de justificações, a contar
    da data de publicação desta resolução.
    § 6º – Compete ao Dirigente Regional de Ensino a decisão
    quanto aos pedidos de justificação, assim como a dispensa do
    servidor nos casos em que a não participação na prova for considerada
    imotivada ou quando não houver efetuado a inscrição
    obrigatória.
    Artigo 5º – Os professores e os candidatos que, tendo realizado
    a prova do processo seletivo, não alcançarem os índices
    de pontuação fixados para o aproveitamento no processo inicial
    de atribuição de classes e aulas serão classificados em lista
    diferenciada da que classificar os aprovados, observando-se a
    mesma ordem de prioridade das faixas de situação funcional e
    das habilitações/qualificações docentes, bem como os distintos
    campos de atuação, na conformidade das normas e critérios
    estabelecidos na resolução específica do processo anual de
    atribuição.
    § 1º – Não poderá constar da classificação de que trata este
    artigo o professor ou o candidato que não obtiver pontuação na
    prova, exceto o docente que se encontre na situação prevista no
    § 3º do artigo anterior e que tenha sua ausência justificada pela
    autoridade competente.
    § 2º – Os docentes e candidatos classificados na forma
    prevista neste artigo somente poderão concorrer à atribuição de
    classes e aulas após esgotadas as possibilidades de aproveitamento
    de docentes e candidatos classificados na lista de aprovados,
    situação em que poderão atuar no suporte às ações pedagógicas
    que permeiam as aulas regulares e às aulas dos projetos
    da Pasta, na forma estabelecida em legislação específica.
    § 3º – a atuação a que se refere o parágrafo anterior e a
    participação em cursos e/ou orientações técnicas voltados ao
    aperfeiçoamento da função docente, no cumprimento de sua
    carga horária de trabalho, é obrigatória para os docentes abrangidos
    pelo disposto no § 2º do artigo 2º da Lei Complementar
    1.010/2007, conforme dispõe o inciso V do artigo 1º das Disposições
    Transitórias da Lei Complementar 1.093/2009.
    Artigo 6º – para os docentes abrangidos pelo disposto no §
    2º do artigo 2º da Lei Complementar 1.010/2007, a aprovação
    no concurso público de provas e títulos, promovido por esta
    Secretaria da Educação, ou o aproveitamento de, no mínimo,
    50% (cinquenta por cento) na Prova de Promoção, de que trata
    a Lei Complementar 1.097, de 27-10-2009, poderá, observado
    o campo de atuação, ser considerada como de participação e
    aprovação na prova do processo seletivo de que trata o artigo
    2º desta resolução, efetuando-se a correspondência da pontuação
    obtida.
    § 1º – a correspondência da pontuação do docente aprovado
    em qualquer um dos eventos a que se refere o caput somente
    poderá ser efetuada com relação à prova do processo seletivo
    imediatamente posterior ao evento e após sua homologação,
    quando se tratar de concurso público.
    § 2º – Excepcionalmente, na existência de aulas remanescentes,
    estando esgotadas as possibilidades de aproveitamento
    de todos os classificados no processo de atribuição de classes e
    aulas, a aprovação em concurso público ou na Prova de Promoção,
    nos termos do caput, poderá ser considerada já no mesmo
    ano letivo em que ocorrer, passando o docente a participar
    das sessões de atribuição que se realizarem, desde que após a
    homologação do concurso público, se for o caso.
    Artigo 7º – a Coordenadoria de Estudos e Normas Pedagógicas
    e o Departamento de Recursos Humanos desta Pasta
    expedirão normas e orientações complementares ao disposto
    nesta resolução.
    Artigo 8º – Esta resolução entra em vigor na data de sua
    publicação, ficando revogadas as disposições em contrário.


  570. em 23 janeiro 2010 às 05:45 Bruno de Jacarei

    AGORA É OFICIAL !!!! CLASSIFICATORIA


  571. Olá

    Sou profesora OFA da rede Estadual desde 1986(20 anos).Porém em 2006 com a chegada da Municipalizaçao na minha região ,não consegui aula no Estado 2006 e 2007.
    Voltei em 2008 por outra diretoria na categoria L.
    Gostaria de saber se há alguma coisa que posso fazer para reverter essa categoria, pois passei na prova e mesmo assim me sinto tremendamente prejudicada uma vez, que, só poderei participar da atribuição de aulas após os professores categoria F e ainda perdi o direito das 12 aulas que os da categoria F conseguiram.
    Espero um parecer o mais rápido possível.

    Obrigada

    Deus os abençoe!


  572. Fátima

    Infelizmente, não sei se você conseguirá reverter tal quadro, porém, vale tentar uma solicitação, por escrito, junto à Diretoria de Ensino a qual esteja vinculada, solicitando uma revisão de sua situação funcional. De posse da resposta, se negativa, encaminhe-a a um advogado para uma análise mais apurada, ok! Boa sorte!


  573. Ao longo do ano passado precisei fazer uso de licenças médicas por quase 90 dias. Teria direito a percepção do terço de férias? sou PEB II OFA F. Obrigado.


  574. em 23 janeiro 2010 às 12:08 Joelma Porto

    SAIU A NOVA RESOLUÇÃO DE ATRIBUIÇÃO DE AULAS 23.01

    34 – São Paulo, 120 (16) Diário Oficial Poder Executivo – Seção I sábado, 23 de janeiro de 2010

    Resolução SE 8, de 22-1-2010

    Dispõe sobre a classificação de docentes e candidatos à contratação temporária no processo

    seletivo para atribuição de classes e aulas da rede estadual de ensino e dá providências correlatas

    O Secretário Da Educação, tendo em vista a necessidade de estabelecer diretrizes para o cumprimento do disposto na Lei Complementar 1.093, de 16-07-2009, e considerando que é dever do Estado garantir a oferta de ensino nos diferentes níveis, com constância e qualidade, atendendo às normas legais, resolve:

    Artigo 1º – Os professores que não possuem a efetividade assegurada por concurso público e os candidatos interessados na contratação como docente na rede estadual de ensino serão classificados em processo seletivo organizado anualmente por esta Secretaria de Estado da Educação.

    Artigo 2º – o processo seletivo, a que se refere o artigo anterior, consiste de uma prova com questões relacionadas à disciplina ou à área em que o docente/candidato pretende atuar e cuja pontuação obtida é acrescida, para fins de classificação, ao somatório de pontos decorrentes da apuração da experiência no magistério público estadual, com base no tempo de serviço prestado no respectivo campo de atuação, e da avaliação de títulos que o docente/candidato apresente.

    Parágrafo único – a prova de que trata o caput deverá versar sobre o perfil de competências e habilidades definido e divulgado pela Secretaria da Educação.

    Artigo 3º – a participação nas etapas preliminar, intermediária e complementar do processo anual de atribuição de classes e aulas é restrita aos docentes e candidatos que alcançarem os índices mínimos fixados para a prova do processo seletivo, classificados de acordo com as normas e critérios estabelecidos na resolução que regulamenta o processo anual.

    Artigo 4º – o docente admitido nos termos da Lei 500/74 e abrangido pelo disposto no § 2º do artigo 2º da Lei Complementar 1.010, de 1º de junho de 2007, deverá obrigatoriamente efetuar a inscrição e participar da prova de que trata o artigo 2º desta resolução.

    § 1º – a obrigatoriedade anual ficará cessada, em definitivo, quando o docente, a que se refere o caput deste artigo, for considerado, em determinado ano, aprovado na prova realizada no respectivo campo de atuação ou venha a se encontrar na situação prevista no artigo 6º desta resolução.

    § 2º – o docente admitido nos termos da Lei 500/74, abrangido pelo disposto no § 2º do artigo 2º da Lei Complementar 1.010/2007, que não se inscrever ou imotivadamente não participar da prova será dispensado da função, conforme estabelece o disposto no artigo 4º das Disposições Transitórias da Lei Complementar 1.093, de 16-07-2009.

    § 3º – Caso não participe da prova, o docente a que se refere o parágrafo anterior, poderá requerer junto à respectiva Diretoria de Ensino a justificação da ausência, juntando o(s) comprovante(s) necessário(s) a fim de, se o motivo alegado for considerado relevante, não ser dispensado da função antes da ocorrência de nova aplicação de prova, no processo seletivo do ano subsequente.

    § 4º – a justificação deverá ser apresentada pelo docente no prazo máximo de 5 dias, contados da data de aplicação da prova.

    § 5º – Excepcionalmente, com relação às provas aplicadas em dezembro de 2009 e válidas para o corrente ano, fica reaberto o prazo de 5 dias para apresentação de justificações, a contar da data de publicação desta resolução.

    § 6º – Compete ao Dirigente Regional de Ensino a decisão quanto aos pedidos de justificação, assim como a dispensa do servidor nos casos em que a não participação na prova for considerada imotivada ou quando não houver efetuado a inscrição obrigatória.

    Artigo 5º – Os professores e os candidatos que, tendo realizado a prova do processo seletivo, não alcançarem os índices de pontuação fixados para o aproveitamento no processo inicial de atribuição de classes e aulas serão classificados em lista diferenciada da que classificar os aprovados, observando-se a mesma ordem de prioridade das faixas de situação funcional e das habilitações/qualificações docentes, bem como os distintos campos de atuação, na conformidade das normas e critérios estabelecidos na resolução específica do processo anual de atribuição.

    § 1º – Não poderá constar da classificação de que trata este artigo o professor ou o candidato que não obtiver pontuação na prova, exceto o docente que se encontre na situação prevista no § 3º do artigo anterior e que tenha sua ausência justificada pela autoridade competente.

    § 2º – Os docentes e candidatos classificados na forma prevista neste artigo somente poderão concorrer à atribuição de classes e aulas após esgotadas as possibilidades de aproveitamento de docentes e candidatos classificados na lista de aprovados, situação em que poderão atuar no suporte às ações pedagógicas que permeiam as aulas regulares e às aulas dos projetos da Pasta, na forma estabelecida em legislação específica.

    § 3º – a atuação a que se refere o parágrafo anterior e a participação em cursos e/ou orientações técnicas voltados ao aperfeiçoamento da função docente, no cumprimento de sua carga horária de trabalho, é obrigatória para os docentes abrangidos pelo disposto no § 2º do artigo 2º da Lei Complementar 1.010/2007, conforme dispõe o inciso V do artigo 1º das Disposições Transitórias da Lei Complementar 1.093/2009.

    Artigo 6º – para os docentes abrangidos pelo disposto no § 2º do artigo 2º da Lei Complementar 1.010/2007, a aprovação no concurso público de provas e títulos, promovido por esta Secretaria da Educação, ou o aproveitamento de, no mínimo, 50% (cinquenta por cento) na Prova de Promoção, de que trata a Lei Complementar 1.097, de 27-10-2009, poderá, observado o campo de atuação, ser considerada como de participação e aprovação na prova do processo seletivo de que trata o artigo 2º desta resolução, efetuando-se a correspondência da pontuação obtida.

    § 1º – a correspondência da pontuação do docente aprovado em qualquer um dos eventos a que se refere o caput somente poderá ser efetuada com relação à prova do processo seletivo imediatamente posterior ao evento e após sua homologação, quando se tratar de concurso público.

    § 2º – Excepcionalmente, na existência de aulas remanescentes, estando esgotadas as possibilidades de aproveitamento de todos os classificados no processo de atribuição de classes e aulas, a aprovação em concurso público ou na Prova de Promoção, nos termos do caput, poderá ser considerada já no mesmo ano letivo em que ocorrer, passando o docente a participar das sessões de atribuição que se realizarem, desde que após a homologação do concurso público, se for o caso.

    Artigo 7º – a Coordenadoria de Estudos e Normas Pedagógicas e o Departamento de Recursos Humanos desta Pasta expedirão normas e orientações complementares ao disposto nesta resolução.

    Artigo 8º – Esta resolução entra em vigor na data de sua publicação, ficando revogadas as disposições em contrário.


  575. professor temporário

    Gostaria de saber se as 12 aulas continuarão valendo?? acho que as coisas pioraram para quem passou, pq teremos que passar por tudo de novo esse ano…. Não entendi se terá duas listas os reprovados continuarão na mesma e quem passou terá que fazer a prova novamente por que???

    aguardo resposta….. um abraço!!!


  576. em 24 janeiro 2010 às 01:30 Joelma Porto

    duas lista…………..e divididos por categoria

    exemplo

    nota da prova 32…………..
    tempo de serviço 8
    total= 40
    qualificado

    ATRIBUIÇÃO

    nota da prova 32
    pontos por tempo de serviço x
    titulos y

    total 32+x+y

    entendeu?

    agora se não passou segue a mesma regra, porem na lista dos nao aprovado

    espero ter ajudado


  577. Saiu a lista de Processo de Promoção para Docente : http://www.imesp.com.br
    Acessei e sempre consta : cadastro nao encontrado.
    Apenas para me confirmar , nao tenho requisito para fazer a prova. Pois pelo que li nos F teriamos que fazer a prova. Neste caso posso ficar sossegada.
    Grata


  578. Olá Professor Temporário, estou no 3º ano do curso de história (último) e obtive 42 pontos na prova, e mesmo obtendo 50% de acertos na prova provavelmente não terei chances de pegar aulas atribuídas ( devido a minha situação de aluna e as diversas categorias criadas). Poderei trabalhar como professora eventual? Minha amiga não obteve 50% de acerto (reprovada), e ela também é aluna, ela poderá trabalhar copm eventual esse ano? Já que a prova passou a ser classificatória.
    Obs.: Trabalhamos como professores eventuais desde de maio de 2009 (s/ atribuir aulas).


  579. em 25 janeiro 2010 às 20:53 professortemporario

    Carla

    Diferentemente do ano anterior, os professores eventuais serão classificados pelas regras estabelecidas e concorrerão aos contratos de substituição eventual como se fosse uma atribuição. Assim, é difícil prever o que acontecerá, pois a preferência para atribuição de contratos e aulas continua sendo dos licenciados, mas na ausência de professores aprovados no processo, é possível interpretar que essas aulas e contratos poderiam ser atribuídas aos não formados.

    Sinceramente, talvez nem mesmo a Secretaria da Educação tenha uma resposta pronta para essa situação


  580. AMANHÃ SERÁ UM GRANDE DIA….UFFFAAAA

    QUANTA AGONIA

    QUANTA EXPECTATIVA

    QUANTAS DÚVIDAS……NÓS PROFESSORES OFAS SOFREMOS HEM…FALA SÉRIO.

    AHH!!!

    QUANTA VERGONHA TBM, POR PERTENCERMOS E AMARMOS UMA PROFISSÃO TÃO DESVALORIZADA. SÓ AQUI NO BRASIL MESMO.

    PORÉM, AINDA SOMOS FORMADORES DE OPINIÕES, VAMOS GERAR EM NOSSOS ALUNOS(ISSO É, SE TIVERMOS ALUNOS NEH) UM ESPÍRITO CRÍTICO QUE NÃO ACEITA TUDO Q LHE É IMPOSTO.

    A VC QUE É PROFESSOR OFA, INDEPENDENTE DE CATEGORIA

    BOA SORTE, QUE DEUS O ABENÇOE.


  581. em 26 janeiro 2010 às 09:37 Bruno de Jacarei

    Educação

    O editorial Educação reprovada (24/1, A3) chama a atenção, de forma muito apropriada, para o papel da educação para o futuro do País. O Brasil partiu de bases precárias, pois a escolarização se expandiu com muito atraso e só atingiu a universalização das séries iniciais no início do século 21. Os avanços, neste contexto, foram grandes, mas para superar os desafios atuais serão necessárias políticas consistentes. Aos três temas apontados no relatório da Unesco cabe acrescentar a capacitação dos professores e sua remuneração adequada. Sem isso os outros três não são realizáveis.

    PEDRO PAULO A. FUNARI, assessor do gabinete do reitor da Unicamp ppfunari@reitoria.unicamp.br
    Campinas.


  582. em 26 janeiro 2010 às 11:47 leia ribeiro

    Eita, lalá…
    Onde está nossa classificação????
    Será que virá udanças?


  583. em 26 janeiro 2010 às 11:48 leia ribeiro

    digo, mudanças


  584. em 26 janeiro 2010 às 12:15 professortemporario

    Bruno de Jacareí

    Lembramos que sempre é bom citar a referência completa para a informação publicada. No caso, o editorial Educação Reprovada foi publicado no jornal O Estado de S. Paulo em 23/01 e o comentário que você postou é a resposta do professor da Unicamp ao editorial


  585. em 26 janeiro 2010 às 14:30 Paulo henrique

    Professor temporario

    Agora com a tal da liminar que o diretor da apeoesp ganhou para professores que eram F e devido a situação funcional foram obrigados a ser dispensados da categoria se tornando L , será que poderei voltar a ser F denovo pois eu me encontrava em 2007 e 2008 com aulas atribuidas e depois perdi as mesmas em 2009 ficando somente com aulas de projetos PEB 1 ( no caso o escola da familia) fui obrigado a pedir dispensa da categoria para ficar com as aulas do Programa somente me tornando L.
    Gostaria de um parecer da situação. aguardo resposta, e se por acaso alguem se encontrar nessa situação por favor me avisem o que é preciso fazer pelo email tb.


  586. Cadê a classificação???? Ou estou procurando nos lugares errados! Não acredito que não sairá hoje!!!


  587. Paulo Henrique, que informação é essa? A apeoesp ganhou a liminar??????
    Em que lugar está postado isso????


  588. em 26 janeiro 2010 às 16:35 Paulo henrique

    recebi um e mail se quizer repasso maria !!!


  589. em 26 janeiro 2010 às 16:40 Paulo henrique

    Repassando… mas preciso de respostas do meu caso…

    Primeira sentença da categoria F
    Companheiros,

    Como venho anunciado aqui, a APEOESP já conseguiu diversas liminares para transformar professores Categoria L em professores Cateogoria F.

    Hoje saiu a primeira sentença favorável de uma série que, espero, seja imensa.

    Há basicamente dois casos diferentes para o assunto.

    Há o caso do professor que era F mas por conta de alterações em sua situação funcional, ele se tornou L, como por exemplo o caso dos professores que não eram formados mas lecionavam determinada disciplina e, depois de formados, ao invés da Administração apostilar essa situação em sua portaria, demitiu e recontratou, desta vez como L.

    O outro caso é o caso do professor que não estava lecionando no dia 02/06/2007, data em que foi publicada a LC 1010/2007, mas já tinha tempo de serviço anterior a esta data.

    Conseguimos liminares para os dois casos, mas a sentença que saiu hoje se refere ao primeiro.

    Conforme as coisas forem acontecendo eu vou informando vocês.

    Cesar


  590. Oi Paulo Henrique eu estou nessa situação. Onde consigo mais informações?


  591. Paulo Henrique,
    obrigada !!!!!!!


  592. em 26 janeiro 2010 às 20:22 embuscadoconhecimento

    Boa noite a todos!

    Galera da matemática, eu acabei de postar mais uma solução parcial da prova de temporário.

    OBS: do número 50 ao 59.

    Não deixem de responder a enquete!

    Abraços


  593. em 26 janeiro 2010 às 20:31 Paulo henrique

    Professor temporario

    Recebi o e mail das liminares aqui:

    De: afusebarretossaojoaquim [afusebarretossaojoaquim@gmail.com]
    Enviado: quinta-feira, 21 de janeiro de 2010 3:47
    Assunto: msg enviada pelo Dr César- apeoesp

    AFUSE – SUBSEDE BARRETOS/SAO JOAQUIM DA BARRA

    Ligação Gratuita pelo: 9090-3325-2222 (Ligação a cobrar para quem mora em Barretos)
    Ou 909001517-3325-2222 (Ligação a cobrar para quem mora em cidades da região)
    ou 017-3322-3211 (Horário Comercial)
    Ou ainda se quiser falar com a Sede Central em São Paulo pelo 0800-110885

    Se quizer confirmar agradeço epeço que reveja o meu caso pois não tive resposta ainda.


  594. em 26 janeiro 2010 às 20:37 professortemporario

    Paulo Henrique

    Por acaso, você confirmou a veracidade da informação? Se analisarmos friamente, o próprio site do sindicato não divulga isso. Talvez, a pessoa que lhe mandou essa mensagem tenha cometido o engano da data.

    De qualquer forma, se isso fosse verdade para o presente momento, essa mensagem traria o texto integral da decisão liminar, com a indicação do juiz que a concedeu.


  595. em 26 janeiro 2010 às 21:50 leia ribeiro

    Saiu a classificaçãoooooooooooooo!!!!


  596. Bom, cadê a classificação dos que não passaram na bendita prova? Na minha diretoria de ensino, f aprovados na banca de humanas foram 38…para atender 8 cidades!!!


  597. Alguém sabe me indicar onde encontro um curso preparatorio para o concurso de professor…
    Gostaria que fosse proximo de onde moro, em Mongaguá/SP, baixada santista, mas se não tiver vou ver o que posso fazer pra ir… Quem souber me passa o preço e local por favor..
    obrigada
    Dete


  598. Minha classificação está em branco… só consegui abrir pelo resumo de classificação individual e está em branco…..o que posso fazer agora?


  599. Professortemporário,

    Existe algum recurso nesse blog para que eu possa filtrar sómente suas respostas e seus comentários? Isso aquí está muito poluído.


  600. M. Antonio

    Estava procurando no blog uma resposta que satisfizesse sua pergunta, mas não encontrei. Infelizmente alguns assuntos ficam poluídos e não é fácil encontrar o que se quer. Iria sugerir a pesquisa, fiz um teste e não retornou o que gostaria. Portanto, não há como fazer esse filtro que vc deseja.

    Tento ajudar o professortemporario na manutenção do espaço e a idéia é deixar os comentários, mesmo que seja em detrimento da qualidade.


  601. Hugo,
    Valeu a intenção, seus comentários no blog também são bastante consistentes.


  602. Professor temporário

    Gostaria de saber onde posso ver a classificação geral de todos, pois na minha diretoria, somente passaram 200 professores em linguagens e códigos.


  603. Olá Professor Temporário

    Pelo que e pude observar, a classificaçâo saiu para aqueles que passaram na prova, isto eh, para aqueles que atingiram o mínimo 40 pontos. È isso mesmo?

    Será que futuramente sairá uma outra classificação dos que não passaram na prova?

    Cadê que a APEOESP conseguiu fazer valer a Lei da classificação, uma vez que não passei e meu nome nao saiu em nenhuma lista.

    Me orientem por favor, no que devo fazer.

    Obrigada


  604. Por favor, onde encontro a classificação???
    Obrigada


  605. em 27 janeiro 2010 às 10:49 Regina Bertoncin

    Onde encontro essa lista para verificar minha classificação?

    Não achei em lugar nenhum até agora!


  606. O site para verificar a classificação é: http://www.educacao.sp.gov.br


  607. Para Dete
    O Claretiano esta ministrando cursinho em São Paulo, Faculdade Santa Rita

    e a Apeoesp tambem

    entre em contato


  608. Dete
    Consegui o telefone do Claretiano da praia grande
    13 3473-4659
    3371-4659
    3473-8881


  609. em 27 janeiro 2010 às 15:54 APARECIDA BATISTA

    PELO QUE ANDEI LENDO NO BLOG, EU CAIRIA NA CATEGORIA ‘O’ POR NÃO TER PARTICIPADO DE ATRIBUIÇÕES, PORTANTO NA LISTAGEM ESTOU CLASSIFICADA NA CATEGORIA ‘L’, COMO FAÇO, POIS TEMO PARTICIPAR DA ATRIBUIÇÃO E PEGAR O ‘GANCHO’ DEPOIS. MINHA PONTUAÇÃO É DE 50,509…E NO MEU DEMONSTRATIVO DE PAGTO ESTÁ 500/74 EVENT.R,G,P,S
    GRATA


  610. em 27 janeiro 2010 às 22:55 Ricardo Luiz

    Professor temporário…

    Espero que vc me responda essa:

    Professores não aprovados mas de categoria F ,ágora com prova de carater classificatório ficam presos nas 12 aulas ainda?? E os L não aprovados poderam pegar aulas ao longo do ano?? é isso??

    Agurado sua resposta professor.


  611. em 27 janeiro 2010 às 23:07 professortemporario

    Ricardo Luiz

    Acreditamos e interpretamos que o caráter classificatório da prova não contradiz às resoluções anteriores no que se refere aos professores estáveis. Assim, entendemos que o professor F reprovado que não seja chamado na segunda lista terá que cumprir as 12 horas em atividades de apoio, sendo obrigados a participar de cursos de qualificação da SEE.


  612. em 27 janeiro 2010 às 23:09 Ricardo Luiz

    E quanto ao professor L, reprovado?? pega aulas normalmente??


  613. O que não esá bem exclarecido para ,mim foi em relação aos professores f reprovados na seletiva estarem na lista dos aprovados! endendi então que na soma do tempo de magistério + a nota da prova alguns mesmo estando reprovado na prova pode participar da 1ª lista?estou certa?


  614. Professores..
    Na Diretoria que trabalho, teve professor que não passou na prova fez 28 pontos e saiu a classificação nessa lista …
    Mandei um e-mail para o DRHU,.. a resposta que me passaram foi essa:
    Portaria DRHU 06.doc (38540 bytes)
    Resolução SE 8, classificação.doc (48346 bytes)

    Prezado (a) Senhor (a)

    Em atenção ao seu e-mail, pedimos a gentileza de aguardar publicação oficial dos resultados. O senhor (a) poderá acompanhar pelo site http://www.educacao.sp.gov.br, http://www.vunesp.com.br , ou pelo DOE. Seguem, em arquivos anexos, Portaria DRHU – 06 e Res. SE 08/09.

    Mandei outro e-mail, falando que tenho apenas 2 dias pra recurso e não teria tempo de esperar o resultado oficial…
    Agora estou aguardando a resposta do 2 e-mail…
    queria saber se alguém poderia me ajudar…
    Onde posso correr atras, pois foi vários professores que não passaram e constou o nome nessa lista do dia 26/01…


  615. Alda
    obrigada pela informação…
    Vou ligar amanhã


  616. N minha cidade muitos professores da minha area que é de línguas e códigos que eu conheço não consiguiram acertar mais do que 25 estão nesta lista!!como isso ??


  617. Olá Professor Temporário

    Pelo que e pude observar, a classificaçâo saiu para aqueles que passaram na prova, isto eh, para aqueles que atingiram o mínimo 40 pontos. È isso mesmo?

    Será que futuramente sairá uma outra classificação dos que não passaram na prova?

    Cadê que a APEOESP conseguiu fazer valer a Lei da classificação, uma vez que não passei e meu nome nao saiu em nenhuma lista.

    Me orientem por favor, no que devo fazer.

    Obrigada


  618. elvis

    Para passar vc tem que somar 40 pontos desde que tenha atingido alguns critérios para a composição da nota. Procure no blog que há várias postagens sobre esses critérios.

    Se vc acha q passou, mas o seu nome não está em nenhuma das listas, então terá que entrar com recurso pedindo revisão e argumentar o pq do pedido (conferiu x pontos que não batem com a classificação etc etc).

    Caso tenha a certeza que não passou, só lhe resta aguardar a segunda lista.


  619. em 28 janeiro 2010 às 02:00 giselle alves

    Sou concluinte em pedagogia em dezembro de 2009,e nunca trabalhei na Rede, então fiz a prova classificatória porém não entreguei os documentos em novembro porque não sabia, apenas levei agora em janeiro o meu histórico acadêmico e uma declaração de que conclui o curso. Quero saber se tem como recorrer, pois parece que meu nome não consta no Drhu.


  620. em 28 janeiro 2010 às 02:09 professortemporario

    Giselle

    Seu caso é de difícil e improvável solução. A resolução que convocou os professores para o processo era clara nesse ponto, quanto a obrigatoriedade do professor fazer a inscrição na escola/DE e depois fazer a inscrição na vunesp. Procure pessoalmente a diretoria de ensino e explique o seu caso.


  621. Olá Professor Temporário

    Pelo que e pude observar, a classificaçâo saiu para aqueles que passaram na prova, isto eh, para aqueles que atingiram o mínimo 40 pontos. È isso mesmo?

    Será que futuramente sairá uma outra classificação dos que não passaram na prova?

    No aguardo.


  622. Professor você saberia me infomar se nas primeiras atribuições poderão participar os “F” e “L” que constam na lista de aprovados e só depois os “F” e “L” reprovados, ou os “F” reprovados ainda passam na frente dos “L” aprovados. Grata !!!!


  623. Daniela a sua duvida também é minha.Falei com a diretora da minha escola ontem e ela disse que ninguem na diretoria de ensino de Pirassununga sabe ou tenta responder a estas perguntas. Não existe ainda informações concretas.


  624. Gostaria de saber sobre as atribuições.
    As aulas da escola de tempo integral, serão atribuídas na escola ou na diretoria junto com as demais?


  625. Prezado Professor temporario,

    Vejamos se vocês tem essas informações:

    Professores de categoria L não classificados ( que não atingiu a média) poderão pegar aulas durante o ano enquanto os F não classificados ficarão presos em 12 aulas??

    Mais uma>>> qto as atribuições futuras de licenças na casa e tal, a preferencia será sempre do F e L aprovados e depois dos L reprovados??

    Aguardo a sua resposta para essas duas perguntas, espero ser atendido pois é a 1º vez que posto uma duvida aqui, gostaria de esclarecimentos, conto com a competencia de todos e aguardo um retorno.

    Lucas.


  626. em 28 janeiro 2010 às 20:13 APARECIDA BATISTA

    JÁ POSTEI MINHA DÚVIDA, PORÉM NÃO OBTIVE RESPOSTA. SERÁ QUE ALGUÉM PODE ME AJUDAR?
    PELO QUE ANDEI LENDO NO BLOG, EU CAIRIA NA CATEGORIA ‘O’ POR NÃO TER PARTICIPADO DE ATRIBUIÇÕES, PORTANTO NA LISTAGEM ESTOU CLASSIFICADA NA CATEGORIA ‘L’, COMO FAÇO, POIS TEMO PARTICIPAR DA ATRIBUIÇÃO E PEGAR O ‘GANCHO’ DEPOIS. MINHA PONTUAÇÃO É DE 50,509…E NO MEU DEMONSTRATIVO DE PAGTO ESTÁ 500/74 EVENT.R,G,P,S
    GRATA


  627. em 28 janeiro 2010 às 20:19 APARECIDA BATISTA

    ENCONTREI UM POST COM UMA DÚVIDA SEMELHANTE, POIS TENHO COLEGAS QUE ‘NUNCA’ DERAM AULA E TAMBÉM ESTÃO NA MESMA CATEGORIA ‘L’. KAROL, APROVEITEI E COLEI SEU POST, OK?

    em 28 janeiro 2010 às 19:35 Karol
    Olá! por gentileza, uma professora que se inscreveu para lecionar este ano de 2010, fez a prova dos OFA, e passou só que ela está na categoria L. Como pode isto, se ela se inscriveu para começar a ministrar aulas esse ano.
    Segundo a resolução da categoria L, o profº OFA que entraram em exercício pela 1ª vez entre Junho de 2007 e Junho de 2009, pertencem a categoria L. ADM Lei 500/74 R.G.P.S.
    E porque, esta professora que começará a dar aulas este ano de 2010, foi colocada na categoria L?


  628. Aparecida pelo que observei na classificação está escrito “L e candidatos a contratação” eu acredito que o “O” esteja incluso nesse “candidato a contratação”, não quer dizer que vc seja “L”.
    Abraços.


  629. Atenção pessoal saiu uma nova resolucao para o concurso Peb II
    COPIA 0,45 29/1 resolucao 9/2010 que esta mudando a bibliografia
    voce acha no site http://www.dersv.com


  630. Gente saiu a nova lista de classificação…. mais não vi mudança alguma…ainda vejo professor que não passou na prova e está na 1ª lista..
    recebi a resposta do DRHU e foi amesma informação anterior…que devo aguardar a nova publicação que saiu tem 10 minutos e não vi mudança….


  631. Professor temporario onde esta vc????? será que da pra responder !!

    Vejamos se vocês tem essas informações:

    Professores de categoria L não classificados ( que não atingiu a média) poderão pegar aulas durante o ano enquanto os F não classificados ficarão presos em 12 aulas??

    Mais uma>>> qto as atribuições futuras de licenças na casa e tal, a preferencia será sempre do F e L aprovados e depois dos L reprovados??

    Aguardo a sua resposta para essas duas perguntas, espero ser atendido pois é a 1º vez que posto uma duvida aqui, gostaria de esclarecimentos, conto com a competencia de todos e aguardo um retorno.

    Lucas.


  632. em 29 janeiro 2010 às 18:14 Elaine Maria Ribeiro

    Gostaria de saber para que serviu a prova de ofas de 2010.afinal não tem salas de peb1 , ta tudo municipalizado mesmo
    sem contar que a classificação, nem com decreto coseguimos saber….


  633. em 29 janeiro 2010 às 18:16 Elaine Maria Ribeiro

    onde vejo a tal classificação.. por favor me ajudem…. obrigada


  634. Para Alda Guedes…

    Eu vi o curso preparatorio da Santa Rita, não tem fim de semana….
    O numero que vc me passou do Claretiano o primeiro numero é residencial não tem nada ver…os demais ninguém atende….
    obrigada pela ajuda…
    bjs


  635. em 29 janeiro 2010 às 22:47 Suellen Garcia

    Elaine, td bem? vc poderá visualizar a classificação no site da http://www.educacao.sp.gov.br/
    depois vá ao link, Classificação p/ atribuição Aulas
    Pub. 28/01/2010 Clique aqui…ok? espro tê-la ajudado…abraços


  636. em 29 janeiro 2010 às 22:56 Suellen Garcia

    Olá Vera, td bem? Fiz a minha inscrição para a seleção de professores para aulas da escola de tempo integral, os diretores da escolas ressaltaram que as aulas serão atribuídas na diretoria junto com as demais…ok? abraços


  637. Professor
    Gostaria de saber se essa conta é o correto, retirei daqui do site…
    Não tenho as regras, queria apenas confirmar…

    Fazendo as contas temos o seguinte :

    Valor da prova 80
    Valor aproximado de cada questão +/- 1,33

    Regra é – nº de acertos x 1,33 = total de pontos

    Exemplos:
    60 acertos x 1,33 = 79,8 (80)
    50 acerts x 1,33 = 66,5
    40 acertos x 1,33 = 53,2

    35 acertos x 1,33 = 46,55
    30 acertos x 1,33 = 39,9 (40)
    25 acertos x 1,33 = 33,25 não alcançou os 40 pontos , mas poderá juntar o tempo de serviço para chegar a nota de corte.


  638. Olá professor temporário, sou categoria F fiz 28 pontos, sendo assim não fui considerado aprovado, lembrando que uma prova ou concurso não avalia de fato a competência de um educador, mas a minha dúvida é a seguinte:
    Serei classificado antes mesmo daqueles que se encontram na categoria L aprovados .
    Estou designado na vice direção de escola, caso não consiga aulas atribuidas, ficarei com 10 aulas + 2 horas de HTPC, totalizando 12 horas aulas, pelo que entendo, posso continuar a ser designado ou não, caso contrário, caberia impetrar na justiça liminar ou mandado.

    aguardo resposta,


  639. em 31 janeiro 2010 às 01:07 professortemporario

    Reginaldo

    Existe um artigo específico para a situação dos professores em função de vice-direção ou coordenação, mas adiantamos que aos reprovados, pelas regras vigentes, não haverá a possibilidade de permanecer designado. Como se trata de uma função transitória, o professor que a ocupa, mesmo estabilizado pela lei 1010 jamais será considerado titular de uma dessas funções. Assim, não acreditamos que caiba recurso.


  640. Por favor alguem sabe como vai ficar a vida do prof eventual em 2010?


  641. CARLOS

    Concordo com vc em termos. É importante esta renovação sim, agora você trabalhar a renovação sem recursos não é fácil. Estou em 3 escolas, tentei trabalhar nas salas de informáticas (renovação), porém o sistema é super lento e na maioria das vezes os pcs não funcionam, e em uma das escolas a quantidade de alunos não comportam na sala de informática,pq é extremamente pequena. Quanto a sala de vídeo, que é geralmente com uma televisãozinha antiga de 29 polegadas mais um dvd porcaria que não aceita nenhum cd, dvd, mesmo aqueles que um professor bem intecionado reproduz em seu próprio PC. Por outro lado, essas sugestões colocadas no caderno do aluno, já deveria ter cds para ajudar o professor em suas aulas, como é o caso dos cds barbatuques e stomp (para a aula de artes por exemplo) que estão em torno de R$90,00, caso um professor queira adquirir rsrsrs. Onde estão as pastas de cor azul nas escolas que serve de material pedagógico para os professores de artes que nunca achamos? Sala ambiente para determinadas aulas como por exemplo (artes, física, quimica etc) .Materiais para a tal vivências das aulas de artes por exemplo, nunca tem, e é o professor que muitas vezes tem que pagar e levar os materiais que sai geralmente do seu próprio bolso. Sala com acústica para apresentação de músicas por exemplo, e mais uma sala de vídeo para que não fique limitado na espera de oportunidade de uma aula para outra. E os professores coordenadores, onde estão? São verdadeiros chefes autoritários sem nenhuma ética profissional, gerando conflito entre os professores. Planejamentos interdiciplinares tem professores coordenadores que nem sabem o que é isso, então , eu lhe pergunto, esse pessoal não são devidamente treinados para a ocupação de seus cargos? Outra novidade, eu passei sim neste provão e com uma excelente nota e mesmo assim me sinto prejudicada, apesar de ter já 12 anos de magistério,pq justamente no dia da lei que saiu eu não estava lecionando e agora estou na categoria L e vou escolher a minhas aulas depois de professores que tiraram nota bem abaixo da minha e com menos tempo de experiência. Agora eu lhe pergunto, aonde está a renovação? Um abraço.


  642. MARI, SUA SITUAÇÃO É A MESMA QUE A MINHA (MUDANÇA DE CATEGORIA E APROVADA NA PROVA SELETIVA)SÓ QUE SOU PB1
    COM MAIS DE 10 ANOS DE MAGISTÉRIO.É REVOLTANTE ISSO.
    SERÁ QUE TEM JEITO DE INVERTER ESSA SITUAÇÃO?ACHO QUE DEVERÍAMOS NOS UNIR E FAZER ALGO PARA NÃO SAIRMOS
    PREJUDICADAS.SE TIVER ALGUMA SOLUÇÃO POR FAVOR ME AVISE,AGUARDAREI ANCIOSA SUA RESPOSTA.ISSO NÃO É JUSTO,TEM QUE TER UM FILHO DE DEUS PARA NOS AJUDAR…….
    BEIJOS MARI,TENHA CERTEZA QUE AINDA HAVERÁ JUSTIÇA
    A NOSSO FAVOR.


  643. Reginaldo, segundo a colega Joema Porto, em 19/01/2010 a classificação seguirá a seguinte ordem:

    Ofa F que passou na prova ( aqui inclui-se aqueles que somarão os 8 pontos por tempo de serviço para composição da nota mínima );

    Ofas L, S, O, enfim, candidatos à atribuição que passaram na prova ( aqui inclui-se aqueles que somarão os 8 pontos por tempo de serviço para composição da nota mínima );

    Ofa F que NÃO passou ou NÃO fez a prova ( quem não fez a prova terá que justificar )

    Ofa L que NÃO passou ou NÃO fez a prova ( quem não fez a prova terá que justificar ).

    Segundo a Joelma são informações da APEOESP, então nesse caso vc só consegue aulas depois das categorias L, S, O que passaram na prova.


  644. Valeria, se eu fosse vc tambem estaria “anciosa” !


  645. Olá,eu prestei a prova para professor temporário agora no final de Dezembro e gostaria de saber qual categoria eu me encaixo,me disseram que era a L.Se possível,responda-me por email.Ja olhei no site da secretaria da ED. mas meu nome não saiu em nenhuma lista e eu acertei 50 questões das 80 da prova.O que faço?Onde ir?Obrigada


  646. em 31 janeiro 2010 às 21:30 MARCIA SANTOS

    será q alguém pode me dizer se prof. da categoria F tem direito a afastamento sem remuneração?????
    obgd


  647. Marcia Santos

    Com tantas alterações em leis e resoluções, é melhor que você colha esta informação junto à secretaria da escola ou na D.E. onde esteja vinculada, ok!


  648. em 1 fevereiro 2010 às 01:37 Eliane miriam

    por favor alguém ai poderia me ajudar,tem algum site que poderia ter simulado dessa nova bibliografia,se alguém saber por favor estou desesperada mande p/a mim,o meu email é eliane88_2001@yahoo.com.br….se alguém poder me ajudar eu fico grata


  649. Professor

    Fiz 31 pontos na prova, qual critério usado, pelo que entendi nas contas apresentadas pela colegou Dete acima, se multiplicar 31×1,33 estarei acima dos 40 pontos exigidos, é isso mesmo!
    Se puder me exclarecer melhor.
    Obrigado.


  650. em 1 fevereiro 2010 às 12:00 Lucia Helena Alves da Silva

    Venho, pelo presente documento, interpor minha discordância e indignação acerca do Processo Seletivo Simplificado para Docentes e seu Edital de Abertura de Inscrições para prova, publicado no Diário Oficial do Estado de São Paulo em 24.10.2009.

    Sou PEB I, readaptada por tempo permanente, desde 1990. Como atestam os laudos médicos e as perícias realizadas à época da readaptação, desenvolvi, ao longo dos anos em sala de aula, uma grave deficiência visual, que me impossibilita de efetuar e desenvolver as atribuições do cargo. Por essa razão e, principalmente, por razões e orientações médicas, minhas funções foram transferidas para os afazeres que cabem à rotina de uma secretaria escolar. Todavia, minha limitação física, calcada na quase inexistência da visão direita, não permite uma longa e eficaz prática de leitura, nem tampouco um estudo direcionado e contínuo dos conteúdos, práticas e atualizações pedagógicas e normativas, que nortearam a área de educação básica nas últimas décadas. Dessa forma, seguindo os aconselhamentos médicos, não expus a minha visão deficiente a um esforço que colocasse em risco os seus resquícios de acuidade, já imensamente debilitados.

    Diante do exposto, considero uma afronta ao bem-estar do professor readaptado, bem como, um desrespeito ao direito adquirido pelo mesmo, visto que a incapacidade funcional é uma condição irreversível. Por essa razão, o Processo Seletivo Simplificado para Docentes soa um disparate à condição física do professor readaptado, principalmente àqueles que gozam dessa condição por razões oftalmológicas.


  651. Desculpe me o comentário anterior, pedi pra alguém postar e puseram exclarecer, entenda esclarecer.

    Obrigado


  652. Professor Reginaldo, a conta apresentada pela prof. Dete é referente a prova p/ PEB I que possui 60 questões, valendo 1.33 pontos cada questão. A prova p/ PEB II apresenta 80 questões, valendo um ponto cada questão. Para passar na prova é necessário acertar pelo menos 32 questões e somar com a pontuação ref. ao tempo de magistério.


  653. Adoro este site, muitas dúvidas são solucionadas. Mas estou decepcionada com a Apeoesp, pois agora eles querem que as aulas sejam atribuídas primeiro somente para as pessoas licenciadas, acho isso muito errado, pois mesmo quem seja bacharel, estudante e tecnólogo e passou na prova é porque estudaram e se dedicaram, devem sim pegar aula primeiro que os que não passaram.


  654. Sou professor contratado (temporário) aqui na Bahia através de um contrato escrito com inicio em Março e validade até fim de 2009.
    Acontece que recebemos o 13º salário normalmente.
    Ontem foram efetuados os pagamentos dos professores efetivos, incluindo as férias proporcionais, e nenhum contratado recebeu as férias.
    Hoje fui a Prefeitura e me disseram que contratado não tem direito a férias proporcionais. Eu gostaria de saber se isto é verdade, ou se existe na legislação federal uma lei, que dá direito aos professores contratados estas férias proporcionais.
    Em 2008, também trabalhei como professor, mas mesmo com a mudança da gestão municipal, no início de 2009 foram pagos as férias proporcionais inclusive dos professores contratados. E esta mesma gestão agora diz, que estes professores contratados não tem direito as férias.
    Se existe uma lei, assegurando este direito ao professor, seria possível o Sr. me enviar esta lei?
    Muito obrigado


  655. Karl

    Vcs tem a lei 6677 que da providencias ao funcionalismo público estadual de BA. Mas, vc precisa ler essa lei, em especial o capítulo III, art 93. Tb terá que descobrir se há alguma lei ou resolução que trate desse assunto e dê outra interpretação ou modificação.
    Outro fato é o tipo de regime que foi contratado (lei própria ou CLT).
    De qualquer forma, creio que vc tenha direito as férias, pq normalmente, a maioria das leis baseiam-se na CLT e nela é bem explícita a obrigação de pagar o 1/3 das férias.

    De qq forma, leia essa lei que passei e reclame seus direitos. Caso continuem a negar, sem uma base legal, vá ao Ministério Público do Trabalho (ou MPF que eles encaminharam a denúncia) e faça uma denúncia, ou então, abra um processo através de algum advogado (mas isso custa $$$).


  656. em 1 fevereiro 2010 às 20:59 professortemporario

    Karl

    Você terá que procurar um advogado trabalhista e entrar com uma açãona justiça do trabalho requerendo as férias proporcionais


  657. Tem algum fundamento o que se anda falando?

    que o professor categoria F que nao passou na prova perde o direito das 10 aulas?


  658. Sou mais uma professora lesada, indignada, revoltada,injustiçada etc…

    Estou lecionando no estado como PEB II desde 1991, e em março de 2007 larguei as aulas para fazer uma viagem cultural, ampliar os meus conhecimentos, visitar museus e galerias de arte. Voltei a dar aulas no estado em 2008 e 2009, foi tranquilo e para a minha surpresa quando vi a minha classificaçao nao constava na categoria ”F” e sim ”L”.

    Fiquei e estou desesperada, desamparada a procura de um filho de DEUS para me ajudar a mudar essa historia. Como faço para voltar a minha categoria ”F”? Tantos anos de dedicaçao, pontos adquiridos e conhecimentos, tudo foi para o lixo, sim no lixo pois, nao vou ter alunos.

    Obrigada por esse espaço e por poder me desabafar.


  659. alguem sabe quando sai a segunda lista/? obrigada!!


  660. PROFESSORINHA

    Tenho um amigo em mesma situção que a sua, ele foi no sindicato e segundo eles (sindicato) quem “abandonou” por um determinado periodo, quando volta, sai da categoria F e passa para a L.
    Essa é a questão né! Porque os raio do SINDICATO não briga para a formação de uma só categoria???????

    SEXTA FEIRA OCORRERA A MANIFETAÇÃO DO SINDICATO EM FRENTE A SECRETARIA PARA QUE OS ´PROFESSORES ESTUDANTES APROVADOS SEJAM COLOCADOS DEPOIS DOS PROFESSORES FORMADOS REPROVADOS( acho que isso divide a categoria)

    Eu sou totalmente contra, alguem acha que isso é um luta justa a essa altura do campeonato, o sindicato não deveria estar mais apreocupado em dar um curso para o concurso para os professores que não passaram, não seria mais proveitoso? E mais digno?


  661. em 2 fevereiro 2010 às 21:21 dora ligia de abreu

    gostaria de saber se tem alguém que tem alguma noticia da aposentadoria especial no estado de Sao Paulo, pois a prefeitura já deu.


  662. Ola pessoal,
    Acabei de ler o site da Bebel e a segunda lista sai dia 04/02 , outra coisinha também , o caro secretario da educação divulgou uma nota criticando os prof pelo fracasso da Educação , quero so ver o que ele vai inventarf o ano que vem ja que so iram entrar na sala os mais preparados com certeza os alunos iram se destacar em tudo e o ano quje vem so vai ter aluno CDF nas escolas graças ao que passaram na provinhaaaaaaaa kkkkkkkkkkkk entao nao temos que nos preocupar com o pouco caso que os professores antigos estao sendo tratados pois a resposta vira em breve


  663. Marcia
    Fiz as perguntas sobre as regras de classificação e postei esses dados pq encontrei no site que era para PEB II…
    obrigada pela informação, pois foa pessoa postou errada então….
    obrigada


  664. Carlos concordo plenamente com vc, pois o sindicato deveria parar de brigar e correr atrás do prejuízo, fazendo cursos para os professores que vão prestar o concurso.


  665. Já que fizemos uma prova para ser avaliado, deveria ficar como esta, nada mais justo que um professor que passou tenha prioridade na atribuição, se não do que adianta a prova. Os professores deveriam estudar para passar no concurso.


  666. Para Professorinha:
    Vc não está só, veja meu caso: leciono desde 1993, estou com 49 anos, no ano de 2007 peguei uma substituição e a titular do cargo voltou dia 31 de maio, abonou dia 01 de junho e faltou dias 2 e 3 de junho, dia 4 ela tirou licença novamente.Consequentemente……fiquei 3 dias desligada do estado e o governo me enquadrou na categoria L. É uma pena que o governo não tenha acesso a este Blog, pois acho que resolveria muita coisa!!!!


  667. Olá, sou Professor PEB II, categoria F, gostaria de saber sobre a atribuição com relação ao número de aulas de podemos pegar, uma vez que sempre é exigido no mínimo 20 aulas semanais, e que nem sempre desejamos pegar essa carga?
    obrigado
    Neivaldo


  668. Verifique as questões anuladas no gabarito da Vunesp.

    http://www.vunesp.com.br/concursos/seed0902/gabaritos_20_12_2009_anal_rec.pdf

    • Questões anuladas na prova para professores OFA. (2a. parte) – 19-01-2010
    DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS
    PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO

    O Diretor do Departamento de Recursos Humanos da Secretaria
    de Estado da Educação, nos termos do Decreto nº 54.682,
    de 13 de agosto de 2008 e da Resolução SE 68, de 1 de outubro
    de 2009, disciplinadora do processo em questão e à vista do que
    lhe apresentou a Fundação VUNESP, após análise pela Banca
    Examinadora dos recursos apresentados pelos docentes/candidatos
    à contratação, torna público o que segue:

    1- As questões anuladas serão consideradas corretas para
    todos os candidatos do respectivo campo de atuação.


  669. Eliane

    Acho que voce esta equivocada com relação a prova, a maioria dos professores tem uma preucupação muito mais com novelas, jogos de futebol ou coisas futeis do que com a propria materia, a educação não é para gerar em emprego, ela precisa de profissionais capacitados como em qualquer outra profissão, acho que no mundo em que vivemos, com a competitividade em qualquer area seria muito descaso deixar professores que não tem o minimo de conhecimento lecionar no principal estado do país apenas porque se acomodaram em tempos atras e não estudaram mais suas respectivas materias, o que eles ensinam em sala de aulas? Na minha epoca, colocavam uma aluna para escrever textos na lousa e ficavam na porta batendo papo com outras prof que faziam a mesma coisa, quando fui dar aula vi que nada mudou.


  670. Nossa…. Carlos…. Vc. acha que o professor que passou nessa prova é um profissional qualificado? Tenho uma amiga que não estudou, falta muito… chutou muito também(como ela falou) disse sorrindo para nós: nossa como sou boa de chute… e passou. Os professores de matemática não conseguiram fazer toda a prova… devido ao tempo e a dificuldade das questões…. o professor não é DEUS.. é um ser humano… que erra e não sabe tudo.. Eu concordo que tem alguns acomodados, como em toda profissão.. mas tem outros dedicados… e por infelicidade não passaram, e não podem ser considerados incapazes.. não é mesmo? Temos que rever nossas opiniões… cada caso é um caso.


  671. Fatima,para todos os professores ACTS.

    O governo conseguiu o que queria,dividiu a classe,jogando uns contra os outros e agora vai eleminarmos aos poucos, primeiro com essa atribuição injusta(embora dizem ser justa)o segundo passo vai ser o concurso para cerca de 11.000 vagas,onde existe cerca de 130.000 professores ACTS
    -Resumindo primeiro ele elimina uma boa parte dos ACTS categoria F nessa atribuição, depois elimina o RESTO com o concurso, e assim ele elimina a TODOS.
    – ALERTA:Aos iludidos cuidado com esse falso emprego.


  672. Fatima gostaria de pedir ajuda para a correção da prova de Matemática aplicada no dia 19/12/2008.Desde já agradeço


  673. fatima

    Porque voce acha que dividiu a categoria?


  674. fatima

    Pode postar a sua dúvida fatima, dependendo do assunto de matemática eu posso ajudar.


  675. PARA Professorinha e Maria

    Estou na mesma situação que voces.Fiquei tão desesperada que ao ver a lista dos classificados haviam muitas colegas com pontuações (da prova seletiva) bem mais baixas que a minha,muito menos tempo de magistério e só porque não lecionei no primeiro semestre de 2007,minha categoria mudou
    para L e terei que escolher classe depois delas que continuaram com a categoria F.ISSO É MUITO REVOLTANTE,
    Descobrí esse BLOG e me desabafei,uma dessas colegas que
    também saiu prejudicada com isso,me disse que entrou com
    um processo junto a um advogado da APEOESP e me informou que esse advogado disse que já estava nas mãos do juíz e
    que talvez daria tudo certo.Ela está aguardando resposta.
    Não fui atrás ainda,mas estou querendo.
    Quem sabe esta informação podem ajudá-las.


  676. sobre o concurso publico alguem poderia me ajudar ?
    sou da categoria f e la tem uma pergunta assim : qual sua ocupaçao?
    trabalhador com vinculo empregaticio
    ll domestico
    ll sem vinculo empregaticio
    ll autonomo
    empregador
    funcionario publico estatuario
    ll ll contratado

    qual desssa eu devo colocar se alguem puder ajudar agradeço.


  677. Para Valéria,
    já entrei com todos os papéis pelo advogado da Apeoesp, realmente ainda não temos respostas.Mas faça o mesmo, tudo é válido e temos esperança!!!!!Abraços….


  678. Esclarecimento de Dúvida

    Concluí o curso de Ciências em julho de 2009, me increvi para a prova, fiz e atingi a pontuação. No entanto nunca lecionei. Estou classificada como categoria L (licenciatura plena). A diretoria de ensino na qual me inscrevi divulgou o cronograma de atribuição, onde consta uma data para o ocupante de função atividade categoria L (candidato do número 1 a 78) e em outra data (por último) os candidatos à admissão. Minha dúvida é: em qual destas situações me encaixo?

    desde já obrigada pelo espaço.


  679. Concordo plenamente com o prof. Carlos. O descaso de alguns professores com a própria qualificação gera esse tipo de situação, onde os professores ficam se degladiando ao invés de investirem em suas carreiras. Vamos estudar pessoal!!! Se era uma provinha prof. Eliane porque tantos professores foram reprovados? Eu passei na provinha ano passado e a nossa “querida” APEOESP” conseguiu cancelar e pelo jeito esse ano o objetivo do nosso sindicato continua sendo o mesmo. Passei novamente nessa prova e estou aguardando o resultado final. Mas estou estudando para o concurso, porque é ele quem vai efetivar os profissionais da educação. O nosso sindicato deveria brigar por mais concursos e melhores salários e não ficar investindo em cancelamento de avaliações. Se nossos alunos tem que ser avaliados, nós também temos que ser. E tenho dito!


  680. PARA MARCIA

    querida companheira de trabalho,

    Discordo de vc quando diz que”” se o aluno tem que ser avaliados,nós tbm temos que ser””
    Desculpe, mas nada a ver.

    Nós ja fomos avaliados enquanto estudantes, agora temos que ser conscientes, isso sim.

    Eu não acho que uma prova,seja ela, facil ou dificil, é capaz de avaliar a capacidade de alguém, pelo contrário, o que eu acho é que alguns tiveram sorte de passar(Como eu e vc) e outros não tiveram essa mesma sorte.

    Ë facil julgar nosso colega quando temos em que nos apoiar.

    Vamos torcer pra todos se darem bem,,,afinal todos nós precisamos trabalhar.

    Um abraço

    Boa sorte na atribuiçao


  681. Fatima para Carlos,quando eu digo que nossa categoria está dividida não é só pelo simples fato de existirem um monte de letras(f,l,o,etc….)mas sim pelas atitudes de alguns colegas que agem egoisticamente não se importando com seus amigos,se irão ou não pegar aulas querem mesmo encher o papo o resto que sidanem.


  682. Para Elvis
    Prezado colega eu não sei quanto a você, mas eu não tive sorte na prova, mas sim estudei muito como outros colegas que passaram. É muito injusto e egoista alguns torcerem pelo cancelamento da prova uma vez que estariam sim prejudicando os candidatos esforçados e não sortudos como você. Ser avaliado pelo conhecimento não deve ser considerado tortura, estudar faz bem. E da próxima vez colega não confie na sorte, estude! Boa atribuição!


  683. Hugo obrigada pela ajuda,precisamos de mais colegas como você,minha dúvida está na questão 25.


  684. Para Fátima
    Prof Fátima, torcer para os que não passaram na prova também é agir egoistamente. Vc acha justo prejudicar quem passou na avaliação? Vc gostaria que cancelacem a prova, os reprovados “enchessem o papo” como vc diz e os professores que passaram se danassem? Pense bem… isso além de ser egoista é injusto e muito “feio”. Concordo com o prof. Carlos e a prof. Márcia. E que venham os concursos!!!


  685. em 4 fevereiro 2010 às 14:07 fatima v.winter

    Mônica,quando eu digo que o governo conseguiu dividir a categoria é nesse sentido.Olha a gente, nem se conhece e já está brigando.Você imagina o clima na escola com a volta as aulas.


  686. Nossa…. Carlos…. Vc. acha que o professor que passou nessa prova é um profissional qualificado? Tenho uma amiga que não estudou, falta muito… chutou muito também(como ela falou) disse sorrindo para nós: nossa como sou boa de chute… e passou. Os professores de matemática não conseguiram fazer toda a prova… devido ao tempo e a dificuldade das questões…. o professor não é DEUS.. é um ser humano… que erra e não sabe tudo.. Eu concordo que tem alguns acomodados, como em toda profissão.. mas tem outros dedicados… e por infelicidade não passaram, e não podem ser considerados incapazes.. não é mesmo? Temos que rever nossas opiniões… cada caso é um caso.

    Em resposta à profa Odete

    Cara colega, não acredito nessa história de chute, e que professores dedicados não passaram. É muito simples, quem estudou passou!!! Errar é humano, mas errar demais é falta de dedicação à profissão que escolheu. Como pode um professor não gostar de estudar? Como pode alguem que não estuda ser tão valorizado pelos colegas como ocorre nesse momento. Eu só leio comentários de pessoas defendendo quem não passou na prova… E os que passaram quem defende?????


  687. O comentário acima é em resposta à profa Odete. Assino Mônica.


  688. Para Maria e Valéria Oi amigas!( em comum com o mesmo problema) Amanha vou buscar a minha papelada na delegacia de ensino e de la vou para APOESP e vou fazer o mesmo que vcs. Obrigada!!!! Eu estou tao revoltada que eu so quero é estudar e ai aquela papagaiada ; a educaçao esta nessa ”M”por culpa dos professores, todas as escolas tem todos os recursos, alunos sao todos uns coitadinhos e ainda temos que estudar o pensamento dos doutores, mestres, pedagogos, psicologos que nunca entraram numa sala de aula(Nos livros tudo é lindo) a realidade é so nos que sabemos. Vamos passar nesse concurso e acabar com essa palhaçada de todo ano passar com dores de barriga, medo de nao pegar aulas na nossa escola querida e tomar lorax. Obrigada mais uma vez meninas; Valéria e Maria.


  689. Olha a coisa ta feia !!! td que o governo queria ele conseguiu…agora vamos nós fazer isso em sala de aula , separar os alunos por fileira pela notas… tds sabem o que acontece… seremos torturados em praça pública. Aqui no interior já tem DE, ficando calada quando a reportagem pegam pais sem informação … que dizem : ” Temem pelo aprendizado dos filhos nas mãos desses professores reprovados e lecionando . ” Só quem esta em sala sabe nossos dificuldades… não só ACT , efetivos tbm sofrem com mesmos problemas. Será que os alunos tbm serão selecionados agora ? rssss o fulano que é fraquinho vai para classe de tal prof , ele nao passou mesmo…. agora o espertinho vai para classe do fulano 2 ele passou. Estamos todos no mesmo barco, temos que andar juntos… Nós merecemos respeito … não vejo reportagem, falando sobre nossa causa e dando votos a nosso favor, somos nós e nós mesmos.


  690. Márcia…nada vai mudar minha opinião de que ainda que vc estudou,porque eu também estudei, mas ainda assim, não podemos descartar que tivemos sorte sim, porque a prova com o tamanho dos enunciados éra para confundir a mente de qualquer pessoa.
    Eu nao sou a favor de que cancelem a prova, mas por mim, os categorias F e L poderiam fazer parte da mesma listagem e que as pontuações fossem consideradas.
    Nós professores ja somos tao massacrados pelo sistema.

    Um abraço


  691. Professor temporario,

    Estamos com a seguinte informação: – Atribuição do PROGRAMA ESCOLA DA FAMILIA SERÁ- 06/02/2010, na seguinte conformidade: 9h – Faixa I, candidatos reconduzidos e aprovados; 11h – Faixa II, candidatos novos e aprovados.
    Precisamos saber quem são esses candidatos reconduzidos?? por acaso seriam os candidatos que não se classificaram na prova com as 40??

    Aguardo sua resposta.


  692. Alguém sabe se saiu alguma resolução para atribuição da esola da família ou continua am mesma Resolução 82.


  693. Elvis
    Também sou contra a sopa de letras que fizeram (F, O, L etc), mas ainda sim sou a favor da qualificação, recilclagem e consequentemente das avaliações. Já que os concursos demoram a acontecer e não abrangem quantidade suficiente de professores temporários o negócio é classificar de acordo com o conhecimento de cada um. E nada mais democrático para professores antigos e novatos que a prova.
    Outro abraço.


  694. ler reciclagem.


  695. PROFESSORES BEM INFORMADOS BOA NOITE!!!

    ALGUÉM PODERIA ME INFORMAR SE É VERDADE QUE ,

    QUEM PERTENCE A CATEGORIA “F” E NÃO PASSARAM NA

    PROVA PERDEM O DIREITO DAS 12 AULAS?


  696. Considerando a Resolução SE 92 de 08-12-2009, que dispõe sobre estudos de recuperação aos alunos das séries/anos iniciais do Ensino Fundamental das escolas da rede pública estadual esclarecemos que:
    ·Todos os professores das séries/anos iniciais do Ensino Fundamental, farão jus a 6 horas de trabalho pedagógico, sendo que 2 horas compõem a jornada básica ( 25 horas com alunos, 02 horas de trabalho pedagógico coletivo), podendo ter atribuídas mais 4 horas, se o professor tiver condições para cumpri-las. A composição da jornada/carga suplementar/horária neste caso será:

    PODEM ME EXPLICAR O QUE SE REFERE ESSA RESOLUÇÃO ACIMA.


  697. Professores!!!

    Pelo que vi o Governo fez o que queria…. Até os estudantes que passaram na prova vai escolher na frente dos professores que não passaram… pela lista que vi, tem professore scom zero ponto que foi classificado na prova e vai pegar aula na frente de professores que estão no fim de carreira…
    Onde está a APEOESP pra ver tudo isso”!!!!
    Será que vai cair a Res. dos professores de categoria F que não passaram na prova e tem direito das 12 aulas?


  698. Valéria, Maria e todos os professores que estão na categoria L e se sentem prejudicados.

    Pois bem, já estou no magistério a 13 anos e passei na prova, mas por não ter lecionado no ano de 2007 e ter parado de lecionar um certo periodo e voltado em 2009 , resultado estou na categoria L. Por outro lado mesmo tendo mais experiência e mais pontuação que os outros professores de categoria acima,procurei entrar com recurso na diretoria ensino que já o indeferiu, então marquei com uma advogada na apeoesp que não pode ir no dia marcado,a última tentativa foi telefonar para a central da apeoesp e um advogado me disse que não tem jeito ,eu estou na categoria L e ponto final. Será que vou ter mais uma decepção, pois no ano que eu sai do magistério fui prejudicada pelo fato de terem retirado a minha disciplina do currículo . Agora mesmo passando na prova não estou sentindo segurança e nem apoio.Que país é esse?


  699. Bom Dia

    Faço parte do grupo de professores que perderam a prova na UNIBAN, entrei com recurso junto a apeoesp Central, e tb entreguei todos os documentos junto a uma declaração , como pedido, na questão de Justificativa, e hoje recebí uma ligação da secção de protocolo para retirar a resposta, fui até lá, e para minha surpresa, meu pedido foi indeferido, a alegação é que como categoria L, não tenho direito. E agora, o que faço?, meu nome não aparece em lista nenhuma e portanto não vou poder trabalhar este ano?
    Uma amiga categoria F, que está inclusive citada no mesmo boletim de ocorrencia contra a UNIBAN, teve seu pedido deferido.
    Procurei na resolução e não encontrei nada que respalde a decisão da DR, preciso de orientação sobre o que fazer.
    Muito Obrigado
    Vera Lucia


  700. Dete

    Entre no site da apeoesp e assim podera estar mais informada sobre as atitudes da mesma ….


  701. Peço Licença ao Professor temporario para informar aos que estao se sentindo prejudicados ….

    Fax nº10 – 05/02/2010 APEOESP

    S.E. descumpre legislação federal na atribuição de aulas e desrespeita professores habilitados

    A Secretaria de Estado da Educação está permitindo que estudantes, bacharéis, tecnológos e portadores de licenciatura curta, que estão incluídos na primeira lista de classificação (contendo os nomes daqueles que obtiveram pontuação igual ou superior à exigida pelo governo no provão dos ACTs realizado em dezembro), possam escolher aulas antes dos professores habilitados que figuram na segunda lista de classificação.
    Esta decisão contraria frontalmente a Lei 9394/1996 (L.D.B) em seu artigo 62 e desrespeita profundamente a categoria.
    A APEOESP buscou demover a SEE desta decisão, mas as ponderações foram ignoradas. Diante deste quadro, o Sindicato vai utilizar todos os meios necessários para que a atribuição de aulas dos ACTs não se realize nestas condições e, ainda, pelas vias judiciais, lutará para preservar os direitos de todos os docentes.
    Diante desta determinação da SEE., os professores habilitados que se sentirem prejudicados após o processo de atribuição, poderão também encaminhar requerimento solicitando as aulas que foram atribuídas aos não habilitados.
    Abaixo, reproduzimos modelo do reqerimento que deverá ser formulado em duas vias e protocolado na Escola ou na Diretoria de Ensino.

    Modelo de Requerimento

    lmo. Sr. Diretor ……………………………………………………………………………

    Nome, nacionalidade, estado civil, RG ……….., Professor Educação Básica II, Faixa ……. nível ….. , Admitido nos termos da Lei nº 500/74, com Sede de Controle de frequência fixada na E. E. ………………………………………………………………., jurisdicionada à Diretoria de Ensino da Região………………………………….., endereço residencial, vem à presença de Vossa Senhoria, com fundamento no artigo 5º, incisos XXXIII e XXXIV da Constituição Federal de 1988, artigo 114 da Constituição Paulista, e artigo 23 da Lei 10.177, de 30/12/98, combinado com o artigo 22 da Resolução SE nº 98, de 29 de dezembro de 2009, portador de diploma de Licenciatura Plena em ……………………………, habilitado para ministrar aulas de …………………………………… e …………………………………………….. requer as aulas da disciplina de ………………………………….., das …….série (s|) do Ensino Fundamental e das ………….séries do Ensino Médio, que estão sendo ministradas por docente não habilitado.

    Ressalte-se que, nos termos do artigo 24 da Lei nº 10.177/98, a Administração Pública em nenhuma hipótese, poderá recusar-se a protocolar a petição sob pena de responsabilidade do agente.

    Por fim, requer-se que o presente seja apreciado no prazo de 10 dias úteis previsto no artigo 114 da Constituição Estadual.

    Termos em que
    Pede deferimento.

    Data

    __________________________
    Assinatura

    OBS: o requerimento deverá ser formulado em duas vias e protocolado na Escola ou Diretoria de Ensino, mediante data, carimbo e assinatura do funcionário que receber.


  702. Ana Beatriz

    Os professores que não passaram, muitos deveriam estudar mais e choarar menos.


  703. Á PARTIR DE 2004 LECIONAVA NO ESTADO COMO PEBII, NO COMEÇO DE 2008 PASSEI PARA PEBI POIS INGRESSEI NO PROGRAMA ESCOLA DA FAMÍLIA, COMO FICA MINHA CATEGORIA?


  704. Vera Lucia

    Infelizmente, o governo está dando prioridade e até vantagem aos professores categoria F, abrangidos e protegidos pela Lei 1010/2007. Você terá de procurar um advogado para ajudá-la nesse processo.


  705. Se os estudantes passaram na prova, nada mais justo que escolham as aulas antes das outras categorias que não passaram!!! Senão qual o propósito da prova???


  706. Oi pessoal! Alguem sabe me dizer onde conseguir as resenhas, resumos da bibliografia de ARTE. Alguem sabe se ja tem alguma apostila ja a venda ou algo parecido. Preciso com urgencia pois nao quero mais estar nessa condiçao humilhante de categoria. CHEGA !!!!


  707. Professortemporario

    poderia me passar a Lei que fala sobre: professores da categoria F terão o direito de exercer uma jornada de 12 horas em alguma escola que o Estado determinar, só que em atividades de apoio pedagógico, sem poder lecionar.
    Tirei esse texto daqui mesmo…
    grata


  708. Para professorinha
    A Solução apostilas está comercializando as apostilas específicas. Algumas já estão prontas e a venda. Dá uma ligada lá. Tels (18) 3226-3200 e (11) 2361-8742.


  709. Seguindo a ordem abaixo, deu pra entender que estudantes que passaram na prova passa na frente de professores que tem mais de 20 anos no magisterio….

    Cronograma de atendimento do processo de atribuição no período de 08 a 12/02/2010
    08/02/2010 segunda-feira etapa preliminar
    OFAS – Categoria “F” Lei LC-1010/2007 portadores de diploma d Linguagens e Códigos e Licenciatura plena (não alunos) classificados na prova do processo seletivo
    Saldo de aulas: remanescente das atribuíções aos docentes titulares de cargo efetivo entre 03/02/2010 e 05/02/2010
    Todos os classificados nas
    Linguagens e Códigos
    Banca Letras
    Banca Arte
    Banca Ed.Física
    Ciências da Natureza
    Ciências Humanas
    09/02/2010 terça-feira etapa preliminar
    OFAS – Categoria “L” / Candidatos a Contratação – portadores de diploma de Licenciatura Plena (não alunos) classificados na prova do processo seletivo
    Saldo de aulas: remanescente das etapas anteriores
    Todos os classificados nas
    Linguagens e Códigos
    Banca Letras
    Banca Arte
    Banca Ed.Física
    Ciências da Natureza
    Ciências Humanas
    10/02/2010 quarta-feira etapa intermediária
    1 – Titulares de cargo

    2 – OFAS – Categoria “F” Lei LC-1010/2007 portadores de diploma de Licenciatura plena e portadores de diploma de Licenciatura Curta e aluno de último ano de curso de Licenciatura Plena e Bacharéis/Tecnólogos e portadores de diploma de licenciatura plena em disciplina diversa (correlata) e alunos de curso de licenciatura plena com 50% do curso concluído e alunos de último ano de curso de bacharelado/tecnologia e alunos de qualquer semestre de curso de nível superior, classificados na prova do processo seletivo, nesta ordem

    3 – OFAS – Categoria “L” / Candidatos à Contratação portadores de diploma de Licenciatura plena e portadores de diploma de Licenciatura Curta e aluno de último ano de curso de Licenciatura Plena e Bacharéis/Tecnólogos e portadores de diploma de licenciatura plena em disciplina diversa (correlata) e alunos de curso de licenciatura plena com 50% do curso concluído e alunos de último ano de curso de bacharelado/tecnologia e alunos de qualquer semestre de curso de nível superior, classificados na prova do processo seletivo, nesta ordem
    Saldo de aulas: remanescente das etapas anteriores

    As 14h – Todas as Bancas
    Todos os docentes, de titulares de Cargo a candidatos classificados na prova do processo seletivo, na ordem acima estabelecida para o dia 10/02/10

    11/02/2010 quinta-feira etapa complementar
    1 – Titulares de cargo
    2 – OFAS – Categoria “F” Lei LC-1010/2007 portadores de diploma de Licenciatura plena e portadores de diploma de Licenciatura Curta e aluno de último ano de curso de Licenciatura Plena e Bacharéis/Tecnólogos e portadores de diploma de licenciatura plena em disciplina diversa (correlata) e alunos de curso de licenciatura plena com 50% do curso concluído e alunos de último ano de curso de bacharelado/tecnologia e alunos de qualquer semestre de curso de nível superior, classificados na prova do processo seletivo, nesta ordem
    3 – OFAS – Categoria “L” / Candidatos à Contratação portadores de diploma de Licenciatura plena e portadores de diploma de Licenciatura Curta e aluno de último ano de curso de Licenciatura Plena e Bacharéis/Tecnólogos e portadores de diploma de licenciatura plena em disciplina diversa (correlata) e alunos de curso de licenciatura plena com 50% do curso concluído e alunos de último ano de curso de bacharelado/tecnologia e alunos de qualquer semestre de curso de nível superior, classificados na prova do processo seletivo, nesta ordem
    Saldo de aulas: classes e aulas remanescentes das etapas anteriores e mais as que surgirem nesse período e estejam bloqueadas nas unidades escolares
    Linguagens e Códigos
    Banca Letras
    Banca Ed.Física
    Ciências da Natureza
    Ciências Humanas
    As 9h – Titulares de Cargo e OFA Categoria F (todos os citados acima neste dia 11/02/10)
    As 14h – OFA Categoria L e Candidatos (todos os citados acima neste dia 11/02/10)

    12/02/2010 sexta-feira
    Docentes das Categorias de Admissão P, F e L e candidatos à contratação (portadores de licenciatura plena, portadores de licenciatura curta, aluno de último ano de curso de licenciatura plena, bacharel/tecnólogo, portador de licenciatura plena em disciplina diversa, alunos de 50% de licenciatura, aluno de último ano de bacharelado/tecnologia e alunos de último ano de qualquer semestre de curso de nível superior), classificados de conformidade com o disposto no artigo 5º da RES SE 8/10 (não classificados na prova do processo seletivo), nesta ordem respeitadas as categorias de admissão
    Saldo de aulas: classes e aulas remanescentes das etapas anteriores
    As 9 horas todos os acima citados neste dia 12/02/10.


  710. Carlos

    Não foi por falta de estudo que não passei na prova…Vc é professor de matemática? Se não é, então imagina fazer 80 questões com calculos em 4 horas…
    interpretação é diferente de calculo…apos a prova fiz a de ciências que é interpretação e consegui muito mais do que pedia… quer dizer, estudei pra isso, apenas não esperava que iria cair tantos calculos assim….
    Se soubesse que a prova de ciências iria valer pra matemática, não iria fazer a inscrição pra matemática….
    É fácil julgar as pessoas sem ao menos saber o que se passa….
    Espero que possa entender o que penso…


  711. Gente!!!

    Hj, sabado, ganhei o dia, comecei um curso preparatorio em Registro/SP com um supervisor de Ensino que é fera nas leis… Ele deu todos os truques do concurso e explicou muito bem…será 7 aulas preparatorio… /ele é 10, não encontrei ainda alguem que sabe de Lei como ele!!! Adorei a aula, Moro em Mongaguá, já conversei com ele se poderia dar o curso no litoral…ele se prontificou em dar..é só montar a turma… quem tiver interesse deixa um recado aqui que deixo mais detalhes….
    Ele é fera mesmo…. nem pra menos…Se efetivou pra professor e realizou todos so concursos de professor e passou, passou para Diretor e Supervisor…. Hj é supervisor de ensino e muito entendido de Lei…
    Já nos avisou que vai montar turmas para a especifica…


  712. Dete … concordo com vc em td… na minha cidade , tem professores que estão com os acertos na parede da sala, mas os pobres de espirito fizeram a prova de ciências , qual motivo será ? kkk interpretação é diferente sim, não me acho menos d quem foi aprovado nunca !! leciono a 13 anos , mas muitas vezes trabalhamos no fundamental ou médio… mesmo assim temos sim que nos informar, o tempo escasso HTP só coisas para entregar para ontem, é data comemorativa vai os tontos preparar atividades …preencher fichas que nada vale… mas não somos culpados por essa EDUCAÇÃO ultrapassada , não fomos nós que criamos a aprovaçãp automática para economizar gastos, que fez isso esta perdido nos pedágios até hj …rss . Os pais preferem ver seus filhos terminando o série …. sem se importar se o mesmo sabe lê, ou calcular… e culpa cai em quem ? professores de matemática e português… Mas é isso nossa categoria é baseada em mérito… não para seu valor pessoal , mas para se achar mais que os colegas… mas que justo os novos começarem a enfrentar , quando comecei tive implorar para abrir a tal portaria rsss … tempos mais fáceis. Vamos torcer para que td saia td bem que o foco se correspondido…alunos mais preparados e IDESP batendo record… kkk


  713. Corrigindo: … como tempo fáceis hoje pelo motivo de fazer prova e não depender de diretor conhecido primo, amigo da vó , amigo de pai para conseguir lecionar , com prova fica mais fácil nao depende de QI ( quem indique).


  714. Por aqui só cursinho com povo de DE rss palavras e textos ensaiados a dias para os cursos… assim já sabem o final … rsss


  715. em 6 fevereiro 2010 às 20:47 Professorinha

    Para Marcia

    Oi as apostilas da SOLUÇAO nao esta pronta a de arte e pelo oque eu vi a bibliografia da apostila, nao bate conforme o edital do dia 28/janeiro. Mas mesmo assim obrigada pela atençao.

    Se alguem souber onde baixar o conteudo atualizado de arte me avise Por favor.


  716. em 6 fevereiro 2010 às 22:23 Eliane miriam

    Dete eu me enteresso muito msm pelas aulas desse professor que vc está falando que entende de lei,nossa menina estou muito precisada nesse momento….ele tem email?…pode me passar?…aguardo retorno….bjs


  717. em 7 fevereiro 2010 às 00:13 Gustavo Oliveira Silva

    Alguém pode esclarecer uma dúvida.
    Quem pertence a categoria L e está com vínculo e não pegar aulas depois da categoria F nesta primeira atribuição e assim perder o vínculo, irá mudar de categoria?Poderá participar de novas atribuições?


  718. Professor temporario!

    A proposito comenta – se muito sobre atribuicao , duvidas e tal……
    Mas quanto a prova por merecimento qual foi o porcentual de aprovacao???
    Por infelicidade não atingi a media prova temporarios, no entanto fui bem nesta ultima.
    Seria possivel ser informada : nao tinha requisitos para fazer a prova , mas pelas informacoes , acabei fazendo.
    Esta nota poderia ser usada em que situacao????
    Grata Iocl´res


  719. em 7 fevereiro 2010 às 00:32 professortemporario

    Dete

    Trata-se da lei complementar 1093/09 regulamentada pela Resolução SE 73 de 21/10/2009


  720. PS: atinji


  721. em 7 fevereiro 2010 às 02:23 professortemporario

    Iocléres

    De acordo com as regras da lei 1097/09, que instituiu essa avaliação para promoção, o professor teria que fazer uma porcentagem de acertos proporcional e progressiava a sua faixa e além disso ficar entre os 20% com melhor desempenho.

    Por exemplo, um professor com cinco anos na rede teria que atingir pelo menos 60% de acertos, mas mesmo que consiga isso, só seria promovido se estivesse dentro dos parâmetros de quantidade de licenças gozadas e tempo mínimo de serviço na mesma escola, além de obrigatoriamente estar entre os 20% de professores dessa faixa com a melhor nota.

    Como isso é progressivo, o úlktimo degrau só seria atingido na hipótese do professor conseguir nota superior a 90% de acertos e ainda estar entre os 20% com melhor desempenho nessa faixa


  722. Que caminho seguir para estudar ?

    Estou notando que ainda não existe apostilas para quem vai fazer o concurso PEB II arte e nem cursos também, por outro lado os livros que eu pesquisei para comprá-los gastaria só na disciplina de artes em torno de 550 a 600 reais. Se por acaso este concurso for em março, sobrará pouco tempo para os estudos, pois a maioria dos livros são de 200 a 400 páginas e muitos livros não estão sendo encontrados nem nas editoras. Tem alguém que possa dar alguma altenativa mais interessante numa situação dessa?


  723. A quem possa interessar…
    As apostilas que estão a venda na Solução são específicas de matemática, história, lingua portuguesa , sociologia e educação física. As outras vão sair essa semana. Me informaram que a partir de quarta-feira. A apostila pode ser comprada no site http://www.apostilasolucaoeconcursos.com.br O conteúdo vocês podem confirmar no próprio site e é o mesmo do edital.


  724. Conheço professores de matemática que passaram e professores de outras áreas que não passaram… Por que sera? As pessoas estão sendo arrumando uma desculpa pra tudo… Vamos dar o mérito a quem é de direito!!! Parabens p/ quem passou nessa prova, porque ela estava difícil pra todo mundo.


  725. retificando… estão sempre arrumando desculpa pra tudo.


  726. em 7 fevereiro 2010 às 16:43 MÁRCIO ANDRÉ

    Sou contratado da rede municipal de ensino há 4 anos, fiquei como excedente do concurso realizado em 2001. A prefeitura então realizou contrato exatamente com estes excedentes, dos quais me incluo; mas que realizaram o concurso daquele ano e foram contratados. Mesmo como contratado, prestei um novo concurso para a mesma área, passei e ainda não fui convocado. E o prazo de validade deste último concurso está próximo de expirar! Gostaria de saber se tenho direito de ser efetivado e tendo, como proceder para recorrer?


  727. Professor temporario !

    Agradecida pela informacao prestada . Este site nos atende a todas informacoes.
    Abraço


  728. Boa noite,

    Sei que este espaço está com muita insatisfação por parte de muitos professores que estavam trabalhando e fazendo o seu máximo. Mas aí alguem teve a brilhante ideia de fazer a escola volta a ter seu espaço onde o saber deve estar presente, os docente serem respeitados como docentes de verdade, contribuindo para o futuro das ccas.
    Mas só leio quem passou ser malhado por quem não passou e vise-versa, ‘é exatamente issso q os governantes querem, q a categoria se desestabilise de verdade’.
    Sou categoria L e sei que passei na frente de pessoas que estavam há alguns anos lecionado, mas pelo jeito são vocês que não passaram que vão continuar lecionando.
    fazendo o seiu melhor todos os dias.
    Só espero que essa categoria seja mais atenta as politicas q estão em todos esses atos. A população esta atenta e os noticiário também. Já existem pais se reunindo para que os docentes que não foram aprovado não entre em sala de aula.

    Boa sorte a todos, e que Deus ilumine os caminhos de todos nós.
    Carla


  729. Carlos, Marcia e companhia q concordam com as regras da atribuição.

    Concordo com vcs!!rs

    Tem prof q da aula há mil anos e acertou 10, 11 questões. Fala sério!

    abraço a todos


  730. Professores!!!! ABCDEFGHIJKLMNOPQRStuvxywz !!!

    Meus pensamentos dissolvem as atmosferas venenosas.
    Vejo nos outros o reflexo perfeito do meu ideal……Deus!!!!
    Porque fazer comentarios destrutivos em prol de todos colegas os quais estamos juntos todos os dias ou o resto de nossas vidas……


  731. Iocléres
    Espero que seus pensamentos dissolvam a atmosfera venenosa de quem foi super mal na prova e ainda quer ter moral p/ malhar que passou rsrsrs … Da próxima vez estudem mais e parem de atormentar quem cumpriu com sua obrigação !!!!!!!!!!!!!


  732. Monica!!!!
    Sao sabios seus comentarios PROFESSORA!!!!
    Nao entro neste site para fazer fofoca….


  733. O que foi aquilo?
    Que atribuição horrorosa…
    Os professores passam por tudo isso e muito mais porque não é uma classe unida. O nosso governador faz e desfaz quando bem entende, e nós ficamos aqui falando, falando e falando…no final perdemos nossa identidade.
    Atribuição compulsória?
    Como assim?
    Sumiram com as aulas do artigo 22.
    Irão colocar em atribuição somente após o início das aulas.
    PALHAÇADA!!!!
    E VEM A APEOESP DIZENDO:
    QUEM SENTIR-SE PREJUDICADO, ENTRA COM RECURSOS.
    MUITOS PROFESSORES DEPOIS DE CINCO, DEZ ANOS OU MAIS EM UMA ÚNICA U.E, TIVERAM QUE MUDAR SUA SEDE.
    LÁGRIMAS FORAM A MARCA DA ATRIBUIÇÃO DE HOJE.


  734. AQUI EM GAURULHOS TB FOI TERRIVEL ESTAMOS SENDO OBIGADOS A PEGAR PELO ENOS 20 AULAU TINHA CARGA COMPLETA EO PESSOL DA D.E FEZ MEU AMIGO A PEGAR EM DUAS ESCOLAS 27 E 6 AULAS.GOSTEI DOS SEUS COMENTARIOS OBS.EU NAO FIZ 32 PONTOS FIZ 30 E NEM PO ISSO ME CONSIDERO PIOR DE QUEM NUNCA ENTROU NUMA SALA DE AULA COMO VI HOJE NA ATRBUIÇAO COMO GOVERNO FALA QUE PASSOU SO OS MELHORES EM QUE? SOU A FAVOR DA RENOVAÇAO ESTOU PERTO DE ME APOSENTAR,MAS QUE GOVERNO COMO EM QUALQUER EMPRESA DEVERIA DAR CURSOS PARA OS NOVOS POSSAM SENTIR O QUE UMA SALA DE AULA E APTOS PARA LECIONAR,POIS TEM UM MONTE DE BABACAS FALANDO MAUS UNS DOS OUTROS .NAO SE ESQUEÇA NOS PRECISAMOS DOS JOVENS E ELES DO MAIS VELHOS ISSO SE CHAMA TROCAS DE EXPERIENCIAS.SABE MOREI NO JAPAO LA ELES TEM O MAOIR RESPEITO COM SEUS VELHOS SO AQUI NO BRASIL O VELHO E DESCARTADO. ABRAÇOS


  735. Pior foi ter que ver as aulas do programa escola da familia serem atribuidas a marinheiros de 1º viagem, e somente os categoria F (não aprovados) serem reconduzidos ao cargo enquanto mtos categoria L que vinham atuando no programa há tempos serem tirados fora da jogada como se fossem estranhos.


  736. Boa noite Frederico qual foi esta diretoria que atribuiu aulas para os F que não passaram


  737. COLEGAS

    TAMBÉM REGISTRO AQUI A MINHA IDGNAÇAO COM ESSA ATRIBUIÇAO…ALIÁS…..QUE ATRIBUIÇAO?

    GENTE, NA MINHA DIRETORIA DE JACAREÍ VCS ACREDITAM QUE NÃO TINHA NENHUMA CLASSE DE PEB I PARA SER ATRIBUÍDA?
    NUNCA VI ISSO NA MINHA TRAGETÓRIA DE PROFISSÃO.

    SIMPLISMENTE DEPOIS DE UMA HORA DE ATRASO PRA COMEÇAR AS ATRIBUIÇÕES ,APARECE UMA SUPERVISORA
    E DISPENSA TODO MUNDO…DIZENDO QUE AS EFETIVAS FORAM OBRIGADAS A PEGAREM AS SUBSTIUIÇOES E AS SALAS PELA 22.

    QUANTO DESCASO….QUANTA HUMILHAÇÃO!!

    ONDE VAMOS PARAR??

    PRECISAMOS REAGIR NO DIA 05/MARÇO

    VALOS LÁ..VC QUE NUNCA PARTICIPOU DE UMA MANIFESTAÇAO…

    VAMOS LUTAR POR NÓS…

    POR NOSSOS DIREITOS

    POR NOSSA DIGNIDADE

    UM ABRAÇO A TODOSSSSSSSSSSSS


  738. PROFESSOR TEMPORÁRIO

    ME RESPONDE POR FAVOR

    O PROFESSOR PEB I, EFETIVO, QUE FICARAM ADIDOS, PODEM PEGAR CLASSE DE SUBSTITUIÇAO?

    ANTIGAMENTE NAO PODIAM NAO EH?


  739. venho me desculpar pelos erros e que estou muito triste de ver tanta humilhaçao da nossa categoria que esta totalmente dividida como eu disse aqui na guarulhossul da raiva de ver alguns dirigentes pensando que somos gados e donos da educaçao ;


  740. Bom dia gostaria de saber se havera nova data para se escrever como professor eventual no mês de fevereiro pois fiz a prova mas perdi o dia da inscrição na DE, desde ja agradeço abraçoss…..


  741. em 9 fevereiro 2010 às 13:38 APARECIDA BATISTA

    GOSTARIA DE SABER DE QUEM ATRIBUIR AULA(CAT.L OU O) PODE EVENTUAR TAMBÉM??
    GRATA


  742. Deus , pq estamos passando por tudo isso! Deus tenha piedade de nos , tenha piedade de todos esses politicos ; Serra , Lula e toda aquela corja Apesar de todos os problemas que encontramos numa escola, oque jamais poderia acontecer eh oque esta acontecendo;professores humilhados,com perda quase total de vontade de dar as aulas que antes davam.Pra que receber elogio do seu trabalho, pra que escutar vc eh uma otima professora ,pra que escutar da propria diretora ”EU QUERO QUE VC FIQUE CONOSCO”, pra que passar na prova pois pe
    guei apenas 4 aulas Com 19 anos de experiencia, com muitos projetos realizados exposiçoes de arte com meus alunos na biblioteca, secretaria da educaçao entrevista varias vezes no jornal da cidade e na radio,e sendo varias vezes classificada pelas minhas obras. De que adiantou fazer uma especializaçao em arte,de que adiantou eu me especializar ,ampliar o meu conhecimento nas galerias, museus, exposiçoes individuais . Estou chorando ate agora,por chegar no chao tudo oque eu construi durante esses 19 anos esta no chao e assim que estou me sentindo. Perdi o tesao de fazer o melhor e dar o melhor de mim.Estou tao abalada que nao consigo estudar para o concurso. Nao esta facil segurar essa barra. OBRIGADA MAIS UMA VEZ POR ESSE ESPAÇO DE DESABAFO. Senhor olhai para todos que estao aflitos.


  743. Cida

    Sim.

    Resolução SE 98

    “II – com remessa à Diretoria de Ensino, de classe e/ou aulas, livres ou em substituição, para constituição ou composição da jornada de trabalho dos titulares de cargo, que estejam com jornada parcialmente constituída ou na condição de adido e mesmo para ampliação de jornada aos inscritos que tenham efetuado essa opção.

    III – a titulares de cargo da U.E. Para carga suplementar de trabalho.

    IV – a titulares de cargo de outra unidade, em exercício na U.E., para carga suplementar de trabalho.
    V – a ocupantes de função-atividade da U.E., para aumento de carga horária, na seguinte ordem:

    a) a docentes estáveis;

    b) a docentes celetistas;

    c) a docentes ocupantes de função-atividade de categoria F;

    d) a docentes ocupantes de função-atividade de categoria L e a docentes contratados da U.E. (categoria O).”

    Você pode ler a Reolução na íntegra, neste mesmo blog sob o título “RESOLUÇÃO SE 98, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2009: AS REGRAS DA ATRIBUIÇÃO”


  744. A atribuição na minha DE estava marcada para as 8:00 categoria F, estou entre os 10 primeiros, fui atendida às 3:30, e tive a sensação de estar sendo levada para o matadouro e ainda só tinha aulas de reforço. Meu sentimentos aos 90 professores que se encontram atrás na lista e os que não passaram na seleção…..aulas aqui na minha região já foi…


  745. Professor temporário

    Estou iniciando no Estado e consegui aulas em uma escola. Lá me pediram pra levar um exame médico e disseram que pode ser feito em um posto público. Fui em dois postos de saúde de SP e me disseram que não fazem. Por favor pode me explicar onde se faz esse exame, tenho urgência.

    Desde já obrigada pelo espaço.


  746. colegas.

    Na escola que leciono o diretor passou todas as professoras efetivas para o periodo da manha,e as OFAS como eu para o periodo da tarde.Gostaria de saber por que essa separaçao?
    Em suas escolas ja´ aconteceu tal fato?


  747. Professor temporário vc sabe me responder se durante todo o ano letivo nas atribuições primeiro serão atribuidas aulas para os “F” e “L” aprovados ou depois dessa atribuição maior os “F” reprovados passam na frente dos “L” aprovados ???Obrigada, abraços !!!


  748. Boa noite professor temporario , Lucivelo ou alguem q possa me responder, passei na prova e não tem mais aulas para mim lecionar , não darei mais aula nesse ano?Não adiantou de nada de passar na prova?


  749. Professorinha….

    Não desanima não……que é isso menina??? Cabeça erguida!!! Tenha fé….essas 4 aulas se multiplicarão…creia nisso!!!
    E comece mudando seu apelido aí….professorinha???que nada!!! Pelo que relatou aí vc é…sem duvida nenhuma…uma EDUCADORA….Professora…com P maiúsculo!!! rsrsrsr
    Abraços


  750. Paula…

    Aqui…os professores que escolhem por ordem de classificação
    Abraços


  751. LUCIA HELENA

    Obrigada pelo conforto.


  752. Professorinha ,eu não entendo o que está acontecendo professores que fizeram prova de ciências estão pegando (minhas) aulas de matemática,amanhã estudantes,tecnólogos e bacharéis estarão pegando (minhas) aulas de matemática.É assim que o governo pretende melhorar a qualidade de ensino?


  753. Boa noite, sou da diretoria de Carapicuíba, não passei na prova acertei 30 questões de Matemática, hoje fiquei sabendo que somente 6 professores conseguiram a nota, na lista tem 166 professsores categoria F, o que aconteceu é que os professores conseguiram pq fizeram a prova de Ciências, (não estava dificil na minha opinião), agora não acho justo esses professores pegando aulas de Matemática, temos que nos unir sim….


  754. Prof Paula
    Concordo plenamente com vc…

    Tb não me acho menos d quem foi aprovado!! e tb leciono ha 13 anos , e sei que é dificil lecionar em várias escolas e em dois ciclos diferentes… por isso que os HTPCs é cansativo…muitos coordenadores só passa recados e nada de interessante… Tentei informativar a escola mas a diretora pediu a bendita fichas individual, que nada valeu… rs

    Por isso que vou estudar para a Efetivação… e pela informação do supervisor a prova será dis 28 de MARÇO….

    e LEMBRANDO NOSSO bonus… ESTÁ PRA VIR DIA 31 DE MARÇO…


  755. Eliane miriam

    Esse supervisor que falei..ele é fera mesmo!!! minha irmã fez o curso com ele e conseguiu se efetivou em geografia no ultimo concurso… Até atividade pra casa ele passa… então vc não fica só com o que aprender no sabado..
    Fez a prova de promoção e tb passou..ela sé torce pra estar incluida nos 20% da escola que leciona…rs
    eu não tenho o e-mail dele, ele pediu nossos e-mails pra enviar atividade e as bibliografia para estudarmos…

    Assim que ele me enviar e-mail te passo…

    Vc é daqui da baixada?
    poderemos combinar e nos encontrar para conversarmos…
    Vc vai gostar de fazer o curso com ele…
    Bjs


  756. em 10 fevereiro 2010 às 00:36 Bruno de Jacarei

    ATENÇÃO, PROFESSOR CLASSIFICADO! (confira melhor no site da APEOESP)

    O artigo 62 da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei 9394/95) e a Resolução SE 98 (que regula o processo de atribuição de aulas),
    artigos 12 e 22, asseguram aulas para professores habilitados antes de candidatos não habilitados.

    FAÇA VALER ESTE DIREITO!

    Caso um candidato não habilitado escolha aulas havendo professores habilitados, estes deverão requerer tais aulas, de acordo com o modelo que encaminhamos anexo, a ser protocolado na Diretoria de Ensino.

    Veja abaixo a legislação que garante este direito:

    “Art. 62 – LDB: A formação de docentes para atuar na educação básica far-se-á em nível superior, em curso de licenciatura, de graduação plena, em universidades e institutos superiores de educação, admitida, como formação mínima para o exercício do magistério na educação infantil e nas quatro primeiras séries do ensino fundamental, a oferecida em nível médio, na modalidade Normal.”

    Artigo 12 – Resolução S.E. 98: a atribuição de aulas de disciplinas do Ensino Fundamental e Médio, em nível de Unidade Escolar e de Diretoria de Ensino, tanto no processo inicial, quanto durante o ano, far-se-á aos inscritos devidamente habilitados, portadores de diploma de licenciatura plena na disciplina a ser atribuída, seja como habilitação específica ou como não específica desta licenciatura.

    § 1º – Esgotadas as possibilidades de atribuição a docentes e candidatos devidamente habilitados, as aulas remanescentes poderão ser atribuídas por qualificações docentes, observada a seguinte ordem de prioridade:

    1 – aos portadores de diploma de licenciatura curta, apenas nas disciplinas decorrentes desta licenciatura e exclusivamente no Ensino Fundamental;

    2 – a alunos de último ano de curso devidamente reconhecido de
    licenciatura plena, somente na disciplina específica desta licenciatura;

    3 – a portadores de diploma de bacharel ou de tecnólogo de nível superior, desde que na área da disciplina a ser atribuída, identificada pelo histórico do curso.

    Artigo 22: o docente, ao qual se tenham atribuído aulas
    para as quais não possua habilitação, perderá a qualquer
    tempo as referidas aulas, na existência de candidato
    portador de licenciatura plena correspondente, excetuado
    desta perda o portador de diploma de licenciatura curta, com
    aulas atribuídas de disciplina de sua formação, no ensino
    fundamental.”


  757. em 10 fevereiro 2010 às 02:16 Eliane miriam

    O Dete não sou da baixada,sou do interior de SP moro numa cidadezinha chamada Sud Mennucci,adoraria morar ai por perto mais infelizmente não sou,passa o meu email p/a ele eliane95_2005@hotmail.com se vc tiver msn,me add ai agente conversa por msn,nossa menina estou tão precisada de passar nesse concurso que vc nem tem idéia,mais obrigada pela atenção…bjss


  758. Sou categoria “O” e embora tenha acompanhado as Resoluções e Leis pertinentes, ainda tenho algumas dúvidas que talvez possam me esclarecer.
    Estou com 16 aulas atribuídas sendo 10 de Recuperação em uma escola e 6 Leitura em outra. Na atribuição percebí que poucos escolheram essa modalidade de aula. Por quê? Há alguma desvantagem? Quanto a remuneração, além das 16 aulas devo receber o HTPC? A Resolução menciona a quantidade de 02 aulas por semana, nesse caso, as 10 aulas equivalem a 5 turmas ou o adicional por horas de elaboração pedagógica já está embutido? Vocês podem me informar “aproximadamente” quanto isso representa em valores? Aulas de leitura se enquadram no projeto “sala de leitura” ou são coisas distintas? A Resolução de 08/02 sobre atribuição de aulas para as salas de leitura poderá me prejudicar?
    Desculpe tantas dúvidas, mas procurei estas informações em outros canais, inclusive a escola, e não me deram respaldo.
    Obrigada!


  759. Luiza,também sou da diretoria de Carapicuíba e estou sabendo de colegas que fizeram a prova de Ciências e estão pegando(minhas)aulas de Matemática .Acho isso uma sacanagem.


  760. Olá!

    Podem apostar que tem muita escola por aí segurando aula para os profs que não passaram,deixam de mandar pra diretoria… é bom ficar de olho aberto!!


  761. Pessoal,ganhamos o juíz já deu ganho de causa para nós professores FORMADOS,essa APEOESP é porreta.Só precisamos confiar mais e brigarmos juntos.


  762. em 10 fevereiro 2010 às 12:19 Bruno de Jacarei

    Fax nº14 – 10/02/2010

    APEOESP obtém liminar que pode assegurar ao professor habilitado que escolha aulas antes do não-habilitado
    Mais uma conquista da APEOESP: em decisão divulgada nesta terça-feira 9, o juiz Luis Fernando Camargo de Barros Vidal, da 3ª Vara de Fazenda Pública, acolheu pedido liminar em ação civil pública impetrada pelo Sindicato a fim de garantir que os professores contratados nos termos da Lei 1093 sejam classificados para o concurso de atribuição de aulas após os contratados pela Lei 500 e também após os abrangidos pela Lei 1010/07.

    Esta decisão deve assegurar que os professores habilitados tenham aulas atribuídas antes dos não-habilitados. É de suma importância que todas as subsedes divulguem esta decisão nos diversos postos de atribuição de aulas para que sejam assegurados os direitos dos professores habilitados.

    Transcrevemos trecho da decisão do juiz: “acolho o pedido liminar a fim de determinar à requerida que, para os fins de concurso de atribuição de classe nos termos da Resolução SE nº 98/2009, proceda a classificação dos professores contratados nos termos da Lei nº 1093/2009 após e sucessivamente aos professores contratados nos termos da Lei nº 500/74 e depois da vigência da Lei nº 1010/2007.”


  763. NAO SE DESANIMA NAO MEU CASO E PARECIDO COM O SEU TENHO 20ANOS DE SALA DE AULA NAO PASSEI NA PROVA VOU ESCOLHER O QUE SOBRAE DIA 12/02 ,TAMBEM FIZ VARIOS CURSOS NA USP E ONDE DAVA PARA EU IR TIVE PROBLEMA NO DIA DA PROVINHA VI MEU MUNDO DESABAR ME DESEPEREI ME DESILUDI COM A EDUCAÇAO E ATE JA FIZ O CONCURSO DA FURP. E JA ME INSCREVI EM OUTROS,O GOVERNO VAI VER O QUE ACONTECER TARDA MAIS NAO FALHA NAO VOU CRITICAR NINGUEM POIS CLASSE JA ESTA MAIS QUE DIVIDIDA.COMO SE DIZ NO BUDISMO;SE FRAQUEJAR NO PRIMEIRO OBSTACULO JAMAIS CONQUISTARA SEU OBJETIVO; E VAMOS PASSAR POR ESSE PASSANDO NO CONCURSO,NOSSA EXPERIENCIA VALE MAIS QUE UMA PROVA. ABRAÇOS


  764. Patricia:Eu acredito que isso não aconteça,mas se por ventura você estiver certa,pode ser,que como os diretores conhecem seus professores, saibam do seu profissionalismo e também de seus comprometimentos com a educação,também acham injusto que uma simples prova que não valeu nem como concurso possa prejudicar o ano letivo de milhares de alunos, com professores inesperintes,sem paciência e despreparados para lidar situações diversas .Mas deixe de ser felina.///////////


  765. PARA PROFESSORINHA

    O EXTO ACIMA E PARA E TODOS NOVOS E VETERANOS QUE NAO PASSARAM NO PROVA E PRINCIPALMENTE PRA PROFESSORINHA .EU COM 12 HORAS AULA NAO DA PARA PAGAR MEU CARRO.VEJA MINHA SITUAÇAO COM 49 ANOS E 20ANOS DE SALA DE AULA DE MUITOS NAO PODEMOS NOS DAR POR VENCIDOS SE VAMOS ENTRAR NUMA DEPRESSAO QUE ACREDITO QUE MUITOS JA ESTAO.BOA TARDE A TODOS DESSE BLOG.


  766. Nivaldo e professorinha,
    compartilho com vcs, foi humilhante no dia da atribuição ver colegas ( que chegaram até ser meus alunos)que estavam no último ano de faculdade na época de 2007 , dando aula eventual e conseguirem a estabilidade e passarem na minha frente,conseguindo 33 aulas dentro do município, e eu com 76 pontos na categoria L , tive que pegar( o que sobrou) 10 aulas numa distância de 40km de casa. Estamos reclamando no lugar errado, se realmente a classe fosse unida não entraria um professor em sala de aula em respeito aos mais velhos. Vamos cuidar de nossos votos não é mesmo???


  767. Professor,

    sempre fui eventual e cobri algumas licenças, estava na classificação como “L”, na atribuição de aulas, peguei 10 aulas de recuperação.
    Hoje ao ir na escola em que peguei as aulas, me informaram que sou categoria “O”. Está certo isso?
    E como e quanto será pago por essas aulas? Nunca ninguém sabe me informar isso.

    Obrigada,


  768. Maria

    Acho que temos que nos unirmos todos, criarmos nosso estatuto do professor e fazer valer de verdade como fizeram os panteras negras, mas sem pegar em armas é logico.


  769. UMA PERGUNTA QUE NAO QUER CALAR.

    REFERENTE AO PROFESSOR I – CATEGORIA- F

    É VERDADE QUE SE CHEGAR A HORA DESSE PROFESSOR ESCOLHER E SÓ TIVER CLASSE NUMA ESCOLA DISTANTE QUE NAO COMPENSE AO PROFESSOR ,ELE É OBRIGADO
    A PEGAR A SALA EM DETRIMENTO DE PERDER A CATEGORIA F?

    ISSO SERIA O CÚMULO, DOS CÚMULOS.

    P FAVOR PROFESSOR TEMPORÁRIO, ME ESCLARECE ESSA DUVIDA.


  770. Dilinha
    Na minha opinião essa liminar não aconteceu. Estive hoje na D.E. Campinas Leste (Campinas) e bacharéis, tecnólogos etc.. escolheram as aulas antes dos F com licenciatura plena reprovados. Os reprovados vão escolher niodia 12, se sobrar… no meu caso sou de matemática, não passei… mas tenho amigas que fizeram prova de Ciências e estão escolhendo matemática. Meu Deus… o que é isso… Não desmerecendo quem passou… mas ciências é bem mais fácil que matemática… Não é verdade? Cadê a justiça… dá vontade de largar tudo isso e partir para outra coisa.


  771. Carlos,

    Pois é isso mesmo, se puder vamos começar criando um novo sindicato, você sabe que uma inundação começa com uma gota de chuva….. Vamos lá pessoal!!!!!


  772. AMIGOS PROFESSORES, ESTOU ENVERGONHADO , A LEI NÃO EXISTE PARA O GOVERNO, PARA SUPERVISORES, DIRETORES DE ESCOLA, ATÉ ACHO QUE ELES JÁ NASCERAM SUPERVISORES OU DIRETORES, POIS ESTÃO AGORA NUMA POSIÇÃO QUE SUBIU PARA CABEÇA, ENTÃO, JÁ NÃO PERTENCEM A ESTA CATEGORIA, SOMOS SUBJULGADOS A TUDO , CULPADOS ATÉ SE O ALUNO NÃO QUER P. NUNHUMA,
    SENHORES DIRETORES E SUPERVISORES VOCE SE LEMBRA DO TEMPO EM QUE VOCE MINISTRAVA AULAS , NÃO DEVE LEMBRAR ,POIS SE PÁSSOU MUITO TEMPO NÃO É, SÓ QUE O TEMPO MUDOU , OS ALUNOS NÃO SABEM A DIFERENÇA DE UMA SALA DE AULA OU DE UM PARQUE DE DIVERSÕES, ACHO QUE A CULPA É NOSSA.
    SENHORES SUPERVISORES E DIRETORES, RESPEITEM UMA CATEGORIA QUE DEDICOU SUA VIDA A ELA CULPAS EXISTEM DE AMBAS AS PARTES MAS O SECRETÁRIO DA EDUCAÇÃO LIMITOU O CONHECIMENTO DO PROFESSOR E LIBEROU A DESORDEM EM PROL DE ESQUEMAS POLITICOS PARA REDUÇÃO DOS CUSTOS NA
    EDUCAÇÃO, POR PLATAFORMA POLITICA PARA VENCER.
    MAS A VIDA NOS MOSTRA QUE O SER HUMANO EM SUA VAIDADE NÃO CONSEGUE SER FELIZ NEM, COM ELE MESMO.


  773. NIVALDO

    Os meus objetivos de estar ligada nesse blog sao: Ajuda ,solidariedade, alguem que possa me passar o conteudo de arte para o concurso e puder ajudar, ser solidaria com todos os professores injustiçados, lezados como eu. Essa discussao de quem passou ou nao naquela merdinha,ridicula provinha nao esta em questao!, se vc sabe alguma coisa de educaçao sabe que o governo nao quer que nos professores avaliemos nossos alunos com meras provinhas e que a avaliaçao eh diaria , constante e avaliar tambem o processo do aluno a tal resposta. Tenho um colega de trabalho que eh um verdadeiro MALA, os alunos nao entendem e nao suportam as suas aulas e a didatica dele eh realmente sem duvida uma negaçao, mas….. ele eh um cranio e nao tem pra ninguem em questao de conhecimento. Concluindo; vc acha que esse professor merece a gratificaçao??????Ele passou muito bem na prova e vai ter um belo aumento. Tenha santa paciencia!!! Se nao for pra ajudar nao atrapalhe nao instigue ainda mais a nossa revolta. Quanto a merdinha da prova eu passei e ai vai mudar a minha situaçao. Oque vai mudar eh eu passar nesse bendito concurso pra nunca mais passar por essa humilhaçao!!!!


  774. Carlos

    Se eu puder ajudar em alguma coisa para a abertura desse sindicato pode contar comigo.Vou ter bastante tempo depois do concurso.


  775. Maria

    Sinto muito por vc! e por todos nos! Estamos com poucas aulas pelo menos estamos com vinculo. A classe dos professorados jamais voltara oque era antes na decada de 60,70. Alias o mundo ta cada vez pior e salve quem estiver do lado de Jesus, por isso rezem bastante. Vamos dar GRAÇAS A DEUS por nao estarmos no lugar e nem junto dos politicos. Somos tudo, temos fama de tudo menos de ladroes e assassinos A coisa ruim quer nos derrotar pq nos professores alem de ensinar educar somos tb psicologos, terapeutas, confidentes, maes e pais dessas crianças todas vitimas de um sistema capitalista e uma bela e pura ditadura. Boa noite!


  776. Boa noite caros colegas, venho de um outro estado e iniciei este ano como professor, fiz a prova, fui a atribuição como categoria L, só sobrou como substituta de outra professora coordenadora, depois que peguei (como novata)soube que se paga por hora/aula e não conta sábado e domingo, isso é verdade? peguei apenas 12 aulas, quanto é a hora aula? será que compensa? se largar entro nos 200 dias?Por favor respondam….


  777. em 10 fevereiro 2010 às 22:34 professortemporario

    Cida

    Ao que sabemos o professor efetivo não poderia assumir aulas de substituição, já que como efetivo deveria ter as aulas de seu cargo. No entanto, em algumas redes municipais é comum o professor efetivo que está afastado da sala de aula por mais de três anos, seja por licença, seja por ocupar função de direção, perca essas aulas e passe a condição de adido. Nesse caso, essas aulas passariam a ser livres e se o professor em questão retornasse, teria que concorrer ao saldo na atribuição.

    Para rede estadual esse assunto requer uma pesquisa mais detalhada…


  778. em 10 fevereiro 2010 às 22:50 professortemporario

    Lídia

    O posto público de saúde a que se referiram são unidades vinculadas aos Departamentos Regionais de Saúde, que atendem especificamente os servidores e realizam as perícias médicas para licenças e ingresso. Cada região do Estado tem uma para saber mais:

    http://portal.saude.sp.gov.br/content/geral_estrutura_regionais_de_saude.mmp


  779. em 10 fevereiro 2010 às 22:52 professortemporario

    Paula

    Essa separação não possui um amparo específico. Isso pode até ser questionado junto a DE, pois se o motivo para isso foi puramente discriminatorio, nem é preciso dizer que é ilegal.


  780. em 10 fevereiro 2010 às 22:55 professortemporario

    Daniela

    Ness ponto a regra é clara: a classificação para a primeira atribuição valerá para todas (salvo nos casos de alterações determinadas pela justiça)


  781. ELVIRA
    UMA PERGUNTA QUE NAO QUER CALAR.

    REFERENTE AO PROFESSOR I – CATEGORIA- F

    É VERDADE QUE SE CHEGAR A HORA DESSE PROFESSOR ESCOLHER E SÓ TIVER CLASSE NUMA ESCOLA DISTANTE QUE NAO COMPENSE AO PROFESSOR ,ELE É OBRIGADO
    A PEGAR A SALA EM DETRIMENTO DE PERDER A CATEGORIA F?

    ISSO SERIA O CÚMULO, DOS CÚMULOS.

    P FAVOR PROFESSOR TEMPORÁRIO, ME ESCLARECE ESSA DUVIDA.


  782. Dilema de uma professora que pecou por excesso de responsabilidade

    _Mais um dia de angústia,mais um dia de agônia,mais um dia de espera,parece que fazem de propósito para tirar o foco do real problema.Em pensar que apartir do dia 18 estaremos enfrentando os mesmos problemas,alunos mal educados,que não querem porra nenhuma,e ainda assim somos culpados, por eles não aprenderem.Assumimos os riscos de emburrecermos por falta de interesse e compromisso deles.Entra ano,sai ano e nada muda.Assim não ha amor que resista.


  783. Olá sou da categoria “L”, porém acertei 36 questões, poderia me dizer seu eu vou poder ser professora eventual???


  784. Paula

    Ai está a perfeita discriminação de professores OFAS e ainda por parte de direção…que horror… Trabalhei em uma escola que o professor que veio da grande SP, perguntou para a diretora se ela faz o horário de acordo com a opção dos efetivos e depois dos “demais”, ainda bem que elafoi professora e respondeu que na escola o efetivo só tem a prioridade de pegar aula na frente, que toda a mordomia que eles tem o OFA tb tem…. ele ficou quietinho…na escola que tenho sede de frequencia esse ano…. os professores efetivos, isolam os OFAS e Eventuais…..
    Isso pq pertencemos a mesma classe…
    Vi professor separar, mas diretora!!! separando ainda por periodo…ai está a perfeita ignorancia… Tem OFAS que são melhores que EFETIVOS… Não colocando todos os efetivos, pois tem aqueles que vestem a camisa para ensinar de verdade…


  785. ..Paula

    Ai está a perfeita discriminação de professores OFAS e ainda por parte de direção…que horror… Trabalhei em uma escola que o professor que veio da grande SP, perguntou para a diretora se ela faz o horário de acordo com a opção dos efetivos e depois dos “demais”, ainda bem que elafoi professora e respondeu que na escola o efetivo só tem a prioridade de pegar aula na frente, que toda a mordomia que eles tem o OFA tb tem…. ele ficou quietinho…na escola que tenho sede de frequencia esse ano…. os professores efetivos, isolam os OFAS e Eventuais…..
    Isso pq pertencemos a mesma classe…
    Vi professor separar, mas diretora!!! separando ainda por periodo…ai está a perfeita ignorancia… Tem OFAS que são melhores que EFETIVOS… Não colocando todos os efetivos, pois tem aqueles que vestem a camisa para ensinar de verdade…


  786. Li inúmeros relatos acima, e cada vez mais, me solidarizo com estes professores que momentaneamente deixaram de passar na provinha. Companheiros(as) não desanimem, quem mais precisa de vocês são os nossos alunos, e é por eles que temos que lutar. Andem de cabeça erguida porque a nossa profissão não é para qualquer um, quem exerce esta função sabe muito bem disto, então, vamos à luta. Acredito na capacidade de cada professor, espero que dias melhores virão e que esta fase tão dificil possa contribuir com muito aprendizado. Estarei torcendo por todos!


  787. em 12 fevereiro 2010 às 08:00 Querendo_Ajudar

    Olá pessoal…

    Não sou professor, mas, quando criança sonhava em ser um!, até cursei 2 anos de matematica para o sonho da pequena criança ser realizado. Mas, lendo todos estes posts ou desabafos dos profissionais percebi que ser professor hoje em dia no Brasil é simplemente uma piada, peço desculpas para aqueles que amam a profissão.

    Minha mulher depois de 20 anos lecionando como OFA ou categoria “F” (fudido) foi mudado a categoria para “L” de (lubridiado) é LUBRIDIABO COM “L”, não sou um “Arnaldo Jabour” para escrever textos que impressionam, acho que nem há necessidade com tantos desabafos já comentados aquia

    Enfim, sem respeitar o tempo de serviço (20 anos) da minha esposa, sem observar o texto maior da constituição brasileira (feita para os políticos) que fala no “Direito adiquirido” do trabalhador ou professor, que tenta com todas as ferramentas educar aqueles que um dia serão políticos e criaram leis que faram do professor um mero empregado que terá que baixar a cabeça para as tais leis que favorecem um estado que precisa ter uma máquina enxuta com gastos. Eles (que não são professores) mudaram a categoria da minha mulher, da minha esposa, mãe do meu filho, rebaixaram-na quase no fim do alfabeto, mas não, ainda existem mais letras ” P, Q, R, X, W e o “Z” de Zabumda. Ah!! se eu fosse amigo da Madona, com certeza eu pediria a ela para pedir a ele: “Tenha compaixão daqueles que educão vossos filhos”, de mais dignidade!

    Ufa!! pessoal eu só queria saber se alguém aqui deu entrada em algum processo tentando reverter a situação ou seja devolver a categoria para aqueles que foram lesados.

    SE entraram com algum processo, por favor me avisem qual advogado, ou se foi pela APEOSP, sindicado “; A, B; C; D” (L nao por favor), me avisem por este “Blog” que ficarei grato e consiguirei dormir em paz.

    Fiquem com Deus

    Doni


  788. Ser professor não e pra qualquer um, é necessário ter talento, amar a profissão. Acho desprezivel certos comentários, se não gostam da profissão que escolheram então porque ainda continuam lecionando? ? ? se esta ruim então mude de profissão? ? ? sempre há uma luz no final do túnel e aos professores que ainda são OFAs, tem concurso vindo por ai, parem com implicância e estudam para passar no concurso.


  789. ler estudem


  790. Doni

    o primeiro passo que sua esposa deve dar é entrar com um requerimento solicitando a mudança de categoria na diretoria de ensino em que ela está inserida.
    Com certeza a vai ser indeferido.

    após ela pegar essa declaraçao ,aí sim, ela vai procurar a APEOESP da sua região e solicitar um advogado para entrar com o processo.
    Isso nao garante que ela vai conseguir, mas soube de casos que conseguiram reverter a categoria sim.

    Nao custa tentar.

    Boa sorte a ela.


  791. 12/02/2010 – 11h08
    Justiça muda critério de escolha de professor em SP; início das aulas pode atrasar
    Publicidade
    colaboração para a Folha Online

    A Justiça de São Paulo decidiu em liminar (decisão provisória) que os professores temporários que já atuavam na rede estadual de ensino terão prioridade na escolha das aulas, mesmo que tenham tirado notas inferiores aos novatos em exame realizado no final de 2009, revela reportagem de Fábio Takahashi publicada nesta sexta na Folha. Inicialmente, o critério priorizava os professores que tiveram melhor desempenho na prova.

    A decisão foi tomada a pedido da Apeoesp (Sindicato dos Professores do Estado de São Paulo) na última segunda-feira (8), menos de dez dias do início do ano letivo, dia 18.

    A Secretaria de Educação afirmou que tentará derrubar a medida, mas caso não consiga, o ano letivo da rede, de 5 milhões de alunos, irá atrasar para refazer a distribuição.

    O governo afirma que implementou o exame para melhorar a seleção dos docentes temporários. A Justiça acatou o pedido da Apeoesp, pois entende que os temporários que já trabalharam na rede devem ter prioridade em relação aos novatos, ainda que tenham obtido notas menores na prova.


  792. DONI
    ESTOU DE ACORDO COM SEU RELATO, ESTOU NA REDE A 20ANOS NA EDUCAÇAO AMO, ADORO MINHA PROFISSAO E MEUS ALUNOS ,NAO PASSEI NA PROVA DEPOIS DE TANTO FIQUEI SEM AULAS E NAO FOI FALTA DE ESTUDAR ,E POR QUE ESQUECI MEUS DOCUMENTOS NO DIA DA PROVA.VOU CUMPRIR COM MAIOR PRAZER MINHAS 12 HORAS AULAS COMO O DECRETO .MAIS COMO LI NESSE BLOG VOU TER TEMPO PARA E ESTUDAR LER E A AINDA GANHANDO 12 HORAS PRA FAZER ISSO ESSE EO NOSSO GOVERNO, SO A CATEGORIA L COMO DIZ O JORNAL DE HOJE SAO 20MIL QUE CORRE O RISCO DE FICAR DESEMPREGADO ENTRE VETERANOS E NOVATOS. MAIS JUSTO SERIA UMA UNICA LISTA A NOTA DA PROVA E O TEMPO DE CASA.O GOVERNO CONSEGUIU DIVIDIR TODOS NOS. BOA NOITE


  793. Só para ter um base da nossa EDUCAÇÃO esses laudo medico, primeiro o médico nem olha na sua cara , segundo tempinhos atras mulheres tinham que apresentar PAPA NICOLAU, mas que justo os homens apresentar exame da próstata tbm…tudo a ver em ministrar aulas, mas olhando nas escolas quantos efetivos que estão quase indo para HOSPITAL SERVIDOR 3º andar ? trabalhei em uma escola que a efetiva era totalmente passada, só maltratava os alunos , colegas de aulas , e nós que tinhamos tratar ela bem para a mesma não piorar… até que um dia levou uns tapas… a culpa de quem ? licença era 1 dia de aula matada no mês e outros afastada… voltava final de bimestre rasgando td que o eventual ou act tinha feito e falando que eramos burros em dar notas para alunos “burros” quantos e quantos prof brigavam com a mesma, pois ela fazia os alunos rasgarem a matéria dada do outro prof… moral : Esta lecionando … rsss e a culpa doa alunos irem maus é dos ACTS ? o que se faz com uma sujeita dessa ? rsss … conteúdo todo errado… todos da escola tinha medo dela rsss…. Para que jogar a culpa em prof que não atingiram a média ? vamos ficar longe das salas , mas quanto desse tipo tem por ai ? Nada contra estamos todos podendo estar na mesma situação , mas é um relato do que acontece dentro de uma escola.


  794. Por ai se vê , quem na verdade são os “acomodados” por terem estabilidade… garanto que muitos aqui até se encheram com tantos cursos oferecidos… rede aprende com a rede e por ai vai … e quantos tbm conseguiram evoluir por terem cursos ? Evolução não acadêmica que muitos ficavam sobrando horas para próxima evolução? se valeu , e se isso que os novos tantos falam de atualização estamos fazendo… mas muitos efetivos não fazem nada mesmo… é bom saber certinho quanto julgarem os prof com mais experências act que somos totalmente fora da realidade , pois não é bem assim , vê bem quem se acomoda…..esses cursos tbm poucos valem na prática, SOMOS vencedores em ficar numa sala 50 min, e conseguindo fazer nosso trabalho, bem feito ou não , não cabe julgarmos … eu sei da minha sala…


  795. BOA NOITE DONI
    EU TAMBÉM ERA CATEGORIA “F”, SÓ PORQUE NÃO CONSEGUI AULA EM 2007, ME PASSARAM PARA CATEGORIA “L”, MAS, JÁ ENTREI COM UMA AÇÃO JUNTO AO ADVOGADO DA APEOESP PARA MUDANÇA DE CATEGORIA, ESTÁ NO FORUM PARA SER JULGADO, ESPERO GANHAR PORQUE SÓ ESTOU ME “FERRANDO” NESTA CATEGORIA, NEM MINHA LIQUIDAÇÃO PARA APOSENTADORIA PUDE PEDIR.
    VAMOS CLASSIFICAR O GOVERNADOR E O SECRETÁRIO DA EDUCAÇAO, (SE É QUE PODEMOS CHAMÁ-LO DE SECRETÁRIO DA EDUCAÇAO, ACHO QUE ELE NEM SABE O QUE É EDUCAÇÃO), ISTO É, SERÁ QUE TEM CATEGORIA PARA ELES? ACHO QUE NEM PROCURANDO NO ALFABETO TODO VAMOS ACHAR UMA LETRA QUE SE ENCAIXE NO SEU PERFIL, POIS, NEM PERFIL ESSES DOIS POSSUI.


  796. PROF´PAULA

    na escola que trabalhei tem a maiorria de efetivos que tirvam licenças sem ter ,nao vou mencionar como, e quem tava para substituir os ofas.que carregava a escola nas costas ai chegava em nov. dez, voltavam e os ofas e eventual perdiam suas aulas ,principalmente aqui na periferia de guarulhos onde quem das ordens sao viciados,maginais eles quem ditam o horaraio da escola ja muito professores apanharem ter carros e motos roubadas dentro da escola entram na quadra e colocarm revolver na cara dela para jogar ,sem falar na violencia .ameaças contra diretores que chamavam a ronda escolar. tem mai aguentar pais dsm educacaço nas reunioes veem alcoolizados etc.por tudo isso a culpa do professor que tava na sala temos que aguentar chacotas.detalhe eu ja prsenciei prof. agrdido por aluno ele teve ser afastado da u.e devido a s agressoes que sofreu.esse trauma .hoje vc nao nem assobrar o aluno que te ameaça ir no conselho tutelar e ai vc ja viu ate vc provar que nao fez nada sua vida escolar fica de ponta cabeças.entao dar aulas nao e so passr conhecimento para quem quer meia duzia e o resto da sala nao nem ai .uma vez um aluno me disse pra que eu quero saber de celulas se ganho mais que o senhor vendendo papelotes de crack etc. nao e pra de desnimar, mas como amo que acho tenho eperança de um dia mude,vcs novatos ingressantes ajude os veteranos como eu a mudar esse quadro vcs tem muitas gurras com todo gas.assim vcs entram com toda garra e nos com a experiencia.como disse MARIO LAGO, eu convivio com jovens pois mente fica sempre aberta, ele tinha 90anos bem lucidos.nao passei na prova e vou cumprir 12 horas aulas com muito prazer .bom dia abraços


  797. em 13 fevereiro 2010 às 07:46 Querendo_ajudar

    Para Fatima Leme.

    Obrigado a todos que responderam meu post.

    Fatima, por favor, teria por favor Fatima como voce conversar com seu advogado da APEOSP para que eu possa entrar em contato com ele, eu gostaria muito de ter uma cópia do modelo do processo ou do requerimento que ele entrou junto ao forum, para que eu pudesse analisar e fazer o mesmo.

    Muito obrigado mesmo..

    Att

    Doni


  798. Nivaldo, bom dia é isso mesmo que Ofas que levam nas “costas”… já vi muita coisa…em escolas que coordenador pedia para montar grupos por area e chegar vez que só tinha Ofas de determinada matéria rss…


  799. em 13 fevereiro 2010 às 09:09 Ana Paula Sanches Leite

    Gostaria de saber se as pessoas que tiveram dispensa em janeiro de 2007 estão conseguindo voltar esse ano em outra categoria sem ser a O. Estou preocupada já que essa categoria é a pior.


  800. Eu gostaria de saber se alguem sabe quando será divulgado o resultado final da avaliação para promoção. Obrigada.


  801. Bem,está acontecendo oque já previamos:Ogoverno elimina os ACTS da lei 500/74,contrada os categoria O que não tem direito a nada(Servidor Público,abonadas,férias,13,Tikcts,etc.)e quando caírem na real espero que eles possam contar com professores experiêntes,com um sindicato que sempre brigou pela gente.Enfim que eles não estejem abandonados a própria sorte………………………………………


  802. Bom dia !!! olha no jornal local de minha cidade do interior saiu que aulas podem ser adiadas por 15 dias … alguém sabe alguma coisa ? abs


  803. Para Fátima

    Os professores que estão na categoria O não precisam se preocupar, já que este ano tem concurso público, e só o concurso dá garantias aos professores. Os Ofas independente da letra não são funcionários públicos e nenhum possui garantias concretas ou melhor, garantia nenhuma. TEMPO DE EXPERIÊNCIA NÃO SIGNIFICA COMPETÊNCIA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! É hora de levar a sério as provas, afinal o concurso público é composto delas.


  804. Fátima….
    Cara colega quando vc começou a lecionar vc era despreparada, impaciente e coisa e tal ? Pois fique sabendo que sangue novo é vida nova… A escola precisa mesmo dessa energia renovada, de novas idéias e novos ideais, e não de professores recalcados e atrasados e que choramingam por causa de uma provinha à toa… Não é a toa que com tanta “experiência” não conseguiram passar em um concurso até agora… Vê se acorda para a vida!!!!!!


  805. Vamos acordar!
    Não é basicamente uma provinha que mudará rumos, principalmente, instintos, sentimentos,vocação, ego, determinação, superação… Não dá para tolerar tanta crueldade no nosso meio, somos uma categoria e consiguiremos um ensino de qualidade quando ter união. Não me quero colocar como: efetivo, estável, OFA, iniciante, seja qual categoria for, apenas como PROFESSOR.
    OBSERVAÇÃO: Sou um professor em construção até minha morte, sempre tenho o que melhorar. Ainda mais que nos últimos anos não venho conseguindo desenvolver bons trabalhos.
    CAIAR NA REAL: Ninguém domina tudo, precisamos do próximo, temos que abrir a mente para o coletivo.


  806. em 13 fevereiro 2010 às 19:06 Ana Paula Sanches Leite

    Uma provinha não prova a capacidade de um professor, visto que neste anos que passaram toda a maioria dos alunos que termina a faculdade ao entrar na sala de aula acaba em buscar novos rumos.
    O pofessor é um eterno aprendiz, que constroi seu conhecimento passo a passo e realmente ninguém domina tudo. Só sei que nada sei, visto que o que eu sei está mudando a todo os momentos. Se o aluno deve ser avalido no dia a dia, o professor não deveria passar por essa humilhação do governo.
    O governo provou o que ele queria dando uma prova que os professores não era capaz de fazer e deixa assim a eles a culpa educação estar como esta.


  807. O que não dá pra tolerar é esse pessoal “do tempo da caverna” que acha que é dono da razão porque está esquentando lugar nas escolas do estado. Queremos concursos!!!! Mas se o que temos são “provinhas” que os melhores estejam a frente das salas de aula, porque os antigos e os novos se formaram em faculdades, então nesse sentido são nivelados e o que pode diferenciar um de outro são seus conhecimentos. E professor não tem que ter medo de prova não! Tem que estudar e estudar o tempo todo, pra quando surgir uma “provinha”, não passar vergonha ficando bem abaixo dos que eles chamam de novatos e inexperientes. Pelo jeito os novatos estão com tudo!!!! Vamos estudar.


  808. Ana Paula
    Na minha escola o aluno é avaliado no dia a dia mas também são aplicadas provas, isso sem contar na Saresp, prova brasil, ENEM… Os concursos também tem provas e ninguem reclama disso… Por que tanta discussão por causa de uma avaliação? Ao invés de ficarem reclamando estejam atento aos concursos… Parece que em março tem um.


  809. Respondendo a colega Lucia,
    Recebi este email esta tarde da Apeoesp Regional Barretos

    Barretos 13 de Fevereiro de 2010

    Prezado(a) Colega,

    Como é do conhecimento de todos, em descumprimento da Lei 1.093/09, a Secretaria Estadual de Educação classificou os professores categoria “O” juntos com os categoria “L”, evidente flagrante e ato contrário à referida Lei.

    Isso provocou grande distorção no processo de atribuição de aulas pois, muitos habilitados, aptos à nova contratação – categoria “O” e que se constituem como reserva para contrato temporário (serão dispensados no final do ano letivo e cumprirão carência de 200 dias no ano de 2011), reserva essa para suprir lugar de estáveis/88, categoria “F” e “L”, adquiriram caráter de quem estava na rede de ensino antes de julho de 2009, vigência da Lei 1093/09, isto é, categoria “L”. Em outras palavras, muitos “O” foram classificados como “L”, prejudicando vários professores com anos de magistério.

    Face a essa realidade, a APEOESP conseguiu uma liminar em 09/02/10 para que fosse executada tal correção. A ânsia grande da administração em prejudicar os mais antigos levou a mesma ao descumprimento da liminar. Em 11/02/10, com base em provas do descumprimento da liminar, o jurídico da APEOESP entrou com uma petição na justiça para que a liminar fosse cumprida, ocasião em que o juíz estabeleceu multa diária de R$ 20.000,00 pelo descumprimento. Em 12/02/10 o então secretário adjunto da SEE mandou um comunicado às D.Es. registrando a intenção de cumprimento da liminar, no entanto apontado o empenho em derrubar judicialmente a liminar da APEOESP, o que evidenciou somente, no nosso entendimento, a intenção de não ser penalizado com a multa estabelecida.

    De plantão no Fórum, nossos advogados não constataram, até o final da tarde do dia 12/02/10, nunhum registro no protocolo por parte do Estado, local comum para ajuizamento de Ações. Inusitadamente a SEE já tinha a informação, que repassou rapidamente às D.Es., de que a liminar da APEOESP já havia sido cassada, fato noticiado pela própria imprensa.

    Finalmente, por volta das 18h00, nossos advogados tomaram ciência do despacho do presidente do Tribunal de Justiça, indeferindo a liminar da APEOESP.

    Em resumo, o Exmo Sr.Dr. presidente entendeu que no recurso há elementos ensejadores da suspensão da liminar, uma vez que a mesma suscita a lesão à ordem pública.
    Entretanto, não se especifíca a referida lesão.

    Diante disso, a APEOESP, visando a defesa daqueles que acumularam experiência durante anos em sala de aula, agora discriminados pelo governo Serra/Paulo Renato e o gozo do saber de nossas crianças e jovens, recorrerá da decisão do Exmo. Sr. Dr. Viana Santos, Presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo.

    Assim, para todos os efeitos, o processo de atribuição de aulas/2010, realizado até agora, apesar de todos os erros, está validado!

    Em anexo, documentos que registram os fatos desse processo.


    Humberto -Conselheiro Apeoesp
    Oposição alternativa.


  810. Comentários x Comentários

    Será que os professores os quais tanto comentam : seriam eles formados numa USP????
    UNESP?
    UNICAMP?????
    Vários anos a fio levantei ás 5:00 hs , enfrentado onibus/estrada/chuva/tempo nao se faz com palavras ….mas com ações….
    Mesmo assim , nao tendo passado na provinha , posso me orgulhar de ser ultrapassada…. porquê será que vcs que passaram na prova possam ser melhores ou quem sabe??? Se VCs conseguirem chegar até onde cheguei……
    ……Espero que nao chorem como nós sucatas da Educação……


  811. para os novos ingressantes

    vou contar um relato que acnteceu na escola que trabalhei no ano passado.Nossa diretora praticamente exigiu que as professoras PEBI aprova-se 12 alunos praticamente sem saber ler e escrever e mal sabiam as 4 operaçoes. presta atençao vcs algum dia vao presenciar e de chatearem esperniarem e começar a se desiludiressa resposta:SE VCS NAO PASSAREM O SISTEMA PASSA ELE SO REPROVA POR FALTAS E NAO POR NOTAS; cuidado sangue novo nao significa nada se o sistema nao mudare se nao acabar com a progressao continuada que somos obrigados a passar alunos como acima ciatados eu tenho alunos no colegial que nao sabe ler .esse aluno foi literlmente empurrado ate agora e vai terminar colegial como entrou sem saber nada. Ai eu faço uma pergunta de quem e a culpa do professor ou do sistema dessa progressao continua? esse relato eu presenciei pois foi meu primeiro ano nela .sabem eu trabalhei numa escola durante 9 anos ,se eu nao tivesse competencia com certeza eu nao estaria la pois a comunidade e muito exigente e participativa. tenho 20 anos de magisterio,nao passei na prova nao consegui pegar aulas dia 12/02,mas tenho consiencia que nao me preparei como devia para prova e nao me considero um dinossauro pois tenho muito respeito com os animais como biologo que me formei.somos todos professores novatos ou veteranos,sem contar vantagens por passou ou ficar chicalhando quem nao pssou todos vao enfrentar varios tipos de situaçoes na sala e precisaremos uns dos ouros enao se equeçam nossos alunos estao cada vez mais violenta eo ECA ampara eles. BOA NOITE E DIA 18/02 TODOS EM SALA SE NAO MUDAR NADA.


  812. Luciana obrigada…


  813. Juiz multa pais de aluna que usou celular em sala de aula
    Atualizada às 15h11

    Os pais de uma adolescente foram multados em cerca de R$ 1.000 por permitir que a filha entrasse com telefone celular em sala de aula. A multa foi aplicada pelo Juizado da Infância e da Juventude contra os pais de uma jovem de 16 anos, estudante da Escola Estadual Joaquim Antônio Pereira, de Fernandópolis, a 555 km de São Paulo.

    Segundo o juiz da Vara da Infância e da Juventude de Fernandópolis, Evandro Pelarin, a multa é para punir os pais por não exercerem o pátrio poder e permitir, entre outras infrações da filha, que ela infringisse por duas vezes uma lei estadual que proíbe o uso do celular durante as aulas.

    “A adolescente já vinha tendo comportamento inadequado; a escola enviou o caso para o Conselho Tutelar, que da primeira vez advertiu os pais, mas da segunda, confiscou o celular e nos pediu que aplicássemos a multa por não-cumprimento do pátrio poder, um crime previsto no artigo 258 do Estatuto da Criança e do Adolescente”, disse o juiz.

    Segundo Pelarin, os pais da estudante foram ouvidos e a mãe respondeu por escrito, que a filha não fazia, mas apenas recebia as ligações na sala de aula. A mãe, que não quis ser identificada, disse que a família não tem dinheiro para pagar a multa e que não consegue controlar a filha. O valor da multa, segundo Pelarin, corresponde a três salários mínimos de referência. Se a família não fizer o pagamento, poderá ter bens confiscados. Os pais devem receber a cobrança oficialmente na próxima semana.

    A sentença de Pelarin está assinada com data da última quarta-feira. A decisão foi contestada pelo Ministério Público, que pediu a improcedência da representação alegando que o Conselho Tutelar falhou ao não buscar outras alternativas para solucionar o problema solicitando diretamente a punição dos pais.


  814. em 14 fevereiro 2010 às 08:50 Professorinha

    PARA MONICA

    Querida vc esta chamando nos professoresos antigos de pre historico!!!! Vc um dia tb sera uma pre historica e Deus queira que vc nunca tenha problemas com as leis do governo, que vc nao tenha nunca que passar por humilhaçoes nem do governo , nem de alunos e nem de ninguem. Que o seu dinheiro suadinho nunca seja confiscado e por final que vc nao tenha nenhum problema com a sua aposentadoria e mais ainda que vc nunca fique extressada e nao tenha que tomar fluoxetina e nao precise tirar licença medica por isso. Eu passei na provinha, e quando teve o ultimo concurso eu nao estava no Brasil, estava nas galerias e museus estudando a arte e por isso por querer me aperfeiçoar mudei de categoria sendo muito prejudicada. Um beijo enorme e que vc tenha mais sorte e mais sucesso que eu e que todos nos desse blog.


  815. sou professor do estado desde 1990. lecionei ate 2006 fiz a prova e fui aprovado. a Delegacia de Ensino enquadrou-me na categoria L, peguei aula normal. chegando na escola a secretaria disse-me que estou na categoria O e as pior categoria. pergunto posso entrar com um processo para mudar essa categoria sera que nao foi um erro no cadastro pode haver uma reclassificaçao?por favor orienta-me.obrigado


  816. Professorinha…
    Não se ofenda querida, eu falei para os professores em geral e não retiro nenhuma linha … Eu sou efetiva e concordo plenamente com as provas, exames e concursos. Todo professor deveria se atualizar e estudar… e não dói nada… só faz bem. Esse ano tem concurso… Cuidado para não viajar e perder a oportunidade. Nunca vou precisar tomar remédios e dificilmente vou adoecer por conta da profissão que escolhi e da qual me dedico muito, exatamente porque tenho uma vida social muito ativa. Todas as profissões tem seus percalços e não deveríamos levar isso como algo negativo mas sim como uma oportunidade de crescimento. Uma solução p/ não desenvolver certos problemas de saúde é fazer o que vc fez, viajar… conhecer outros países, adquirir cultura. Meus parabéns! mas nunca deveríamos esquecer nossas obrigações. Elas devem estar sempre em primeiro lugar. Afinal estamos trabalhando com seres humanos.


  817. Para Mônica e Marcia,quando comentei da manobra do governo,não quis ofender ninguém só alertar.Sabe meninas já peguei minhas aulas,na mesma escola e mesma quantidade que tinha no ano passado,só figuei muito triste,muito triste mesmo por alguns colegas que não conseguiram.Quanto ao concurso,lá vai mais um alerta são 10.000 vagas para 100.000 contratados todos os anos,isso dividido para 10 áreas.?BOA SORTE…….. PROFESSORINHA VOCÊ É DEZZZZ…………………………………


  818. em 14 fevereiro 2010 às 11:57 professortemporario

    Respondendo a todos

    Lembramos que as as provas de processos seletivos e concursos públicos, para qualquer cargo que exista na estrutura do Estado, não têm o objetivo de avaliar a qualificação do candidato. Por lei, o que prova a qualificação para a função é o atendimento a exigência legal de habilitação, dada pela posse do diploma.

    As provas de concurso público e processos seletivos simplificados servem apenas para selecionar e classificar candidatos, dentro de um critério de igualdade de condições de competição, já que na realização de uma prova, em que não haja fraude, todos os candidatos estão em igualdade de competição e não existe nenhum privilégio para qualquer um deles.

    Assim, recomendamos aos professores a atenção quanto a esse ponto, pois o direcionamento da discussão para se a prova avalia ou não o professor não tem sentido dentro de um processo seletivo ou concurso público. Logicamente, a avaliação de uma pessoa constitui um processo complexo, contínuo e duradouro, que teoricamente não tem fim, já que as pessoas sempre estão sendo avaliadas, seja na profissão, seja pelo olhar das outras pessoas que a cercam.

    Avaliação em processo seletivo ou concurso público não avalia capacidade e sim seleciona pessoas dentro de um critério objetivo e justo. Vale lembrar que as alternativas a esse tipo de seleção seriam a indicação política e o direito hereditário…


  819. A APEOESP deveria brigar por um número muito maior de vagas no concurso já que elas existem, e não ficar perdendo tempo tentando cancelar provas de seleção, que também considero JUSTAS, visto que os professores tem que ser avaliados de alguma forma… E que seja pelo CONHECIMENTO! tem critério mais justo que esse??? Pessoal que passou na prova Parabens!!!!! Bom ano letivo pra vocês!


  820. Professortemporário!!

    Gostaria de saber se alguem sabe quando será divulgado o resultado final da avaliação para promoção e se alguem tem alguma notícia sobre o Bônus, parece que todo mundo se esqueceu disso. Obrigada.


  821. monica

    O bonus segundo saiu semana passada no jornal agora sp , sera pago ate 21/03/2010 pois segundo a reportagem o governo ta preocupado com o movimento de todos funcionarios publicos de sp no dia 05/03 ou seja greve. abraços


  822. marcia

    A data que falei 21/03/2010 esta errada le-se dia 31/03/2010
    DESCULPE .


  823. MONICA
    DESCULPE TROQUEI SEU NOME PELO DA MARCIA, MAIS A INFOMACÇAO VALE PRA TODOS NOS.BOA TARDE.


  824. A TODOS

    ESSE NUMERO DE VAGAS DO CONCURSO E UMA PIADA PRA VCS TERM UMA IDEIA AQUI EM GUARULHOS ONDE TEMOS A DEGUARULHOSSUL E DEGUARULHOS NORTE JUNTANDO AS DUAS TEMOS AQUI MAIS OU MENOS 170 ESCOLAS COM 15 A 28 SALAS ENTAO EM MEDIA CADA U.E TEM DE 30 A 80 PROFESSORES ENTRE EFETIVOS,OFAS SEM CONTAR OS EVENTUAIS EO COORDENADORES E VICE DIRETORES, NAO SOU DE MATEMATICA MAIS E SIMPLES ESSAS 10.000 VAGAS QUASE NAO NEM PRA GUARULHOS ,E ME ESQUECI DOS ALUNOS DE ULTIMO ANO QUE VAO FAZER ESSA PROVA .E DIVIDIREM ESSAS VAGAS PRA CINCO MIL E TRALALA DE ESCOLA.BASEADO NISSO EU ACHO QUE O IDEAL ACIMA DE 80MIL VAGAS PENSEM NISSO E UMA PIADA MESMO.BOA TARDE E BOM COMEÇO DE ANO SE COMEÇAR POIS NO BLOG DA APEOESP QUE VAI ENTRAR COM MANDATO DE SEGURANÇA DIA 17/02.VAMOS AGUARDAR


  825. em 14 fevereiro 2010 às 21:24 Ana Paula Sanches Leite

    Mônica
    Para dizer a verdade a prova me ajudou muito, eu estava fora do Estado pelo motivo de ser efetiva na prefeitura. Vejo que vou ter que passar nessa prova do concurso do Estado. Eu só não gostei de voltar como O e não gostaria de ter muitas aulas justamente para poder estar estudando, já que é a coisa que eu gosto de fazer e o salário para quem tem família fica justinho.


  826. em 14 fevereiro 2010 às 22:08 edneia cristina

    sou funcionaria do municipio tenho 20horas semanais ,mas sempre trabalhei 40 horas ,quero saber qual a emenda que altomaticamente a prefeitura tem que me contratar as 20 horas ,pok sei que tem tenho direito.


  827. em 15 fevereiro 2010 às 10:45 cintiamatukaj

    OI EDNEIA BOM DIA
    DA UMA PESQUISADA NESTE SITE…

    http://www.leismunicipais.com.br/


  828. Caros colegas, leciono Química, certamente outras disciplinas estão enfrentando o mesmo problema no que diz respeito à ampliação de jornada, BÁSICA para INTEGRAL. A lei diz que para ampliar a jornada é necessário 33 aulas, mas têm disciplinas que só dá para atingir 32 aulas, então nestas condições não há como ampliar.
    POSSÍVEIS PREJUÍZOS:
    - VENCIMENTO MENSAL: as gratificões, o adicional noturno, os quinquênios, enteoutros, são pagos em relação ao salário base, então quem têm JORNADA INTEGRAL acabará ganhando mais que aquele com jornada básica.
    - APOSENTADORIA: aposentar com o salário base referente à JORNADA INTEGRAL é muito mais viável.
    Aguardo comentários.


  829. sou professora pebII estou incluida na categoria f, durante a atribuiçao do dia 01/02/2010 eu peguei 10 aulas e como tinha 6 aulas de ACD me falaram que teria que pegar ou elas me seriam atribuidas compulsoriamente, peguei as aulas mas quero saber se posso deixa las e se ao desistir dessas aulas perco a categoria “F” obrigada muito boa noite


  830. em 16 fevereiro 2010 às 15:43 PROFESSORINHA

    PESSOAL

    Segundo o Nivaldo o governo esta preocupado com o movimento de todos os funcionarios publicos no dia 05/03. Vamos pessoal mostrar a ele que nos somos fortes, unidos, somos seres humanos que amamos a nossa profissao que esta no sangue a arte de educar, ensinar e amar e que Deus esta do nosso lado e o bem sempre vence. Jesus venceu!!! e vencera sempre. Vamos lutar por todos e nao se esquecendo dos nossos queridos professores aposentados que nao recebem aumento a muitos anos, nao tem direito a bonus que eh uma grande injustiça e nem vale refeiçao, pelo menos poderia entao dar vale remedio. Enfim vamos lutar todos!!! FATIMA muito obrigada pelo 10 vc tb deve ser 10, professora do tipo que todos amam e respeitam. Beijao a todos e to indo estudar……..


  831. Mônica

    Se dedique mais a seu marido e aos seus filhos vc me

    parece ser muito novinha e perdida com sua

    profissão. Em primeiro lugar você e familia

    depois os alunos.


  832. Mariam!!!!!!!!!!!!!!

    Que idéia estranha é essa querida!! da onde vc tirou isso querida? ? seu sonho era ser psicologa é? ? ? kkkkkkkk. Um bom profissional não precisa necessariamente negligênciar a sua família, de jeito nenhum!! Com boa vontade conseguimos dividir nosso tempo, trabalho, familia, lazer, estudo, enfim tudo que se queira. kkkk essa foi boa!!!


  833. Nivaldo!!

    obrigada pelas informações.


  834. Mônica
    Qual é o seu problema?
    Se é efetiva e tão competente, tá querendo o que num site que é para “sucatiados”, vc se acha tão boa e tem uma vida tão interessante, movimentada … cuida dela então, que aqui ninguém tá afim dos seus comentários maravilhosos… O seu relato me parece imaginário, somente vc tem uma escola dos sonhos…


  835. COMUNICADO Nº 51, DE 12 DE FEVEREIRO DE 2010.
    Cadastramento de Professores para eventual contratação para a função de Professor de Ensino Fundamental II e Médio.
    O Secretário Municipal de Educação, no uso de suas atribuições legais, e considerando o disposto na Lei nº 10.793/89, regulamentado pelo Decreto nº 32.908/92, com as alterações introduzidas pela Lei nº 13.201/2001,
    COMUNICA:
    1. Estarão abertas no período de 18/02/10 a 25/02/2010 nas Escolas Municipais de Ensino Fundamental e Médio – EMEFMs, inscrições para candidatos a eventual contratação pelo prazo máximo de até 12 (doze) meses para a função de Professor de Ensino Fundamental II e Médio, para regência de aulas de Língua Espanhola e das disciplinas dos cursos de Educação Profissional de nível técnico oferecidos pelas unidades educacionais.
    1.1. O Professor ficará submetido à Jornada Básica do Docente, correspondente a 25 (vinte e cinco) horas-aula e 5 (cinco) horas-atividade semanais de trabalho.
    2. As inscrições deverão ser feitas pessoalmente pelo interessado, ou por procurador devidamente habilitado, mediante o preenchimento do formulário padronizado: “Ficha de Cadastro de Candidato à Eventual Contratação”, no período acima especificado e no horário das 8 às 17 horas.
    2.1. Nos termos da legislação em vigor, o candidato no ato da inscrição deverá comprovar os seguintes requisitos:
    a) ser brasileiro;
    b) ter idade mínima de 18 (dezoito) anos completos, até a data da inscrição;
    c) possuir formação específica para a função, comprovada através da apresentação de diploma registrado da habilitação que se constitui em pré-requisito para o exercício da função;
    c.1. o candidato que ainda não detém diploma registrado da habilitação deverá apresentar, exclusivamente para fins de inscrição, Certificado de Conclusão de Curso, acompanhado do respectivo Histórico Escolar.
    2.2. o candidato fica cientificado de que, na hipótese de ser convocado para formalizar a contratação, deverá:
    a) apresentar diploma registrado da habilitação, acompanhado do respectivo histórico escolar;
    b) comprovar estar quite com as obrigações militares (no caso de sexo masculino);
    c) estar em dia com as obrigações eleitorais;
    d) ter boa conduta;
    e) gozar de boa saúde física e mental e não ser portador de deficiência incompatível com a função a ser exercida, conforme dispõe o artigo 11 da Lei nº 8.989/79.
    3. O processo seletivo dos candidatos deverá ser feito pelo Diretor de Escola da unidade receptora da inscrição, mediante apuração de tempo de serviço no magistério como docente, considerado até 31/12/2009, com base nos seguintes critérios:
    a) tempo de serviço como docente no magistério municipal de São Paulo: 2,0 pontos por dia;
    b) tempo de serviço como docente no magistério particular ou público estadual, federal ou de outro município: 1,0 ponto por dia.
    3.1. o candidato deverá apresentar documento comprobatório do tempo de serviço, em estabelecimento de ensino regular, expresso em dias até 31/12/2009;
    3.2. não será considerado como tempo de serviço o tempo computado pelo Professor para fins de aposentadoria já concedida;
    3.3. após a pontuação, nos termos ora estabelecidos, os inscritos serão classificados em ordem decrescente;
    3.4. para o desempate serão utilizados, pela ordem, os seguintes critérios:
    a) maior idade;
    b) maior número de filhos menores de 18 anos.
    4. O Diretor de Escola deverá afixar a listagem da classificação prévia dos inscritos, em local visível e de fácil acesso ao público, no dia 01/03/2010, assegurando o direito do candidato à interposição de recurso contra a pontuação/classificação, nos dias 02 e 03/03/2010.
    5. Após análise dos recursos, o Diretor de Escola deverá afixar até o dia 04/03/2010, em local visível e de fácil acesso, os resultados dos recursos interpostos e a classificação final dos candidatos inscritos.
    6. O candidato cadastrado e classificado nos termos do presente comunicado fica cientificado de que será convocado para providências iniciais de contratação conforme cronograma a ser divulgado pelas respectivas Diretorias Regionais de Educação, respeitadas as necessidades de professores para regência de aulas.
    7. Demais informações deverão ser obtidas nos próprios locais de inscrição ou nas Diretorias


  836. em 17 fevereiro 2010 às 11:06 professortemporario

    Cristina

    Qual é a cidade a qual se refere o comunicado nº51 que você divulgou?


  837. em 17 fevereiro 2010 às 21:13 Maria Izabel Muniz

    Sou professora municipal contratada.Faço parte do quadro de professores ha 16 anos.Este ano foi feita uma prova seletiva,contando a nota da prova e títulos, sem contar tempo de serviço.Conclusão, estou desempregada.Não fui mal na prova, mas como não tenho títulos e não contaram tempo de serivço, não consegui sala de aula.Gostaria de saber se existe alguma lei que determine que tal procedimento é certo.Como vou pagar meu aluguel, luz agua , telefone e outras coisas mais.As pessoas simplesmente não querem saber nada a respeito da gente.Pisam como se nós fossemos lixo.Que classe mais desvalorizada.Obrigada e por favor me responda.Abraços


  838. oi atualmente sou professora substituta do estado a dois anos mais antes de assumir estava na condição de contratada em serviços gerais ja estva com quatro anos eles apenas renovando o contrato,existe alguma possibilidade que eu possa lutar por efetivação


  839. oi sou professora categoria f mas nao passei no processo seletivo2009 ,no ano de 2009 fui professora coordenadora no ano de 2009 peguei no ano de 2010 14 aulas livres sendo 10 na msm unidade escolar como fica minha situação???


  840. Boa tarde! Eu comecei a trabalhar em 2006, sempre como eventual! Apenas nesse ano consegui atribuir aulas. Quando pedi informações para a secretária da escola onde trabalho, a mesma informou que estou na categoria “O”. Gostaria de saber se era pra eu estar na categoria “F” já que trabalho desde 2006?


  841. Ola! qurero saber se odopcente que não fez cadrastramento em delegacia deeeeincino ,pode participa deste cadrastramento que havera agor entre os dias 18à22?


  842. em 19 fevereiro 2010 às 00:51 GUARATINGUETÁ

    PARA COORDENADORES

    Resolução SE 21, de 17-2-2010
    Dispõe sobre o exercício de docentes em Oficinas
    Pedagógicas e em posto de trabalho de Professor
    Coordenador, e dá providências correlatas
    O Secretário da Educação, à vista do que lhe representou o
    Dirigente do Departamento de Recursos Humanos e considerando
    a necessidade de estabelecer diretrizes para o cumprimento
    do disposto na Lei Complementar 1.093, de 16-07-2009,
    Resolve:
    Artigo 1º – Os docentes temporários que não obtiveram os
    índices mínimos de aprovação fixados no processo de avaliação
    previsto no artigo 2º da Resolução SE 91, de 8 de dezembro de
    2009, não poderão ser designados para exercício nas Oficinas
    Pedagógicas das Diretorias de Ensino ou no posto de trabalho
    de Professor Coordenador.
    Artigo 2º – para os docentes abrangidos pelo disposto no
    § 2º do artigo 2º da Lei Complementar 1.010, de 1º de junho
    de 2007, o aproveitamento de, no mínimo, 50% (cinquenta por
    cento) na prova objetiva do concurso público de provas e títulos
    a ser realizado pela Secretaria de Estado da Educação em 2010
    ou na prova de promoção de que trata a Lei Complementar
    1.097, de 27-10-2009, poderá ser considerado como de participação
    e aprovação na prova do processo seletivo de que trata o
    artigo 1º desta resolução.
    Artigo 3º – Os docentes que se encontram designados nas
    Oficinas Pedagógicas das Diretorias de Ensino ou no posto de
    trabalho de Professor Coordenador e que não alcançarem os
    índices de pontuação fixados no artigo 2º da Resolução SE
    91/2009, poderão permanecer designados até a divulgação dos
    resultados dos eventos citados no artigo anterior.
    Parágrafo único – Imediatamente após a divulgação dos
    resultados, deverão ser cessadas as designações dos docentes
    que não lograram aprovação em qualquer uma das provas
    mencionadas nesta resolução.
    Artigo 4º – Esta resolução entra em vigor na data de sua
    publicação, ficando revogadas as disposições em contrário.


  843. em 19 fevereiro 2010 às 11:56 Maria Izabel Muniz

    Deixei um depoimento dia 17/02/2010 e não obtive resposta.Me responda, por favor. Obrigada.


  844. Na verdade os unicos prejudicados nessa historia toda foram os eventuais nem 10 aulas tivemos


  845. PROFESSOR TEMPORÁRIO

    Tem professor que estava na coordenação ano passado, é da categoria F, não passou na prova, mas na atribuição pegou 10 aulas à 50 km de casa (que tinham sobrados) e automaticamente foi reconduzido novamente para a coordenação.Portanto não bate com que foi dito acima por GUARATINGUETÁ. Podemos requerer essas aulas??????Porque na hora da atribuição as supervisoras não sabem quem é coordenador e as escolas não vão reclamar isso não é mesmo? Abraços


  846. Os esclarecimentos aqui são de grande valia para nós professores. O que me causa indignação são as perguntas aqui elaboradas por pessoas que estão assassinando a Língua Portuguesa. Seja de que área for, o educador tem a obrigação de saber ortografia. É inadmissível termos em nossa área pessoas que mal conseguem escrever, formando alunos. Por favor, usem o dicionário sempre que possível. Como podem reivindicar algo, se não conseguem nem se expressar? Já mandei um comentário e não o encontrei aqui nesta seção. Acho importante que os educadores leiam sim, para que se corrijam e façam uma avaliação pessoal. Conhecimento nunca fez mal a ninguém. Um abraço a todos e boa sorte nesta jornada. Não se esqueçam de estar sempre renovando o aprendizado, pois é o que a gente leva para toda a vida.


  847. em 19 fevereiro 2010 às 16:59 professortemporario

    Maria

    O professor F reprovado no processo ficaria limitado ao cumprimento das 12 horas na escola sede, fora da sala de aula. Ocorre que para algumas disciplinas em que tradicionalmente existe falta de professores, a quantidade de aprovados foi inferior a necessidade de professores, o que forçou o governo a flexibilizar essa regra e criar uma secunda lista, por disciplina.

    Assim, o professor F reprovado que tenha conseguido saldo de aulas pela segunda lista tecnicamente poderia retornar a coordenação, já que o requisito para isso é que ele tenha aulas atribuídas. Já um professor F reprovado em uma disciplina sem falta de professores dificilmente conseguiria saldo de aulas e por ter sua função atividade descaracterizada, em tese não poderia assumir função de vice-direção ou coordenação.

    Sobre a requisição dessas aulas, lembramos que o termo habilitação se refere à formação acadêmica e só poderia ser feita se a professor que assumiu não tivesse a habilitação exigida. No caso específico citado, embora o professor tenha deixado as aulas para coordenar em outra escola, a aulas que deixou serão novamente atribuídas em substituição e podem concorrer às mesmas os professores que participaram do processo, dentro de sua classificação. Isso quer dizer que mesmo um professor com classificação baixa e na condição de estudante poderia assumi-las, se não aparecesse outro professor mais bem classificação no momento da atribuição, na unidade escolar


  848. Concordo com a colega, o único prejudicado nesta história é o professor eventual que muitas vezes tem que dividir aulas até com professores que já tem aulas atribuidas QUE FOME !!!!


  849. Professor Temporário
    Perfeito o comentário.Realmente foi isso que aconteceu.Era disciplina que não havia professores suficiente.Entendi tudo.Agradeço.Abraços.


  850. bia

    Também estou quase na mesma situação que vc, sou “F” e não passei na prova seletiva… Minha escola municipalizou, foi cessada a minha designação em janeiro por motivo de municipalização e agora tive que entrar com Mandato de Segurança contra a dirigente, pois ela que cessou minha designação e não a diretora…fui convidada para ser PC em outra escola e não posso, pois saiu uma resolução ontem falando sobre designação de PC…Segue abaixo a Resolução:

    Diário Oficial Poder Executivo – Seção I São Paulo, 120 (31) – 13 terça-feira, 18 de fevereiro de 2010

    Resolução SE 21, de 17-2-2010

    Dispõe sobre o exercício de docentes em Oficinas Pedagógicas e em posto de trabalho de Professor Coordenador, e dá providências correlatas

    O Secretário da Educação, à vista do que lhe representou o Dirigente do Departamento de Recursos Humanos e considerando a necessidade de estabelecer diretrizes para o cumprimento do disposto na Lei Complementar 1.093, de 16-07-2009,

    Resolve:

    Artigo 1º – Os docentes temporários que não obtiveram os índices mínimos de aprovação fixados no processo de avaliação previsto no artigo 2º da Resolução SE 91, de 8 de dezembro de 2009, não poderão ser designados para exercício nas Oficinas Pedagógicas das Diretorias de Ensino ou no posto de trabalho de Professor Coordenador.

    Artigo 2º – para os docentes abrangidos pelo disposto no § 2º do artigo 2º da Lei Complementar 1.010, de 1º de junho de 2007, o aproveitamento de, no mínimo, 50% (cinquenta por cento) na prova objetiva do concurso público de provas e títulos a ser realizado pela Secretaria de Estado da Educação em 2010 ou na prova de promoção de que trata a Lei Complementar 1.097, de 27-10-2009, poderá ser considerado como de participação e aprovação na prova do processo seletivo de que trata o artigo 1º desta resolução.

    Artigo 3º – Os docentes que se encontram designados nas Oficinas Pedagógicas das Diretorias de Ensino ou no posto de trabalho de Professor Coordenador e que não alcançarem os índices de pontuação fixados no artigo 2º da Resolução SE 91/2009, poderão permanecer designados até a divulgação dos resultados dos eventos citados no artigo anterior.

    Parágrafo único – Imediatamente após a divulgação dos resultados, deverão ser cessadas as designações dos docentes que não lograram aprovação em qualquer uma das provas

    mencionadas nesta resolução.

    Artigo 4º – Esta resolução entra em vigor na data de sua publicação, ficando revogadas as disposições em contrário.


  851. em 19 fevereiro 2010 às 22:17 Léia Ribeiro

    Estamos passando por tudo isso e muito mais, por nao sermos uma classe unida.O que o governo quer é reduzir orcamento…e é claro que vai mexer e cotinuar mexendo com os funciónarios que sao mais fracos – nós professores – pegunto: -Qual é a outra classe de funcionários que ele faz o que faz?
    As escolas de modo geral, iniciou o ano com salas sem professores e prefessores sem sala…
    E, na próxima atribuicao ( em fev/mar na DE) terá uma chuva de saldo de aulas.
    Que conclusao devemos tirar de tudo?
    Ainda nao está claro para mim…infelizmente.

    ps:meu pc tem que configurar o c cedilhado e o til, perdoe-me


  852. professortemporario

    Tenho umas colegas que estão cumprimento 12h aulas, pela sua resposta é fora da sala de aula, e as mesmas estão sendo colocadas em salas de professor que faltou… uma hj me disse ficou na escola mais de três horas e a só deixaram assinar 2hs… o que fazer ? os diretores querem fixar horários para substituir professores… se a lei é fora da sala , eles não sabem ou disfarçam ? eu cumpro 5 horas aulas, mas até agora fico fora, até dei uma força para profs entegarem os KIt…


  853. Complementando: é qualquer matéria que elas sendo colocadas para substituir… ai vem o que a Cassia falou …muitas dessas aulas poderia estar com eventual tbm…


  854. PROFESSOR TEMPORÁRIO,SOU EFETIVA EM UMA ESCOLA MUNICIPAL, NA EDUCAÇÃO INFANTIL. PASSEI EM OUTRO CONCURSO DA MESMA INSTITUIÇÃO MAS NO ENSINO FUNDAMENTAL, ESTOU EXERCENDO OS DOIS CARGOS PELA MESMA INSTITUIÇÃO. ESSE ANO HOUVE CONFLITOS, POIS MEU CARGO NA EDUCAÇÃO INFANTIL É NA PARTE DA TARDE. QUERO SABER SE EU TENHO PRIORIDADE DE TER UMA VAGA NA PARTE DA MANHÃ NO FUNDAMENTAL, PODENDO ASSIM EXERCER OS DOIS CARGOS. HÁ ALGUMA LEI QUE ME PREVALECE NESSE CASO?


  855. em 19 fevereiro 2010 às 23:43 MÁRCIO ANDRÉ

    MÁRCIO ANDRÉ
    Sou contratado da rede municipal de ensino há 4 anos, fiquei como excedente do concurso realizado em 2001. A prefeitura então realizou contrato exatamente com estes excedentes, dos quais me incluo; mas que realizaram o concurso daquele ano e foram contratados. Mesmo como contratado, prestei um novo concurso para a mesma área, passei e ainda não fui convocado. E o prazo de validade deste último concurso está próximo de expirar! Gostaria de saber se tenho direito de ser efetivado e tendo, como proceder para recorrer?

    Por favor, me ajudem! Ainda não obtive uma resposta!!!


  856. Professor Temporario!!!!!

    Peço – lhe esclarecimento quanto a RE/SE21-17/02/2010 – no que diz respeito ao 2º artigo : caso eu tenha nota razoável prova /redação , e como não passei processo seletivo , neste caso seria considerada aprovada? É isso???
    Sou grata sempre pela tua gentileza em nos atender individualmente …..


  857. Professor temporario!!!

    Sou professora F , não aprovada processo seletivo .
    Minha sede há um professor afastado( motivo doença ) e estou eventuando suas aulas . Entrará outro afastamento médico.
    Sendo da casa essas aulas seriam de direito minhas ??? Ou iriam para atribuição na DRE????


  858. Professor temporario!!!

    Sou professora F , não aprovada processo seletivo .
    Minha sede há um professor afastado( motivo doença ) e estou eventuando suas aulas . Entrará c/outro afastamento médico.
    Sendo da casa essas aulas seriam de direito minhas ??? Ou iriam para atribuição na DRE????


  859. em 20 fevereiro 2010 às 00:01 professortemporario

    Luiza

    Pelo que sabemos o acúmulo de dois cargos de professor é um direito garantido por lei, desde que não haja o choque. Ocorre que em algumas redes de ensino, por padronização, o ensino fundamental funciona em um período e a educação infantil em outra. Nesse caso, não é possível exigir que a rede organize-se em função das necessidades de um professor que acumula cargo. Mas, se existe a possibilidade de se fazer um horário compatível e isso não está acontecendo por “capricho” de alguém da direção, o problema pode ser questionado na justiça, com grande possibilidade de ganho de causa.

    Antes de partir para isso, solicite por escrito um esclarecimento sobre a razão para o seu acúmulo não ser resolvido, na secretaria da escola e posteriormente na secretaria municipal de educação


  860. em 20 fevereiro 2010 às 00:05 professortemporario

    Lúcia

    Se o professor F foi aprovado, mas não conseguiu saldo de aulas, ele fica vinculado a uma escola para cumprir as 12 horas e pode ser chamado para “eventuar” na própria escola, além do limite das 12 horas, recebendo pelas horas trabalhadas

    Se foi reprovado, pelas regras divulgadas, o professor não poderia lecionar nem como eventual


  861. Ola….
    Eu sou a Eliana da sul 2.
    Entrei no programa escola da família no dia 28 de fev de 2009.
    Como sou da categoria L não foi possível atribuir as aulas para o programa escola da família.
    Porque não passei na provinha.
    Porque o querido Secretaria da Educação PAULO RENATO e o Senhor Governador Jose Serra fez isso com todos nós.
    Sei que é uma boa ter uma avaliação para todos os professores, mais porem como vou estar preparada para passar numa prova que no meu dia a dia a realidade e outra.
    Porque ambos não jogam na mídia o que realmente acontece na Escola da Família, os projetos que fazemos para todos darem certos, a luta que passamos para conquistar a comunidade e têm todos finais de semana.
    Querido Secretario da Educação falo por mim e nem pelos meus colegas, eu estou na escola da família e porque acredito que a comunidade tem sim que ter esse benefícios, eu mesma participo porque acredito que com a escola aberta no final de semana , temos a possibilidade de oferecer esporte, lazer, cultura , saúde e ate mesmo trabalho.
    Quantas pessoas passaram pela escola que estava aprenderam a fazer muitas coisas.
    E o rosto das crianças quando chegava cedo à escola e perguntava se iria fazer um bolo para eles? Diz-me, onde fica isso? Posso saber?
    Eu sei que estou sem aula atribuída na escola da família, mais porem esse final de semana dia 20 de fevereiro já tinha combinado que iria fazer um café da manha para que todos sejam bem vindos nesse novo ano de 2010.
    Mais Querido Paulo Renato, só não esperava que o senhor não fosse deixar isso acontecesse. O senhor José Serra que fala tanto em educação que esta colaborando para esse projeto acontecer deveria ao menos parar e pensar que nós, hoje estamos sim muito tristes com essa atitude que ambos aceitaram.
    Espero que os senhores possam rever essa situação e quem sabe no próximo final de semana vou estar novamente como educadora profissional, porem esse final de semana vai estar sim presente com a comunidade porque fiz um convite a todos e permitir que ambos forem passar um sábado Feliz junto comigo e a minha equipe no qual estou presente.
    Lembrando aos senhores que estou nesse projeto escola da família por que acredito que podemos fazer se quer um pouquinho para ajudamos a comunidade quer e precisa muito dar continuidade nesse projeto que iniciou nessa escola a nossa equipe e formadas por 4 universitários, no qual ambos respeita cada espaço e desenvolvemos um trabalho que a gestora sempre esta presente e com o apoio do diretor da escola fazemos de tudo para desenvolver um bom trabalho.
    Quem sabe um dia desses os senhores, agora em época de campanha venha nos fazer uma visita e conhecer de perto a nossa comunidade do Capão Redondo, podemos ver na mídia
    Que fala tanto que e uma comunidade que tem seus defeitos e por outro lado a fama de seres ruins será que esta faltando o que?
    Sabe o que essa comunidade esta precisando de apoio de oportunidade de escutamos o que ambos tem a dizer.
    Se hoje a comunidade esta assim será que a sociedade não tem culpa por isso esta acontecendo? Hoje muitos estão no caminho errado, par muitos não tem volta e ate mesmo jeito, mais na minha concepção de pensar ambos tem sim uma solução basta acreditar e confiar.
    Eu confio no meu trabalho e porem gostaria de muito continuar a trabalhando nesse projeto.
    Quem sabe, essas pequenas palavras possam contribuir e não só eu como outros colegas que estão nessa mesma situação podemos retornar para nossas atividades ainda esse mês de fevereiro.
    Quem sabe com essas simples palavras possam todos refletir e juntos podemos acabar com essa resolução que esta tentando tirar o nosso direito de seguimos a nosso sonho de estar presente nessa comunidade e nesse projeto que tem tudo para dar certo.

    Grata.
    Eliana
    Diretoria
    Sul 2


  862. professor temporario

    esses dia tava lindo sobre o concurso e procede que fazer as doas provas em que me inscrevi no mesmo dia bio e ciencias, isso e desumano vai 4 horas cada prova nao vai dar temp.nem de respirar e 160 perguntas 80cada prova .Sera que nao da para ser em 2 dias pois sera muito estafante no mesmo dia as duas provas?


  863. em 20 fevereiro 2010 às 08:45 PROFESSORINHA

    PESSOAL………

    Fiquei sabendo agora de pouco que o governo esta dando de gratissssss mais uma categoria a ”V” Eu nao estou acreditando em tanta bondade……. Me disseram que se o professor categoria ”F” nao pegar aulas que lhe forem atribuidas ele passa para categoria ”V” e se desliga no fim do ano, sera isso mesmo ???? Alguem esta sabendo disso??? Acho que entendi errrado nao eh possivel!!!! Sera verdade essa nova categoria ”V” ”VÊ” PARA CRÊ.

    ELIANA

    Seja bem vinda a esse blog onde vc pode desabafar ! Amiga! Aqui cada um esta numa situaçao pior que o outro e tudo que nos podemos fazer eh ser solidarios uns com os outros. Continue querendo e fazendo o bem ! Nao pare de ser essa pessoa boa que vc eh pois oque o secretario e o governador esta querendo eh que tenhamos raiva e com isso entregarmos a nossa alma para o demonio. Eh forte mesmo mas eh real. Tenha fe e estude para o concurso eu ja estou indo, pois ja passou da minha hora de estudar. Um grande abraço e se precisar de um ombro amigo pode contar comigo.


  864. LUCIA

    EU tb estou cumprindo as 12 haras aulas e tb entrguei kits ajudei a coordenaçao e depois das 2 horas eu fui eventuar pois diretora pedeiu pra mim ficar de eventual apos meu horario das 2 horas ,pois ela conhece meu trabalho ja que trabalhei la na escola como a escola e grande falta muito professor como vc disse estao passando por cima da lei de novo, so sei que quero receber ja dei 16 aulas como eventual e a secretaria disse tenho um limite de aulas se continuar assim vou ganhar mais de quem tem 33 aulas. abraços na nossa DE ja vai nova atrbuicao geral dia 3e4/03/2010 fiquem atentos.abraços


  865. Bom dia Nivaldo… então assim como vc eu entendi , tb quero receber as aulas que eventuar fora da hora permanência que me fizeram até um “livrinho ponto ” para assinar essas horas rss … Abraços


  866. Nivaldo Vera é a Lucia rss Vera Lucia ..


  867. Bom dia Nivaldo… eu entendi assim tbm , é o que acontecendo comigo , quero tbm receber pelas aulas eventuadas fora da hora permanência… mas ainda tem aqueles diretores que eu acho que estão sem informação , minhas colegas estão passando situação complicada…eu disse como acontece comigo na escola … até agora esta dando certo tbm , pois a escola tbm conhece meu trabalho… abraços


  868. DRHU estabelece cronograma para cadastro à atribuição de aulas

    O Departamento de Recursos Humanos da Secretaria da Educação divulgou nesta quinta-feira, 18, Portaria DRHU 12 que estabelece diretrizes, datas e prazos para o desenvolvimento do processo de atribuição de classes e aulas, dando continuidade aos cronogramas anteriores.
    Em seu artigo 1º, a Portaria determina que o cadastramento dos docentes e candidatos à contratação, em nível de Diretoria de Ensino, será feito no período de 18 a 22 de fevereiro de 2010.
    Ainda segundo a Portaria, a classificação dos cadastrados obedecerá aos mesmos critérios e disposições estabelecidos para a classificação dos inscritos no processo inicial e obedecerá o seguinte cronograma:

    I- dia 23-02-2010 – divulgação da classificação do cadastramento
    II- dias 24 e 25-02-2010 – prazo para interposição de recursos
    III- dias 25 e 26-02-2010 – prazo para digitação dos recursos
    IV- dia 01-03-2010 – divulgação da classificação, após as decisões dos recursos.

    A data da atribuição será definida pelas Diretorias de Ensino de acordo com as necessidades das escolas de cada região, não podendo ultrapassar o dia 05 de março de 2010.


  869. Para Eliana
    Por quê vc não publica essa carta num jornal de grande circulação??? O serra e o paulo renato nem sabem que existe este site!!!!


  870. para Eliane

    Se vc saiu da escola da Familia com certeza outro asumirá seu lugar, agora chega de ser ridicula com essa carta vê se passa na prova no proximo ano, vc sabia que escola da familia é atribuição de aula caso vc não estudou perdeu a mamata queria.


  871. Olá caros colegas tenho uma duvida. Gostária de saber se eu perdi o vinculo, pois na minha D.E a atribuição fui ontem dia 19/02/2010 peguei aulas de reforço 20 aulas, então não tenho culpa da minha D.E não ter feito a atribuição na data correta. Então colegas gostária mesmo de saber se eu perdi o vinculo se tenho que fazer exame médico e quando começo a receber, se alguém sober me informar como funciona as aulas de reforço eu agradeço, obrigado.


  872. vera lucia

    eu estou assinando o livro de ponto normal segundo a secretaria que e muito competente conheço a quase 20 anos e sempre ela nessa funçao,me disse que nos ja estamos no sistema e nao precisa abrir nova portaria ,nao sei oque vai td isso na apeoesp me orientaram para eu eventuar e e que to fazendo e cumprir as 2 horas aulas.e E verdade tem muito diretor que nao ta deixando eventuar.boa noite.


  873. Colegas queridos.
    A orientação que recebi na DE de Pirasssununga durante as atribuições foi a seguinte:O professor que está cumprindo hora de permanência pode sim substituir os prof. faltosos, ex: se vc der 6 aulas no dia 2 vc já esta ganhando e 4 vc recebe como eventual.


  874. Professor temporário
    Gostaria de saber de o professor que pertence a categoria O tem direito ao ticket alimentação, 13 salário, férias e abono anual. Grata.


  875. Alguém sabe quando serão chamados os professores que passarem nesse concurso do estado?


  876. Minha primeira admissão no es tado foi em 18/04/2008, desde então venho trabalhando como eventual, e assumindo algumas licenças prêmio que surgiam na escola, foi assim até dezembro de 2009, então a que categoria eu pertenço???


  877. em 22 fevereiro 2010 às 16:12 Sidney Silva.

    Urgente!!!

    Gostaria de saber se o professor eventual contratado, e que esteja recebenbo seu seguro desemprego, ele pode perder esse benefício se for contrado como eventual?
    pode mandar a resposta para o meu e-mail: sidney_silva22@yahoo.com.br
    Grato!!


  878. em 22 fevereiro 2010 às 16:38 professortemporario

    Sidney Silva

    Os bancos de dados da receita federal foram integrados aos do INSS. Assim, como a contratação dos professores pela